Biólogos identificam espécies inéditas de insetos em Ribeirão

Ao menos 500 espécies de insetos foram identificadas por um grupo de biólogos em quase 15 anos de pesquisa na Mata de Santa Tereza, um patrimônio verde preservado na zona Sul de Ribeirão Preto. Das 200 espécies de besouros, três são consideradas inéditas, já que não há qualquer registro em outras florestas no mundo. Outra novidade é uma espécie nova de inseto aquático.
Para documentar o acervo, os biólogos decidiram publicar o livro “A Fauna de Insetos da Mata Santa Tereza”, que será lançado com o início das aulas no campus da USP (Universidade de São Paulo), em Ribeirão. A publicação envolve a participação de 18 pesquisadores do País.
O editor do livro, o biólogo ribeirão-pretano Cleber Macedo Polegatto, afirma que a mata mantém ainda 110 espécies diferentes de borboletas, além de 70 de formigas. Os pesquisadores catalogaram até espécies distintas de vespas e de mosquitos no local.
“É um patrimônio genético que depende daquele ambiente. É necessário preservar a mata. Isso porque ela reúne todos os recursos alimentares, associados ao clima e umidade, favorecendo a reprodução dos insetos.”
As amostras dos insetos foram preservadas em fracos com álcool ou secadas e doadas para museus e instituições de pesquisas. “A nossa proposta é que o livro seja usado para nortear ações de políticas públicas de preservação do ecossistema”.
Estação
A Mata de Santa Tereza é classificada como estação ecológica, sob responsabilidade do Instituto Florestal do Estado de São Paulo, órgão vinculado ao governo. A área é um fragmento de mata tropical e tem perto de 150 hectares preservada por lei.
Fonte: Jornal A Cidade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima