domingo, 30 de junho de 2013

Concurso Funed – MG (20 vagas para Biólogos)


A Fundação Ezequiel Dias (Funed) lançou edital destinado a concurso público. 

As inscrições serão admitidas pelo site www.ibfc.org.br, no período de 26 de agosto a 24 de setembro de 2013.

Biólogos podem se candidatar ao cargo Analista e Pesquisador de Saúde e Tecnologia.

Para o nível I, com remuneração inicial de R$3.056,13, existem 15 vagas para Ciências Biológicas/Ciências da Saúde e 01 vaga para a área de Gestão Ambiental.

Para o nível IV, existe 01 vaga para cada área: Bioquímica; Botânica ou Ecologia ou Biologia Vegetal ou Entomologia; Farmacologia ou Bioquímica; Imunologia ou Genética. A remuneração inicial é de R$5.549,47.

O local de atuação é em BH, ou na Fazenda Experimental São Judas Tadeu, localizada no município Betim.

As provas didáticas deverão ser realizadas no dia 27 de outubro de 2013, na cidade de Belo Horizonte/MG. O concurso também é formado por avaliação de títulos.

Mais informações:
http://migre.me/fg6xs

Uptade (18/07): A Fundação Ezequiel Dias -FUNED anunciou que o concurso público Edital Seplag/Funed 01/2013, publicado em 23 de junho, está suspenso por ordem judicial.

Concurso Público UFVJM (01 vaga para Prof. Bioquímica e Biologia Celular)


Estão abertas as inscrições para o concurso público 126/2013 da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Minas Gerais, na qual será ofertada vaga para Professor Adjunto no campus Diamantina.

O posto de trabalho será junto à área de Bioquímica, Biologia Celular e disciplinas afins do curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia e a previsão é de que a jornada seja de 40h semanais, em regime Dedicação Exclusiva.

Já a remuneração está prevista em R$3.594,57 e será acrescida de R$4.455,20, referente à retribuição por titulação.

As inscrições ficam abertas até 26 de julho, de segunda a sexta-feira, das 10h às 11h30 e das 14h às 17h na Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Rodovia MGT 367, km 583, nº. 5.000, Alto da Jacuba).

Consta no cronograma do certame que todos os profissionais serão avaliados por meio de prova escrita, didática (aula expositiva), defesa de linha de pesquisa e por prova de títulos.

Mais informações:

Concurso Público UFS (01 vaga para Professor)


A Universidade Federal de Sergipe - UFS está com as inscrições abertas para concurso público (edital 014/2013), cujo propósito é admitir Professores no Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, classe D I.

Há 01 vaga para a área de Biologia. A remuneração mensal é de R$3.594,57, mais retribuição por titulação, em jornadas de trabalho 40 horas semanais e Dedicação Exclusiva.

As inscrições se encerram no dia 30 de julho de 2013, através do site www.sigaa.ufs.br .

Os inscritos no concurso serão avaliados através de Prova Escrita; Prova Didática; Prova de Títulos.

Mais informações:

I Simpósio de Plantas Medicinais e Etnofarmacologia


Com o objetivo de prover conhecimentos sobre espécies botânicas com potenciais farmacológicos, o curso de Ciências Biológicas do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF) promove o I Simpósio de Plantas Medicinais e Etnofarmacologia, de 22 a 25 de julho.

Estudantes interessados em participar deve inscrever-se previamente, até 08 de julho, via mensagem eletrônica para berechiavegatto@pucminas.cesjf.br .

O valor da taxa é R$15. Acadêmicos de outras instituições de ensino também podem participar, porém, o número de vagas é limitado (público geral).

O evento, além de valorizar a flora, o saber cultural acumulado na relação homem-planta, busca o embasamento científico para práticas da medicina tradicional com a melhor compreensão de riscos e limitações, para prover mais conhecimento sobre as potencialidades e uso medicinal de determinadas espécies. Há, ainda, a intenção de evidenciar as possibilidades farmacológicas a partir a aplicação de métodos da etnofarmacologia seguindo-se paradigmas sustentáveis, legais e éticos.

O Simpósio visa a capacitar os discentes de Ciências Biológicas e áreas afins a realização de pesquisas científicas que objetivem o resgate de conhecimentos sobre plantas medicinais. Desta maneira, os módulos contemplam, essencialmente, conteúdos com esses fins. A saber, segue abaixo cada um deles:

Módulo 01) Histórico e definições: Homo sapiens x Reino Plantae, com Aline Moreira de Siqueira – 22 de julho, das 9h às 12h;

Módulo 02) Aspectos éticos e legais do direito de propriedade intelectual adquirida no contexto da Etnofarmacologia, com o Ms. Bruno Esteves Conde – 22 de julho, das 14 às 17h;

Módulo 03) Aplicação da Etnofarmacologia, com Izabela Taiana Salazar Rogério – 23 de julho, das 9h às 12h;

Módulo 04) Métodos e técnicas na pesquisa sobre plantas medicinais, com Ms. Bruno Esteves Conde – 23 de julho, das 14h às 17h;

Módulo 05) Validação farmacológica de plantas medicinais, com Arthur Moreira Siqueira – 24 de julho, das 9h às 12h;

Módulo 06) O retorno social nos trabalhos etnofarmacológicos, com Aline Moreira de Siqueira – 24 de julho, das 14h às 17h e

Módulo 07) A hora dos chás, com Ms. Bruno Esteves Conde – 25 de julho, das 9h às 11h (Turma A) e das 14h às 16h (Turma B).

II Simpósio Brasileiro de Biologia da Conservação


O II Simpósio Brasileiro de Biologia da Conservação irá acontecer nos dias 10 a 12 de julho, em Sorocaba (SP).

No formato de palestras e mesas-redondas, pretende-se durante três dias estimular o debate e apresentar pesquisas atuais em diversos ramos da ciência conservacionista, incluindo restauração, serviços ambientais, conservação ex-situ, conservação em áreas agrícolas, mudanças climáticas e políticas públicas em conservação.

Mais informações:
http://iisbbc.wix.com/iisbbc

Muito antes dos dinossauros



Há 270 milhões de anos, quando os continentes sul-americano e africano ainda estavam conectados, no contexto do supercontinente denominado Gondwana, no período geológico designado de Permiano, a vegetação presente no atual Estado de São Paulo era constituída por uma significativa variedade de coníferas, árvores que são as ancestrais dos atuais pinheiros, araucárias e sequóias. Entre estas, havia tanto espécies decíduas [que perdem as folhas numa dada época do ano] quanto perenes [que conservam as folhas]. As conclusões fazem parte da tese de doutoramento do biólogo Rafael Souza de Faria, defendida no Instituto de Geociências (IG) da Unicamp, sob a orientação da professora Frésia Soledad Ricardi Torres Branco.

A pesquisa realizada por Faria está ligada à Paleobotânica, subárea da Paleontologia que lida com fósseis de plantas. Na investigação em questão, o pesquisador utilizou lenhos petrificados [tecnicamente chamados de permineralizados] coletados em sete localidades do Estado: Piracicaba, Saltinho, Rio Claro, Santa Rosa de Viterbo, Angatuba, Conchas e Laras. Lenho é o tecido que sustenta a planta. De acordo com o autor da tese, ele promoveu inicialmente um estudo botânico clássico, que compreendeu a identificação das espécies e da consequente diversidade de árvores que compunham a floresta que existiu no local.

Faria analisou a anatomia vegetal das madeiras fossilizadas em busca de informações que pudessem lhe indicar a que espécies elas pertenciam. A despeito do ferramental tecnológico disponível no IG, o pesquisador conta que enfrentou dificuldades para conseguir visualizar as células dos fósseis, por meio do corte e polimento das amostras. “Nós levamos os materiais até algumas marmorarias de Campinas, mas elas se recusaram a cortá-los porque o trabalho poderia danificar as lâminas das serras. Apenas uma delas concordou em fazer, mas exigiu que levássemos pedaços menores. A saída foi comprar uma serra, que tem uma lâmina de um metro de diâmetro, para fazer o trabalho preliminar”, relata.

O desafio seguinte foi colocar o equipamento em operação, o que levou aproximadamente um ano. “Como a Unicamp é muito criteriosa com a questão da segurança, nós tivemos que cumprir uma série de exigências. Isso foi necessário porque os fósseis são compostos basicamente de sílica. Ao cortá-los, podemos gerar estilhaços, que representam um risco ao operador”, assinala. Superada essa etapa, Faria analisou as seções polidas em um estereomicroscópio. As peças eram molhadas com água, para criar uma espécie de contraste que facilitava a observação das células.

Como em algumas amostras essas células não estavam bem preservadas, o que é compreensível, pois somam cerca de 270 milhões de anos, o pesquisador teve que recorrer também à técnica da microscopia eletrônica de varredura para estudá-las. “Essas células têm a forma de tubos, cuja função é levar a água das raízes até as folhas. São as características anatômicas destas células, os traqueídes, que fornecem as principais informações para a identificação das espécies”, explica o autor da tese.

Durante a tarefa, Faria fez uma descoberta inédita no Brasil: ele identificou a presença de fungos fossilizados junto da madeira de um dos fósseis. “Inicialmente, eu pensei que se tratava de sujeira. Entretanto, a mãe da minha orientadora, que é professora aposentada da área de anatomia vegetal, me alertou para a possibilidade de serem fungos. Isso ficou comprovado depois que enviei as imagens para uma especialista do Instituto Botânico, em São Paulo”, recorda. Segundo o biólogo, não foi possível identificar as espécies dos micro-organismos, pois eles estavam muito deteriorados. 

Todavia, continua o autor da tese, a presença dos fungos na madeira é um indicador de que o período Permiano pode não ter oferecido boas condições ao desenvolvimento das coníferas. “A presença de fungos em madeiras fósseis é rara, mas, nos casos em que isso é observado, em geral se aventa a hipótese de um colapso dos ecossistemas”, esclarece. Faria também investigou os anéis de crescimento das árvores. Cada anel representa normalmente um ano na vida da planta. Além disso, os anéis apresentam duas regiões distintas, uma relacionada ao crescimento durante a primavera-verão e outra, ao longo do outono. No inverno, as plantas param de crescer.

Os anéis, informa Faria, podem ser estreitos ou largos. “O anel estreito fornece indícios de que a planta contou com poucos recursos para crescer. Já o anel mais largo indica o oposto: que os recursos necessários ao desenvolvimento foram favoráveis. Como há outras características anatômicas nos lenhos que apontam déficit hídrico, a hipótese que levantamos é de que os anéis estreitos estão ligados principalmente à ocorrência de seca”, pormenoriza.

Também a partir da análise dos anéis de crescimento, o biólogo procedeu a uma investigação sobre a fenologia foliar das plantas, que vem a ser, em linguagem simplificada, o tempo de duração das folhas. “A partir dos anéis de crescimento, eu tenho como inferir se as folhas dessas árvores que foram fossilizadas eram decíduas ou perenes. Essa dedução é feita através de um método que tem como princípio a medição do diâmetro de cada célula. Feita a medição, o passo seguinte foi construir curvas que permitem o cálculo de determinados parâmetros dos anéis. Assim, quanto mais marcado o lenho, maior a tendência de que as folhas tenham permanecido pouco tempo na árvore”, detalha.

Comparando esses parâmetros obtidos dos fósseis ao das árvores atuais, Faria também teve como inferir sobre quanto tempo as folhas duravam nas árvores. O biólogo verificou que uma das amostras possuía anéis que se assemelhavam aos dos atuais Pinus, cujas folhas duram três anos. Outra amostra tinha anéis próximos aos de Araucaria, que tem folhas perenes. “Ou seja, chegamos à conclusão que essa floresta pretérita tinha uma vegetação composta tanto por plantas decíduas quanto perenes”, resume o pesquisador.

Conforme Faria, com base nos dados colhidos, foi possível analisar, ainda, como se caracterizava parte da vegetação presente na Bacia Sedimentar do Paraná, durante o tempo da deposição das formações Irati e Teresina, há 270 milhões de anos, quando os dinossauros sequer existiam. “A fenologia foliar das coníferas retratadas pelos lenhos descritos aponta que a Formação Irati possuía uma comunidade vegetal majoritariamente composta de coníferas perenes, mas com alguns elementos decíduos, enquanto na Formação Teresina os dados sugerem uma comunidade quase estritamente composta de árvores perenes, com menos elementos decíduos”.

Publicação

Tese: “Lenhos fósseis das formações Irati e Teresina no Estado de São Paulo: novos dados”
Autor: Rafael Souza de Faria
Orientadora: Frésia Soledad Ricardi Torres Branco
Unidade: Instituto de Geociências (IG)
Financiamento: CNPq e Fapesp

Fonte: Unicamp

Diante das manifestações no país, deputados derrubam a PEC 37



Diante dos milhares de brasileiros que protestaram nas ruas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37, que pretendia limitar os poderes investigativos do Ministério Público, inclusive em crimes ambientais, na noite do último dia 25 a Câmara dos Deputados derrubou a proposta. Muitos parlamentares que antes eram a favor, em resposta às manifestações, votaram contra. Estudantes, promotores e procuradores lotaram as galerias.

A  PEC 37 foi derrubada por 430 votos. Com o arquivamento da proposta, fica mantido o poder de investigação do Ministério Público, que foi estabelecido na constituição de 1988. 

Em seguida, a Câmara aprovou o projeto que determina que 75% dos recursos dos royalties do petróleo da união, estados e municípios sejam destinados à educação. E 25% à saúde. Diferente do projeto original do governo que previa a aplicação de 100% das receitas em educação.

Ainda, o presidente da Câmara, Renan Calheiros, apresentou projeto que prevê passe livre para estudantes matriculados e que tenham frequência comprovada. O dinheiro para financiar a proposta viria dos royalties do petróleo.

Fonte: AMDA

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Biomédicos não podem participar de concursos públicos destinados a Biólogos


Mais um ganho do CFBio - Conselho Federal de Biologia para a profissão. Segundo acordão, Ministros da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça declararam por UNANIMIDADE que os biomédicos não possuem o direito de participar de concurso público cujo edital prescreva como atribuições do cargo atividades específicas de Biólogo.

Entendendo que as profissões de Biólogo e de Biomédico são distintas, apesar de se assemelharem em alguns pontos se distinguem em atribuições e áreas de atuação próprias, tanto que foram reguladas por atos normativos diversos e registro em Conselhos profissionais diferentes.

Dessa forma, a Administração Pública, quando necessitar de biólogos, não pode aceitar, em concurso destinado a suprir essa necessidade, profissionais de outras áreas.

Fonte: CFBio


Concurso Público USP (01 vaga para Especialista em Laboratório)


Estão abertas as inscrições do concurso público da Universidade de São Paulo - USP (Edital 015/2013), o qual contratará profissional especialista em laboratório, para o Instituto de Química.

Os requisitos exigidos para investidura do cargo são: curso de graduação completo em Ciências Biológicas; ter conhecimentos técnicos da língua inglesa; conhecimento em informática; conhecimento em técnicas laboratoriais de química e bioquímica, incluindo metodologia de síntese e purificação de compostos; e conhecimento teórico e prático em técnicas espectroscópicas e microscópicas.

O salário é de R$6.366,11.

As inscrições serão realizadas até dia 12 de julho de 2013, exclusivamente, por meio da Internet, mediante acesso ao site uspdigital.usp.br/marteweb .

Mais informações:

Processo Seletivo Aquacen- MG (01 vaga para Pesquisador)


Vaga
Pesquisador Sênior

Local de trabalho
Aquacen – Laboratório Oficial de Diagnóstico do Ministério da Pesca e Aquicultura. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva/Escola de Veterinária-UFMG, campus Pampulha.
Pré-requisitos para o candidato
- Graduação em Medicina Veterinária ou Ciências Biológicas. Doutorado Em Ciência Animal, Microbiologia, Genética/Biologia Molecular, com pelo menos 24 meses de conclusão.
- Experiência em diagnóstico de doenças infecciosas por métodos moleculares, clonagem gênica, PCR/PCR em tempo real e sequenciamento.


Função
Execução de rotina de diagnóstico oficial por meio de métodos moleculares e complementares, pesquisa e desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico e caracterização de microrganismos patogênicos, dentre outros.

Salário bruto
R$ 7.500,00

Forma de seleção
O candidato deverá enviar o curriculum vitae (modelo Lattes) e duas cartas de referência, por e-mail (aquacen-mpa@vet.ufmg.br). Todas as inscrições feitas serão confirmadas por e-mail. 

Inscrição
Até 27 de junho de 2013 (hoje)

Mais informações

Concurso Público UFLA (03 vagas para Biólogos)


A UFLA - Universidade Federal de Lavras lançou edital (030/2013) de concurso público com o intuito de preencher vagas para a carreira Técnico Administrativa.

A remuneração será da ordem de R$ 3.138,70.

Existem 03 vagas destinadas ao cargo Biólogo.

As inscrições poderão ser feitas entre os dias 1º de julho até 15 de julho de 2013, por meio do endereço eletrônico www.prgdp.ufla.br .

A prova objetiva será realizada no dia 25 de agosto de 2013.

Mais informações:

terça-feira, 25 de junho de 2013

IV Simpósio da Biodiversidade - SIMBIO


O SIMBIO – Simpósio da Biodiversidade – é um evento institucional organizado pelo colegiado do curso de Ciências Biológicas (ênfase em conservação da biodiversidade) do campus de Rio Paranaíba da Universidade Federal de Viçosa.

Em sua quarta edição. o evento acontecerá este ano de 17 a 19 de julho, em Rio Paranaíba (MG).

A programação conta com apresentação de trabalhos, mostra de fotografias, palestras, e mesas redondas.

O simpósio tem o apoio do CRBio04.

Mais informações:

Curso de Especialização em Farmacologia



O Departamento de Farmacologia da UFMG oferecerá, a partir do segundo semestre de 2013, o Curso de Especialização lato sensu em Farmacologia.

O objetivo do curso é capacitar profissionais das áreas de saúde e biológica interessados em aprimorar os conhecimentos em Farmacologia.

As inscrições devem ser feitas até o dia 10 de julho.

As aulas começarão dia 09 de agosto e serão realizadas às sextas-feiras (de 18h20 às 22h40h) e sábados (de 8h às 12h e de 14h às 18h), no Instituto de Ciências Biológicas/Campus da UFMG.

Mais informações:

II Simpósio de Integração dos Programas de Pós-Graduação em Biologia Celular e VI Simpósio de Biologia Celular



O Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular do ICB/UFMG, em parceria com os Programas de Pós-Graduação em Biologia Celular e Estrutural das Universidades Federais de Viçosa (UFV) e Uberlândia (UFU), irá realizar o II Simpósio de Integração dos Programas de Pós-Graduação em Biologia Celular e o VI Simpósio de Biologia Celular.

Os dois eventos acontecerão nos dias 02 a 06 de setembro de 2013, em Belo Horizonte (MG), no Auditório da Escola de Engenharia (Campus Pampulha).

Serão ofertados minicursos, palestras, exposição de resumos e pôsteres.

Terão descontos as inscrições até o dia 1º de agosto.

O envio do resumo deverá ser feito até o dia 15 de agosto.

Os dois eventos tem o apoio do CRBio04.

Mais informações:

II Congresso Luso-Brasileiro de Patologia Experimental



A Universidade Federal de São João del-Rei e a Universidade de Coimbra irão realizar o II Congresso Luso-Brasileiro de Patologia Experimental (XIII Simpósio Internacional sobre técnicas experimentais), que este ano será realizado em São João del-Rei (MG), entre os dias 23 e 25 de outubro de 2013.

O principal objetivo desta reunião conjunta é fortalecer a cooperação internacional no domínio da Patologia Experimental.

Os resumos poderão ser submetidos pelo site do congresso até o dia 30 de junho de 2013.

As inscrições via internet terminam no dia 16 de outubro.

Mais informações:

segunda-feira, 24 de junho de 2013

MBA Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental



O IPOG (www.ipog.edu.br) irá realizar em Uberlândia (MG) o MBA em Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental.

A pós-graduação objetiva apresentar a atual problemática ambiental e oferecer ferramentas necessárias para desenvolver a consciência crítica e dinâmica que permita o desenvolvimento de programas na área socioambiental, bem como a realização de auditoria e/ou perícia judicial e extrajudicial, atendendo as demandas concretas e urgentes da sociedade contemporânea. 

O curso tem início no dia 26 de julho e as aulas acontecerão Um final-de-semana por mês.

Mais informações:

Pós em Estudo de Impactos e Licenciamento em uma Perspectiva Multidisciplinar



A PUC Minas Virtual (http://www.pucminas.br/virtual/) está com as inscrições abertas para seus cursos de pós-graduação à distância.

Para a área de Ciências Biológicas, está sendo ofertado a especialização em Estudo de Impactos e Licenciamento em uma Perspectiva Multidisciplinar.

O objetivo da pós é contribuir para a formação multidisciplinar dos profissionais de nível superior que atuem em empresas, no poder público ou em organizações da sociedade civil, na gestão de recursos naturais, nos processos de licenciamento e de elaboração e avaliação de estudos de impacto ambiental, dentro de uma perspectiva que assegure a sustentabilidade ambiental e o respeito aos diferentes direitos dos segmentos sociais envolvidos.

O curso, composto por três módulos, cada um com quatro disciplinas de 30 horas, será desenvolvido pela internet e os alunos contarão com o apoio de professores e de tutores.

As inscrições acontecem até o dia 30 de agosto.

Mais informações:

Curso Gestão Ambiental Municipal


A GS Educacional irá realizar, em Belo Horizonte (MG), o curso de Gestão Ambiental Municipal.

As aulas serão aos sábados, terão início no dia 13 de julho e acontecerão no Ibis Espaço Empresarial(Av. Prudente de Morais, 444 – Cidade Jardim).

O curso terá duração de 6 meses.

Biólogos registrados no CRBio04 terão descontos.

Mais informações:

Concursos premiam professores que inovam na educação do País



Professores que desenvolvem metodologias e práticas de ensino inovadoras em sala de aula podem ter seus trabalhos premiados em dois dos principais concursos destinados a educadores do País.

O primeiro deles, o Educador Nota 10, organizado pela Fundação Victor Civita, vai premiar 10 educadores e gestores que desenvolvem experiências educativas de qualidade. Os interessados têm até 07 de julho para inscrever seus projetos.

Já o Prêmio Educadores Inovadores, realizado pela Microsoft, reconhecerá as três melhores práticas de ensino que envolvam o uso da tecnologia na educação. Os professores podem se inscrever até 30 de setembro.

Prêmio Victor Civita Educador Nota 10

O concurso é destinado para professores, gestores e coordenadores pedagógicos de escolas de ensino regular das redes pública e privada, além de instituições de ensino comunitárias ou filantrópicas de acesso público. Serão escolhidas as 10 melhores práticas educativas que estejam melhorando o rendimento e o interesse dos alunos em sala de aula.

Os projetos precisam detalhar as experiências realizadas pelo professor em sua turma, mostrar quais são as justificativas e objetivos e os impactos que vêm causando na melhoria da qualidade do ensino. Podem se candidatar educadores de todas as disciplinas.

Na última edição do prêmio, entre as práticas vencedoras estiveram a do biólogo que despertou em jovens e adultos o interesse pela ciência ensinando astronomia e da professora que ensinava matemática aos seus alunos por meio do boliche.

Os 10 professores vencedores receberão R$ 15 mil cada. Além disso, dentre os selecionados, um deles receberá o título de Educador do Ano de 2013, e ganhará R$ 5 mil a mais.

Premiação: 10 trabalhos finalistas R$ 15 mil. Educador do Ano R$ 5 mil

Inscrições: www.premiovc.org.br

Período: até 07 de julho

8º Prêmio Educadores Inovadores

O concurso é aberto para professores de escolas públicas e particulares de educação básica de todo País e premiará as três melhores iniciativas que fazem bom uso da tecnologia em sala de aula para melhorar a qualidade e desempenho dos estudantes.

Neste ano, o prêmio Educadores Inovadores passou por uma reformulação. Os candidatos não precisarão se inscrever a partir de categorias, como acontecia nas últimas edições. Serão escolhidos os três melhores projetos, que independem da série ou da disciplina que esteja sendo ensinada. O critério para a escolha dos vencedores está baseado no desenvolvimento e interação dos estudantes.

As experiências selecionadas receberão consultoria durante um ano para a melhoria de seus projetos e os professores vencedores serão nomeados como Educadores Especialistas. Os três escolhidos receberão cursos de inglês e tablets, além de concorrerem a edição mundial do prêmio, durante o Fórum Global Microsoft Parceiros na Aprendizagem, que acontece em março de 2014, em local a ser definido.

Para participar, os professores deverão se cadastrar no PIL Network, rede que congrega educadores do mundo inteiro. O cadastro é simples e pode ser feito a partir de um perfil de Facebook, Google, Yahoo ou conta Microsoft.

Na última competição internacional do concurso, a professora Margarida Telles – que, inclusive, falou sobre seu projeto ao Porvir em junho – conquistou o segundo lugar na categoria Aprendizagem Além da Sala de Aula. A educadora gaúcha é responsável por desenvolver uma série de projetos que integram no currículo tradicional práticas de educação ambiental.

Premiação: 3 educadores vencedores receberão cursos de inglês e tables, além de serem selecionados para a competição internacional do concurso, em março de 2014


Período: até 30 de setembro

Codern terá concurso para Biólogos (Cadastro de reserva)



A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) abrirá concurso público para preenchimento de 35 vagas efetivas mais formação de cadastro de reserva em breve. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, ainda não há data para divulgação do edital de abertura completo, pois o processo de licitação ainda está em andamento. Porém, algumas informações já foram divulgadas.

Para nível superior, o posto é o de analista técnico administrativo (haverá cargo para Biólogo).

A remuneração será de R$1.893,18, com jornada de 44 horas por semana.

Fonte: CorreioWeb

Editais FNMA: Educação Ambiental e Agricultura Familiar / Fortalecimento à Produção e à Oferta de Sementes e Mudas



Em 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, o FNMA lançou dois novos editais: o Edital nº 1/2013, que visa ao apoio a projetos orientados para a formação de Agentes Populares de Educação Ambiental na agricultura familiar e a implementação de projetos comunitários de Educação Ambiental, priorizando a formação de mulheres e agentes jovens; e o Edital nº 2/2013, com o objetivo de apoiar o cumprimento da nova Lei Florestal nº 12.651/12, por meio da seleção e apoio a projetos que visem ao fortalecimento da produção e oferta de sementes e mudas nativas, à recuperação de áreas de preservação permanente hídricas e à revitalização paisagística de vales fluviais urbanos. 

As ações a serem empreendidas ocorrerão na Região Hidrográfica do Rio São Francisco.

As propostas deverão ser enviadas ao FNMA até 10 de agosto de 2013.

Mais informações:

XLIX Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical



O XLIX Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical ocorrerá em Campo Grande (MS), entre 07 e 10 de agosto de 2013.

O tema central do encontro será "Ambiente, sociedade e doenças tropicais nas fronteiras", e representará uma oportunidade ímpar para que pesquisadores, professores, gestores do SUS e estudantes de graduação e pós-graduação se debrucem sobre a realidade dessas enfermidades no contexto das fronteiras. 

As inscrições poderão ser feitas pelo site do evento até o dia 04 de julho de 2013.

Mais informações:

Pós-graduação UNA



A UNA (www.una.br) está com as inscrições abertas para seus cursos de pós-graduação.

Alguns deles são de interesse dos Biólogos: Direito Ambiental; Biotecnologia; Oncologia Clínica; Perícia, Auditoria e Análise Ambiental; Gestão Ambiental; Ecologia Vegetal; MBA em Consultoria e Licenciamento Ambiental.

Os cursos são ofertados nas unidades em BH e Betim. A previsão do início das aulas é agosto de 2013.

Terão descontos os Biólogos registrados no CRBio04.

Informações e inscrições: 
una.br/pos ou (31) 3253-7300

II Simpósio do Agronegócio Brasileiro – Trilhando o Caminho da Produção



O II Simpósio do Agronegócio Brasileiro – Trilhando o Caminho da Produção acontecerá nos dias 17 e 18 de julho, no Centro de Convenções da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Serão abordados temas como Política Agrícola Brasileira; Crédito, Comercialização e Seguro; Agronegócios no Setor Florestal; Doenças e Pragas na Produção Florestal; Mercado Brasileiro de Fertilizantes; Aspectos Práticos e Dogmáticos do Novo Código Florestal; Perspectivas do Mercado Florestal.

Mais informações:

Presidente do Ibama diz que falta de qualidade dos projetos atrasa licenciamento ambiental



Sob fortes críticas de parlamentares, o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Volney Zanardi Junior, explicou no dia 12 de junho, no Senado, como funciona o processo de licenciamento ambiental de obras de infraestrutura do país e apontou justificativas para o atraso do órgão nas emissões de autorização dessas obras. Ele atribuiu parte da demora à falta de qualidade dos projetos apresentados ao órgão.

“Muitas questões poderiam ser trabalhadas antes de chegar ao processo de licenciamento. Lidamos frequentemente com uma série de problemas e conflitos em relação à políticas públicas que são definidas para a região. Essas políticas muitas vezes não têm uma relação direta com o empreendimento, mas são incorporadas ao licenciamento”, criticou. “O licenciamento ambiental não foi feito para definir planejamento territorial e implantação de políticas públicas”, completou.

Durante a audiência pública na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado, Zanardi disse que, como o nível de investimentos do país em obras estruturais é crescente, a demanda por licenças que viabilizam esses investimentos também vem aumentando. Segundo ele, em 2012, o Ibama realizou quase 70 audiências públicas com a participação de mais de 20 mil pessoas, como parte desses processos de licenciamento.

Como o interesse dos senadores era a situação de obras executadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Zanardy destacou que o Ibama trabalha hoje com quase 2 mil processos de licenciamento. Apenas as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) respondem por 17% dessa carteira, e esse bloco concentra pelo menos 590 projetos de rodovias.

Zanardi lembrou que o trabalho do Ibama precisa seguir as diversas legislações ambientais, como a Lei da Mata Atlântica, que exige estudos de impacto ambiental quando um empreendimento ameaça remanescentes do bioma. Ainda assim, ele destacou mudanças em portarias que deram mais agilidade ao processo.

O presidente do Ibama disse que muitos problemas acabam surgindo por uma série de hábitos e regras polêmicas adotadas hoje, como as que definem que as licenças concedidas pelos órgãos estaduais e municipais que foram suspensas devem ser retomadas pelo instituto federal. “O Ibama é levado a assumir o licenciamento e tem que recomeçar, muitas vezes, do zero, e a responsabilidade [pela demora] recai sobre ele”, explicou, destacando que, nos últimos três anos, nenhuma licença concedida pelo órgão federal foi sustada.

Ainda assim, o senador José Pimentel (PT-CE), que pediu a convocação de Zanardi, alertou para o número crescente de ajuizamentos do Ministério Público contra o Ibama. Os senadores Valdir Raupp (PMDB-RO) e Acir Gurgacz (PDT-RO) criticaram a demora no licenciamento de várias rodovias e questionaram a morosidade inclusive em projetos que já existiam e estava passando por reformas ou melhorias.

Raupp destacou o processo da rodovia BR-319, com trechos no Amazonas e em Rondônia. “Já se passaram seis anos para se concluir um licenciamento ambiental. Estamos tratando de um estado que preserva 98% de suas florestas. Não vamos dizer que o traçado [da rodovia] que já existia vai impactar tanto a ponto de comprometer os 98% preservados”, disse.

O senador Jorge Viana (PT-AC) defendeu um tratamento diferenciado para as obras estratégicas. “Se o Ibama tem estrutura e condições precárias, pelo menos temos que separar as obras estratégicas para o país, que se não andarem rápido podem provocar problemas sociais ou prejudicar a competitividade do Brasil”, disse ele.

Fonte: Agência Brasil

Processo Seletivo Cidade Ocidental – GO (02 vagas para Biólogos)


A Prefeitura Municipal de Cidade Ocidental (GO), divulgou que estão abertas as inscrições do seu processo seletivo, o qual prevê o preenchimento do quadro de pessoal vinculado a administração pública local.

Existem 02 vagas para Biólogos. A remuneração é de R$1.400,00.

Os candidatos deverão realizar sua inscrição até o dia 30 de junho de 2013, através do site www.ibeg.org.br .

O processo é composto de prova de títulos e verificação de experiência profissional.

Mais informações:

Processo Seletivo UFTM (01 vaga para Professor de Bioquímica)


A UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro divulgou o edital 039/2013 de processo seletivo, que visa preencher 01 vaga para Professor Substituto em Bioquímica.

A remuneração oferecida depende da titulação do selecionado na área, variando de R$ 3.549,94 a R$ 4.649,65 em jornadas de 40h semanais.

O local de atuação é em Uberaba (MG). 

A UFTM receberá as inscrições entre os dias 24 e 30 de junho de 2013, por meio do site www.uftm.edu.br  .

Mais informações:

Apenas 7,5% da Caatinga está protegida



A Caatinga é considerada por especialistas o bioma brasileiro mais sensível à interferência humana e às mudanças climáticas globais. Apesar disso, apenas 7,5% de seu território está protegido em Unidades de Conservação (UCs) e apenas 1,4% dessas reservas são áreas de proteção integral.

O alerta foi feito pelo biólogo Bráulio Almeida Santos, do Centro de Ciências Exatas e da Natureza da Universidade Federal da Paraíba (CCEN/UFPB), durante o quinto encontro do Ciclo de Conferências 2013 do BIOTA Educação, organizado pelo Programa BIOTA-FAPESP no dia 20 de junho.

“A região Nordeste tem 364 reservas registradas no Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (CNUC). Apenas 113 (ou 31%) têm como objetivo proteger a Caatinga, embora esse bioma seja predominante em todo o semiárido brasileiro. É uma contradição que precisa ser revertida”, afirmou Santos.

Ainda segundo o levantamento feito pelo biólogo, quase metade das 113 UCs são particulares e apenas 9% têm plano de manejo. Na avaliação de Santos, a situação reflete a ideia errônea, porém disseminada durante muito tempo, de que a Caatinga seja um bioma pobre, homogêneo e no qual não há “quase nada a ser preservado”.

“A Caatinga sempre foi o patinho feio dos biomas brasileiros. Em primeiro lugar, vem a preocupação com a Amazônia, a Mata Atlântica e o Cerrado. A imagem da Caatinga é a do solo rachado e a do gado morrendo de sede, mas é a região semiárida com a maior biodiversidade do mundo”, afirmou Santos.

As espécies da Caatinga, no entanto, ainda são pouco conhecidas. Cerca de 41% do bioma nunca foi amostrado. Até o momento, segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, foram descritas na região 932 espécies de plantas, 241 de peixes, 79 de anfíbios, 177 de répteis, 591 de aves, 178 de mamíferos e 221 de abelhas. No caso da flora, mais de 30% das espécies descritas são endêmicas, ou seja, não ocorrem em nenhuma outra região do mundo.

O índice de endemismo chega a 57% no caso dos peixes, 37% no caso de lagartos, 12% dos anfíbios e 7% das aves, segundo dados apresentados por Adrian Antonio Garda, do Centro de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (CB/UFRN), durante o evento.

“O número de espécies descritas pode parecer pequeno quando você compara com os outros biomas brasileiros. Mas estamos comparando com biomas do país de maior biodiversidade do mundo e em condições climáticas completamente diferentes. Quando você compara com as regiões desérticas mais bem estudadas da América, a Caatinga apresenta bem mais do que o dobro do número de espécies e com altos níveis de endemismo. Isso apesar de mais de 40% do bioma nunca ter sido inventariado”, disse Garda.

Na avaliação de Santos, falta massa crítica dentro das universidades e de institutos de pesquisa locais para ampliar esse conhecimento e difundi-lo entre e os formuladores de políticas públicas. “É preciso levar as informações ao gestor. A falta de vontade política e de lideranças comprometidas com o uso racional da Caatinga é um dos obstáculos para conservação desse bioma”, avaliou.

Também é preciso derrubar o mito de que a Caatinga esteja pouco alterada, defendeu Santos. Estima-se que tenha sobrado apenas 54% do bioma. Os estados que mais desmataram foram Bahia, Ceará, Piauí e Pernambuco.

“Mas, ao contrário do que acontece no caso da Mata Atlântica, não sabemos com precisão o que já se perdeu do bioma e como estão distribuídos os fragmentos restantes. Do ponto de vista da conservação, é fundamental saber se são muitos fragmentos pequenos ou poucos fragmentos grandes para pensar em como reconectar as paisagens”, disse.

Reverter a perda de hábitat na Caatinga, no entanto, não é tarefa simples, explicou Santos. A escassez de água na região dificulta a fotossíntese e faz com que o bioma apresente uma resiliência muito pequena à interferência humana.

Fonte: Agência FAPESP

Uma pequena história vivida da Parasitologia da USP



“Uma pequena história vivida da Parasitologia da USP” é o tema da palestra de Erney Plessmann de Camargo no dia 28 de junho, às 13 horas, no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP).

Camargo é professor do Departamento de Parasitologia do ICB. Foi presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, pró-reitor de Pesquisa da USP, diretor do Instituto Butantan e presidente da Fundação Zerbini.

A palestra ocorrerá na Sala Samuel Pessoa do Anexo Didático do ICB II. O evento é gratuito e dispensa inscrição prévia.

O ICB fica na Av. Prof. Lineu Prestes, 1374, Cidade Universitária.

Mais informações: 

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Governo anuncia mudança no licenciamento ambiental para não perder investimentos bilionários



São muitas, principalmente em Minas Gerais, as procuras para investimentos envolvendo grandes sumas de dinheiros. Porém, segundo o Ministério de Meio Ambiente, esses projetos encontram uma "barreira", a legislação que rege o licenciamento ambiental no país. Com o intuito de destravar esses investimentos o Ministério começa a costurar uma ampla reforma da legislação que deve ser colocada, parcialmente em prática, ainda neste ano.

A afirmação foi da ministra Izabella Teixeira, durante encontro Encontro Nacional dos Conselhos Temáticos de Meio Ambiente das Federações de Indústrias, em Ouro Preto, no último dia 14. Em um diálogo em que não há como renunciar o desenvolvimento, ela afirmou que o Ministério de Meio Ambiente não se restringe a ambientalistas. "Vamos fazer alterações sem preconceitos ou acusações". Ela também disse que novidades começarão a aparecer em agosto.

De acordo com publicação do Hoje em Dia, a intenção, segundo a ministra, é colocar fim a insegurança jurídica nos licenciamentos, dar celeridade à aprovação de projetos e fortalecer os órgãos ambientais estaduais.

A Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), através de seu presidente, Olavo Machado Júnior, entregou-lhe Proposta da Indústria para o Aprimoramento do Licenciamento Ambiental, já que, de acordo com a instituição, cada licença pode demorar até 28 meses para aprovação.

A ministra ainda anunciou outra modificação que recebeu apoio da Fiemg no que se refere, de acordo com a reportagem, a imposição excessiva de condicionantes durante o licenciamento, muitas das quais desvinculadas de benefício ambiental, como a construção de uma escola. "O que é dever do governo não pode ser repassado para o empresário", disse Machado Júnior.

O presidente da instituição contou que, por pouco, não foi viabilizado investimento em torno de US$ 230 milhões pela empresa canadense Carpathian Gold numa mineração de ouro em Riacho dos Machados, Norte de Minas. Para ele, condicionantes impostas ao empreendimento como responsabilidades como fornecimento de água, investimentos em saúde pública e construção de um centro para animais silvestres são excessivas. Porém é verdade que tal atividade utiliza milhares de litros de água por hora, além de prejudicar e espantar a fauna local.

Conforme o promotor de Justiça, Carlos Eduardo Pinto, coordenador das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios da Velhas e Paraopeba, alterações na legislação precisam passar pelo crivo do Congresso Nacional. Quanto a iniciativa de acelerar as licenças, ele a elogiou, mas criticou o sucateamento dos órgãos licenciadores e disse que a judicialização dos conflitos ambientais permanecerá enquanto não houver corpo técnico competente e em número suficiente.

Fonte: AMDA

Fórum Latino-Americano de Adaptação às Mudanças do Clima



O Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP), em parceria com o Secretariado da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC) – Nairobi Programme, realiza, no dia 26 de junho, o Fórum Latino-Americano de Adaptação às Mudanças do Clima.

O principal objetivo do evento é promover o fortalecimento de ações em adaptação à mudança do clima como parte da estratégia de negócio das companhias latino-americanas, identificando iniciativas, instrumentos e boas práticas.

O encontro reunirá cerca de 150 participantes do setor privado latino-americano, do governo e de organizações da sociedade civil no salão nobre da FGV em São Paulo.

Mais informações:

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Palestra: Conservação de Morcegos no Brasil



Local
Miniauditório do Ceulp/ULBRA (Avenida Teotônio Segurado 1501 Sul, Palmas - TO)

Dia
22 de junho (sábado)

Horário
8h

Palestrante
Susi Missel Pacheco

Mais informações
(63) 9246-9828

Inverno Ambiental no Vale Verde



Nos dias 13, 14, 27 e 28 de julho, o Vale Verde, em parceria com a Ekológika Consultorias, promove cursos com foco na Educação Ambiental. 

Os cursos abordam origem e evolução da vida, fotografia da natureza, animais peçonhentos, manejo de aves silvestres, ecoturismo e trilhas interpretativas.

As aulas serão realizadas no Vale Verde Parque Ecológico, localizado em Betim, a apenas 42 km de Belo Horizonte (MG).

Mais informações:
(31) 3079-9127 ou 3079-9116

Perito da Polícia Federal e Polícias Civis (Biólogo/Biomédico) – Preparatório + Pós-graduação



Está confirmado para o dia 21 de junho, às 19h, em Brasília, o início das aulas de mais uma turma da Pós-Graduação em Biociências Forenses + Preparatório para PF e Polícias Civis. 

A especialização visa preparar os candidatos com conteúdos específico da PF, PCDF e demais polícias civis, além de conteúdos da prática Forense. 

O curso é reconhecido pelo MEC e chancelado pela Universidade Católica de Goiás.

Mais informações: 
(61) 3274-7777 / (61) 3347-9538

Concurso Público Santa Rosa - RS (Cadastro de Reserva para Biólogos)


A Prefeitura Municipal de Santa Rosa (RS) lançou edital para concurso público.

As inscrições serão realizadas somente via Internet no site www.unijui.edu.br/asc, até o dia 02 de julho de 2013.

O cargo Biólogo é destinado a cadastro de reserva. O vencimento básico do cargo é de R$2.612,24.

A prova objetiva será aplicada no dia 04 de agosto de 2013, no Campus da UNIJUI em Santa Rosa, sito na RS 344, Km 39, na cidade de Santa Rosa/RS, no turno da manhã.

O concurso também é composto por prova de título.

Mais informações:

Anvisa fará nova rodada de provas de concurso público


Após uma série de dificuldades, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que haverá uma nova rodada de provas para o mais recente concurso público do órgão, substituindo o exame que tinha sido realizado no dia 02. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira pelo diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano. O concurso prevê o suprimento de diversos cargos, dentre eles o de Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária - Área 2 (em que Biólogos podem concorrer). Mais de 125 mil candidatos se inscreveram para o concurso.

Logo após a aplicação da prova, no começo de junho, a Anvisa confirmou em nota oficial ter conhecimento de obstáculos no Rio, Bahia, Distrito Federal e Alagoas. Candidatos relataram que provas foram entregues sem o lacre, que houve troca na entrega dos cadernos e dos gabaritos e que alguns candidatos teriam perdido o exame por mudanças de última hora nos locais de aplicação. Com a decisão anunciada nesta sexta, entretanto, a reaplicação da prova valerá até mesmo para locais onde não foram registrados incidentes. Não foi fixada, porém, nova data para os exames.

A Anvisa anunciou que decisão de aplicar novas provas foi tomada após reunião da diretoria colegiada que avaliou o relatório da comissão organizadora do certame. Foram sete os pontos avaliados pelos diretores. A primeira decisão foi a "de determinar à empresa Cetro a reaplicação nacional das provas do concurso público para todos os cargos que compõem o certame, preservando-se os direitos de todos os candidatos já inscritos". Além disso, ficou determinado que, após a conclusão formal das apurações, sejam aplicadas à Cetro as sanções contratuais previstas em função das falhas operacionais.

Além disso, foi tomada a decisão de "advertir a empresa Cetro sobre a possibilidade da aplicação das penas de suspensão ou declaração de inidoneidade no caso de repetição do descumprimento das cláusulas contratuais e problemas verificados na aplicação anterior". Está assegurado o direito de desistência de eventuais candidatos que não desejem realizar novamente as provas, com as restituições dos valores de inscrição pagos.

A fiscalização desta segunda rodada de exames será reforçada. A decisão da agência anunciada sexta-feira afirma que, "tendo em vista o interesse público envolvido na realização do concurso", será pedido que a Policia Federal (PF) acompanhe a aplicação das novas provas e que encaminhe eventuais conclusões sobre a apuração sobre as ocorrências envolvendo os exames anteriores. O parecer da comissão organizadora será encaminhado à Cetro, "no sentido que a empresa tome conhecimento das conclusões contidas no relatório, e solicitar à comissão que reforce junto à Cetro os itens considerados críticos".

A página da Cetro Concursos na internet diz que a instituição tem matriz em São Paulo e uma filial em Brasília. Cita, ainda, como alguns dos clientes, a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, Fundação Hemocentro de Brasília, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), prefeitura de Manaus, Ministério das Comunicações e Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Fonte: Agência Estado

'Preocupação ambiental aumenta demanda'



A coordenadora do bacharelado em ciências biológicas da Universidade Paulista (Unip), Cristiane Furlaneto, conta que a demanda pelo curso tem apresentado evolução significativa nos últimos anos em função da crescente preocupação mundial em relação ao meio ambiente. "Tanto governos quanto o meio empresarial têm se sensibilizado frente ao aquecimento global e suas desastrosas consequências para a economia mundial."

Segundo ela, esse processo de reconhecimento dos efeitos da ação do homem sobre o meio ambiente, bem como a compreensão de que algo deve ser feito para evitar que desastres ocorram, têm propiciado maior oferta de postos de trabalho, com destaque para profissionais que atuam nas áreas de toxicologia e saneamento ambiental, impacto ambiental e gestão ambiental.

Cristiane acrescenta que o aumento do respeito à natureza e aos seres vivos faz com que o bacharel em biologia também encontre oferta de trabalho em áreas voltadas à biodiversidade, conservação e manejo. "A possibilidade de haver falta de alimentos para a população mundial também abriu um novo campo de atuação na área de biotecnologia."

A professora diz que biólogos têm profundo conhecimento em ecologia e compreendem os ecossistemas terrestres e aquáticos de forma mais específica que qualquer outro profissional, o que faz ampliar ainda mais o campo de atuação. "Entre as possibilidades de trabalho estão instituições como Ibama, Cetesb e Sabesp, institutos florestais, biológicos e de botânica, além de consultorias e indústrias ou laboratórios voltados à biotecnologia e biologia molecular."

Foi em um laboratório de células tronco que o estudante do quinto semestre de ciências biológicas da Unip Edvando João Araújo encontrou uma vaga de estágio. "Trabalho há um ano no laboratório CordVida, que faz coleta e armazenamento de células tronco."

Ele conta que sua rotina de trabalho inclui o cadastramento de bolsas que contém sangue do cordão umbilical, extraído logo após o parto.

"Também auxílio nos demais procedimentos feitos no laboratório para a extração da célula tronco, que depois ficará congelada a uma temperatura de -195º. Futuramente, essas células poderão ser usadas para tratar vários problemas de saúde do dono do material."

Araújo diz que escolheu a carreira de biólogo quando ainda era criança. "Eu adorava criar animais e cuidar de meu aquário. Até os seis anos, pensava em ser veterinário, mas quando descobri a biologia me identifiquei no ato."

O estudante conta que está gostando muito da experiência profissional proporcionada pelo estágio.

"Adoro a movimentação do laboratório e o processamento das bolsas. Também aprendo muito sobre o manejo e a higiene dos materiais."

Araújo diz que existe a possibilidade de ser efetivado nesse laboratório e que depois da graduação quer continuar estudando. "Pretendo fazer uma especialização ou mestrado, nas áreas laboratorial, clínica, patologia ou biologia molecular, e depois farei uma pós-graduação", conclui.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Aumenta número de espécies em risco de extinção



O número de espécies de fauna ameaçadas no Brasil vai aumentar drasticamente na próxima lista oficial que está sendo elaborada pelo governo federal, segundo dados preliminares publicados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A meta é avaliar o status de conservação de 10 mil espécies até 2014. Por enquanto, foram analisadas cerca de 1,8 mil, e o número de animais na categoria "criticamente em perigo" - ou seja, em risco imediato de extinção - já é maior do que o da lista atual.

Na nova análise, 331 espécies são classificadas como ameaçadas em três categorias: 137 criticamente em perigo, 89 em perigo e 105 vulneráveis. Na lista atual, publicada em 2002, esses números são 125, 163 e 330, respectivamente.

O grupo de risco inclui desde borboletas, sapinhos e caramujos até onças, baleias e tubarões. Entre os mais ameaçados estão a toninha (uma espécie pequena de golfinho), o soldadinho-do-araripe (uma ave endêmica do sertão cearense) e várias espécies de tubarão-martelo, que aparecem na lista pela primeira vez. O boto-cor-de-rosa, o periquito-cara-suja e o peixe-boi-marinho estão numa categoria um pouco melhor - apenas "em perigo" -, enquanto que a onça-pintada, a raia-manta e o cervo-do-pantanal aparecem como "vulneráveis".

Em uma comparação preliminar com a lista atual, feita pelo Estado, aparecem boas e más notícias. A baleia-jubarte, que hoje é classificada como vulnerável, deixa de ser considerada uma espécie ameaçada de extinção no Brasil, passando para a categoria de "quase ameaçada"; enquanto que a arara-azul-de-lear melhora duas categorias, passando de "criticamente ameaçada" a "vulnerável".

No sentido oposto, a tartaruga-cabeçuda passa de "vulnerável" a "em perigo"; enquanto que a tartaruga-de-pente dá mais um passo rumo à extinção, passando de "em perigo" para criticamente ameaçada.

Essa lista preliminar, representando 18% do total de espécies que se desejam avaliar, foi publicada online em dezembro, em uma revista institucional do ICMBio, porém retirada do ar pouco tempo depois.

Um novo encontro de especialistas, para validação de outras 2,6 mil espécies, foi realizado em abril, mas os resultados ainda não estão disponíveis. Vários grupos importantes, como o dos primatas, ainda não entraram nas estatísticas. A expectativa do ICMBio é que o número final de espécies ameaçadas chegue próximo de 1 mil, comparado às 618 da lista atual.

O secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Roberto Cavalcanti, ressalta que os dados publicados pelo ICMBio representam uma "lista candidata", elaborada por cientistas, que ainda precisará ser submetida à Comissão Nacional da Biodiversidade (Conabio) e publicada pelo ministério na forma de uma instrução normativa para se tornar "oficial".

"A publicação oficial não será apenas uma lista de nomes, mas uma avaliação de risco acompanhada de um conjunto de ações necessárias para lidar com esses riscos", diz Cavalcanti. "Em cima dos dados científicos tem de haver ações políticas que respondam a esses dados. Senão, cria-se um problema em vez de apontar soluções", afirma o secretário do MMA.

A expectativa, segundo ele, é que os dados sejam submetidos à Conabio em agosto. "A produção da lista é absolutamente essencial para as estratégias de conservação da biodiversidade", enfatiza Cavalcanti.

Metodologias. O agravamento do quadro de ameaças é inegável, mas a comparação com a lista vigente tem de ser feita com cautela. Apesar de os critérios de avaliação individual de cada espécie serem essencialmente os mesmos - adaptados da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN), referência mundial na avaliação de espécies ameaçadas -, a representatividade da nova lista é significativamente maior.

Estão sendo avaliadas, de forma inédita, todas as espécies conhecidas de cada grupo animal (aves, mamíferos, anfíbios etc), enquanto que nas listas anteriores era avaliada apenas uma amostra de espécies mais conhecidas de cada um. Rigorosamente falando, as listas não são comparáveis cientificamente ou estatisticamente.

"Pela primeira vez teremos uma lista verdadeiramente completa e representativa da biodiversidade brasileira", diz a Bióloga Monica Brick Peres, do MMA, uma das principais responsáveis pelo trabalho. "Nunca isso foi tão bem feito como agora no Brasil, seguindo os protocolos internacionais à risca", afirma Rodrigo Leão Moura, Biólogo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que ajudou a coordenar a avaliação de peixes. "São resultados que refletem a situação real."

Fonte: Estadão

Chapada Diamantina desapropria área para regularização



Há pouco mais de um mês, a administração do Parque Nacional Chapada Diamantina (PNCD) conseguiu concluir a oitava desapropriação de uma área dentro da unidade, com mais de quatro mil hectares. Outras sete áreas estão em processo final de desapropriação, previstas para este ano.

O processo de regularização da unidade está ainda na fase inicial. Segundo o analista ambiental que trabalha na unidade, Cezar Gonçalves, existem mais de 300 propriedades, entre imóveis de comunidades que já moravam na região antes de o parque ser criado em 1985 e fazendas, que ocupam a maior área ainda irregular.

"Com a conclusão da negociação das sete áreas que estão sendo regularizadas e outras nove que estão na Justiça, vamos conseguir regularizar 80% dos quase 30 mil hectares de área que precisam ser regularizados", calculou o Biólogo. O parque, considerado um dos maiores do país fora da região amazônica, ocupa quase 152 mil hectares. Desse total, mais de 60% são terras da União. Apesar da extensão, a unidade representa apenas uma pequena parte de toda a Chapada Diamantina.

Ainda assim, a unidade, que abrange seis municípios da Bahia - Ibicoara, Itaeté, Lençóis, Mucugê, Palmeiras e Andaraí -, é a guardiã de nascentes importantes para a região. O Rio Paraguaçu, responsável pelo abastecimento de 60% da população da capital baiana, corta todo o território da unidade, que também é reconhecida por pesquisadores como sede de importantes bancos genéticos.

Estimativas divulgadas no site da Chapada Diamantina apontam que, anualmente, quatro ou cinco novas espécies de plantas endêmicas e três de animais são descobertas na região. "É variável, mas essa tem sido a média, o que, para os padrões mundiais, é muita coisa", destacou Gonçalves.

O registro de visitações do parque ainda não está consolidado, mas a Associação dos Condutores de Visitantes do Vale do Capão (ACV-VC), uma das organizações que colaboram com a administração da unidade com monitoramento voluntário há mais de 12 anos, registrou, no ano passado, a presença de quase 16 mil pessoas na Cachoeira da Fumaça. A queda d'água, de 340 metros de altura, é considerada o principal atrativo turístico do PNCD.

Fonte: Agência Brasil

Fauna microbiana de espaços domésticos é tema de pesquisa



Um dos últimos ecossistemas ainda pouco explorados do mundo surgiu a duas quadras a leste de um centro comercial em Longmont: uma residência térrea que ganhou o codinome Q.

Noah Fierer, 39, microbiólogo da Universidade do Colorado em Boulder e "historiador natural dos piolhos", segundo sua própria descrição, entrou na casa e se juntou aos pesquisadores que já estavam ali. Um deles esfregava superfícies com pedaços de algodão estéril. Outros anotavam os materiais encontrados em dois aparelhos para coleta de amostras de ar: fibras de vestimentas, pelos de cachorro, flocos de pele, material particulado e vida microbiana.

Ecologistas como Fierer começaram a estudar um mundo íntimo e pouco examinado que mal existia 100 mil anos atrás: o dos espaços fechados. Eles querem saber o que convive conosco e como "colonizamos" espaços com vírus, bactérias e micróbios. Eles descobriram que as residências contêm assinaturas ecológicas identificáveis de seus habitantes humanos. Até mesmo cachorros exercem influência importante nas minúsculas formas de vida que vivem sobre nossos travesseiros e nas telas de nossos televisores.

Quando os ecologistas tiverem identificado mais profundamente as espécies que vivem em espaços internos, eles esperam criar estratégias para administrar imóveis residenciais, eliminando espécies nocivas e fomentando as que fazem bem à saúde.

Mas, segundo Fierer, o primeiro passo consiste em simplesmente fazer um censo de tudo o que já convive conosco. Apenas depois será possível começar a estudar os efeitos dos organismos. "Primeiro precisamos saber o que está ali. Se você não sabe, está perambulando na selva de olhos vendados."

Além da fauna carismática observada comumente nos lares norte-americanos -cães, gatos e peixes-, formigas, baratas, gafanhotos, ácaros e milhões de micróbios, incluindo centenas de espécies multicelulares e milhares de unicelulares, também vivem muito bem em nossas casas.

Fierer formou uma parceria com o Biólogo Rob Dunn, da Universidade North Carolina State, para obter amostras da fauna microbiana de 1.400 residências nos EUA. Conhecido como "A Vida Selvagem de Nossa Casa", o projeto depende de voluntários que esfregam com algodão fronhas e tábuas de cortar alimentos e depois enviam as amostras para análise.

"Ao longo de toda a história da humanidade, criamos ambientes à nossa volta -e em nosso cotidiano- de maneira não intencional. O controle que exercemos é sobretudo um em que matamos os organismos que podem ser nocivos", explicou Dunn. "Isso já salvou muitas vidas. Mas também favoreceu uma gama enorme de espécies sobre as quais sabemos muito pouco."

É o caso de uma cozinha como outra qualquer. Em um estudo publicado no periódico "Environmental Microbiology", o laboratório de Fierer examinou 82 superfícies em quatro cozinhas de Boulder. Predominaram espécies associadas à pele humana, como a Staphylococcaceae ou a Corynebacteriaceae. Foram encontrados sinais de solo e de espécies associadas a hortifrutigranjeiros crus. Micróbios -incluindo espécies de Sphingomonas, conhecidas pela capacidade de sobreviverem nos locais mais tóxicos- estavam presentes num tipo de selva sobre a torneira. O laboratório de Fierer também encontrou alguns potenciais patógenos, como o Campylobacter, escondidos nos armários.

A maioria dos habitantes é relativamente benigna. De qualquer maneira, erradicá-los não é possível e nem desejável.

No primeiro estudo que a equipe realizou em 40 residências na Carolina do Norte, divulgado no periódico "PLoS One", os cientistas constataram que os humanos deixam bactérias quando tocam superfícies com sua pele exposta.

Além disso, à temperatura ambiente, um humano saudável ao andar eleva uma "nuvem convectiva" de cerca de 37 milhões de bactérias por minuto, que se dispersam pela casa e podem sobreviver por longos períodos.

O esforço para catalogar os habitantes dos espaços fechados teve início em 2004, quando Paula J. Olsiewski, diretora de programa da Fundação Alfred P. Sloan, em Nova York, lançou um chamado para que edifícios fossem examinados numa linha de defesa contra o bioterrorismo. A fundação já disponibilizou US$ 28 milhões para projetos, um dos quais, o Projeto Microbioma Hospitalar, envolve a coleta de amostras do material dos narizes, axilas, mãos e fezes de pacientes, além de estações de enfermeiras e dez quartos para pacientes recém-construídos -um total de 12 mil pedaços de algodão com amostras de material.

Prevista para durar um ano, a pesquisa visa encontrar soluções para uma preocupação urgente: de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, um em cada 20 pacientes contrai infecções em hospitais.

Fonte: "NEW YORK TIMES"

Conferência SciELO 15 anos



A conferência de comemoração dos 15 anos da Rede SciELO (Scientific Eletronic Library Online) reunirá autoridades e especialistas em pesquisa e comunicação científica entre os dias 22 e 25 de outubro em São Paulo.

O objetivo do encontro é debater o estado da arte em comunicação científica em acesso aberto e os desafios para o desenvolvimento dos periódicos científicos e do Programa SciELO.

O SciELO indexa e publica em acesso aberto na internet uma coleção selecionada de periódicos científicos brasileiros com o objetivo de aumentar a sua visibilidade, acessibilidade, qualidade, uso e impacto.

Entre as sessões previstas pelo programa estão: “Políticas de Pesquisa e Comunicação Científica”, “Acesso Aberto – Estado Atual e Tendências”, “Cienciometria – Medida da Qualidade das Pesquisas e dos Periódicos”, “Tendências e Inovações na Comunicação Científica” e “Experiências, Soluções, Produtos e Serviços de Comunicação Científica”.

Mais informações: