Hippocampus – uma beleza singular

Os hippocampus eram seres fictícios da mitologia grega, filhos de Poseidon (deus supremo do mar). A parte superior de seu corpo era a de um cavalo com crina membranosa, guelras e membranas interdigitais nos supostos cascos, e sua parte inferior era de um golfinho. Os Hipocampos eram empregados pelo Deus dos Mares em sua maioria na espionagem e na patrulha por seu reino oceânico em busca de empecilhos que também eram conhecidos como cavalo marinho.

O Cavalo Marinho (Hippocampus) é um gênero de peixe pertencente à família Syngnathidae, que vive em águas temperadas e tropicais. Possui uma cabeça alongada com filamentos que lembram a crina de um cavalo. Tem características semelhantes às do camaleão, como mudar de cor e mexer os olhos independentemente um do outro. Nadam com o corpo na vertical, movimentando rapidamente as suas barbatanas. algumas especies podem ser confundidas com plantas marinhas,como corais de anemonas marinhas.

O cavalo marinho se alimenta de pequenos moluscos, vermes, crustáceos e plâncton, que são sugados através do seu focinho tubular. Como não tem o costume de ir atrás do alimento, ele come o que estiver a passar por ele. A cauda longa e preênsil permite que ele se agarre as plantas submarinas enquanto se alimenta de pequenos crustáceos. A reprodução ocorre na primavera. Os ovos postos pela fêmea são fertilizados pelo macho que os guarda em uma bolsa na base de sua cauda.

Dois meses mais tarde, os ovos se abrem e o macho realiza violentas contorções para expelir os filhotes. Estes são transparentes e pouco maiores que um centímetro. Sobem logo a superfícies para encher suas bolsas de ar,para poderem se equilibrar na água. Já se tornam independentes de seus pais, mesmo sendo frágeis.

Mensagem enviada pelo Biólogo Isaac Martins de Souza

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Rolar para cima