sexta-feira, 29 de junho de 2012

Desmate na mata atlântica cai 58%; restam 7,9% da área original



Se a mata atlântica tem inimigos, boa parte deles está em Minas Gerais. Cerca de metade dos 13,3 mil hectares desmatados nesse bioma em 2011 está em terras mineiras.

Os dados são do "Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica", divulgado ontem pela Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O desmate total na região da mata atlântica --vegetação de florestas, de mangues e de restingas (cobertura vegetal rasteira próxima ao mar) que aparece em 17 Estados do país-- equivale a mais de 13 mil campos de futebol.

Além do destaque para Minas (com 6.339 hectares a menos), há também a Bahia (4.493 hectares).

O número total caiu 58% em relação ao levantamento de 2010, quando o desmate atingiu 31,19 mil hectares.

A queda foi mais acentuada no Sul e Sudeste do país.

São Paulo, por exemplo, teve 216 hectares a menos de cobertura vegetal em 2011 --o que é metade do desmate detectado no ano anterior.

Mas há poucos motivos para comemorar. "A maior parte do desmate em São Paulo está justamente onde fica a maior parte do que sobrou da mata atlântica, como no Vale do Ribeira", alertou Marcia Hirota, diretora de gestão do conhecimento da Fundação SOS Mata Atlântica.

É lá que fica, por exemplo, Sete Barras, município recordista na redução da cobertura, com 33 hectares a menos.

"Além disso, mudanças na legislação, como o novo Código Florestal, podem acelerar o desmatamento", disse Mario Mantovani, diretor de mobilização da SOS.

Hoje, a mata atlântica conta com apenas 7,9% da sua área original. Com otimismo, ou seja, considerando resquícios isolados de mata atlântica com mais de três hectares, o número chega a 13,32%.

A ideia, de acordo com Mantovani, é acompanhar de maneira ainda mais detalhada a evolução da cobertura vegetal depois da mudança do Código Florestal, vetado só em parte por Dilma.

"Vamos ver por satélite os impactos da mudança na lei."

CINCO PIORES

Entre os cinco municípios que mais desmataram, três são de Minas Gerais. Eles compõem o que os analistas chamaram de "Triângulo do Desmatamento" (em alusão ao Triângulo Mineiro) e estão na região nordeste do Estado.

Águas Vermelhas, uma das pontas do triângulo, foi a recordista, com 1.367 hectares de vegetação cortada.

De acordo com Mantovani, um dos motivos que tem alimentado o desmate na região é a produção de carvão.

Outro problema, segundo ele, é o fato de o Estado ter retirado a proteção à chamada mata seca, uma das subdivisões da mata atlântica. Isso teria aberto a porteira para mais desmates.

O levantamento do atlas cobriu 93% da área do bioma (basicamente o que não estava coberto por nuvens).

A ideia agora é disponibilizar os dados para avaliação de governos e dos Ministérios Públicos dos Estados.

Fonte: Folha Online

quarta-feira, 27 de junho de 2012

ECO BUSINESS 2012


Apresentação
Congresso que alia discussões sobre o perfil do novo consumidor, as inovações tecnológicas para tornar as empresas sustentáveis e as tendências que viabilizam que as cidades sejam mais inteligentes

Data
14 a 16 de agosto de 2012

Horário
10h às 20 h

Local
Centro de Convenções Imigrantes – Pavilhão Canelinha 
Endereço: Rodovia dos Imigrantes km 1,5

Programação
Mais de 30 palestras de grandes empresas, como  P&G, Basf, Camargo Correa e PepsiCo

Mais informações

Concurso Público Fundação Helena Antipoff – MG (01 vaga para Biólogos e 10 vagas para Professor)

O objetivo do concurso público da Fundação Helena Antipoff – MG é realizar a contratação de servidores sob a égide do Regime Estatutário.

Para preencher a ficha de inscrição, os interessados deverão acessar o endereço eletrônico www.ibfc.org.br, no período de 26 de julho a 28 de agosto de 2012.

Biólogos podem concorrer para os seguintes cargos: 

1) Analista Universitário - Ciências Biológicas (01 vaga e remuneração inical de R$2.182,95);

2) Professor de Educação Superior Nível II Ciências Biológicas - Bioquímica (03 vagas e remuneração inicial de R$1.232,81);

3) Professor de Educação Superior Nível II Ciências Biológicas - Biologia (01 vaga e remuneração inicial de R$1.232,81); 

4) Professor de Educação Superior Nível II Ciências Biológicas (01 vaga e remuneração inicial de R$1.658,87);

5) Professor de Educação Superior - Nível IV Ciências Biológicas - Biologia (03 vagas e remuneração inicial de R$2.465,63);

6) Professor de Educação Superior - Nível IV Ciências Biológicas - Educação Ambiental (02 vagas e remuneração inicial de R$2.465,63).

Para os cargos destinados a professor é necessário o candidato ter pós-graduação (lato sensu) em qualquer área da Biologia ou em qualquer área da Educação.

As datas, locais e horários de aplicação da prova objetiva serão divulgados através de um edital de convocação, o qual estará disponível a partir dia 20 de setembro de 2012.

Haverá prova de títulos, de caráter classificatório, para todos os cargos.

A Fundação Helena Antipoff fica localizada na Avenida São Paulo, nº 3996, Vila Rosário, Ibirité (MG).

Mais informações:

terça-feira, 26 de junho de 2012

Dinos gigantes pesavam menos do que se acreditava, diz estudo



O braquiossauro era gigantesco, mas menos pesadão do que se imaginava, indica um estudo feito com base em um novo método de cálculo publicado na edição desta quarta-feira da revista especializada Biology Letters, da Sociedade Real britânica, que atribui ao animal um peso de "apenas" 23 t.

O braquiossauro foi um dos maiores animais terrestres conhecidos. Este dinossauro herbívoro tinha 25 m de comprimento. Em ocasiões anteriores foram propostas várias estimativas de seu peso, a maior parte na casa das 40 t, mas alguns cálculos dos anos 1960 se aproximavam das 80 t.

Agora, uma equipe de biólogos desenvolveu uma nova técnica para calcular com precisão o peso dos dinossauros. Os cientistas usaram laser para medir a quantidade mínima de pele necessária para "envolver" o esqueleto de grandes mamíferos atuais (bisão, touro, camelo, elefante, girafa, cavalo, rinoceronte e urso polar).

Em seguida, estabeleceram uma relação entre este volume de "pele e ossos" e a massa corporal do animal. Depois, os biólogos aplicaram seu modelo matemático ao maior esqueleto de dinossauro do mundo, o Brachiosaurus brancai, do Museu de História Natural de Berlim, calculando o peso do animal em 23 t, que se revelou muito inferior às estimativas anteriores feitas com métodos diferentes.

Este novo método "é totalmente objetivo", disse à AFP o autor principal do estudo, Bill Sellers (Universidade de Manchester, Grã-Bretanha), destacando que a massa corporal é um parâmetro muito importante para os biólogos.

Os cientistas consideram que se trata de "um método robusto" para estimar o peso a partir de um esqueleto reconstituído. "Nossos resultados sugerem que várias estimativas precedentes (para todos os dinossauros) são realmente muito pesadas", disse o professor Sellers. Para vários dinossauros, a diferença não seria tão importante quanto para o braquiossauro, mas é provável que "as estimativas mais leves" sejam as corretas, acrescentou o pesquisador.

Fonte: AFP

5º Congresso da Sociedade Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática (Aquaciência)



A Sociedade Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática em parceria com a Embrapa Pesca e Aquicultura, realizará, de 1º a o5 de julho, em Tocantins, o 5º Congresso da Sociedade Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática (Aquaciência).

O objetivo do evento é debater sobre os avanços científicos e tecnológicos nos diferentes campos da aquicultura e da biologia aquática.

A programação científica do congresso será composta por mesas-redondas, sessões técnicas e conferências, que serão proferidas por especialistas do Brasil e do exterior.

“Realidade e oportunidade da nutrição de peixes no Brasil”, “Os híbridos e a aquicultura nacional” e “Uso sustentável de reservatórios”, são alguns temas que serão debatidos durante o encontro.

O evento será realizado no Centro de Convenções de Palmas (Centro do Povo), localizado na Av. NS 10, em Palmas (TO).

Mais informações e inscrições:

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Concurso Público UENF – RJ (01 vaga para Biólogos)


O edital 014/2012 da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF é destinado a concurso público e possui 01 vaga em aberto para o cargo Técnico Nível Superior Biologia. 

O vencimento base é de R$2.692,54.

As inscrições serão efetuadas exclusivamente através da internet, no endereço eletrônico www.cepuerj.uerj.br, entre os dias 02 e 31 de julho 2012.

O local das vagas está a critério da Administração Superior da UENF e poderá ser em três cidades fluminenses: Campos dos Goytacazes, Macaé ou Itaocara.

A previsão é que a avaliação (prova escrita e discursiva) seja realizada no dia 19 de agosto de 2012.

Mais informações:

Concurso Cultural irá doar livro



O Instituto Semeia está fazendo um concurso cultural que irá doar o Livro Unidades de Conservação no Brasil: o caminho da gestão para resultados para os gestores e ex-gestores de unidades de conservação que se inscreverem e o gestor que mais divulgar o livro concorrerá a um Ipad. 

A publicação é uma versão atualizada e ampliada do livro Unidades de Conservação no Brasil cujo, lançamento em 2007, contou com o apoio do CRBio04.

As inscrições devem ser feitas através do link http://migre.me/9Di7M e o prazo termina no dia 30 de julho 2012.

Interessados em comprar o livro podem acessar o site: www.rimaeditora.com.br

Curso Novo Código Florestal Aplicado


Data
07 de julho de 2012 (sábado)

Local
CEE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - VIÇOSA/MG

Horário
8h às 12h e de 13h às 17h

Ementa do curso
O curso, com a duração de oito horas, irá abordar os principais tópicos do Novo Código Florestal, em uma comparação com o tratamento legislativo anterior, proporcionando ao inscrito o entendimento das alterações e dos novos conceitos trazidos. Para tal, a visão jurídica será acompanhada das perspectivas prática e histórica, permitindo que profissionais das mais diversas áreas observem o tema em seus diferentes aspectos: sociais, econômicos, culturais, jurídicos, políticos e ecológicos.

Inscrições

Mais informações

VII Simpósio de Pós-graduação em Ciências Florestais



O VII Simpósio de Pós-graduação em Ciências Florestais será realizado de 17 a 19 de setembro de 2012, em Viçosa (MG).

O evento tem como objetivo criar a oportunidade de trocas de experiências e informações entre estudantes, pesquisadores e universidades visando ao fortalecimento contínuo do setor.

O simpósio este ano tem como tema central a Ciência Florestal Sem Fronteiras, vindo de encontro ao Programa do Governo Federal, que incentiva a expansão e internacionalização da ciência e tecnologia.

Os trabalhos devem ser enviados até o dia 1º de julho de 2012.

O evento é uma promoção da UFV - Universidade Federal de Viçosa.

Mais informações:

Morre Solitário Jorge, última tartaruga de sua espécie em Galápagos



O Solitário Jorge, a última tartaruga gigante de sua espécie que habitava as ilhas Galápagos, morreu neste domingo depois de infrutíferas tentativas para que se reproduzisse, informou a reserva ecológica equatoriana.

O animal, único sobrevivente da espécie "Geochelone Abigdoni", com idade estimada de mais de 100 anos, foi encontrado sem vida no centro de criação de tartarugas terrestres da ilha Santa Cruz, segundo comunicado do Parque Nacional Galápagos (PNG).

"Com a morte desta tartaruga se extingue a espécie da ilha Pinta", de onde era originária, lamentou o PNG, que em 1993 submeteu Jorge a um processo de reprodução mal sucedido.

O PNG anunciou que em "homenagem" ao Solitário Jorge realizará um seminário internacional, em julho, para elaborar uma estratégia de manejo das populações de tartaugas nos próximos dez anos com a finalidade de obter sua restauração.

Fonte: Yahoo Notícias

sexta-feira, 22 de junho de 2012

'Governo tem de incorporar biodiversidade', afirma Dias



A conservação da biodiversidade é um elemento essencial do desenvolvimento sustentável que precisa ser considerado nas políticas de todas as áreas de governo, e não apenas nas do meio ambiente. "O grande desafio é como incorporar a biodiversidade nas nossas economias", disse o biólogo brasileiro Braulio Dias, ex-secretário de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente e atual secretário executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) das Nações Unidas, que participou ontem de eventos na Rio+20.

"Só os instrumentos dos ministérios ambientais não são suficientes para atingir as metas", completou Dias, referindo-se às chamadas Metas de Aichi. São 20 no total, a serem cumpridas até 2020, incluindo reduzir ao menos pela metade o ritmo global de desmatamento e garantir da proteção de no mínimo 10% dos ecossistemas marinhos e costeiros do mundo, por meio da criação de novas unidades de conservação.

As metas foram acordadas no Japão em 2010, na última Conferência das Partes (COP) da CDB, que foi uma das três convenções criadas na Rio-92, com a Convenção sobre Mudança do Clima e a de Combate à Desertificação. "Não podemos promover a segurança alimentar nem nos adaptar às mudanças climáticas sem biodiversidade", disse Dias.

Ele lamentou o fato do documento final da Rio+20 não garantir a criação de um tratado para conservação da biodiversidade em águas internacionais - um tema extremamente polêmico, por questões econômicas e geopolíticas, que já foi debatido também dentro da CDB. "É uma questão em aberto que precisa ser resolvida", disse.

Recursos genéticos. Outro resultado da conferência no Japão foi o Protocolo de Nagoya, que estabelece regras internacionais de acesso e repartição de benefícios oriundos dos recursos genéticos da biodiversidade. Outro tema "espinhoso", no qual se insere uma série de interesses econômicos e disputas de propriedade intelectual entre países, empresas e comunidades tradicionais, especialmente relacionados às indústrias de cosméticos e farmacêutica.

Mais de 90 nações-membro da CDB assinaram o protocolo, mas apenas cinco concluíram o processo de ratificação, que requer aprovação do poder Legislativo de cada país individualmente (México, Ruanda, Ilhas Seicheles, Gabão e Jordânia). São necessárias 50 para que o protocolo entre em vigor. A expectativa é que isso ocorra em 2013.

O Brasil, um dos maiores protagonistas nas negociações que levaram à aprovação do acordo no Japão, só enviou o protocolo ao Congresso para ratificação dias antes do início da Rio+20. A submissão, segundo apurou o Estado, foi atrasada por questões políticas. O governo não queria que a ratificação virasse "moeda de troca" nas negociações do novo Código Florestal. O protocolo só terá força de lei nos países em que for ratificado.

Fonte: Estadão

Justiça Federal determina criação do Parque Nacional da Serra do Gandarela



Vitória do Ministério Público Federal (MPF) e dos defensores do meio ambiente. Será criado, no prazo máximo de 60 dias, o Parque Nacional da Serra do Gandarela segundo determinação da Justiça Federal. Cabe, agora, ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) encaminhar, dentro deste período, a proposta final de criação do parque.

Segundo o Jornal O Tempo, a decisão encerra, na primeira instância, a Ação Civil Pública nº 60154-79.2011.4.01.3800, ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) em 16 de novembro do ano passado. Anteriormente, a Justiça já havia concedido liminar determinando a realização de consultas públicas sobre a criação do parque, o que aconteceu em maio. Agora, o juiz determinou que o ICMBio dê sequência ao processo de criação da unidade de conservação federal, com o envio da proposta à Presidência da República. Devido a interesses econômicos de mineradoras na região, o processo arrastou-se, desde setembro de 2010, quando o Instituto encaminhou a proposta final para criação da Unidade de Conservação, após realização de estudos técnicos. A Serra do Gandarela está localizada em pleno Quadrilátero Ferrífero, uma das mais importantes províncias minerais do mundo.

O juiz federal Daniel Castelo Branco, da 18ª Vara Federal de Belo Horizonte explica que inexiste nos autos controvérsia acerca da importância e da necessidade de proteção e preservação da Serra do Gandarela. "A área dotada de excepcionais atributos biológicos, hidrológicos, geológicos, geomorfológicos, espeleológicos, palentológicos e histórico-culturais, e sua aptidão para constituir Unidade de Conservação de Proteção Integral na categoria Parque Nacional", diz o juiz.

Conforme o juiz federal, tramitam junto aos órgãos estadual (SUPRAM-Central/SEMAD) e federal (IBAMA) processos de licenciamento ambiental relacionados a empreendimentos de mineração na região, havendo, inclusive, pedido de anuência de supressão de Mata Atlântica, o que evidencia a existência de risco da ocorrência de dano ao meio ambiente.

Riqueza

A Serra do Gandarela, localizada nos municípios de Caeté, Santa Barbara, Barão de Cocais, Rio Acima, Itabirito e Raposos, na região metropolitana de Belo Horizonte, faz parte da Reserva da Biosfera do Espinhaço. Por encontrar-se em área de transição entre Cerrado e Mata Atlântica, ambos ameaçados de extinção, o local é considerado um dos mais importantes biomas brasileiros. 

A Mata Atlântica, no interior e nas vertentes exteriores da serra, é a maior e mais preservada de toda a região. Juntamente com os campos rupestres e os campos de altitude, o local guarda uma rica diversidade de flora e fauna, que abriga espécies endêmicas e em extinção, além de uma das maiores geodiversidades da região, com quatro dos cinco bilhões de metros cúbicos de águas existentes do Quadrilátero Ferrífero. Sessenta por cento da água consumida na capital mineira e 43% do abastecimento dos municípios da região metropolitana provêm da Gandarela. 

Ali também podem ser encontrados sítios arqueológicos, com fósseis de até 40 milhões de anos, e várias cavidades naturais. "A região em questão deve ser preventivamente cuidada e protegida, a fim de que sua vitalidade e beleza não se percam, (...), mormente tendo em conta que a população de Belo Horizonte e dos municípios próximos depende das águas da região", disse Daniel Branco.  

Fonte: AMDA

Desmatamento na Amazônia ameaça aves de extinção



Apesar de a taxa de desmatamento da Amazônia vir apresentando sucessivas quedas de um ano para o outro, a perda de cobertura florestal de mais de 6 mil km² por ano está colocando as aves da região em alto risco de extinção. O alerta é da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) e da ONG BirdLife International, que divulgaram ontem, quinta-feira, uma atualização da chamada lista vermelha da IUCN de espécies ameaçadas de extinção.

O levantamento mostrou que o risco de extinção aumentou substancialmente para cerca de cem espécies da Amazônia, principalmente aquelas com maior expectativa de vida, como o chororó-do-rio-branco (Cercomacra carbonaria), para o qual mesmo uma taxa moderada de desmatamento pode ter impacto.

A pesquisa também destacou o caso do joão-de-barba-grisalha (Synallaxis kollari), que já teria perdido mais de 80% de seu habitat nas últimas décadas e alcançou o status de criticamente ameaçado – o nível mais preocupante da lista vermelha.

Para os organizadores do estudo, baseado em modelos que projetaram o tamanho e o padrão de desmatamento na Amazônia, o risco de extinção das aves locais tinha sido subestimado até então. Eles especulam que a mudança em curso do Código Florestal pode levar a um cenário ainda pior nos próximos anos. E clamam para que o governo brasileiro cumpra os compromissos internacionais de combate à perda de biodiversidade e crie novas áreas protegidas.

O levantamento considerou ainda outras regiões do planeta, numa revisão da situação de mais de 10 mil espécies de aves. A situação também se mostrou preocupante no norte da Europa e na África. No total, 130 espécies são consideradas extintas; 4 extintas na natureza (mas existentes em cativeiro); 197 estão criticamente ameaçadas, 389 ameaçadas; 727 vulneráveis; e 880 quase ameaçadas. 

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Medidas de proteção à arara-azul beneficiam pássaros do Pantanal



Ao desenvolver soluções para proteger a arara-azul que estava em perigo de extinção no Pantanal sul-mato-grossense, os pesquisadores do Projeto Arara-Azul acabaram beneficiando outras espécies de pássaros da região. A instalação de caixas em árvores altas serviu de ninho tanto para os filhotes de araras-azuis como para os de acuã, uma espécie de gavião.

Atualmente, 17 espécies de aves ocupam ninhos artificiais inicialmente instalados para araras azuis. Quando a ideia começou a ser implantada, os pesquisadores não sabiam se daria certo. Mas os números comprovam que a experiência foi bem-sucedida. Já são 243 ninhos artificiais instalados em Mato Grosso do Sul. Em uma localidade, 24 filhotes já nasceram esse ano nas caixas.

Como as araras-azuis têm uma padrão de comportamento e seguem sempre rotas específicas, os pesquisadores perceberam que faltavam ninhos naturais na região. Eles até descobriram que essa ave adota filhotes de outros casais.

Fonte: G1

Documento não atende a 'ambições', mas é o melhor possível, diz ministra



A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou na noite desta quinta-feira (21) que o documento final da Rio+20 não atende a todas as “ambições” do Brasil, mas representa o melhor acordo possível. Ela discursou no segundo dia do Segmento de Alto Nível da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.

“O documento não atende a todas as ambições do Brasil, assim como não atende a todas as aspirações dos indivíduos nessa sala, mas tenham certeza de que é o comprometimento melhor que podemos chegar”, disse.

Para a ministra, a Rio+20 “será lembrada como um marco na história das Nações Unidas”, especialmente pelo pluralismo, participação da sociedade civil e o alto nível do diálogo.

A ministra afirmou que o caminho para o desenvolvimento sustentável deve seguir três eixos. “Precisamos escolher um caminho para prosseguirmos e o caminho tem que ser de crescimento econômico, inclusão social e proteção ambiental.”

Segundo a ministra, o texto contém “comprometimentos concretos no caminho do desenvolvimento sustentável”. “Esse arcabouço de consumo e proteção sustentável vai nos ajudar a proteger os recursos naturais e propiciará o desenvolvimento econômico”, disse.

Izabella Teixeira defendeu o fortalecimento da articulação entre os países pela crescimento aliado à proteção ambiental e inclusão social. “Precisamos também decidir que queremos coordenação mais forte no nível internacional para o desenvolvimento sustentável.”

Negociações

O penúltimo dia da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável transcorreu sem surpresas nas negociações. Os líderes não demonstraram intenção de mexer no rascunho da Rio+20.

“Não haverá anexos e o texto não será reaberto”, assegurou o chefe de comunicação da Rio+20, Nikhil Chandavarkar. "O papel de forte liderança do Brasil resultou em um documento final em que a agenda de desenvolvimento sustentável pode solidamente construir uma visão e um legado positivo".

Até o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que na quarta-feira (21) comentou que esperava que o documento final da Rio+20 fosse mais ambicioso, convocou a imprensa nesta quinta-feira para dizer que o texto já era sim "ambicioso", além de "amplo e prático".

Fonte: G1

Recusa ao chamado



Por Marina Silva, ex-senadora, foi ministra do Meio Ambiente no governo Lula e candidata ao Planalto em 2010.

Mesmo com a visão tolhida pela proximidade dos fatos, arrisco-me a dizer o que saiu 100% vitorioso dessa "Rio-20". Foram as posições defendidas abertamente pelos negociadores dos EUA --e adotadas por Índia, China e Rússia--, de recusa a submeter seus interesses a decisões multilaterais --uma das melhores formas para encontrar saídas para a grave crise ambiental que ameaça o futuro do planeta.

A Europa, que durante 20 anos sustentou política e operacionalmente a tese da primazia do multilateralismo junto com um grupo de países, entre eles o Brasil, manteve esse discurso no Rio, mas, ao mesmo tempo, transferiu para a burocracia diplomática o papel de subtrair dele a imprescindível chancela da ação.

Já o Brasil optou pela renúncia à ousadia e perdeu o acanhamento em assumir-se conservador no agir e no falar. Esse documento anódino aprovado pode ter sido muito duro para o multilateralismo, na medida em que lhe passa atestado de incompetência como espaço de negociação. Não faltará quem advogue o ocaso do multilateralismo para resolver a crise ambiental. Os resultados pífios da agenda oficial dessa lamentável "Rio-20" devem-se à trama de interesses e de vontades que agiu persistentemente desde a Rio 92, para que nenhuma mudança os afetem ou possa vir a ameaçar sua hegemonia geopolítica.

Em 1992, o apelo da menina Severn Suzuki aos chefes de Estado, para que assumissem compromissos ambientais, comoveu o mundo. Agora, a neozelandesa Britanny Trilford foi mais incisiva: "Vocês estão aqui para salvar suas imagens ou para nos salvar?". E mais: "Cumpram o que prometeram". Rostos impassíveis ouvindo a crítica. Será que essa denúncia contundente de sua inação os abala de fato?

A conferência mostrou a distância crescente entre os povos e os Estados. O contraste não foi apenas entre as cores barulhentas da diversidade social e as formalidades do Riocentro. Trata-se de um deslocamento que a sociedade faz, um trânsito na civilização que não é acompanhado pelos governos. Estes limitam-se a falar do futuro enquanto disputam o espólio do século passado e se prestam a ser os guardiães da insustentabilidade.

A grande decepção, infelizmente, foi a recusa do governo brasileiro em assumir a liderança inovadora que sua condição de potência socioambiental lhe dá, afastando-se de sua tradição diplomática na agenda ambiental.

Ao permitir-se ser a mão que enfraqueceu o multilateralismo e reforçou as estratégias exclusivistas dos países ricos, rendeu-se à mesma lógica que levou ao retrocesso interno expresso no Código Florestal. Faltou atitude aos países, e o Brasil nada fez para reverter essa situação ou denunciá-la.

Fonte: Folha Online

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Workshop Ecologia de Estradas: Experiências Aplicadas



O Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas realizará entre os dias 26 e 29 de julho de 2012, em Lavras (MG), o Workshop Ecologia de Estradas: Experiências Aplicadas.

O evento se realizará na Universidade Federal de Lavras.

Inscrições:

Mais informações:

Simpósio de Biotecnologia e Biodiversidade da UEZO



O Simpósio de Biotecnologia e Biodiversidade da UEZO - Centro Universitário Estadual da Zona Oeste será realizado entre os dias 02 e 05 de julho do presente ano, em Campo Grande (RJ).

O evento tem o intuito de reunir estudantes e profissionais da área biológica, visando discutir de forma abrangente a Biotecnologia e a Biodiversidade.

Seu objetivo principal é o de promover a difusão e o debate de temas atuais dentro da área, além de promover a troca de conhecimento entre estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais.

O simpósio será composto de 19 palestras e dois mini-cursos, reunindo pesquisadores atuantes em diversos aspectos da biotecnologia e da biodiversidade.

As inscrições devem ser feitas até o dia 28 de junho de 2012, através do e-mail biotecnologiaebiodiversidade@gmail.com .

Mais informações:

III Workshop de Gestão Ambiental em Hospitais da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre



A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, juntamente com o Serviço de Gestão Ambiental, realizará no dia 03 de agosto de 2012, o III Workshop de Gestão Ambiental em Hospitais da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, que ocorrerá no Anfiteatro Hugo Gerdau desta instituição.

Participarão do evento, como conferencistas, alguns dos mais importantes especialistas nesta área em âmbito nacional. A estimativa de público é de 200 participantes.

Mais informações:
(51) 3214-8504

Concurso Público UNESP (01 vaga para Pesquisador)


Foi publicado o edital 070/2012 de Concurso Público da UNESP - Universidade Estadual Paulista, que procura preencher uma vaga de Pesquisador II para o Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas.

Dados da vaga
Departamento de Biologia
Área: Microbiologia.
Requisitos Exigidos: O candidato deverá ser portador do Título de Doutor.
Remuneração: R$10.458,22
Jornada de Trabalho: 40 horas semanais.
Número de Vagas: 01 vaga

Inscrição Presencial
Os candidatos deverão se inscrever nos dias úteis, entre 26 de junho a 24 de agosto de 2012, das 9h às 11h e das 14h às 16h, na Seção Técnica de Comunicações do IBILCE, situado na Rua Cristóvão Colombo, nº 2265 – Jardim Nazareth, São José do Rio Preto (SP).

Mais informações:

Processo Seletivo UFJF (01 vaga para Professor)


Estão abertas as inscrições para o processo seletivo da UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora, cuja finalidade é realizar a contratação de professores substitutos por tempo determinado.

O edital 039/2012 da UFJF apresenta vagas de emprego, as quais são destinadas a suprir a demanda de professores nos Campis de Juiz de Fora e Governador Valadares. 

Veja abaixo os dados da vaga destinada a Biólogos:

Depto. Parasitologia, Microbiologia e Imunologia – Processo nº 23071.007804/2012-43
01 Vaga - Regime de Trabalho: 40 horas semanais 
a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICA: Micologia Geral e Aplicada à Saúde, Virologia Geral e Aplicada à Saúde, Bacteriologia Geral e Aplicada  à Saúde, Biologia e Fisiologia dos Microorganismos.
b) PROVAS: Didática, Títulos e Entrevista
c) TITULAÇÃO EXIGIDA: Graduação em Ciências Biológicas, ou Farmácia, ou Medicina, ou Odontologia, ou Enfermagem, ou Nutrição, ou Química, com Doutorado na sub-área CAPES de Microbiologia.
d) REMUNERAÇÃO (VB+RT+GEMAS): R$ 4.300,00

Os profissionais interessados em participar do processo seletivo, deverão preencher a ficha de inscrição até o dia 29 de junho de 2012, no Campus de Juiz de Fora, situado no Bairro São Pedro, das 9h às 12h e das 13h às 16h.

Mais informações:

Concurso Público UFCG (01 vaga para Biólogos)


Foi publicado o edital 001/2012 da UFCG - Universidade Federal de Campina Grande, destinado a concurso público e que tem como objetivo é realizar a contratação de profissionais para a carreira de técnico administrativo.

O cargo Biólogo possui 01 vaga em aberto e a remuneração mensal é de R$2.989,33.

Acessando o endereço eletrônico www.ufcg.edu.br, será possível preencher a ficha de inscrição no período de 03 de julho a 08 de agosto de 2012.

Conforme consta no cronograma de execução das provas, a prova objetiva está prevista para ser aplicada na data de 16 de setembro de 2012, nas cidades de Cajazeiro, Campina Grande e Patos.

Mais informações:

Biodiversidade: fique de olho!

                                 
“Biodiversidade: fique de olho!” é a nova exposição da Estação Ciência da Universidade de São Paulo (USP), criada pelo Museu de Zoologia e que será aberta nesta quinta-feira (21/06).

Em comemoração à RIO+20 e ao aniversário de 25 anos da Estação Ciência, a exposição apresenta acervo exclusivo em ambientação especialmente criada para fazer referência ao crescimento urbano.

Em uma área de 600 metros quadrados, a exposição apresenta uma abordagem atual e ampla sobre a biodiversidade brasileira, incluindo elementos como animais, esqueletos, paineis, dioramas e maquetes.

A mostra é composta por quatro módulos principais: 1) Explicando a biodiversidade: a dinâmica das transformações da vida na Terra com foco nos eventos passados relacionados à origem da diversidade da vida animal atual; 2) A biodiversidade hoje: a diversidade de vida animal nos principais biomas brasileiros; 3) A crise da biodiversidade: a atual perda de biodiversidade e sua associação às ações diretas e indiretas do ser humano sobre o planeta; 4) O trabalho do cientista: apresenta como é o trabalho de pesquisadores e museólogos e uma visão institucional do Museu de Zoologia da USP (MZ-USP).

A curadoria da exposição é da professora Isabel Landim e do museólogo Felipe Elias, ambos do MZ-USP. A exposição permanecerá aberta até 4 de novembro.

A Estação Ciência fica na Rua Guaicurus nº 1394, Lapa, São Paulo. Horários de visitação: de terça à sexta das 8h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 18h.

Ingresso: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia-entrada para estudantes e portadores de deficiência). Grátis para menores de 6 anos e maiores de 60. Grátis para todos no primeiro sábado e terceiro domingo de cada mês. O ingresso inclui o acesso a toda a Estação Ciência.

Mais informações: www.eciencia.usp.br e (11) 3871-6750. 

Carlos Nobre assina editorial da Science



Carlos Nobre, secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e membro da coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG), assina editorial na edição do dia 15 de junho da revista Science.

Com o título UNsustainable?, no editorial Nobre aborda as circunstâncias e desafios que envolvem a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO+20), que está sendo realizada no Rio de Janeiro, e ressalta a necessidade urgente de uma agenda global para o desenvolvimento sustentável.

Nobre destaca três importantes mudanças globais que deveriam afetar os resultados da RIO+20: o grau de interconexão entre as nações; o conceito de “antropoceno”, popularizado em 2000 pelo químico atmosférico Paul Crutzen, ganhador do Nobel; e a mudança geopolítica, com a emergência das economias de países como Brasil, China e Índia.

Nobre também cita a diminuição do desmatamento na Amazônia como um avanço obtido pelo Brasil, ao mesmo tempo em que alerta sobre os impactos ambientais na agricultura, entre outros fatores econômicos e sociais no país e no mundo relacionados aos riscos das mudanças ambientais globais.

"Precisamos urgentemente de lideranças corajosas e comprometidas com uma visão de longo prazo para nosso planeta e sua população", disse.

Em janeiro, Nobre publicou juntamente com pesquisadores de diversos países um artigo na mesma revista, convocando a comunidade científica internacional a assumir um papel mais relevante para incluir a agricultura nas rodadas de negociações da Convenção do Clima da ONU.

O editorial da Science, assinado por Nobre, pode ser lido em www.inpe.br/noticias/arquivos/pdf/science_nobre_2012.pdf

Fonte: Agência FAPESP

CRBio04 visita Hemominas pela segunda vez



O Conselho Regional de Biologia - 4ª Região, atendendo a uma solicitação dos Biólogos que trabalham na Fundação Hemominas, visitou a referida instituição pela segunda vez, no dia 19 de junho. O CRBio04 foi ouvir as demandas dos profissionais e o que eles esperam do seu conselho de classe. 

Estavam presentes o conselheiro secretário, Evandro Freitas Bouzada; o assessor institucional, Igor Alexis de Souza Noronha; a representante da COFEP, Sânia Morena Freire Machado; e o fiscal do CRBio04, Atenágoras Café Carvalhais Júnior. 

Na ocasião, foi realizada uma palestra de esclarecimento para os profissionais Biólogos que trabalham no Hemominas.  Durante a palestra, foram discutidos diversos temas, tais como: funções e competências do CRBio04; obrigações do profissional Biólogo (registro profissional; protocolo da ART); obrigações das instituições (registro de pessoa jurídica e TRT); atividades profissionais e áreas de atuação (Resolução Nº 227, de 18 de agosto de 2010); necessidade de contribuições dos profissionais da saúde para com o Conselho (câmaras temáticas e notas técnicas específicas); estratégias para melhor aproveitamento do profissional Biólogo pelas instituições/empresas e pelo mercado de trabalho (estímulo a criação de sindicato e associação). 

As duas visitas que o Conselho fez ao Hemominas, a primeira foi realizada no dia 11 de abril, serviram para estreitar os laços com a instituição e também com os Biólogos que trabalham na Fundação.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Roda Viva entrevista Ministra do Meio Ambiente



A Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira (Bióloga registada no CRBio04) foi a entrevistada do programa Roda Viva da TV Cultura, do dia 18 de junho.

A Ministra falou sobre a Rio +20, conferência da ONU que reúne líderes de todo o mundo no Rio de Janeiro para negociar propostas de desenvolvimento sustentável. Nos últimos dias, países ricos e países em desenvolvimento têm divergido em temas como o financiamento de ações sustentáveis e o conceito de economia verde.

Izabella Teixeira também tratou da reforma do Código Florestal. A proposta aprovada no Congresso ainda depende da sanção da presidente Dilma Rousseff, que suspendeu conversas sobre o tema durante a realização da Rio +20.

Para ver o vídeo com a entrevista da Ministra, acesse o link:

Processo Seletivo UFTM (01 vaga para Professor)


Está aberto o processo seletivo simplificado (Edital nº54/2012) destinado à contratação de Professor Temporário de 3º Grau, para os cursos de Graduação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. 

Será admitida inscrição somente via internet,  no endereço eletrônico: www.uftm.edu.br, até o dia 25 de junho, das 8h às 22h.

O cargo Professor Assistente Fisiologia Humana e Comparada possui 01 vaga em aberto.

A remuneração é de R$3.137,18.

É exigido do candidato Mestrado em Ciências – Área de concentração: Fisiologia. 

A lotação é no Depto de Ciências Biológicas - ICENE, em Uberaba (MG).

Mais informações:

Ecologia e Cidadania - Entrevista com o presidente do CRBio04 sobre o profissional Biólogo



A ONG Ponto da Terra (pontoterra.org.br) tem como objetivo promover ações de proteção e conservação ao meio ambiente, desenvolver projetos que harmonizem a biodiversidade, participar juntamente com organismos oficiais e não governamentais do planejamento, fiscalização e regulação do setor. 

A ONG possui um programa televisivo, transmitido pela TV Comunitária, denominado "Ecologia e Cidadania", apresentado pelo presidente da Ponto Terra, Ronaldo Vasconsellos. 

No último programa (nº 11/2012), houve uma entrevista com o presidente do CRBio04, Gladstone Corrêa de Araújo, discorrendo sobre a profissão e atuação do Biólogo. 

Para ver o vídeo, acesse o link: 

terça-feira, 19 de junho de 2012

IETEC oferece curso na área de Meio Ambiente



Nos dias 04 e 05 de julho será realizado o curso Gerenciamento de Riscos e Acidentes Ambientais, voltado a profissionais que atuam em gestão ambiental no âmbito da empresa, de governo e comunidades. 

O curso será realizado das 8h30 às 17h30, na sede do IETEC (Rua Tomé de Souza, 1065, Savassi, Belo Horizonte - MG). 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 3223-6251 e (31) 3116-1000, e pelo e-mail cursos@ietec.com.br

A força da própolis verde



Composta da mistura de substâncias colhidas das árvores, do pólen e das secreções das próprias abelhas, a própolis é produzida por elas para proteção. "É um produto natural que os insetos usam na colmeia para se defender contra micro-organismos. E a gente fez dele exatamente o mesmo, ou seja, um medicamento para nos defendermos”, ensina a pesquisadora Esther Margarida Bastos. Bióloga, entomologista e especialista em abelhas, Esther tem nos produtos de abelha sua linha de pesquisa, desenvolvida no Laboratório de Serviços de Recursos Vegetais e Opoterápicos da Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte. “Opoterápicos são os produtos que vêm de animais", esclarece a pesquisadora.

Foi nesse laboratório e sob coordenação de Esther, ao lado de mais três pesquisadores, que foram desenvolvidos, a partir de diversos experimentos, dois produtos: um gel e um enxaguante bucal (antisséptico) à base de própolis, que já foram patenteados e estão prontos para serem oferecidos em larga escala. Os produtos naturais têm como objetivo atuar no combate de alguns males bucais, como a candidíase atrófica crônica. “A candidíase é a cândida mesmo (causada geralmente pelo fungo Candida albicans), que acomete, em geral, quem usa prótese total na boca, muitas vezes em consequência da má higienização. O paciente fica com a boca completamente cheia de cândida, com umas bolinhas brancas, muito similares às aftas. Então, a ideia é indicar o gel à base de própolis, que é muito eficaz, pois atua como antibiótico e tem a vantagem de ser um produto natural", explica Esther Bastos.

Atualmente, esses pacientes são tratados com um gel à base de miconazol, um antifúngico. Já o enxaguante bucal é indicado para quem vai realizar um implante dentário. Atualmente, antes do tratamento, os pacientes usam, durante 14 dias, um líquido à base de clorexidina. Em um teste comparativo, a equipe de Esther constatou que a eficácia do produto feito com própolis é a mesma, além de evitar os efeitos colaterais do produto usado atualmente. "A clorexidina amarela os dentes e o enxaguante não”, garante.

Além dos efeitos práticos, e já comprovadamente eficaz, a própolis tem, naturalmente, uma ação contra fungos. "Ela oferece atividade antitumoral e evita fungos. Cândida e cárie, por exemplo, são causadas por fungos”, ensina a bióloga. A pesquisa durou três anos e passou por duas etapas, sendo a primeira de experimentos em laboratório. "Fizemos vários testes para saber qual a concentração ideal de própolis de que precisávamos. O produto era recebido bruto, passava por formulações para diluição e, por fim, foi encontrada a concentração mínima necessária para introduzir no medicamento. No caso do gel, fizemos toda a diluição pensando no efeito sobre a cândida”, detalha a bióloga.

Passada a fase de testes, o produto chegou ao teste clínico. Nessa etapa, foram selecionados pacientes em clínicas odontológicas que fizeram a higienização com o gel da própolis em vez do miconazol. Efeito positivo comprovado empiricamente, assim como os testes com o enxaguante. As pesquisas foram realizadas em parceria com as faculdades de odontologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

MIL E UMA UTILIDADES Além de naturais e sem contraindicações, já elaborados, testados e aprovados, o gel e o enxaguante bucal criados pela equipe da Funed têm ainda outra vantagem: são mais baratos para serem produzidos em larga escala. Nesse caso, fica a pergunta: será que interessa à indústria esse tipo de produção? "Como é um produto natural, interessa. E nós temos o objetivo de produzi-los para o Sistema Único de Saúde (SUS), que atende a população com problemas bucais, de implantes e até mesmo os imunossuprimidos, que geralmente sofrem muito com a cândida na boca”, acrescenta Esther Bastos. 

Mais que isso, a solução pode ter ainda outras variações. "É uma fórmula para a boca, mas é possível mexer na concentração e transformá-la, por exemplo, em um creme vaginal”, diz a coordenadora da pesquisa. Mas, por enquanto, esse tipo de teste ainda não foi realizado. 

Própolis verde

Composta de resinas vegetais e óleos essenciais, cera de abelha e pólen, o que diferencia um tipo de própolis do outro é exatamente a origem botânica, além da espécie da abelha. A própolis verde vem do alecrim-do-campo. É dessa planta que saem as substâncias que a qualificam. Em Minas Gerais, 102 municípios produzem 20 toneladas do produto por ano, de acordo com a Cooperativa Nacional de Apicultura (Conap). O diferencial da própolis verde produzida em terras mineiras está na presença do artepelin-C, que ajuda a combater o câncer. Sem nada que afete sua reputação ao longo de milhares de anos, independentemente da origem botânica, a própolis sempre foi usada, em várias soluções de saúde, como gripes e dores de garganta, desde civilizações antigas. “Desde o Egito antigo”, reforça a pesquisadora Esther Bastos.

Notoriedade mundial

Os testes foram feitos, os produtos patenteados e a intenção dos pesquisadores é colocá-los à disposição do SUS. Mas, de forma prática, o que isso pode afetar nosso dia a dia? Para Esther Margarida Bastos é importante ressaltar que a própolis usada nessa composição desenvolvida na Funed é a verde, típica de Minas Gerais. A própolis verde, de acordo com a bióloga, foi muito estudada, tem notoriedade mundial, atividade biológica e potencialidades reconhecidas. Outra curiosidade é que, de acordo com o último resultado da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, do Ministério da Saúde, publicada em 2010, próteses dentais são muito demandadas nos serviços odontológicos, tanto os públicos quanto os privados.

Números

13% dos adolescentes avaliados necessitam de próteses parciais em um maxilar

69% é a porcentagem de adultos entrevistados que necessitam de algum tipo de prótese

41% dos casos entre adultos são relativos à prótese parcial em um maxilar

Fonte: Estado de Minas

Escritório PNUD/Brasil divulga vagas



O escritório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD/Brasil divulga as vagas: 

1) Supervisor(a) das Circunstâncias Nacionais para a Implementação da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (CQNUMC);

2) Supervisor/a do Inventário Nacional de Emissões de Gases de Efeito Estufa. 

Local: Brasília (DF). 

Prazo para candidatura: 06 de julho de 2012.

1ª Conferência em Saúde Silvestre e Humana



Data
24 a 26 de outubro de 2012

Realização
Fiocruz

Local
Rio Othon Palace, Rio de Janeiro (RJ)

Objetivo
Desenvolver em todos os participantes a capacidade de buscar modelos que permitam predizer agravos à saúde humana e dos animais silvestres ou domésticos, lembrando sempre que agentes infecciosos circulam entre diferentes espécies.

Inscrições com desconto
Até 24 de agosto

Mais informações

XXX Encontro Anual de Etologia e III Simpósio Latino Americano de Etologia



Data
14 a 17 de novembro de 2012

Realização
Sociedade Brasileira de Etologia

Local
Ribeirão Preto (SP)

Inscrições com desconto e submissão de resumos
Até 31 de julho

Mais informações

2º Simpósio de Biologia Celular e Molecular



Com o tema “Ambiente e saúde: os desafios na busca de novos conhecimentos”, o 2º Simpósio de Biologia Celular e Molecular será realizado entre os dias 16 e 18 de agosto, na Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Rio Claro (SP).

“Peles artificiais como testes alternativos para desenvolvimento de novos medicamentos e cosméticos” será o tema da palestra de abertura, com apresentação de Silvya Stuchi Maria-Engler, da Universidade de São Paulo (USP).

Durante o evento serão apresentadas palestras sobre temas como “Biblioteca genômica – Soluções Promega para clonagem molecular”, “Noções de toxicologia forense” e “As ‘omicas’ do LEM (Laboratório de Evolução Molecular)”, “Epidemiologia da febre maculosa brasileira”.

A programação prevê ainda a realização de mesas-redondas sobre os temas “Produtos naturais”, “Riscos de agroquímicos” e “Ferramentas de estudo de células tumorais: avanços e limitações”.

Mais informações: 

Texto da Rio+20 sugere criação de fórum global para sustentabilidade



O rascunho do documento final da Rio+20 divulgado pelo governo brasileiro na manhã desta terça-feira (19) sugere a criação de um fórum político de alto nível para o desenvolvimento sustentável dentro das Nações Unidas, reforçando que o tema deverá ser discutido com maior importância a partir da conferência do Rio de Janeiro.

O texto foi obtido pelo G1 e pela Globo News na manhã desta terça-feira (19). Fechado às 2h45 e enviado às delegações por volta das 7h30, o rascunho será votado pelos países em plenária prevista para acontecer às 10h30. Com 49 páginas, ele tem 283 parágrafos -- quatro a menos do que o rascunho anterior. Nenhum deles possui a marcação "ad ref", que significa "provisoriamente aprovado”, segundo explicação do negociador-chefe brasileiro, o embaixador Luiz Alberto Figueiredo, dada no sábado (16).

O formato e os aspectos organizacionais do fórum seriam negociados na Assembleia Geral da ONU.

Entre outras coisas, o fórum poderia "oferecer liderança política, orientação e recomendações para o desenvolvimento sustentável" e, acompanhar e rever o progresso na implementação de compromissos como os contidos na Agenda 21 e no Plano de Implementação de Johannesburgo.

"Decidimos estabelecer um fórum universal intergovernamental de alto nível político, contruído sob a força, experiência, recursos e modalidades de participação inclusivas da Comissão de Desenvolvimento Sustentável, e susequentemente substituindo a Comissão."

Na segunda-feira (19), o embaixador aposentado Flávio Perri, que escreve no blog do G1 Traduzindo a Rio+20, afirmou que a criação do fórum seria "a germinação de uma nova realidade".

Responsabilidades diferenciadas

O documento apresentado pelo Brasil, como presidente da Rio+20, reafirma um dos Princípios do Rio, criado em 92, sobre as “responsabilidades comuns, porém diferenciadas”.

Esse era um ponto de conflito para os países desenvolvidos que defendiam a divisão igualitária da responsabilidade sobre o desenvolvimento sustentável.

Meios de implementação

Ao contrário do texto anterior, o atual reconhece necessidades diferenciadas para os países ricos e os em desenvolvimento. “Reafirmamos que países em desenvolvimento precisam de recursos adicionais para o desenvolvimento sustentável”, afirma o texto.

Foi proposta a criação de um processo intergovernamental, sob a tutela da Assembleia Geral das Nações Unidas, para avaliar as necessidades financeiras de cada país e a eficácia de seus instrumentos, para preparar uma estratégia efetiva de financiamento do desenvolvimento sustentável, o que facilitaria a mobilização de recursos e seu uso para atingir as metas.

Erradicação da pobreza

Houve ainda uma alteração na parte do documento que estabelece a erradicação da pobreza como o maior desafio global do planeta hoje. O texto anterior incluía o termo “pobreza extrema”, que foi modificado para “pobreza”.

O documento recomenda ainda que “o Sistema da ONU, em cooperação com doadores relevantes e organizações internacionais”, facilite a transferência de tecnologia para os países em desenvolvimento.

Esse sistema atuaria para facilitar o encontro entre países interessados e potenciais parceiros, ceder ferramentas para a aplicação de políticas de desenvolvimento sustentável, fornecer bons exemplos de políticas nessas áreas e informar sobre metodologias para avaliar essas políticas.

Pnuma

O documento diz que as nações signatárias estão comprometidas a fortalecer o papel do Programa das Nações Unidas para Meio Ambiente (Pnuma) e consolidar de forma progressiva sua sede em Nairóbi (no Quênia). Como na versão anterior do documento, não está prevista a transformação do órgão em uma agência da ONU.

Uma das sugestões para ser aprovada pela Assembleia Geral da ONU em sua próxima sessão é adotar uma resolução que permita que o Pnuma aumente suas fontes financeiras e receber contribuições voluntárias para "preencher seu mandato".

Oceanos

O documento sugere o estabelecimento também de um mecanismo jurídico dentro da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (Unclos, na sigla em inglês) que estabelece regras para conservação e uso sustentável dos oceanos, além de seus recursos.

Segundo o documento, os países reconhecem a importância dos mares para erradicação da pobreza, crescimento econômico sustentável e segurança alimentar, e se comprometem a proteger e restaurar “a saúde, resistência e a produtividade dos ecossistemas marinhos para manter sua biodiversidade”.

Fonte: G1

Concursos previstos devem oferecer mais de 126 mil vagas este ano



O número de vagas previstas para a segunda metade de 2012 em órgãos de nível federal e estadual, além de capitais, chega a 126.097, segundo levantamento feito pelo G1, sem contar as instituições que lançarão concursos para cadastro de reserva, isto é, quando os aprovados são chamados conforme a necessidade do órgão, como é o caso do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Só no Ministério da Educação são 71.589 vagas.

Entre as vagas levantadas estão cargos que foram criados e oportunidades que já foram autorizadas ou aguardam autorização dos respectivos órgãos competentes.

Entre os concursos mais esperados do ano estão os da Receita Federal, Polícia Federal e Correios, já confirmados e autorizados. No caso da PF, 600 vagas de nível superior foram autorizadas pelo Ministério do Planejamento. As 328 para agente administrativo ainda aguardam aval do governo. Em relação à Receita, o Planejamento autorizou no dia 25 de maio a realização de concurso para 950 vagas de auditor e analista, ambos de nível superior em qualquer área. Já os Correios anunciaram que precisarão de mais 10 mil vagas para preencher seu quadro, mesmo após a nomeação dos 9.190 aprovados no concurso realizado no ano passado.

A Petrobras confirmou ao G1 a realização de dois concursos em 2012, para cargos de nível médio/técnico e superior. Um deles já foi realizado este ano para 1.521 vagas. Até o final de 2015, a Petrobras pretende atingir um efetivo de 76 mil empregados - um aumento de aproximadamente 30% em relação ao efetivo atual, que é de cerca de 58.500 empregados. Deverão ser admitidos nos próximos quatro anos mais de 22 mil pessoas para dar suporte aos projetos previstos no Plano de Negócios da companhia.

A Polícia Rodoviária Federal teve autorização da presidente Dilma Rousseff para contratar 1.500 policiais rodoviários em 2012. Desse total, 750 serão preenchidas do concurso de 2009 que ficou parado dois anos devido a impasses judiciais e foi retomado. Outras 750 serão abertas em novo concurso. Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, os servidores serão lotados nas fronteiras. Os estados participantes do Plano Estratégico de Fronteiras do governo federal são Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Três ministérios tiveram concursos autorizados pelo governo federal: Fazenda, Cultura e Planejamento. 

Já a Defensoria Pública da União, o Ministério da Agricultura, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério das Relações Exteriores e Ministério da Educação aguardam autorização do Ministério do Planejamento para abrir as seleções.

No caso das agências reguladoras do governo federal, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) teve autorização para 46 vagas, a Agência Nacional de Cinema (Ancine), para 82 vagas, a Agência Nacional do Petróleo (ANP), para 152 vagas, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), para 170 vagas, e a Agência Nacional de Águas (ANA), para 45 oportunidades.

Em alguns concursos, a organizadora já está definida, como é o caso da Câmara dos Deputados e da Companhia Nacional de Abastecimento.

16,3 mil terceirizados serão substituídos

O Ministério do Planejamento informou ao G1 que não tem o quantitativo total das vagas a serem liberadas até o final do ano, pois leva em conta para a decisão as negociações feitas com os órgãos, procurando conciliar os pedidos apresentados, as necessidades mais imediatas da administração e as condições orçamentárias.

Na administração federal, de acordo com o ministério, há 16,3 mil terceirizados ainda para serem substituídos, principalmente nas autarquias e fundações. Nos ministérios o saldo é de cerca de 2 mil e deverá ser trocado dentro do prazo fixado com o Ministério Público do Trabalho, que é de 31 de dezembro. “A prioridade da substituição de terceirizados pode ser comprovada nas autorizações mais recentes de concursos, publicadas no portal do Ministério do Planejamento. Das 825 vagas autorizadas para analista técnico de políticas sociais, por exemplo, 616 são para substituir terceirizados", informou o Planejamento por meio de sua assessoria de imprensa.

A ocupação das vagas já autorizadas pelo Planejamento ainda em 2012 depende do tempo da publicação e da conclusão de todo o processo de realização da seleção.

O Ministério do Planejamento esclarece que não deixou de autorizar concursos e nomeações, mas que “apenas tornou mais racional o processo de liberação de vagas a partir da edição da Portaria 39/11, com a análise caso a caso das demandas”.

As áreas prioritárias continuam sendo educação, saúde, previdência social e segurança pública, além dos setores responsáveis pelos atendimentos do Plano Brasil Maior e Erradicação da Pobreza, e grandes eventos como Copa e Olimpíadas. 

Fonte: G1

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Curso Teórico e Prático de Receptores Geogésicos e Portáteis de Navegação (GPS)



Promoção
ASSEAGRI-MG (Associação dos Engenheiros Agrimensores no Estado de Minas Gerais)

Data
05 e 06 de julho de 2012

Horário
9h às 17h

Cidade
Belo Horizonte - MG

Local
Nova Central Sindical de Trabalhadores de Minas Gerais - NCST/MG - Av. Afonso Pena nº 748, sala 408 - 4º andar, centro 

Mais informações
(31) 3421-2565/9692-3431

Entendendo a Rio+20



A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, batizada de Rio+20, marca os 20 anos da Eco-92, a cúpula sobre meio ambiente realizada no Rio de Janeiro em 1992. Faz parte do ciclo de conferências ambientais da ONU, que teve início em 1972, em Estocolmo, Suécia.

O evento, que ocorrerá nos dias 20, 21 e 22 de junho deste ano, terá a participação de chefes de Estado e de governo e entidades da sociedade civil (ONGs, universidades, institutos) para revisitar os principais temas, protocolos, convenções e recomendações que resultaram da Eco-92. Entre eles estão a Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento; a Agenda 21; e as convenções-quadro sobre Mudanças Climáticas, Biodiversidade e Combate à Desertificação.

Além dessas questões, que voltam a ser debatidas, dois temas centrais foram selecionados para nortear as discussões na Rio + 20. O principal deles é a transição para a chamada economia verde, que propõe a adoção de um novo sistema produtivo, com base na baixa emissão de gases de efeito estufa, na eficiência no uso dos recursos naturais e na inclusão social.

O segundo tema central é a governança global que levará ao desenvolvimento sustentável, ou seja: como os países vão se organizar, em termos de leis, acordos e protocolos, para colocar esse novo modelo socioeconômico em prática.

Outros assuntos que terão espaço na conferência são: energia; alimentação e agricultura; emprego e inclusão; cidades sustentáveis; água; oceanos e desastres naturais.

É esperado dessa reunião, porém, mais do que um balanço da Eco-92. O resultado final deve ser condensado em um documento de cunho político onde todos os países se comprometam a fazer as transformações necessárias rumo à economia verde.

A Folha Online preparou um especial sobre o evento, para acessa-lo, clique no link: http://www1.folha.uol.com.br/especial/2012/rio20/