quinta-feira, 29 de novembro de 2012

DOUTORADO EM BIOLOGIA CELULAR UFMG



O Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG está, até o dia 04 de fevereiro de 2013, com as inscrições abertas para seleção de candidatos ao Doutorado.

A primeira etapa do processo seletivo ocorrerá entre os dias 18 e 20 de fevereiro de 2013.

As inscrições deverão ser feitas online no site do Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular, no endereço eletrônico: http://www.pgbiologiacelular.icb.ufmg.br .

Mais informações:

Mestrado Profissional em Inovação Biofarmacêutica



O curso de Mestrado Profissional em Inovação Biofarmacêutica do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG está com as inscrições abertas, até o dia 20 de dezembro de 2012.

Serão oferecidas 30 vagas para ingresso no primeiro semestre de 2013.

A seleção dos candidatos será realizada no período de 04 a 08 de fevereiro de 2013, em local a ser divulgado.

As inscrições poderão ser feitas na Secretaria do Programa, localizada no Departamento de Fisiologia e Biofísica (Bloco B, sala 244, na Av. Antônio Carlos, 6627, Belo Horizonte – MG), de 2a a 6a feira, exceto em feriados e recessos acadêmicos, no horário de 8h30 às 12h30. 

Serão também aceitas inscrições pelo Correio.

Mais informações:
inovacaobiofar@icb.ufmg.br

Vaga para Biólogo em Goiânia - GO



O Laboratório DNA VIDA (www.dnavida.com.br), sediado em Goiânia (GO), irá contratar Biólogo com título de Mestre ou Doutor na área de Genética ou Biologia Molecular ou área correlata e experiência comprovada em rotina laboratorial com exames de paternidade por DNA e área forense.

Os interessados devem enviar currículo para o e-mail rh@dnavida.com.br, até o dia 15 de janeiro de 2013.

O salário é a combinar.

Novas espécies de caranguejeiras são descobertas no Brasil



O corpo pequeno e coberto por pelagem rosada da Typhochlaena amma lembra muito pouco a imagem típica das aranhas caranguejeiras – conhecidas por serem grandes, peludas e assustadoras.

Com delicadas pintas em tons de amarelo, azul e rosa sobre o dorso marrom escuro, a Typhochlaena costae tampouco se parece com as aranhas gigantes que normalmente são vistas em filmes de terror.

Essas e outras sete espécies de caranguejeiras arborícolas foram recentemente descobertas no Brasil pelo pesquisador Rogério Bertani, do Laboratório Especial de Ecologia e Evolução do Instituto Butantan.

A pesquisa, realizada entre 2004 e 2008 deu origem a um artigo de 94 páginas publicado em edição especial do periódico ZooKeys, em outubro.

Ainda dentro do gênero Typhochlaena, Bertani também descreveu pela primeira vez a T. curumim e a T. paschoali. Do gênero Iridopelma, o pesquisador descreveu a I. katiae, a I. marcoi, a I. oliveirai e a I. vanini. Do gênero Pachistopelma, foi descrita a P. bromelicola.

As espécies são encontradas na região de Mata Atlântica e Cerrado nos estados do Pará, Tocantins, Paraíba, Maranhão, Piauí, Sergipe, Espírito Santo e Bahia. A análise também permitiu ao pesquisador redescrever algumas espécies previamente identificadas, como a T. seladonia e a I. hirsutum.

Embora para muitas pessoas as caranguejeiras sejam assustadoras por causa do tamanho – que pode chegar a 26 centímetros da ponta da perna anterior à ponta da perna posterior –, seu veneno é inofensivo para os humanos.

Estima-se que existam 2,7 mil espécies no mundo – 300 já foram descritas no Brasil. O país tem a maior fauna de grandes caranguejeiras, com cerca de 200 espécies. A maioria vive em tocas no chão, mas existem espécies arborícolas na Ásia, na África e, principalmente, nas Américas.

Fonte: Agência Fapesp

9º Fórum de Microbiologia



A Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Jaboticabal, realizará nos dias 04 e 05 de dezembro o 9º Fórum de Microbiologia.

As inscrições para interessados em apresentar trabalhos devem ser feitas até o dia 30 de novembro, pelo e-mail forumicrofcav@gmail.com.br.

Para inscrição é necessário enviar o resumo do trabalho, ficha e comprovante de pagamento de inscrição. Para efetuar a submissão do trabalho, ao menos um autor deve estar inscrito no Fórum.

As normas para inscrições, envio do resumo, apresentação de pôster e informações adicionais podem ser obtidas em: www.fcav.unesp.br/Home/forummicro.pdf

Processo Seletivo UFSJ (01 vaga para Professor de Biologia)


Encontram-se abertas as inscrições para o processo seletivo da UFSJ, Universidade Federal de São João Del-Rei, cuja objetividade é de contratar professor substituto em caráter temporário.

O edital 094/2012 da UFSJ apresenta uma vaga de emprego, a qual suprirá a falta de professor no Departamento de Química, Biotecnologia e Engenharia de Bioprocessos.

O vencimento varia conforme titulação: R$3.137,18 (mestrado) ou R$4.472,00 (doutorado).

As inscrições permanecerão abertas até o dia 10 de dezembro de 2012. Para se inscrever os candidatos deverão comparecer no Departamento de Química, Biotecnologia e Engenharia de Bioprocessos (Rodovia MG-443, km 7, Fazenda do Cadete), das 14h às 18h.

Mais informações:

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Parceria do CRBio04 com Space4me




O CRBio04 firmou uma parceria com o escritório Space4me. 

Agora, Biólogos possuem o benefício de 10% de desconto de todos os serviços praticados pelo Coworking, sob apresentação da carteirinha do Conselho. 

A Space4me tem como público-alvo pequenos empresários, free-lancers, prestadores de serviços, consultores e de startups que precisam de um espaço comercial para formalizar sua empresa. 

O escritório, localizado em Belo Horizonte/MG (Av. Bias Fortes, 803, Sala 402, Lourdes), conta com toda infra-estrutura necessária para o bom funcionamento de uma empresa com baixo custo operacional. 

Mais informações:

Estudo acha vida em salmoura isolada por 20 m de gelo na Antártida



Poucos ambientes parecem menos promissores para a vida do que uma salmoura resfriada a -13 graus Celsius, mas um ambiente desse tipo é lar de uma diversificada comunidade de bactérias no interior da Antártida.

Mais intrigante ainda, esse ecossistema improvável parece estar isolado de fontes externas de energia e nutrientes há pelo menos 3.000 anos, afirmam os cientistas americanos que o exploraram pela primeira vez em artigo na revista científica "PNAS".

Alison Murray e seus colegas do Centro de Pesquisas do Deserto em Reno (sudoeste dos EUA) acharam as bactérias depois de cuidadosas perfurações no manto de pelo menos 20 m que recobre o lago Vida (veja mapa abaixo).

Não se sabe exatamente a profundidade do lago. Também não está claro se, abaixo da grossa camada de gelo, existiria algo parecido com uma lagoa líquida.

O que dá para dizer é que, abaixo de certa profundidade, a placa sólida de gelo começa a dar lugar a uma rede de canais por onde corre a salmoura onde vivem as bactérias do lago.

O líquido não congela totalmente, mesmo com a temperatura bem abaixo de zero, por causa da elevada quantidade de cloreto de sódio (o popular sal de cozinha) dissolvida nele. Por causa disso, essa água é seis vezes mais salgada que a do mar.

Levemente amarelo, o líquido contém tanto ferro que fica laranja-escuro quando exposto à atmosfera (dentro do lago, praticamente não existe oxigênio). Também há elevadas quantidades de enxofre e nitrogênio ali.

Mesmo assim, análises de DNA e observações de amostras da salmoura feitas com microscópios revelaram a presença de exemplares de pelo menos oito filos bacterianos (um filo é um agrupamento que reúne grande diversidade de espécies; o dos cordados, por exemplo, abrange todos os vertebrados, do homem aos peixes).

Tudo indica que várias dessas espécies nunca foram detectadas antes. Há sinais de que elas estão sobrevivendo em "marcha lenta" desde que ficaram isoladas ali -sem uma explosão populacional, mas mantendo seu metabolismo numa taxa baixa e relativamente constante.

O mistério é como elas estariam fazendo isso. Uma possibilidade é que estejam se aproveitando, por exemplo, do hidrogênio produzido pelas rochas da região, em contato com o lago,
para produzir alguma energia.

Vai ser preciso mais trabalho para entender o que está ocorrendo no lago Vida, mas a descoberta já dá fôlego a uma busca bem mais ampla: a caçada por micróbios durões fora do nosso planeta.

É que as condições do lago antártico não são tão diferentes assim das que existem em oceanos congelados de locais como Europa, uma das luas de Júpiter.

Fonte: Folha Online

Curso Introdução à Herpetologia



Nos dias 02 e 03 de março de 2013, será realizado o curso Introdução à Herpetologia.

As aulas serão ministradas pelo Prof. Dr. Vinícius Xavier da Silva, na Reserva Privada Fazenda Lagoa - Monte Belo/MG (sul de MG, próximo a Alfenas/MG).

O curso será formado de parte prática e teórica.

Mais informações:

XIII Curso de Verão: Genoma, Proteoma e o Universo Celular



O “XIII Curso de Verão: Genoma, Proteoma e o Universo Celular” do Centro de Terapia Celular será realizado no Hemocentro de Ribeirão Preto, no período de 21 a 26 de Janeiro de 2013.

O objetivo do curso é oferecer aos alunos universitários de diferentes cursos das áreas de Biológicas, Saúde e Engenharia Química a oportunidade de conhecer as diversas linhas de pesquisa do Centro de Terapia Celular. O curso fornecerá embasamento teórico e prático para alunos interessados em ingressar em programas de pós-graduação nas áreas abordadas pelo curso.

O curso compreende 40 horas totais, sendo 20 horas de aulas teóricas e 20 horas de aulas práticas. As aulas teóricas ocorrerão no período da manhã e serão oferecidas a todos os alunos. No período da tarde, os alunos serão agrupados em 11 minicursos, que constarão diferentes aulas práticas.

Mais informações:

Lançamento do Livro Prof. Célio Vale

(clique na imagem para amplia-la)

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Concurso Público Funbosque Belém - PA (02 vagas para Professor)


A Fundação Centro de Referência em Educação Ambiental Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira (Funbosque), em Belém, divulgou edital destinado a concurso público.

O cargo Professor de Biologia/Ciências possui 02 vagas em aberto.

O salário base é de R$1.492,80 , mas existe Gratificação EB, correspondente a 80% do vencimento.

As inscrições podem ser feitas até o dia 07 de janeiro de 2013 pelo site www.cetapnet.com.br .

A prova objetiva será aplicada na data provável de 3 de fevereiro de 2013, em Belém. 

Ainda haverá análise de títulos para os cargos de nível superior.

Mais informações:

Concurso Público Vespasiano - MG (06 vagas para Professor)


A Prefeitura de Vespasiano (MG) abriu concurso público para provimento de vagas. 

O cargo Professor II de Ciências possui 06 vagas disponíveis.

O vencimento é de R$1.106,40, para uma jornada de trabalho de 25 horas semanais.

Os candidatos podem se inscrever até o dia 26 de dezembro de 2012 pelo site www.seapconcursos.com.br   .

A prova objetiva está prevista para os dias 26 e 27 de janeiro de 2013.

Mais informações:

Concurso Público Ministério Público do Estado do Acre (01 vaga para Biólogos)


O Ministério Público do Estado do Acre divulgou edital de concurso público para 150 vagas em cargos de nível superior. 

O cargo Analista Pericial - Biologia possui 01 vaga em aberto.

O salário é de R$3.500.

Os candidatos podem se inscrever até o dia 31 de janeiro de 2013, através do site www.concursosfmp.com.br .

As provas objetivas serão aplicadas em Brasiléia, Sena Madureira, Feijó, Tarauacá, Rio Branco e Cruzeiro do Sul, todos no Estado do Acre. Ainda haverá prova de redação. A data ainda será divulgada.

Mais informações:

IETEC oferece curso de Administração de Resíduos Sólidos Industriais



Administração de Resíduos Sólidos Industriais será o curso oferecido pelo IETEC nos dias 10 e 11 de dezembro. 

O objetivo é fornecer informações essenciais para a gestão dos resíduos industriais dentro de sua empresa. Também visa capacitar profissionais a desenvolver uma estratégia de gestão ambiental. Podem participar gerentes de produção, engenheiros sanitaristas, profissionais envolvidos no processo produtivo da indústria, gerentes de manutenção e de segurança.

O curso acontecerá das 8h30 às 17h30, na sede do IETEC (Rua Tomé de Souza, 1065, Savassi, Belo Horizonte - MG). 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 3223-6251 e (31) 3116-1000, e pelo e-mail cursos@ietec.com.br

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Processo Seletivo IFTO Palmas (03 vagas para Professor Temporário)


Estão abertas as inscrições para o processo seletivo (Edital 029/2012) do IFTO, Instituto Federal do Tocantins, cuja finalidade é contratar professores temporários para o Campus de Palmas.

Existem 03 vagas para a área de Meio Ambiente.

Os admitidos farão jus aos salários que poderão chegar ao teto de R$3.825,89.

Para se inscrever os candidatos deverão se deslocar até o Campus de Palmas do IFTO (Quadra AE 310 Sul, Avenida NS-10, esquina com Avenida LO-05, sem número, Plano Diretor Sul), das 8h às 12h e das 14h às 18h, até o dia 30 de novembro de 2012.

O IFTO prevê que a prova didática seja aplicada no dia 08 de dezembro de 201.

Mais informações:

Aberto à sociedade, Prêmio Hugo Werneck acontece na próxima quarta-feira (28)



A terceira edição do "Oscar da Ecologia" - Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza - acontece na próxima semana, quarta-feira (28). Aberta ao público, a solenidade, segundo os promotores, contará com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e representantes do governo estadual. 

Após avaliação dos membros do Comitê de Pré-Seleção e da Comissão Julgadora, foram selecionados três finalistas para cada uma das oito categorias, conforme os critérios estipulados no regulamento: efetividade; impactos social, cultural e ambiental; potencial de difusão; adesão e participação social; originalidade; qualidade e amorosidade.

Dentre os concorrentes ao prêmio de Melhor exemplo em Água, está Antônio  Augusto, o "Tonhão", (diretor do Parque Estadual do Rio Preto) . Para Dalce Ricas, superintendente da Amda, homenagear Tonhão é homenagear as dezenas de guardas parques que, longe do urbano, são guardiões da água e da biodiversidade. "O que Tonhão e sua equipe fazem só se explica por uma verdadeira identificação emocional com a natureza. Tenho certeza de que o rio Preto e todos os seus afluentes que nascem no Parque, que leva o mesmo nome, sabem que ele é seu grande guardião", relata.  

Já na premiação Melhor Empresa, disputa a Usina Cururipe. Desde 1998, ela utiliza colheita mecanizada em 95% de sua área de plantio de cana-de-açúcar, evitando assim os pavorosos incêndios que ainda são praticados. Outras ações como proteção/preservação rigorosa de Áreas de Preservação Permanente (APPs), inteiração sócio/ambiental com as comunidades de entorno através de ações educativas e projetos de inclusão econômica, manutenção da Reserva Particular do Patrimônio Natural de Porto Cajueiro, derivam da postura de responsabilidade assumida por seus dirigentes. "Trata-se de demonstração prática de conciliação entre atividades econômicas e proteção do meio ambiente, sob princípios éticos", diz Dalce.

O Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza, foi criado em 2010  por iniciativa da Revista Ecológica, publicada pelo jornalista Hiram Firmino, há longos anos identificado com a causa ambiental.

Os interessados em participar do evento, que acontece no Teatro do Sesc Palladium, às 19h, devem confirmar presença através do e-mail contato@premiohugowerneck.com.br ou pelo telefone (31) 3481-7755.

Fonte: AMDA

Iniciativa brasileira pretende clonar animais ameaçados de extinção



Um projeto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) pode resultar na primeira clonagem de animal silvestre no país. A ideia é trabalhar com espécies ameaçadas de extinção, como lobo-guará, onça-pintada e veado-catingueiro.

A iniciativa é feita em parceria com o Jardim Zoológico de Brasília, destino final dos animais clonados. O projeto ainda depende da aprovação do departamento jurídico da Embrapa e não tem prazo de conclusão.

Carlos Frederico Martins, pesquisador do Embrapa, conta que há dois anos são realizadas coletas de material genético de animais do Cerrado mortos em acidentes rodoviários ou em zoológicos. Agora, a ideia é armazenar dados de animais de outros biomas e faunas exóticas para inseminação artificial e clonagem. "Já temos a tecnologia para fazer a clonagem de bovinos. Agora, queremos transferi-la para a clonagem de animais silvestres, estudando-a em bichos em que ela nunca foi usada", pontua. Contudo, mesmo em bovinos, Martins alerta que a técnica às vezes é ineficiente e que a aplicação desses métodos em animais silvestres ainda é pouco conhecida.

O Zoológico de Brasília criará um laboratório para dar prosseguimento aos estudos da Embrapa. Ambas as instituições captarão recursos para o projeto. O pesquisador informa que a clonagem de um bovino pode custar de R$ 30 mil a 50 mil, mas ainda não sabe se os valores serão os mesmos para animais silvestres.

A superintendente do Zoológico, Juciara Pelles, espera que em três meses a documentação esteja pronta para dar início ao projeto. Concluída a aprovação em seu departamento jurídico, a Embrapa ainda buscará o aval do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para utilizá-las.

Fonte: Ambiente Sustentável

Concurso Público Compesa – PE (01 vaga para Biólogos)


A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), disponibilizou o edital de abertura do concurso público, o qual tem como finalidade contratar profissionais para o preenchimento do quadro de servidores efetivos da empresa.

Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição no período de 26 de novembro a 16 de dezembro de 2012.

O cargo Biólogo possui 01 vaga em aberto. A remuneração é de R$3.307,80.

A prova objetiva está prevista para ser aplicada dia 27 de janeiro de 2013, em Recife e cidades da Região Metropolitana.

Informações e inscrições:

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Mestrado em Fisiologia e Farmacologia



O Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Fisiologia e Farmacologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG abriu as inscrições para para a seleção de candidatos ao Mestrado.

Serão oferecidas 15 vagas para ingresso no primeiro semestre de 2013.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 20 de dezembro, na Secretaria do Programa, localizada no Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG (Bloco A, sala 171, na Av. Antônio Carlos, 6627, Campus Pampulha. BH/MG).

Também serão aceitas inscrições enviadas pelo Correio, unicamente por SEDEX.

Mais informações:
(31) 3409-2923; 

II Curso de Férias da Pós-Graduação em Biologia Celular



O Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular da Universidade Federal de Minas Gerais tem o prazer de convidá-lo a participar do “II Curso de Férias: Atualização e Aplicação em Biologia Celular” com o tema “Vida e Morte Celular”.

O curso é teórico prático e será realizado no Instituto de Ciências Biológicas – Campus UFMG entre os dias 28 de janeiro e 01 de fevereiro de 2013. O público alvo é formado por profissionais de ensino médio e graduandos das áreas biológicas e de saúde interessados em se atualizar em temas relevantes da Biologia Celular.

As inscrições serão realizadas no site http://www.pgbiologiacelular.icb.ufmg.br a partir de 1º de dezembro.

As inscrições se encerram no dia 07 de janeiro de 2013 e as vagas são limitadas.

Mais informações:
paula.suzanna@yahoo.com.br

Fórum Mundial de Ciência 2013



Manaus receberá, de 28 a 30 de novembro, a terceira reunião preparatória para o Fórum Mundial de Ciência 2013. O encontro será no Auditório da Ciência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

O encontro será realizado em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas e com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, coordenadora do evento.

Pesquisadores e especialistas de diversas áreas e representantes do poder público se reunirão para debater temas importantes ligados à “Diversidade tropical e ciência para o desenvolvimento”.

Entre os assuntos definidos para o encontro estão “Ciência para o uso de recursos naturais tropicais”, “Educação e Cultura para a formação de cientistas e inovadores nos trópicos”, “Ética e Ciência na fronteira do conhecimento” e “Ciência para a saúde em regiões tropicais”.

O primeiro Encontro Preparatório para o Fórum Mundial de Ciência 2013 ocorreu em agosto na sede da FAPESP, em São Paulo, e o segundo em Belo Horizonte. O Fórum será realizado em novembro de 2013 no Rio de Janeiro. Estão previstos mais quatro reuniões preparatórias, em Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

O Fórum Mundial de Ciência 2013 é organizado mundialmente pela Academia de Ciências da Hungria em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o International Council for Science (ICSU), a American Association for the Advancement of Science (AAAS), a Academy of Sciences for the Developing World (TWAS), o European Academies Science Advisory Council (Easac) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC).

A entrada é franca.

As inscrições para os encontros preparatórios podem ser realizadas em: http://fmc.cgee.org.br

Processo Seletivo UFV (01 vaga para Professor)


A Universidade Federal de Viçosa (UFV) lançou o edital 152/2012 que visa contratar professor substituto para a área de Patologia Geral e Fisiologia Humana.

A lotação é no Campus de Rio Paranaíba. A remuneração é de R$2.274,28.

Para se inscrever os candidatos deverão comparecer na Secretaria da Comissão Permanente de Pessoal Docente ou em um dos escritórios da reitoria em Brasília ou Belo Horizonte. 

O prazo de inscrição até o dia dia 28 de novembro de 2012, das 8h às 11h e das 14h às 17h.

O processo seletivo será composto de: prova didática, entrevista e análise curricular.

Mais informações:

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Convite Convite: Reunião com o Secretário de Meio Ambiente



Exposição irregular à luz pode desencadear depressão, diz estudo



Expor-se continuamente à claridade durante a noite pode levar à depressão e afetar as funções cognitivas. Isso ocorre mesmo em situações em que o sono permanece inalterado. A exposição irregular à luz faz com que as células fotossensíveis dos olhos estimulem o sistema límbico do cérebro, responsável por emoções, memória e aprendizado, quando a região deveria estar em repouso.

A descoberta, feita pela Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, foi publicada hoje na revista Nature. Para chegar ao resultado, pesquisadores expuseram um grupo de camundongos a um ciclo contínuo de 3h30 de claridade e 3h30 de escuridão. Já o grupo controle foi submetido ao ciclo claro/escuro natural: 12 horas de luz acessa e 12 horas de luz apagada.

Em seguida, os animais foram submetidos a vários testes capazes de revelar sinais de depressão. A conclusão foi que aqueles que receberam a exposição irregular tiveram alterações no humor, comportando-se de forma depressiva, e no processo de aprendizado.

Estudos anteriores já tinham relacionado alterações do sono e mudanças no ritmo circadiano - ciclo de 24 horas que determina as atividades do organismo - ao surgimento da depressão. A novidade é descobrir que a exposição irregular à luz, por si só, é diretamente responsável por esse efeito deletério, mesmo quando as horas de sono são as mesmas.

O biólogo Samer Hattar, principal autor do estudo, afirma que os humanos têm na retina o mesmo tipo de célula que os camundongos: as células ganglionares intrinsecamente fotossensíveis, que reagem à presença de luz mesmo em períodos de sono. Por isso, os resultados sugerem que humanos podem reagir da mesma forma que camundongos nesse tipo de situação.

"Queremos entender o que acontece com pessoas que trabalham em turnos alternativos ou são expostas a dias curtos, nos países nórdicos, por exemplo", diz Hattar. A mesma lógica seria aplicável a pessoas que trabalham no computador ou iPad e são expostas a situações de muita claridade à noite em casa.

Para o biólogo Mario Pedrazzoli Neto, professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP (EACH), a descoberta é relevante e pode chamar a atenção do público e das agências de saúde para o fato de que o ciclo claro/escuro é mais importante do que se pensava para  a saúde humana. "Portanto, a exposição incomum a esse ciclo, como o trabalho noturno, o adolescente que entra cedo na escola e o horário de verão podem ter consequências inesperadas à saúde." Ele acrescenta que é preciso criar políticas públicas que protejam os indivíduos dessa exposição deletéria.

Os resultados podem levar ao desenvolvimento de novos tratamentos. De acordo com Pedrazzoli, a aplicação ainda é incipiente, mas já existem tentativas de tratar casos específicos de depressão com luzes extremamente brilhantes em determinadas horas do dia que têm apresentado resultados razoáveis.

Segundo a biomédica Camila Hirotsu, doutoranda do Instituto do Sono, uma estratégia possível seria usar essas células da retina como alvo para bloquear sua ação e inibir toda a cadeia que leva à depressão. Ela ressalta, no entanto, que os casos de depressão costumam estar relacionados a múltiplos fatores, além da questão da luz.

Fonte: Estadão

É o auge do período reprodutivo', diz biólogo sobre insetos na primavera



Mesmo com as temperaturas altas ainda é primavera e a estação, conhecida como a das flores, também poderia ser lembrada como a dos insetos. Apesar de incomodarem em algumas situações os isentos não devem ser mortos, apenas capturados e soltos. Eles são importantes para o funcionamento de diversos ecossistemas porque são utilizados como alimento por vários animais, pássaros e peixes.

Nessa época do ano, alguns insetos que são grandes polinizadores das flores, aparecem em grande quantidade. “É uma explosão de vida, o auge do período reprodutivo. Devido às altas temperaturas e a baixa umidade vai acontecer a reprodução”, explicou o biólogo Marco Túlio de Freitas.

Além dos insetos que causam tanto incômodo nessa época do ano outro fato que marca a primavera é o canto das cigarras. “Quem canta é o macho justamente para atrair a fêmea e há uma disputa de quem canta mais alto, por isso, a gente ouve tanto barulho”, disse Marco Túlio.

O gestor ambiental Paulo Henrique Lopes reproduziu um projeto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que captura os insetos e deu certo. Com açúcar mascavo, fermento biológico e água ele montou em uma garrafa pet uma espécie de armadilha. É preciso escurecer o pote e os insetos ficarão presos. “Você coloca o fermento biológico, o açúcar mascavo e o inseto é atraído porque o fermento exala CO2. Quando ele é atraído, fica preso no melaço e não consegue sair porque ele também perde o senso de direção porque você veda a garrafa”, explicou Paulo.

Mas outras alternativas podem ser ainda mais fáceis para a dona de casa. “É muito comum usar vela de andiroba, casca do abacaxi e da laranja, que também emitem cheiro que atrai os insetos”, disse o gestor ambiental.

Desde que os insetos começaram a aparecer na casa da aposentada Divina Carvalho o sossego foi embora. Os bichos estão por toda casa e são muitos. “Escureceu que seja, acendeu a lâmpada, eles aparecem e ficam a noite inteira fazendo barulho, ferroando as crianças”, contou Divina. A neta de apenas dois anos foi picada na perna por um deles. Por precaução a avó levou a criança ao médico. “Ela chorou e eu ficava procurando até que eu vi os bichos grudados na perninha dela”, disse.

Fonte: G1

01 vaga na área de Bioespeleologia



A Carste (www.carste.com.br) está com 01 vaga de trabalho em aberto na área de Bioespeleologia.

O local de atuação é em Belo Horizonte (MG).

O candidato deve ter disponibilidade de viagem para diferentes estados do Brasil e trabalho em fins de semana e/ou feriados. 

O profissional irá executar trabalhos de campo e laboratório. No campo irá atuar em ambiente de caverna, através da coleta de animais vertebrados (morcegos) e invertebrados. No laboratório este profissional irá triar os materiais coletados (invertebrados), colocando-os em ordem e fazer a identificação dos mesmos. Também será responsável pela tabulação de dados em planilhas, que contribuirão para o relatório de relevância. 

É necessário experiência com zoologia de invertebrados. Também é desejável experiência com espeleologia (estudo de cavernas), especialização em invertebrados e ter CNH B (mínimo 2 anos de carteira).

Terão preferência candidatos com experiência na direção de veículos 4x4, como picapes e caminhonetes. 

Interessados devem enviar currículo (com o nome da vaga no assunto) para o setor de Recursos Humanos aos cuidados de: camila.alves@carste.com.br, até o dia 12 de dezembro.

Livro Unidades de Conservação no Brasil



Em 2007 o CRBio4 apoiou o lançamento do livro Unidades de Conservação no Brasil: da República à gestão de Classe Mundial. A publicação foi escrita com extremo rigor técnico e científico pelo biólogo Marcos Antônio Reis Araujo.

Em 2012, o livro foi atualizado e ampliado sendo lançado com o nome "Unidades de Conservação no Brasil: o caminho da gestão para resultados", tendo como organizador o Núcleo para Excelência em Unidades de Conservação (NEXUCs), do qual o biólogo Marcos foi um dos fundadores e membro ativo da equipe até julho de 2012.

Para facilitar a aquisição de material tão valioso para biólogos, que atuam nos mais distintos campos das ciências ambientais, a editora decidiu dar desconto de 30% para todos os que adquirirem o livro através do link: http://www.livrariarima.com.br/Default.asp?Menu=ProdutoDetalhes&ProdutoID=2333413

Pesquisa revela eficiência do angico vermelho para descontaminar áreas com alta concentração do semimetal



A árvore conhecida como angico vermelho (Anadenantera peregrina) é capaz de recuperar solos em áreas ­contaminadas com arsênio, conclui estudo desenvolvido por pesquisadores do Laboratório de Interação Microrganismo-Planta e Recuperação de Áreas Degradadas, do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. Desde 2006, a equipe tem se dedicado a um projeto de recuperação da Bacia do Rio das Velhas, que nasce em Ouro Preto e deságua no São Francisco. Um dos afluentes do rio é o córrego Água Suja, que corta o município de Nova Lima.

Tanto a água quanto o solo dessa região apresentam altos índices de arsênio devido à atividade mineradora praticada no local desde o século 19. Ao observar que o angico vermelho era uma das poucas plantas capazes de crescer no ambiente, o grupo se dedicou a investigar as propriedades do vegetal, que se revelou capaz de sequestrar o arsênio presente no solo.

A exploração da área banhada pela Bacia do Rio das Velhas incluiu viagens de avião, de helicóptero, de barco e a pé, a fim de se fazer um levantamento dos problemas ambientais enfrentados na região. Em Nova Lima foram detectados lugares com vegetação escassa, onde se observavam apenas plantas herbáceas – que não são capazes de conter a erosão nas margens de um rio. A mata ciliar do córrego Água Suja apresentava poucos exemplares de árvores esparsas, em meio a grandes extensões de solo nu. A pífia vegetação era ineficaz para drenar a água no leito maior – região do entorno de um rio também chamada de “área de inundação” –, o que propiciava processos erosivos.

Ao investigar os problemas ambientais encontrados, a equipe deparou com o histórico de mineração do município. A extinta mina de Morro Velho, que durante quase um século havia retirado ouro no local, acumulou resíduos da atividade extrativista, formando taludes que perduram até hoje. “O depósito era feito na zona rural, mas a cidade cresceu e englobou a área de resíduos”, observa a coordenadora do projeto, Maria Rita Scotti Muzzi.

Coordenadora da linha de pesquisa Recuperação de Áreas Degradadas, dos programas de pós-graduação em Biologia Vegetal e em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre, do ICB, a bióloga salienta que é comum haver alta concentração de arsênio em locais onde há extração de ouro. “Quando o ouro está presente na rocha sedimentar, provavelmente o arsênio também está”, ressalta. “As escavações de túneis liberam ambos os materiais e o arsênio, livre, é volatilizado ou levado pela água, contaminando os peixes, os solos e as plantas da região.”

Intoxicação

A análise do solo feita pela equipe ao longo de quase 200 metros da extensão inicial do córrego revelou que a concentração de arsênio variava de 200mg/kg a 27.500mg/kg, enquanto a quantidade do material considerada aceitável é de cerca de apenas 50mg/kg. Os sintomas da intoxicação vão desde doenças dermatológicas até complicações neurológicas e câncer. Segundo Maria Rita, há relatos sobre trabalhadores da mina de Morro Velho que perderam o septo nasal devido ao contato com a substância. “O que acontece naquela região é um problema muito grave”, alerta. “As plantas absorvem o arsênio, que é levado até as folhas e os frutos que servirão de alimento a pessoas e animais da região.”

O desafio da equipe de pesquisadores era encontrar plantas capazes de sugar a substância e armazená-la na raiz. “A maioria das espécies descritas na literatura científica como sequestradoras de arsênio são ‘hiperacumuladoras’, isto é, transferem o material para as folhas. Esse é o caso da samambaia, por exemplo”, revela Maria Rita. Entretanto, para descontaminar o solo e recuperar a área, os biólogos precisavam encontrar plantas capazes de reter e acumular a substância apenas nas raízes, pois, se houver arsênio nas folhas, o solo será novamente contaminado quando elas caírem. Além disso, as espécies selecionadas deveriam ser necessariamente arbóreas, uma vez que a proposta era recuperar a mata ciliar – que não pode ser formada por vegetação herbácea, incapaz de conter a erosão.

Testes

Foram testadas em torno de 25 espécies, das quais apenas três se revelaram apropriadas para o objetivo. Uma delas foi o angico vermelho. Figurando entre as poucas árvores que conseguiam se desenvolver nas áreas mais contaminadas, a planta se revelou tolerante ao material. A partir de experimentos, observou-se que ela era capaz de sequestrar grandes quantidades de arsênio sem transportá-lo para a parte aérea – e a introdução de fungos micorrízicos nas raízes otimizava esse processo, duplicando os níveis de absorção.

Financiado pelo Ministério do Meio Ambiente, o projeto produziu mudas em estufa, que foram plantadas em 2008 em Nova Lima, especialmente às margens do córrego, numa estratégia para impedir que o arsênio atingisse a água. Passados quatro anos, diversas espécies sensíveis à substância já ocupam o espaço onde, antes, havia apenas solo nu. A mudança na paisagem confirma a eficácia da estratégia. “A sobrevivência de outras plantas próximo aos exemplares de angico indica que a árvore está, de fato, descontaminando o solo”, comemora a coordenadora. O próximo passo do projeto será testar o mulungu, outra espécie vegetal que, segundo pesquisas do grupo, tem potencial para absorver arsênio.

Perigo invisível

Incolor, inodoro e insípido, o arsênio é um semimetal pesado altamente tóxico, encontrado na água, em rochas e até em meteoritos. Em casos menos graves, a contaminação provoca lesões na pele que não cicatrizam. Em níveis mais elevados podem ocorrer gangrena, danos a órgãos vitais e câncer.

Há relatos de personagens históricos que teriam morrido em decorrência da intoxicação pela substância, entre eles Napoleão Bonaparte. A análise de amostras capilares do antigo imperador da França revelou concentração do material cerca de 100 vezes superior ao teor medido em fios contemporâneos.

Fonte: Boletim UFMG

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Concurso Público UFTM (05 vagas para Professores)


A UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro divulgou edital (81/2012) de concurso público destinado a contratação de Professores Doutores, vinculados ao instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação (ICENE).

Biólogos podem concorrer para as seguintes áreas de concentração: 

Botânica ou Biologia Vegetal ou Fisiologia Vegetal ou Ecologia;

Botânica ou Biologia Vegetal ou Sistemática Vegetal ou Geologia ou Paleontologia;

Anatomia ou Morfologia ou Fisiologia ou Saúde;

Microbiologia ou Parasitologia ou Imunologia ou Saúde;

Zoologia ou Biologia Animal ou Biologia Comparada ou Morfologia.

O local de atuação é em Uberaba (MG). A remuneração mensal é de R$7.627,02.

Será admitida inscrição somente via internet, no endereço eletrônico www.uftm.edu.br,  menu “CONCURSOS”, opção “CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE 3ºGRAU. entre os dias 12 e 16 de dezembro de 2012.

Mais informações:

Mestrado em Zootecnia - Produção Animal



O Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri-UFVJM, lançou edital destinado ao seu curso de Mestrado (2013), com área de concentração em Produção Animal.

As inscrições deverão ser feitas, presencialmente ou via Sedex, de 14 de janeiro a 06 de fevereiro de 2013.

A seleção dos candidatos será realizada nos dias 25 e 26 de fevereiro de 2013, a partir das 8 horas, na sala nº 2 do Prédio do Departamento de Zootecnia - Campus JK.

As aulas estão previstas para iniciar no dia 02 de maio de 2013.

Mais informações:

Curso de Legislação Ambiental



Legislação Ambiental é o próximo curso oferecido pelo IETEC, entre os dias 05 e 07 de dezembro. 

O objetivo é apresentar aos participantes uma visão geral da estrutura do sistema nacional e estadual de meio ambiente, além de apresentar e discutir os principais instrumentos da política ambiental  bem como sua aplicação nos empreendimentos. 

Poderão participar profissionais que atuam na área de meio ambiente e que necessitam aprofundar os seus conhecimentos sobre a legislação ambiental brasileira e mineira. O curso acontecerá das 8h30 às 17h30, na sede do IETEC (Rua Tomé de Souza, 1065, Savassi, Belo Horizonte - MG).

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 3223-6251 e (31) 3116-1000, e pelo e-mail cursos@ietec.com.br

Curso Preparatório para Concursos Públicos IFAR - IBAMA, DNIT, SAEB



O IFAR acaba de lançar cursos preparatórios para os concursos públicos do IBAMA (http://migre.me/bWKaE), DNIT (http://migre.me/bWK0j) e SAEB – BA (http://migre.me/bWJru).

O curso preparatório para o IBAMA é presencial, em Brasília (DF), mas também poderá ser feito à distância.

O IFAR ainda está com matrículas abertas para cursos EAD destinados a candidatos que farão o concurso do DNIT - área Ambiental e o concurso da SAEB – BA, Secretaria da Administração do Estado da Bahia.

Mais informações: (61) 3274-7777 / (61) 3224-6932, pelo site: ifar.virtual.org.br ou pelo e-mail vitorprofessor@yahoo.com.br

Concurso Público DNIT (25 vagas para a área Ambiental)


Estão abertas as inscrições para o concurso público do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT.

O cargo Analista em Infraestrutura de Transportes - Ambiental possui 25 vagas em aberto.

O local de atuação é em Brasília (DF).

A remuneração chega até R$7.815,81.

A inscrição será efetuada, exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.esaf.fazenda.gov.br, até o dia 30 de novembro de 2012.

Mais informações:

Encontro vai discutir técnicas de pesquisa em parasitologia



A aplicabilidade dos resultados e técnicas desenvolvidas nos estudos em parasitologia será o tema central da terceira edição do Encontro de Pesquisa em Parasitologia, que será realizado no campus Pampulha de 20 a 22 de novembro.

Palestras,conferências, mesas-redondas e apresentações de trabalhos vão abordar mais especificamente assuntos como a ecoparasitologia, parasitos de animais silvestres e helmitoterapia. 

O encontro vai acontecer no Centro de Atividades Didáticas 1 (CAD1).

Deputados prometem lutar por adoção do piso salarial para biólogos de Minas



A elaboração de um projeto de lei que trate da fixação de um piso salarial para os biólogos foi defendida na quarta-feira (14), em audiência pública da Comissão do Trabalho, da Previdência e da Ação Social. A proposta, do deputado Carlos Pimenta (PDT), recebeu apoio dos parlamentares presentes, entre os quais a presidente da comissão, deputada Rosângela Reis (PV), que se comprometeu a solicitar à assessoria técnica da Casa um estudo sobre o assunto.

A reunião foi convocada a requerimento do deputado Délio Malheiros (PV), com a finalidade de conhecer e discutir as pretensões profissionais dos biólogos que atuam no Estado, especialmente quanto à criação de um piso salarial para a categoria. Representantes das diversas entidades de classe denunciaram o baixo nível de remuneração e reivindicaram a valorização dos profissionais no serviço público e na iniciativa privada.

No Brasil, a profissão de biólogo foi regulamentada em 1979, mas não tem piso salarial fixado por lei. Em Minas Gerais, existem aproximadamente 10 mil biólogos profissionais. “Acreditamos que exista em Minas Gerais espaço para a fixação de um salário--mínimo dos biólogos”, disse o vice-presidente do Conselho Regional de Biologia da 4ª Região, Jefferson Ribeiro da Silva. Ele citou o exemplo do Rio de Janeiro, que recentemente aprovou lei com fixação de piso salarial para diversas categorias de nível superior, entre as quais a de biólogo.

Proposta

Com o objetivo de “dar o primeiro passo na discussão”, o diretor do Sind-Saúde, Felipe Iani, sugeriu o valor do salário-mínimo calculado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que é hoje de R$ 2.614. De acordo com a proposta, essa remuneração seria destinada ao biólogo júnior. Para o biólogo pleno, o diretor sindical defende seis salários-mínimos.

Segundo o deputado Délio Malheiros, no mundo atual, em que a profissão de biólogo é muito requisitada, não se justifica que esses profissionais recebam baixos salários. Para a deputada Rosângela Reis, é preciso buscar alternativas para a valorização da categoria, que contribui para a preservação da vida no planeta.

Carlos Pimenta defendeu a valorização dos profissionais de Biologia também dentro do sistema público de saúde. Bióloga de formação, a deputada Luzia Ferreira destacou que a profissão, hoje, ganhou novo status com a discussão ambiental, ecológica e genética.

Vídeo

A TV Assembleia fez uma matéria sobre a audiência pública que discutiu a regulamentação salarial dos biólogos no Estado.

Para visualiza-la, clique no link: http://migre.me/bWHDs

Fonte: Assembleia Informa

Processo Seletivo FUNED – MG (01 vaga para Biólogos)


Encontram-se abertas as inscrições para o Processo Seletivo da FUNED – MG, Fundação Ezequiel Dias, o qual prevê contratar servidores sob a égide do Regime Celetista (CLT).

As inscrições serão admitidas exclusivamente pelo endereço eletrônico www.funed.mg.gov.br, até o dia 22 de novembro de 2012.

O cargo Biólogo possui 01 vaga disponível e o salário base é de R$2.182,95.

O processo seletivo será composto pelas seguintes etapas: análise curricular, comprovação de documentos, entrevista.

Mais informações:

Processo Seletivo IFF (03 vagas para Professor)


Está disponível o edital de abertura do processo seletivo do IFF, Instituto Federal de Educação Fluminense, visando suprir a necessidade de professores temporários.

São 03 vagas para a área de Meio Ambiente.

O local de atuação é no Campos-Guarus e em Bom Jesus.

A remuneração é de R$2.894,29.

As inscrições deverão ser feitas pessoalmente, em dias úteis, no período de 21 a 29 de novembro de 2012, das 8h às 18h, em qualquer Campus do IFF (os endereços estão anexados no edital oficial).

O processo seletivo será composto de prova didática e análise curricular.

Conforme consta no calendário de execução da seleção, as provas estão previamente agendadas para os dias 18 e 19 de dezembro de 2012, com início às 9h.

Mais informações:

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Processo Seletivo CEFET – MG (03 vagas para Professor)


Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo do CEFET – MG, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, que necessita de Professores Temporários para atuação em diversas áreas do saber.

O edital 101/2012 tem a oferta de 03 vagas para Professor na disciplina de Biologia, no Campus de Belo Horizonte.

Os contratados deverão cumprir jornada de 40 horas semanais e as remunerações serão de acordo com a titulação do docente.

As vagas requisitam de profissionais com no mínimo graduação.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 25 de novembro de 2012, através do endereço www.cefetmg.br .

O processo seletivo constará de: prova didática, entrevista e análise curricular.

Mais informações:

Ministra cobra de países recurso por combate ao desmatamento



A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, diz que países não estão compensando as ações brasileiras de redução do desmatamento e de diminuição nas emissões de gases estufa. "O Brasil está fazendo muito sem ter o retorno que poderia ter. O Fundo da Amazônia só tem doação, até hoje, da Noruega, da Alemanha e da Petrobras, uma empresa brasileira que aloca recursos na Amazônia. Cadê os outros doadores?"

A expectativa é a de que a destinação de recursos a iniciativas contra desmatamento e de redução de emissões volte a ser discutida na 18ª Conferência das Nações Unidas para o Clima (COP18). O evento, que será realizado no fim deste mês no Catar, vai decidir sobre uma segunda etapa para o Protocolo de Quioto.

"O Brasil trabalha enquanto os ricos países desenvolvidos emitem? Isso vai aparecer no debate sobre a segunda rodada de compromissos do Protocolo de Quioto, mas vai ser definido de 2013 a 2015", explica, referindo-se ao período que vai anteceder o novo Acordo sobre Mudanças do Clima.

Para Izabella, o Fundo da Amazônia é o único mecanismo de Redução de Emissão por Desmatamento e Degradação (Redd) em prática que o governo reconhece. O fundo foi criado em 2008 para captar doações para investimentos em prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e para a conservação e o uso sustentável de florestas.

"O que adianta eu implantar mecanismos que, muitas vezes, depois, não são reconhecidos internacionalmente. Lembro que a conta tem de ser paga pelos países desenvolvidos que não estão reduzindo suas emissões na magnitude que deveriam", afirma, destacando poucas ações positivas como metas definidas por países da União Europeia e de alguns Estados norte-americanos.

Para o governo, ainda que o Brasil defina compromissos internamente, muitos precisam ter regulamentação internacional como no caso do Redd. O mecanismo, que tem sido o centro das polêmicas nas discussões sobre clima, funcionaria como uma compensação financeira para os países em desenvolvimento ou para comunidades desses países, pela preservação de suas florestas.

Fonte: Painel Florestal

Conhecimento não é fator determinante para formação de opinião sobre ciência



As pesquisas sobre percepção pública da ciência e tecnologia realizadas em diferentes países, incluindo o Brasil, com o objetivo de avaliar a opinião dos cidadãos sobre temas científicos e tecnológicos deparam com o desafio de explicar quais fatores influenciam atitudes, interesse e engajamento em relação a esses assuntos.

Isso porque, do conjunto de indicadores utilizados nessas pesquisas para analisar quais fatores são mais relevantes na formação de interesses e atitudes dos cidadãos sobre ciência e tecnologia – como renda, educação, idade e escolaridade –, nenhum deles consegue explicar minimamente a variabilidade das respostas.

“Tem alguma outra variável que não estamos medindo que determina o tipo de atitude das pessoas sobre ciência e tecnologia em geral”, disse Juri Castelfranchi, professor do Departamento de Sociologia e Antropologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), durante conferência sobre os desafios interpretativos e metodológicos para o estudo da percepção pública da ciência e tecnologia que proferiu no dia 27 de outubro no 2º Seminário Internacional Empírika.

Realizado nos dias 26 e 27 de outubro no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o evento integrou a programação da Feira Ibero-americana de Ciência, Tecnologia e Inovação (Empírika).

De acordo com Castelfranchi, um dos fatores que contribuem para a dificuldade de as pesquisas sobre percepção pública da ciência e tecnologia determinarem qual ou quais processos contribuem para a construção da opinião pública sobre o tema é que elas estão “baseadas na hipótese mal fundada e fundamentada de que as atitudes das pessoas em relação aos assuntos científicos e tecnológicos são moduladas pelo conhecimento que têm sobre esses temas”.

Tradicionalmente, segundo Castelfranchi, a maioria dos estudos realizados sobre o que faz com que as pessoas aceitem ou rejeitem a realização de uma pesquisa científica ou uma nova tecnologia focalizou o interesse, o conhecimento e as atitudes dos entrevistados em relação à ciência e tecnologia, baseado na ideia de que esses três aspectos estariam relacionados.

Dessa forma, as pessoas não interessadas teriam baixo nível de informação e tenderiam, em geral, a ter atitudes mais negativas em relação à ciência e tecnologia. Por outro lado, ao estimular o interesse dessas pessoas por temas científicos e tecnológicos seria possível melhorar o nível de conhecimento delas sobre essas áreas e, consequentemente, suas atitudes em relação à ciência e tecnologia se tornariam mais positivas.

Entretanto, pesquisas de campo demonstraram que essas premissas são falsas e que a situação real é muito mais complexa do que a defendida por esse modelo, que foi derrubado.

Em geral, de acordo com os resultados de estudos recentes na área, existe um grande interesse de boa parte da população sobre os temas de ciência e tecnologia, mas que não corresponde à busca de informação.

“Há grupos de público com baixa escolaridade, principalmente em países em desenvolvimento, que não conhecem e não buscam informação sobre ciência e que têm atitudes bastante positivas em relação à ciência e tecnologia”, disse Castelfranchi.

“Em contrapartida, alguns estudos detectaram que não é verdade que, ao aumentar o conhecimento, a atitude das pessoas se torna mais positiva. Em alguns casos ocorre o contrário, elas tendem a ser mais cautelosas e críticas”, disse.

Paradoxo do conhecimento versus atitude

Segundo Castelfranchi, um dos exemplos que ilustram essa suposta contradição, batizada de “paradoxo do conhecimento versus atitude”, é a questão dos transgênicos na Europa.

O continente, que é um dos que mais investem em ciência e tecnologia, decretou no início dos anos 2000 uma moratória contra os alimentos transgênicos após intensos debates entre segmentos da sociedade favoráveis e outros contrários à tecnologia, baseados no apelo emocional e argumentos mais de cunho econômico e político do que científico.

Uma pesquisa realizada em 1998 e replicada em 2010 em toda a Comunidade Europeia sobre o conhecimento e atitudes dos europeus em relação a aplicações biotecnológicas, incluindo alimentos e vacinas transgênicas, apontou que o fator risco não era determinante para a rejeição ou não da população à nova tecnologia.

Em muitos casos, os entrevistados responderam que algumas aplicações biotecnológicas eram perigosas, mas que eram úteis, moralmente aceitáveis e que deveriam ser encorajadas. Em outros casos, os participantes da pesquisa apontaram determinadas aplicações biotecnológicas como não tão perigosas, mas politicamente e moralmente questionáveis – como os transgênicos –, o que fez com que a tecnologia fosse rejeitada.

“Não foi o risco o fator mais relevante que levou à rejeição dos transgênicos na Europa, mas considerações políticas como, entre elas, o fato de a tecnologia ser controlada por multinacionais, ser patenteada e porque os países europeus eram contrários a monoculturas”, avaliou Castelfranchi.

A pesquisa também apontou que os cidadãos europeus que tinham conhecimento mais baixo não rejeitavam os transgênicos, mas não tinham uma opinião formada sobre eles. Por outro lado, os participantes com maior escolaridade tinham opiniões favoráveis ou contrárias mais definidas.

“O conhecimento não mudou a atitude dos cidadãos europeus em relação aos transgênicos, mas sim o fato de terem uma atitude mais definida em relação à tecnologia, a exemplo do que também pode ser observado no Brasil e em outros países ibero-americanos onde foram realizadas pesquisas do gênero”, disse Castelfranchi.

Na mais recente pesquisa Percepção pública da ciência e tecnologia, realizada no fim de 2010 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com mais de 2 mil pessoas em todo o país, nenhum dos grupos específicos, de diferentes níveis sociais e de escolaridade, respondeu que as tecnologias trazem mais malefícios do que benefícios, quando perguntados sobre isso.

Porém, os participantes que mais conheciam cientistas e instituições de pesquisa foram justamente os que declararam em maior proporção que os cientistas podem ser perigosos em função do conhecimento que possuem.

“Não há nenhuma associação entre baixa escolaridade e achar que a ciência é perigosa. Mas, pelo contrário: pessoas de alta escolaridade tendem a ter uma postura mais cautelosa tanto em relação aos benefícios como sobre os malefícios apresentados pela ciência e tecnologia”, afirmou Castelfranchi.

Valores morais e políticos

No caso do Brasil, um dos fatores relevantes que influenciam as atitudes dos brasileiros em relação à ciência e tecnologia, identificado por Castelfranchi e outros pesquisadores que analisaram os dados da pesquisa realizada pelo MCTI, é o porte das cidades onde os entrevistados moram.

Os pesquisadores constataram que os participantes da pesquisa que moram em cidades brasileiras de grande porte tendem a avaliar melhor os prós e contras do desenvolvimento tecnocientífico para responder se a ciência e tecnologia trazem só benefícios ou malefícios. Já as pessoas que residem em cidades pequenas têm uma chance ligeiramente maior de apontar que a ciência só traz benefícios.

Contudo, tanto essa variável como nenhuma outra, como o sexo dos entrevistados, não consegue explicar, por si só, a variabilidade das respostas se a ciência e a tecnologia trazem mais benefícios ou malefícios.

“Nenhum dos fatores analisados até agora implica as pessoas terem uma posição mais otimista ou pessimista sobre a ciência e a tecnologia. Tem outros pontos, que precisamos descobrir, que influenciam essa resposta”, avaliou Castelfranchi.

Uma das hipóteses levantadas pelo pesquisador é que os códigos morais e políticos das pessoas, como a religião, podem ser mais determinantes do que o conhecimento que elas possuem ou não para formar suas opiniões sobre aspectos específicos da ciência e da tecnologia.

Entre os participantes da pesquisa sobre percepção pública da ciência e tecnologia realizada pelo MCTI, os que se declararam católicos concordaram mais do que os evangélicos com uma das afirmações feitas durante o estudo de que por causa de seu conhecimento os cientistas têm poderes que os tornam perigosos e que a ciência tem que ser controlada socialmente.

“A trajetória e a orientação de vida e os valores morais das pessoas, provavelmente, exercem uma influência muito maior na modulação de suas atitudes em relação à ciência e tecnologia em geral e sobre aspectos específicos da pesquisa do que o nível de conhecimento que elas têm”, estima Castelfranchi.

Para comprovar essa hipótese, de acordo com o pesquisador, é preciso desenvolver novas metodologias qualitativas e quantitativas e grandes quantidades de observações etnográficas para verificar como as pessoas se posicionam em relação à ciência e tecnologia, abolindo a ideia de que isso está relacionado apenas ao nível de conhecimento.

“Precisamos renovar nossas metodologias de pesquisa e a forma como olhamos e interpretamos os dados das pesquisas de percepção pública da ciência e tecnologia para entender como as pessoas atribuem sentido e constroem suas opiniões sobre questões científicas e tecnológicas, para termos uma visão dinâmica de como formam suas atitudes”, afirmou Castelfranchi. 

Fonte: Agência FAPESP

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Vagas para Redatores - Editora Bernoulli



A Editora Bernoulli (www.bernoulli.com.br/site/editora/Default.aspx), localiza em Belo Horizonte (MG), está selecionando redatores para trabalharem no começo de 2013.

Biólogos podem enviar currículo, até o dia 07 de dezembro, para wellington@bernoulli.com.br .

O trabalho será de redator, fazendo a leitura crítica do material, algumas alterações no texto e dando sugestões de imagens. 

A remuneração do cargo não foi informada.

Árvore evolutiva reúne todas as aves do mundo



O mundo abriga 9.993 espécies conhecidas de aves e, pela primeira vez, todas elas foram reunidas numa única e portentosa "árvore genealógica" por uma equipe internacional de cientistas, cujo objetivo é desvendar os padrões que guiaram a evolução desses animais.

O estudo, publicado no site da revista científica "Nature", combinou dados de DNA com análises mais tradicionais, que levam em conta a anatomia dos bichos, para traçar a árvore evolutiva das espécies de aves.

Segundo a equipe, liderada por Walter Jetz, da Universidade Yale (EUA), os dados mostram que a diversificação dos ancestrais das aves de hoje explodiu inicialmente há cerca de 50 milhões de anos.

A partir daí, uma série de "invenções" evolutivas --como as adaptações características dos beija-flores e dos papagaios, por exemplo-- facilitaram o surgimento de linhas muito diversificadas, algumas "apenas" 5 milhões de anos atrás.

Os cientistas verificaram também que os grupos de aves que viviam em locais sujeitos a surtos constantes de mudança climática ou em ilhas tendiam a passar por mais episódios de formação de novas espécies. As regiões do planeta campeãs nesses processos são as Américas do Norte e do Sul e certas regiões da Ásia.

Fonte: Folha Online