Profissionais fazem protesto contra ‘Ato Médico’ na terça em João Pessoa

Psicólogos, enfermeiros, profissionais de Educação Física, fisioterapeutas realizam, na próxima próxima terça-feira (9), às 8h, no Liceu Paraibano e na Assembléia Legislativa, [em João Pessoa, Paraíba] o ato de mobilização e conscientização contra o Projeto de Lei 7703/2006, o chamado “Ato Médico”.

Em tramitação no Senado desde o último dia 29, o texto regulamenta o exercício profissional da medicina no Brasil, mas atinge direta e negativamente os princípios do Sistema Único de Saúde referente à ação integral de saúde. Se tornar-se Lei, os médicos terão poder privativo e exclusivo de prescrição, como por exemplo, de atendimento psicoterápico.

Segundo a tesoureira do Conselho Regional de Psicologia, Edésia Almeida, o projeto de Lei interfere diretamente no trabalho coletivo e na interdisciplinaridade, pois diz no artigo 4º quais as atividades privativas do médico como, por exemplo, a formulação do diagnóstico e respectiva prescrição terapêutica; indicação e execução de procedimentos invasivos, como os diagnósticos, terapêuticos ou estéticos.

“ Não somos contra a regulamentação da profissão do médico, mas como está proposto é um grande retrocesso. O projeto de Lei limita a autonomia do indivíduo em tomar decisões sobre sua saúde, assim como inviabiliza o acesso da população diretamente ao psicólogo e as outras categorias. A lei repassa e confunde a população sobre uma falsa idéia de “subordinação” em relação aos médicos”, disse Edézia .

Para o presidente do CRP-13, Hélio Pacheco, se transformado em lei, o “Ato Médico” criará uma situação de conflito, com descrições que poderão gerar equívocos e tentativas de manipulação de cerceamento do exercício profissional de psicólogos e outros profissionais de saúde, a exemplo da rejeição da inclusão da palavra “médica” após a expressão da “indicação terapêutica” o que poderá resultar em tentativas de prescrição por parte de alguns médicos de outras indicações terapêuticas como fisioterapêutica, terapêutica ocupacional, dentre outras.

“O conhecimento psicológico é produzido pela ciência psicológica e não pela medicina. Conhecimento este que não é contemplado, em amplitude, nos currículos do curso de medicina no Brasil e, portanto, não habilitam o médico para realizar, sequer, diagnósticos psicológicos das psicopatologias e, menos ainda, da capacidade mental, perceptocognitiva e psicomotora ou a realizar avaliações”, disse Hélio.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Conselho Regional de Psicologia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima