Salvem enquanto é tempo… Gandarela

A Serra do Gandarela está localizada nos municípios de Caeté, Santa Barbara, Barão de Cocais, Rio Acima, Itabirito e Raposos na região metropolitana de Belo Horizonte, MG. Faz parte da Reserva da Biosfera do Espinhaço, e apresenta alguns dos habitats mais significativos de toda a cadeia. Diversos estudos acadêmicos, concluídos e em andamento, e a compatibilidade da área com as legislações municipais, estadual e federal vêm reforçar a vocação e a necessidade de proteção integral desta área.

Fazendo uma curva de mais de 180 graus, as cristas da serra são os vértices de um dos mais importantes sinclinais da região central de Minas Gerais e da Área de Proteção Ambiental Sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte (APA-SUL RMBH), criada para preservar a biodiversidade e os mananciais que abastecem toda a região. Os campos rupestres sobre cangas são os mais preservados de toda a região, constituindo a principal área de recarga do Sinclinal Gandarela, a abastecer vários córregos e ribeirões, de classes Especial e 1, das bacias dos rios Piracicaba/Doce e Velhas/São Francisco – este último, à montante da principal captação para o abastecimento público da RMBH.

Além de divisor das bacias hidrográficas dos rios Doce/Piracicaba e São Francisco/Rio das Velhas, o Gandarela forma um corredor ecológico natural com o Caraça, unindo as duas bacias.

Podemos considerar a região do Gandarela como a área mais extensa com tal diversidade de características e que ainda não apresenta a exploração maciça de seus recursos minerais e a interferência urbana. A Mata Atlântica, no interior e nas vertentes exteriores da serra, é a maior e mais preservada de toda a região. Juntamente com os campos rupestres e os campos de altitude, guarda uma rica diversidade de flora e fauna, que abriga espécies endêmicas e em extinção, além de uma das maiores geodiversidades da região do Quadrilátero Ferrífero. Mais de 50 cavernas já foram cadastradas e um sítio Paleontológico de grande importância (constituído de depósitos sedimentares da idade terciária, ocorrência única de três unidades continentais empilhadas, do Eoceno Superior, Oligoceno e Mioceno Inferior).

Trata-se finalmente de uma área mediterrânea entre referências fundamentais da topografia regional (Serra do Caraça, Serra da Piedade, Pico do Itacolomi e Pico do Itabirito) e da porção Leste do Quadrilátero, possivelmente a mais pujante do conjunto dos povoamentos originários do Ciclo do Ouro na região.

Diante da importância da área acima exposta e o apoio das comunidades do entorno e da região metropolitana, as entidades abaixo relacionadas solicitam a criação do Parque Nacional Gandarela para preservação ambiental e alternativa de desenvolvimento turistico e cultural da região conforme abaixo assinado anexo que deve ser encaminhado para a sede do Projeto Manuelzão.(3409-9818)

Entidades apoiadoras desta solicitação:

Associação de Artesões e Artistas de Caeté
Associação do Bairro Matadouro – Raposos
Associação Brasileira das Vítimas de Danos Causados pela Mineração ABRAVIM
ASCAR – Associação de Catadores de Recicláveis de Raposos
Associação Comunitária Nossa Senhora da Piedade
Associação Comunitária Quintas da Serra – Caeté
Arca amaserra Articulação Popular do São Francisco
CONLUTAS/MG
Diretório Central dos Estudantes – UFMG
Entidade Nacional dos Estudantes de Biologia – GTP
Meio Ambiente Instituto Guaicuy – SOS
Rio das Velhas Instituto de Estudos Pró-Cidadania – PRÓ-CITTÁ
Movimento Artístico Cultural e Ambiental de Caeté – MACACA
Movimento pelas Serras e Águas de Minas OSIPE
Conexão Cidadã ONG
Amigos da Natureza
FUNDEVALE
Instituto Biotrópicos de Pesquisa em vida Selvagem

Segue o link do abaixo assinado pela criação do Parque Nacional da Serra da Gandarela:
http://www.euconcordo.com/gandarela

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima