sexta-feira, 12 de abril de 2013

Unesp disponibiliza na internet tecnologias para licenciamento por empresas



Empresas interessadas em tecnologias desenvolvidas por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) não precisam percorrer as 34 unidades da instituição, espalhadas por 24 municípios do Estado de São Paulo, para fazer essa busca.

A Agência Unesp de Inovação (Auin) publicou na internet um banco de tecnologias (http://unesp.technologypublisher.com/) geradas por intermédio de pesquisas feitas na instituição, disponíveis para licenciamento por meio de acordos de transferência de tecnologia.

O banco reúne 30 exemplos de tecnologias nas áreas de agropecuária, alimentos, energia, engenharia e instrumentação, meio ambiente, novos materiais, saúde humana, tecnologia da informação e veterinária, prontas para serem introduzidas no mercado.

“As tecnologias geradas na Unesp podem ser licenciadas por empresas para que a universidade complete seu papel no processo de estímulo à inovação tecnológica: transferir o conhecimento gerado em pesquisas, possibilitando a introdução de novos produtos e serviços no mercado”, disse Fabíola Spiandorello, gerente de propriedade intelectual da Auin.

Spiandorello participou, no dia 10 de abril, do “Diálogo sobre apoio para inovação na pequena empresa”, no auditório da FAPESP. Realizado em parceria com o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), o evento esclareceu dúvidas de representantes das empresas que apresentaram ou têm interesse em submeter projetos a uma nova chamada de propostas (http://www.fapesp.br/7606) lançada recentemente pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

A chamada visa apoiar o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores por empresas paulistas de acordo com as regras do PIPE, em todas as fases do programa.

Serão financiados projetos de pesquisa para inovação em todas as áreas do conhecimento. Podem participar da seleção como proponentes microempresas ou empresas de pequeno porte brasileiras, sediadas no Estado de São Paulo.

O prazo de execução do projeto deverá ser de até 24 meses, dependendo da fase de desenvolvimento em que ele se encontra. As propostas serão recebidas até 3 de maio.

Para facilitar a aproximação entre as empresas e os pesquisadores, a coordenação do PIPE tem convidado representantes das agências de inovação de universidades paulistas para as reuniões do programa a fim de que exponham suas ações.

Fonte: Agência FAPESP
Postar um comentário