segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Estudo Analise Influência da Vazão sobre Ecossistema Aquático



O Biólogo Diego Marcel Parreira de Castro escreveu a dissertação “Influência de alterações de vazão sobre o drift de macroinvertebrados a jusante de uma barragem hidrelétrica”, desenvolvida em parceria entre Cemig, UFMG, UFLA e CEFET-MG. 

O estudo teve como objetivo avaliar o grau com que as flutuações de vazão alteram os padrões de drift diário e sazonal de macroinvertebrados a jusante de uma barragem hidrelétrica.

Segundo Diego Castro, “este estudo permitiu avaliar o efeito das flutuações de vazão sobre o drift de macroinvertebrados bentônicos, ou seja, como as constantes alterações hidráulicas, em decorrência da operação da usina, interferem no comportamento e arraste dos invertebrados aquáticos. Desta forma este estudo pode contribuir com informações adicionais e respostas que subsidiarão a parametrização de Vazões Ecológicas a jusante de reservatórios”. 

Descrição

Os pulsos diários de vazão decorrentes da operação de usinas hidrelétricas podem perturbar os ecossistemas aquáticos e alterar a composição e estrutura de macroinvertebrados bentônicos a jusante de barramentos. O drift (ou deriva) é o deslocamento de organismos pela correnteza e tem grande importância para o funcionamento dos ecossistemas aquáticos, sendo um mecanismo primário de redistribuição e colonização de macroinvertebrados.

Através da análise das respostas destes organismos às alterações de vazão é possível avaliar os impactos dos pulsos diários de vazão e desenvolver ferramentas para subsidiar a determinação de vazões ambientais.

O projeto “Influência de alterações de vazão sobre o drift de macroinvertebrados a jusante de uma barragem hidrelétrica”, desenvolvido em parceria entre Cemig, UFMG, UFLA e CEFET-MG, teve como objetivo avaliar o grau com que as flutuações de vazão alteram os padrões de drift diário e sazonal de macroinvertebrados a jusante de uma barragem hidrelétrica.

Metodologia

O trabalho foi desenvolvido em um trecho localizado 5km a jusante da UHE de Itutinga. As vazões vertidas foram manipuladas pela Cemig a fim de atender as demandas do projeto. Foram coletados macroinvertebrados em momentos de vazão fixa (323 m³.s-1 na estação de chuvas e 111 m³.s-1 na estação seca) e com flutuações de vazão (variando de 378 a 481 m³.s-1 na estação de chuvas e de 109 a 173 m³.s-1 na estação seca) no ano de 2010.

As coletas de invertebrados em drift foram realizadas durante 4 dias nos períodos de vazão constante e 4 dias nos períodos com flutuações de vazão. Foram utilizadas 5 redes de drift fixadas no substrato em locais com fluxo de água constante. As redes ficavam na água 24h/dia e as amostras eram coletadas a cada 8h (23:00h – 07:00h – 15:00h).

Resultados

As flutuações de vazão influenciaram os padrões de drift de macroinvertebrados a jusante da barragem. Nós observamos um aumento na densidade de invertebrados em drift na estação de chuvas e uma diminuição na seca. Observamos também mudanças na composição e riqueza dos invertebrados em drift durante os períodos de vazão flutuante. O aumento na velocidade e quantidade de água durante as flutuações de vazão causou um maior arraste de organismos. Além disso, os pulsos de vazão influenciaram o comportamento do drift diário, interferindo nos horários com maior riqueza e densidade.

Em conclusão, as mudanças observadas na composição, riqueza e densidade de invertebrados refletem a influência das flutuações de vazão nos padrões de drift. Estas alterações podem perturbar todo o ecossistema aquático, uma vez que os macroinvertebrados influenciam importantes processos ecológicos. Portanto, os macroinvertebrados no drift devem ser considerados nos cálculos de vazões ambientais, pois eles claramente refletem as mudanças ecológicas nas comunidades biológicas a jusante de barragens hidrelétricas.

Para mais informações sobre o Programa Peixe Vivo acesse:
Postar um comentário