Um dos mais antigos dinos com pena seria da cor preta, diz estudo

Um novo estudo sugere que o arqueopterix, considerada uma das mais antigas “aves” (alguns se referem a ele como um dinossauro bípede dotado de penas) a viver sobre a Terra, era preto.
Publicada na edição do dia 24 de “Nature Communications’, a pesquisa feita pelos cientistas da Universidade Brown, em Rhode Island (EUA), indicou que tanto pássaros da atualidade quanto o arqueopterix compartilham a mesma estrutura de pigmentos que dá cor aos bichos.
Para chegar a essa análise minuciosa, o pesquisador Ryan Carney e equipe utilizaram um scanner especial na Alemanha.
O aparelho mostrou que a pena do arqueopterix continha melanossomos (contêm melanina, uma proteína que determina a pigmentação de uma parte do corpo de um ser vivo) mais próximas de aves pretas do que das cores marrom ou cinza.
O grupo chegou a essa descoberta depois de compararem melanossomos de cerca de 87 espécies de pássaros modernos.
A investigação também indica que a pena fossilizada era rígida, o que poderia ajudar o dinossauro a voar.
“Eu realmente acredito que a pena do Archaeopteryx lithographica [nome científico do arqueopterix] era preta”, diz o paleontólogo Lawrence Witmer.
Witmer, que é da Universidad Ohio e não participou do estudo atual, mas está envolvido em trabalhos com fósseis da espécie, acrescentou: “Mas é difícil de dizer como o resto do animal se parece.”
A pena do arqueopterix foi descoberta em 1861, na Alemanha, poucos anos depois de o livro “A Origem das Espécies”, de Charles Darwin, ser publicado. Acredita-se que o bicho ocupe uma posição intermediária entre dinossauros e aves antigos.
Fonte: Folha Online
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima