domingo, 28 de julho de 2013

Rússia veta criação da maior reserva ambiental do mundo



Objeções feitas pela Rússia com apoio da Ucrânia bloquearam um plano de criar a maior área de reserva ambiental nos mares próximos e fora da costa da Antártica. O embate aconteceu durante a reunião da Comissão para a Conservação de Recursos Vivos Marinhos da Antártica, que tinha como objetivo a criação de Áreas Marinhas Protegidas (AMPs). A Comissão exige consenso entre os 25 membros para aprovação de reservas marinhas.

Duas propostas estavam em pauta. Uma delas, feita pelos Estados Unidos e Nova Zelândia, proibiria a pesca em 1,6 milhão de quilômetros quadrados (km²) no Mar de Ross, criando a maior reserva marinha do mundo (totalizando 2,3 milhões de km²). A outra, sugerida pela Austrália, França e União Europeia, teria criado sete AMPs na costa leste da Antártica.

Segundo o jornal "The Guardian", a delegação russa questionou a capacidade legal da entidade em propor a criação de duas grandes áreas marinhas protegidas próximas e fora do litoral da Antártica. "Perdemos uma oportunidade crítica de proteger algumas das áreas oceânicas mais prístinas da Terra, é uma perda para o ecossistema e para a comunidade internacional. Incitamos os líderes mundiais a apelarem para a Rússia trabalhar com os outros países, e é imperativo que seus delegados voltem à mesa de negociação em três meses para chegar a um consenso", comentou Andrea Kavanagh, diretora do projeto para os santuários do oceano austral do Pew Charitable Trust.

"Após dois anos de preparação, incluindo este encontro, realizado a pedido da Rússia para resolver o caso científico das propostas do Mar de Ross e do leste antártico, saímos sem nada", criticou Geoff Keey, coordenador na Nova Zelândia da Aliança para Oceano Antártico (AOA).

Apesar de toda a sua riqueza e importância, menos de 1% dos oceanos são cobertos por AMPs. A meta sob a Convenção sobre Diversidade Biológica é de chegar a 10% até 2020.

As duas propostas de AMPs serão reconsideradas no próximo encontro da Comissão, em outubro, na Austrália.

Petição online

A Antarctic Ocean Alliance (AOA), uma coalizão de ONGs ambientalistas, iniciou uma petição online para a criação das reservas e criou um personagem, o Pinguim Percy, para pressionar os negociadores. Na imagem da campanha, Percy está arrasado com o resultado do encontro.

Fonte: O Progresso
Postar um comentário