Cientistas brasileiros fazem a primeira expedição nacional ao interior da Antártica

Pesquisadores do Programa Antártico Brasileiro (Proantar) partiram no dia 20 de novembro, do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para a primeira expedição científica nacional ao interior da Antártica. A missão terá seu acampamento base localizado a 2 mil quilômetros ao sul da Estação Antártica Comandante Ferraz – que o Brasil instalou na Antártica há mais de dez anos – já sobre o espesso manto de gelo que cobre o continente.

Do acampamento base, parte do grupo avança mais 400 quilômetros em uma das regiões mais isoladas da Antártica, o Monte Johns (79°37’S, 91°14W), onde serão feitas perfurações no gelo para investigar as variações do clima e da química da atmosfera ao longo dos últimos 500 anos.

Por 40 dias, o grupo viverá em barracas, acampados sobre as geleiras e enfrentando temperatura de menos 35°C e deslocando-se de avião e motos de neve. O grupo, formado por três pesquisadores gaúchos, três cariocas, um mineiro e um chileno, será liderado pelo glaciologista Jefferson Cardia Simões da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ele já participou de 19 expedições no Ártico e na Antártica e foi o primeiro brasileiro a atravessar o manto de gelo e a atingir o Pólo Sul Geográfico via terrestre no verão de 2004/2005 em uma missão chilena.

A expedição é ação colaborativa da UFRGS com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

A expedição permite ao Brasil explorar cientificamente o interior de um continente de 13,6 milhões de km², que tem importante papel como controlador do clima do País. Até o momento, a presença nacional na Antártica está restrita a proximidades da costa do continente. Esta expedição é parte das ações brasileiras no Ano Polar Internacional (http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/49533.html) e uma contribuição às investigações sobre a variabilidade e mudanças do clima nos programas International Trans-Antarctic Scientific Expedition (Itase) e International Partnership in Ice Core Sciences (Ipics).

A expedição é financiada pelo Proantar por ações do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT), do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, contando ainda com apoio da Frente Parlamentar em Prol do Proantar, Ministério do Meio Ambiente (MMA), Academia Brasileira de Ciências (ABC).

O andamento da expedição pode ser acompanhado pelo Internet (www.ufrgs.br/antartica). No Google Earth visualize o local do acampamento base (80º19’S, 81º16’W) e do acampamento avançado – Monte Johns (79°37’S, 91°14W).

Fonte: Assessoria de Comunicação do MCT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pesquisar

Últimos posts

Arquivo de postagens

Siga o CRBio-04

Rolar para cima