Cemig assina protocolo para monitorar a qualidade da água dos rios de MG

Iniciativa originará centro de excelência para unificar esforços e desenvolver tecnologia

O estado de Minas Gerais possui uma rede composta por 17 bacias hidrográficas, com rios que são fonte de abastecimento para o consumo humano e insumo básico para a atividade industrial do Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Portanto, a qualidade da água é tema de extrema importância para empresas e órgãos públicos na gestão sustentável dos recursos hídricos.

Para otimizar esforços e atender de forma ágil e eficiente à necessidade de análises ambientais nos rios de Minas e estados vizinhos, inclusive em situações de risco, a Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig assinou um protocolo de intenção com o objetivo de assegurar as condições para implantar o Centro de Excelência em Qualidade da Água. Assim, busca viabilizar o desenvolvimento de tecnologia aplicada ao meio ambiente, principalmente em limnologia e qualidade da água.

O protocolo também foi assinado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Fundação Centro Tecnológica de Minas Gerais (Cetec). Segundo a analista ambiental da Cemig, Maria Edith Rolla, o Centro irá unificar a gestão da qualidade da água no estado, iniciando pela estruturação do setor de pesquisas do CETEC, que ficará responsável pelas coletas e análises em uma rede de monitoramento de reservatórios mineiros.

A analista ambiental acredita que a iniciativa de desenvolver novas tecnologias possibilite a geração de emprego e renda, estimulando a recuperação de rios e reservatórios, promovendo a saúde da população ribeirinha e o consumo de peixes saudáveis.

Monitoramento
Os resultados das pesquisas subsidiarão as políticas públicas de gestão das águas do Igam, órgão gestor dos recursos hídricos no Estado, e serão importantes para o Ibama no controle da qualidade da água nas bacias federais. O Centro poderá também ser contratado pelas empresas para fiscalizar coletas e análises de laboratórios particulares.

A Cemig também realiza o monitoramento da qualidade da água nos reservatórios de suas 63 usinas, sendo 55 em Minas Gerais, utilizando cerca de 5 mil estações de coleta. Essas informações agora poderão se juntar aos dados de coleta do Igam. “Apesar de não ser responsável pela gestão das águas, a Cemig buscou parceiros, com quem já desenvolvera parcerias anteriores, para melhorar a qualidade de seu monitoramento e favorecer a gestão das bacias onde estão localizados seus empreendimentos, junto com os demais signatários”, afirma Maria Edith.

Fonte: News Peixe Vivo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima