29 mamíferos em Parque Nacional

Vinte e nove espécies de mamíferos silvestres de médio e grande porte (ou 43% das espécies dessa categoria listadas para todo o bioma Mata Atlântica) foi o número a que chegou um levantamento coordenado pelo biólogo Peter Crawshaw Jr., do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e que serviu de base para monografia do estudante Bernardo de Faria Leopoldo, do curso de bacharelado em Zoologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
A região em foco foi o Parque Nacional da Serra da Bocaina, entre os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, incluindo o Parque Estadual da Serra do Mar (núcleos Cunha, Santa Virgínia e Picinguaba) e a Reserva Ecológica da Juatinga. Os resultados são fundamentais para aprimorar a gestão do parque e orientar futuros trabalhos de pesquisa.
Os dados foram obtidos basicamente com armadilhas fotográficas (câmeras instaladas em troncos de árvores com sensores que disparam o dispositivo quando um animal passa à sua frente), observação de pegadas e visualização direta dos animais.
Entre as espécies encontradas, 13 fazem parte de listas oficiais de espécies da fauna ameaçada de extinção: muriqui, sagui-da-serra-escuro, bugio, gato-do-mato-pequeno, gato-maracajá, jaguatirica, onça-parda, onça-pintada, anta, veado-mateiro, queixada, cateto e paca.
Os registros de onça-pintada e anta, porém, foram feitos exclusivamente no Parque Estadual da Serra do Mar.
s pesquisadores acreditam que a ausência desses dois grandes mamíferos na Serra da Bocaina seja resultado da maior pressão da caça ilegal, além da perda, degradação e fragmentação de habitats no interior da unidade.
Apesar dessas importantes ausências, o Parque Nacional da Serra da Bocaina apresentou uma riqueza elevada de mamíferos silvestres de médio e grande porte, quando comparada com outras áreas na Mata Atlântica.
Também chamou a atenção dos pesquisadores a presença do sagüi-de-tufos-brancos, também conhecido como sagüi-do-nordeste, que não é da região e atua como espécie invasora, competindo com as nativas.
Fonte: Terra da Gente, com info ICMBio
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima