Fóssil de megapredador é encontrado no Brasil

(Foto: Divulgação/Ulbra)

Pesquisadores brasileiros encontraram o fóssil de um predador pré-histórico em excelente estado de conservação no município de Dona Francisca (RS), a 260 km de Porto Alegre. O réptil, classificado como um Prestosuchus chiniquensis, viveu há 240 milhões de anos, antes do aparecimento dos dinossauros. Segundo os cientistas, é o fóssil mais bem conservado do maior predador do Triássico médio.

O paleontólogo da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) Sérgio Cabreira e o biólogo Lúcio Roberto da Silva vasculhavam uma ravina onde já haviam encontrado duas vértebras fósseis: avistaram então a omoplata do Prestosuchus recém-exposta pela água das chuvas. Depois de remover a terra, descobriram que a peça incluía crânio, patas e parte do tórax.

O Prestosuchus pertencia ao grupo dos arcossauros basais – predadores que antecederam os dinossauros, pterossauros e crocodilos na árvore da evolução.

Do ponto de vista morfológico, o fóssil gaúcho é mais parecido com um jacaré: caminhava sobre quatro patas, possuía uma longa cauda e um focinho alongado. O corpo não tocava o solo. Os pesquisadores estimam que ele pesava cerca de 1 tonelada e media 7 metros de comprimento e 1,5 metro de altura.

O material foi tombado no acervo do Museu de Ciências Naturais da Ulbra. Na quinta, um caminhão deverá buscar o bloco de pedra, que ainda está no sítio paleontológico, para levá-lo ao museu. A peça mede 2 metros de comprimento e pesa 3,5 toneladas. O primeiro fóssil de Prestosuchus chiniquensis foi encontrado em 1938 pelo paleontólogo alemão Friedrich Von Huene, em São Pedro do Sul (RS).

Fonte: Estadão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima