segunda-feira, 18 de março de 2013

Alimentação feminina contribui para preservação do meio ambiente



Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Halle-Wittenberg, Alemanha, aponta que, se homens comessem como as mulheres, 15 milhões de toneladas de gás carbônico seriam economizados. Os resultados mostram ainda que, além da grande diferença entre os padrões de consumo entre os sexos, os hábitos masculinos ocasionam impacto de maior proporção para o aquecimento global.

O objetivo dos pesquisadores era quantificar as emissões relacionadas a alimentos de origem vegetal, tendo como base o fator sócio-demográfico da população avaliada. "Por serem produzidos com maior intensidade, diferentes alimentos de origem animal ou vegetal desempenham um papel relevante na avaliação dos impactos ambientais da nutrição humana", revela Toni Meier, chefe de pesquisas do Departamento de Agronomia Geral e Agricultura Orgânica da Universidade Martin Luther.

Segundo Meier, essas diferenças são causadas principalmente pela maior participação de produtos de carne na dieta habitual dos homens, enquanto quase a metade da dieta feminina é composta de frutas e legumes. Se os homens mudassem sua alimentação nesse sentido, haveria uma redução de 12% do CO2, 60 mil toneladas de amônia seriam emitidas a menos, e 94 milhões de metros cúbicos a mais de "água azul" (da torneira) ficariam disponíveis.

Brasil

Estudo realizado pela Universidade de São Paulo, publicado em dezembro de 2012, mostrou uma baixa qualidade da dieta masculina. O comportamento causou grande impacto ambiental no ano passado, estimado em 18 milhões de toneladas de equivalentes de CO2. O número representa cerca de 5% do total de CO2 emitido pela agropecuária brasileira em 2003.

A pesquisa apontou ainda que o consumo de carne aumentou cerca de 20% entre os entrevistados. A ingestão excessiva do alimento foi observada em quase 75% das pessoas e o tipo de carne mais consumido foi a bovina, seguida de aves, porco e peixe. Foi constatado ainda, de acordo com informações do portal Terra, que o consumo de carne processada, como presunto, toucinho e linguiça, está crescendo, principalmente entre os adolescentes.

Especialistas da universidade brasileira alertam que as carnes são boas fontes nutricionais, porém devem ser consumidas com moderação. O consumo excessivo de carne vermelha pode aumentar o risco de câncer de cólon e reto, doenças cardiovasculares, diabetes e excesso de peso.

Fonte: Terra
Postar um comentário