quinta-feira, 31 de maio de 2012

18ª Semana Meio Ambiente de Tocantins e 7ª Semana do Meio Ambiente de Palmas



O Governo do Tocantins, através da Semades – Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, numa ação conjunta com a ATS – Agência Tocantinense de Saneamento, Prefeitura Municipal de Palmas e a Associação Tocantinense de Municípios, irá promover atividades educacionais para benefício do meio ambiente com o envolvimento popular, de 1° a 12 junho através da 18ª Semana do Meio Ambiente do Tocantins e 7ª Semana do Meio Ambiente de Palmas, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

A solenidade de abertura oficial das comemorações acontecerá no dia 04 de junho, no auditório da ATM – Associação Tocantinense de Municípios, a partir das 14h. Durante a programação haverá apresentações culturais e dos resultados alcançados no Fórum Tocantins 23 Rumo a Rio +20, além do lançamento da Campanha Cidade mais Limpa e do PACQTO 2012 – Programa de Ações de Controle das Queimadas do Tocantins, entre outros. O evento tem ainda o objetivo de promover a sensibilização de todos os segmentos da sociedade a minimizar os impactos ambientais negativos causados pelos atuais padrões geração e consumo.

A Semana do Meio Ambiente conta com o apoio da Secretaria das Cidades e do Desenvolvimento Urbano , Seduc – Secretaria de Educação, Secom – Secretaria de Comunicação, Secult – Secretaria da Cultura, Sesau – Secretaria da Saúde, MPE – Ministério Público Estadual, Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins, Saneatins – Companhia de Saneamento do Tocantins, Celtins – Companhia de Energia Elétrica do Tocantins, UFT – Universidade Federal do Tocantins, IDAHRA - Instituto de Desenvolvimento Ambiental e Humano da Região Amazônica, Eco Terra e Natura Ativa.

Os interessados poderão prestigiar festival de filmes, intervenções artísticas, fórum e palestras, além de participar do mutirão de limpeza das praias da Capital. A programação completa está disponível no item downloads no link: http://central2.to.gov.br/arquivo/31/473

Atlas destaca remanescentes florestais da Mata Atlântica



O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Fundação SOS Mata Atlântica divulgaram os dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, no período de 2010 a 2011. Os resultados indicam que Minas Gerais e Bahia foram os estados que mais desmataram.

O estudo aponta desflorestamentos verificados de 13.312 hectares, ou 133 km², no período de 2010 a 2011. Destes, 12.822 hectares correspondem a desflorestamentos, 435 a supressão de vegetação de restinga e 56 a supressão de vegetação de mangue.

Da área total do bioma Mata Atlântica, 1.315.460 km2, foram avaliados no levantamento 1.224.751 km2, o que corresponde a cerca de 93%.

Foram analisados os estados do Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo e Bahia.

De acordo com o Inpe, por causa da cobertura de nuvens, que prejudicam a captação de imagens via satélite, foram avaliados parcialmente a Bahia (57%), Minas Gerais (58%) e Espírito Santo (36%).

Nos demais estados do Nordeste que estão dentro dos limites do bioma – Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte – a análise foi impossibilitada devido à ocorrência de nuvens.

De acordo com os autores do levantamento, entre os estados avaliados em situação mais crítica estão Bahia e Minas Gerais, sobretudo nas regiões com matas secas.

Em Minas Gerais, os desflorestamentos continuam ocorrendo na região agora chamada de “triângulo do desmatamento”, onde já foram identificados vários desflorestamentos no período anterior.

Nessa região, as florestas nativas estão sendo transformadas em carvão e substituídas por eucalipto.

No estado mineiro, onde a Mata Atlântica já cobriu 46% de seu território total (27.235.854 hectares de um total de 58.697.565), hoje restam apenas 3.087.045 hectares do bioma original. No período 2010-2011, foram desflorados 6.339 hectares.

A Bahia obteve a segunda posição no ranking com o desflorestamento de 4.686 hectares. Hoje, restam no estado 2.408.648 hectares de Mata Atlântica, o que, originalmente, já correspondeu a 18.875.099 hectares.

Mato Grosso do Sul, Santa Cantarina e Espírito Santo aparecem nas posições seguintes, com desmatamentos de 588, 568 e 364 hectares, respectivamente.

A esses números, somam-se desflorestamentos de 216 hectares em São Paulo, 111 no Rio Grande do Sul, 92 no Rio de Janeiro, 71 no Paraná e 33 hectares em Goiás.

Os estados da região Sul do país e o Rio de Janeiro foram os que registraram quedas mais acentuadas em suas taxas de desmatamento. Na análise do período de 2008-2010, Santa Catarina registrou supressão de vegetação nativa de 3.701 há contra 568 há no levantamento atual.

Por sua vez, o Rio de Janeiro, que já liderou a lista dos maiores devastadores em análises anteriores, registrou nos últimos anos ocorrências muito menores de desflorestamento, sendo o de 2010-2011 equivalente a 92 hectares.

A Mata Atlântica é o bioma mais ameaçado do Brasil. Restam somente 7,9% de remanescentes florestais em fragmentos acima de 100 hectares, representativas para a conservação da biodiversidade. Considerando todos os pequenos fragmentos de floresta natural acima de 3 hectares, o índice chega a 13,32%.

Os dados completos do levantamento podem ser acessados nos endereços: 

terça-feira, 29 de maio de 2012

VIII Semana do Meio Ambiente - Inhotim



O Instituto Inhotim (www.inhotim.org.br), localizado em Brumadinho (MG), irá realizar a VIII Semana do Meio Ambiente, entre os dias 03 e 10 de junho. 

Este ano, o Instituto preparou ações que abordam a economia verde, o desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza temas que serão discutidos no evento internacional conhecido como Rio+20. As ações da instituição acontecem durante toda a semana com uma programação especial que envolve pessoas de todas as idades.

Em sua 8ª edição, a discussão e a reflexão que serão propostas no Inhotim se baseiam em temas ambientais atuais, desenvolvimento de ações de educação ambiental e o envolvimento da comunidade local nessas atividades, auxiliando no processo de inclusão e cidadania.

Para inscrições das atividades é preciso entrar em contato com a Central de Atendimento do Inhotim pelo número (31) 3571-9700 ou info@inhotim.org.br .

O horário de atendimento é de segunda a domingo, das 8h às 17h.

Mais informações:

Experimento brasileiro confirma ameaça do aquecimento global para os corais



O aquecimento global constitui uma grave ameaça para a sobrevivência dos corais, organismos de grande importância para a biodiversidade marinha, como constatou uma experiência inédita de pesquisadores brasileiros.

A pesquisa, realizada em tanques que reproduzem as condições do mar, comprovou que a descoloração e até a morte de corais no mundo nos últimos anos pode ter sido provocada exclusivamente pelo aumento da temperatura dos oceanos.

Essa deterioração ocorre independentemente da poluição do mar, do aumento da acidez da água ou da proliferação de bactérias que destroem esses organismos.

A conclusão é o resultado de testes feitos no Mesocosmo Marinho, um laboratório intermediário entre um aquário e um experimento em condições naturais que a ONG Coral Vivo construiu em uma praia de Arraial d'Ajuda, na Bahia, perto de um grande recife.

No laboratório com 16 tanques de 130 litros, foram simuladas as diferentes temperaturas para os oceanos previstas pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU para o final deste século, desde a mais otimista até a mais pessimista.

Exemplares vivos dos corais mais comuns do sul da Bahia foram deixados durante um mês e meio em tanques alimentados constantemente com água marinha a diferentes temperaturas.

"A maioria dos exemplares estudados morreu ao ser submetida a uma temperatura 4,5 graus centígrados superior à atual nos oceanos", diz à Agência Efe o biólogo Clovis Castro, pesquisador do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador geral do Projeto Coral Vivo, financiado pela Petrobras.

Segundo Castro, professor da UFRJ, "com uma temperatura dois graus centígrados superior à normal, a maioria dos corais perdeu sua coloração, e com um grau a mais apresentou algumas doenças".

Os corais que permaneceram em água a 28 graus centígrados, a temperatura média do mar frente em Arraial d'Ajuda, não sofreram a lavagem nem doença alguma.

O IPCC, que projetou seis cenários possíveis para o ano 2100, prevê que a temperatura média do planeta aumentará entre 1,8 e 4,0 graus, com a possibilidade de atingir um extremo de 5,8 graus de alta.

Os cientistas consideram que os resultados podem explicar a morte de corais em outras partes do mundo, especialmente no Oceano Índico e no Mar do Caribe.

"A alta temperatura expulsa as microalgas que coabitam nos corais e cujos pigmentos lhe dão a coloração ao esqueleto. A ausência da alga afeta toda a fisiologia do organismo, que acaba morrendo", explica Castro.

Apesar disso, ele indica que não se pode dizer categoricamente que o aquecimento extinguirá os corais "porque os organismos têm capacidade para se adaptar e buscar outras formas de sobrevivência e de obtenção de alimentos, inclusive em águas mais quentes e ácidas".

Segundo o diretor do Coral Vivo, os resultados do experimento permitirão a publicação de pelo menos cinco artigos em revistas científicas internacionais.

O Mesocosmo Marinho recebe constantemente água do mar através de um encanamento de 500 metros que chega a uma boca do recife de Arraial d'Ajuda, o que garante que suas condições sejam idênticas às dos organismos em seu habitat natural.

O sistema, inaugurado em outubro passado, possui equipamentos que permitem o aquecimento e a acidificação da água conforme o que se deseja para o experimento.

É o único em operação no mundo para estudos de mudanças climáticas em corais, pois um outro que a Austrália começou a operar em 2010 está paralisado por problemas técnicos, e o México inaugurou um no final do ano passado que até agora não foi usado em experimentos.

"Temos um laboratório no qual se pode prever o que ocorrerá com os recifes do Brasil em 100 anos pelo aquecimento global", destaca à o biólogo Gustavo Duarte, gerente de projetos do Coral Vivo, que prepara um experimento no qual se medirá a reação dos corais ao aumento da acidez do mar nas diferentes temperaturas previstas pelo IPCC para 2100.

Fonte: Efe

Dilma sanciona Código Florestal com vetos e edita MP complementar



Os 12 vetos feitos pela presidente Dilma Rousseff ao texto do novo Código Florestal Brasileiro foram justificados no Diário Oficial da União desta segunda-feira. Foram vetados totalmente os artigos 1º, 43º, 61º, 76º e 77º e parcialmente os 3º, 4º, 5º e 26º. O governo também publicou uma medida provisória para proteção e uso sustentável das florestas, que cria regras mais rígidas.

A medida visa a esclarecer dúvidas deixadas pelos vetos e as 32 alterações de texto feitas por Dilma. Entre as regras mais polêmicas, está o retirada da proposta que abriria margem a anistia a desmatadores: fica obrigatória a suspensão imediata das atividades em Área de Reserva Legal desmatada irregularmente após julho de 2008. Também é prevista a criação e mobilização de incentivos jurídicos e econômicos para fomentar a preservação e a recuperação da vegetação nativa.

A MP é, na verdade, um complemento do que foi vetado ou alterado no Código. Ela entra em vigor nesta segunda-feira e tem prazo de 60 dias, podendo ser prorrogada por mais 60 dias. No entanto, a medida ainda pode ser derrubada ou modificada no Congresso.

O anúncio das novas regras foi feito na sexta-feira pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, e pelos ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, da Agricultura, Mendes Ribeiro, e do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas. Além dos 12 vetos, das 32 modificações 14 recuperam o texto do Senado, cinco são novos artigos e 13 são ajustes e readequação de conteúdo.

Mudanças para o agricultor

Estão mantidos mecanismos de apoio ao grande produtor que deverá fazer a recomposição de reservas legais e Áreas de Preservação Permanentes (APP). "Para ter acesso a esse benefício, o agricultor terá de fazer o CAR (Cadastro Ambiental Rural), terá de se adequar à política ambiental em cinco anos", explicou a ministra Izabella. Ela explicou que quando o proprietário que tiver área a recompor se inscrever no Cadastro Ambiental Rural, a multa por desmatamento é suspensa e só será convertida quando comprovada a restauração.

A presidente cortou também o trecho da proposta que veio do Senado que isentava as propriedades urbanas de manter APP, com exceção de matas ciliares. No texto da Câmara, as APPs só eram aplicadas às propriedades rurais. Mantêm-se as APPs definidas no Código Florestal nas áreas urbanas e rurais.

A recomposição de matas ciliares para pequenas propriedades não vai variar de acordo com a largura do rio. A faixa a ser recomposta varia de 5 m a 15 m, segundo o tamanho da propriedade. Para grandes áreas de terra, com mais de quatro módulos, margeadas com rio mais largos que 10 m, a faixa de mata ciliar poderá chegar a 100 m.

Áreas próximas ao mar

O texto diz que as áreas litorâneas (apicuns e salgados) podem ser utilizados em atividades de carcinicultura (cultivo de crustáceos) e salinas, desde que dê salvaguarda à integridade dos manguezais, recolhimento, tratamento e disposição adequados dos efluentes e resíduos. A licença ambiental será de cinco anos, renovável apenas se o empreendedor cumprir as exigências da legislação ambiental e do próprio licenciamento, mediante comprovação anual inclusive por mídia fotográfica.

Descanso dos solos

A prática de interrupção de atividades ou usos agrícolas, pecuários ou silviculturais, chamada de pousio, fica estabelecida por no máximo cinco anos, em até 25% da área produtiva da propriedade ou posse, para possibilitar a recuperação da capacidade de uso ou da estrutura física do solo. Sendo assim, a área não será considerada como terra abandonada, mas como área de pousio.

Confira como foi sancionado o texto do novo código, clicando aqui


Fonte: Terra

V Simpósio de Biologia Celular da UFMG



De 27 a 31 de agosto de 2012, acontecerá em Belo Horizonte (MG), o V Simpósio de Biologia Celular da UFMG.

Este ano o evento associou-se a outros dois Programas de Pós-Graduação em Biologia Celular: das Universidades Federais de Viçosa (UFV) e Uberlândia (UFU).

O Simpósio terá sua programação formada por com mini-cursos, palestras e mesas-redondas.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 17 de julho.

O envio de resumos deverá ser feito no período de 02 de junho a 10 de agosto.

O evento tem o apoio do CRBio04.

Mais informações:
http://www.icb.ufmg.br/sbc/

Concurso Público Matias Cardoso – MG (Cadastro de Reserva para Biólogos)


A Prefeitura de Matias Cardoso (MG) irá realizar concurso público cuja contratações serão regidas pelo Regime Jurídico Estatutário da localidade.

O cargo Biólogo é destinado a cadastro de reserva. O vencimento é de R$1.500,00.

É possível se inscrever no período de 23 de julho a 12 de agosto de 2012, por meio do site www.idecan.org.br .

A previsão é que a prova objetiva seja aplicada no dia 02 de setembro de 2012.

Mais informações:

Concurso Público Porto Seguro – BA (01 vaga para Biólogos)

Foi publicado edital de concurso público da Prefeitura de Porto Seguro (BA), que prevê o preenchimento do quadro estatutário dos servidores municipais.

As inscrições deverão ser realizadas até o dia 06 de junho de 2012, através do endereço eletrônico www.srconcursosepesquisas.com.br .

O cargo Biólogo possui 01 vaga disponível e o salário inicial é de R$2.316,73.

Os candidatos inscritos no concurso, só terão acesso ao calendário de execução das provas após o encerramento das inscrições.

Mais informações:

XV Simpósio de Biologia Marinha



O XV Simpósio de Biologia Marinha acontecerá de 02 a 06 de julho de 2012, em Santos (SP).

O evento terá em sua programação 24 mini-cursos, 14 palestras, 1 mesa-redonda, apresentação de trabalhos científicos na forma de painéis e oral, oficinas e concurso de fotos.

Serão abordados os temas como Gestão Ambiental, Ecotoxicologia, Biologia de Tubarões, Arqueologia Subaquática, Biologia de Aves Marinhas, Resgate de Animais Marinhos, Conservação de Baleias, Biologia dos Pinípedes, entre outros.

Mais informações:

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Ecoteca Ditigal



O Instituto Terra Brasilis criou um banco de dados em seu site com a finalidade de ancorar de forma mais organizada os números já disponibilizados do seu acervo. 

Esta iniciativa objetiva oferecer aos interessados na temática sobre Áreas Protegidas, conhecimentos e informações para subsidiar as pessoas que atuam ou que possuam interesse nas Unidades de Conservação, contribuindo desta forma para apoiar os esforços que o país vem desenvolvendo para requalificar a gestão desses espaços de conservação “in situ” de importantes amostras dos nossos biomas, além de valorizá-los como local privilegiado para pesquisas, ecoturismo e educação ambiental. 

A Biblioteca Digital será composta por temas prioritários, tais como: “Conselho Consultivo, Educação Ambiental, Espeleologia, Gestão, Legislação, Monitoramento, Pesquisas Realizadas em UCs, Planos de Manejo, Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, Uso Público (ecoturismo, trilhas, exposições, etc...), Voluntariado, Mapoteca e demais temas de interesse. 

Mais informações:

Cães modernos parecem pouco com seus ancestrais



Uma análise feita por cientistas da Universidade Durham, no Reino Unido, mostra que, geneticamente, os cachorros modernos apresentam poucas similaridades com os seus ancestrais.

Os cães foram os primeiros animais domesticados pelo homem e conhecer seus antecedentes pode levar a informações que elucidem um ou outro aspecto do desenvolvimento da civilização humana.

O "melhor amigo do homem", da mesma forma que seu dono, está condicionado às interferências do ambiente. A população canina, por exemplo, sofreu os efeitos da Primeira e Segunda Guerra Mundiais, afirmaram os envolvidos na pesquisa.

Mas a dificuldade de estudá-los é ainda maior por um detalhe que faz toda a diferença: os vários cruzamentos de raça que foram realizados durante milhares de anos. Isso faz com que muito pouco ainda se saiba sobre eles, como, quando e onde se deu a domesticação.

De acordo com a pesquisa, akita, galgo afegão e sharpei, raças classificadas como antigas, estão tão perto de se parecer com o primeiro cão doméstico como qualquer outra.

"Tanto a aparência quanto o comportamento dos cães modernos seriam estranhos para nossos ancestrais, que viveram há algumas centenas de anos", afirmou o biólogo Greger Larson, um dos autores da pesquisa.

O estudo também sugere que, dentro dos 15.000 anos de história de domesticação canina, o ato de tornar os cães mascotes começou apenas a 2.000 anos. Antes disso, eles eram utilizados apenas para trabalhos específicos.

ISOLADOS

Pesquisas anteriores afirmavam que diversas raças, como basenjis, salukis e dingos, por possuirem uma assinatura genética diferente, seriam a evidência da herança ancestral.

Mas a análise atual mostrou que essa diferença se deu por causa de um isolamento geográfico, já que elas não fizeram parte dos clubes de canis do século 19, onde a mistura de linhagens resultou nas atuais raças caninas.

Segundo os cientistas, o barateamento e agilidade das tecnologias de sequenciamento de DNA poderão levar a novas revelações sobre a domesticação e a evolução dos cães.

Fonte: Folha Online

Curso Avaliação de Impactos Ambientais



De 12 a 15 de junho, engenheiros de obras, gerentes e profissionais responsáveis por projetos e processos, poderão participar do curso de curta duração Avaliação de Impactos Ambientais.

O curso será realizado das 18h30 às 22h30, na sede do IETEC (Rua Tomé de Souza, 1065, Savassi, Belo Horizonte - MG). 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 3223-6251 e (31) 3116-1000, e pelo e-mail cursos@ietec.com.br

Pós–graduação em Perícias e Avaliações Ambientais



A Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas - FACSETE irá realizar a pós–graduação em Perícias e Avaliações Ambientais.

O objetivo é promover o aprendizado multidiscilpinar necessário para o desempenho das atividades de perícias ambientais. 

As aulas terão início no dia 23 de junho e acontecerão em Sete Lagoas (MG), aos sábados, das 8h às 12h e das 14 às 18h (alternando: dois sábados com aula e um sem aula).

Mais informações:

IX Semana da Biologia


Minas Gerais poderá perder até R$ 450 bilhões com mudanças climáticas em 40 anos



Os prejuízos causados pelas mudanças climáticas globais à economia do Estado de Minas Gerais poderão chegar a R$ 450 bilhões até o ano de 2050. Os efeitos serão mais acentuados nas áreas mais pobres do estado, ampliando as desigualdades regionais.

As conclusões são de um estudo feito na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em São Paulo, e na Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), de Minas Gerais. Para realizar a análise integrada dos impactos econômicos dos fenômenos climáticos, os pesquisadores criaram uma nova metodologia que articula as projeções de alterações climáticas a modelos socioeconômicos.

A pesquisa foi parte do Estudo Econômico das Mudanças Climáticas do Brasil (EMCB), um consórcio que envolve algumas das principais instituições de pesquisa do país. A pesquisa foi apresentada no dia 23 de maio na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

Em 2009, o EMCB estimou que os prejuízos causados ao Brasil pelas mudanças climáticas podem chegar a R$ 3,6 trilhões nos próximos quarenta anos.

Graças à nova metodologia, o estudo realizado tem um grau de detalhamento muito maior, traçando um quadro geral do futuro da economia mineira para setores, regiões e microrregiões consistente com as premissas utilizadas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês).

A nova metodologia foi fruto da tese de livre-docência de Eduardo Haddad, coordenador-geral do estudo e diretor de Pesquisas da Fipe. Haddad é professor da FEA-USP, onde defendeu a tese em 2004.

Segundo Haddad, a metodologia – denominada “modelo espacial de equilíbrio geral computável”– está sendo aplicada em trabalhos sobre impacto econômico de mudanças climáticas no Brasil e em outras regiões do mundo, como Áustria, Colômbia, Equador e no arquipélago português dos Açores.

“Chegamos a um modelo econômico capaz de lidar de maneira consistente com a integração de modelos de demanda e oferta de energia, de uso da terra e de produtividade agrícola, que por sua vez são integrados a modelos climáticos. Desenvolvemos esses modelos no contexto espacial, incorporando avanços teóricos recentes”, disse Haddad à Agência FAPESP.

Para avaliar os impactos climáticos na economia de Minas Gerais, foram considerados dois cenários de referência, elaborados com e sem a ocorrência de mudanças climáticas nos setores de agricultura, pecuária e energia.

Os pesquisadores geraram dois cenários climáticos alinhados com os cenários A2 e B2 do IPCC. O cenário A2 considera uma situação com aumentos de temperatura variando entre 3 e 5 graus Celsius. O cenário B2 projeta um aumento entre 2 e 4 graus.

“Em ambos os cenários, concluímos que as mudanças climáticas terão impactos negativos muito importantes sobre a economia mineira. Os impactos climáticos poderão diminuir o PIB estadual entre 1% no cenário A2 e 2,7% no cenário A1. Com isso, a redução acumulada do PIB do estado nesse período poderá variar de R$ 155 bilhões a R$ 450 bilhões, a preços de 2008”, disse Haddad.

Os resultados das simulações sugerem ainda que as mudanças climáticas podem levar a uma redução significativa das áreas florestais nos estabelecimentos agrícolas, aumentando a pressão por desmatamento em Minas Gerais.

O estudo também apontou que as mudanças climáticas deverão provocar aumento da concentração espacial da atividade econômica, ampliação das desigualdades regionais, redução do bem-estar nas áreas rurais e aumento das pressões sobre as aglomerações urbanas.

“O estudo apontou que as mudanças climáticas são uma ameaça maior para as regiões mais pobres do estado. Os prejuízos ao PIB regional deverão ser mais altos nessas regiões, intensificando-se ainda mais ao longo do tempo. As microrregiões do norte de Minas Gerais e do Vale do Jequitinhonha deverão ser as mais afetadas”, apontou Haddad.

As microrregiões localizadas no noroeste de Minas Gerais, no Triângulo Mineiro, na Zona da Mata e no sul do estado também deverão apresentar participação nos custos superiores a suas participações no PIB do estado, de acordo com o estudo.

Segundo Haddad, as estimativas sobre os impactos das mudanças climáticas na economia mineira são conservadoras, uma vez que o trabalho se concentrou nas transformações causadas pelo aumento de temperatura na variação do regime de chuvas, mas não considerou outras consequências esperadas, como o aumento de frequência de eventos extremos como inundações, secas e catástrofes.

No estudo, os pesquisadores sugerem um conjunto de políticas que podem ser adotadas para impedir os prejuízos previstos. “O estudo fornece subsídios para políticas públicas de mitigação dos efeitos econômicos das mudanças climáticas e de promoção de adaptações aos seus efeitos, que tendem a se intensificar na segunda metade do século. Se nada for feito, entraremos em uma trajetória desastrosa que levará à perda de até dois anos de PIB em quatro décadas”, disse Haddad.

Entre outras recomendações, o estudo sugere a canalização de recursos para a promoção do desenvolvimento das regiões norte e nordeste do estado, mas com maior foco em projetos que promovam a sustentabilidade ambiental regional.

Outra recomendação é a criação de políticas de ordenamento de uso de solo, de modo a garantir o cumprimento das metas de redução de desmatamento, e o desenvolvimento de tecnologia com vistas à adaptação dos cultivares a condições climáticas mais adversas, fundamental para reduzir a vulnerabilidade dos produtores agrícolas.


Fonte: Agência FAPESP

Instituto de Botânica inaugura viveiro de plantas



O Instituto de Botânica de São Paulo (IBot) irá inaugurar, no dia 06 de junho, um novo viveiro de plantas.

Contando com uma área de aproximadamente 700 m2, sendo 222 m2 destinados a espécies que necessitam de sombreamento e o restante às espécies de áreas ensolaradas, o novo viveiro possibilitará a realização de estudos integrados e específicos de diferentes grupos de plantas cujas características podem definir melhor os modelos de restauração e conservação dos ecossistemas.

O espaço também possibilitará pesquisas na área de produção de mudas para subsidiar os projetos desenvolvidos pelo IBot e pela Secretaria de Meio Ambiente.

ntre os projetos estão o cultivo de espécies nativas para a restauração ecológica de áreas degradadas, a formação de um banco de germoplasma de plantas resgatadas em diversas regiões, e a manutenção de coleções vivas do Jardim Botânico – como a coleção de espécies raras e ameaçadas, para fins de conservação biológica.

O herbário do Instituto de Botânica reúne um acervo de dois séculos de amostras da flora brasileira, em grande parte representativa do estado de São Paulo. Conta atualmente com 460 mil exsicatas de plantas e fungos, distribuídas por todos os grupos vegetais (algas, fungos, briófitas, pteridófitas e fanerógamas).

Também abriga coleções históricas importantes, como as coletadas pela Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo (iniciada no fim do século 19), pela Comissão das Linhas Telegráficas e Estratégicas do Mato Grosso ao Amazonas, na Estação Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba e, mais recentemente.

Mais informações: 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Brasileiros estão mais preocupados com selos ambientais de produtos que pretendem consumir



Segundo o levantamento Barômetro de Biodiversidade, divulgado este mês, mais de 90% dos consumidores brasileiros buscam ingredientes naturais quando vão comprar cosméticos e mais de 80% deles procuram selos éticos e ambientais e querem saber a origem desses componentes. A pesquisa mostra ainda que os brasileiros são os que mais se preocupam com essas questões na hora de adquirir cosméticos.

A pesquisa entrevistou oito mil pessoas de oito países acerca do conhecimento e importância que os entrevistados e as empresas conferem aos temas biodiversidade e desenvolvimento sustentável nas relações de consumo.

Conforme pontua Cristiane de Moraes, representante da organização suíça União para BioComércio (UEBT) no país, "as pessoas deixaram de dizer apenas que gostam do que é natural. Elas querem saber quais são as práticas por trás daquelas produções. Isso não acontece apenas no Brasil. De forma global, os consumidores começam a se sentir parte daquela cadeia".

A preocupação com essas questões é apontada na pesquisa como importante motivador para as empresas. De acordo com o levantamento, realizado no início deste ano, apenas entre os consumidores brasileiros, 69% afirmaram que deixariam de comprar determinadas marcas se tivessem conhecimento de que a empresa não apresenta boas práticas na cadeia de abastecimento.

Entre todos os entrevistados, quase 75% apontam o setor privado e o governo como os maiores responsáveis pelo desenvolvimento sustentável no mundo. Para a representante da UEBT, os empresários estão respondendo à expectativa. "Eles estão vendo a sustentabilidade como um todo. Querem ganhar dinheiro com biodiversidade e já compreendem que isso tem que ser feito de forma sustentável", aponta Moraes.

Essa preocupação motivou a UEBT a dar mais importância a mercados como o do Brasil, Índia e Peru que, além de serem mercados emergentes, detêm grande parcela da biodiversidade mundial. "As grandes multinacionais e empresas, principalmente do setor cosmético, que é mais mobilizado nesse tema, têm o Brasil como laboratório. Têm interesse em estudar os ativos daqui", explicou Moraes.

Com informações da Agência Brasil

IX Simpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia



Entre os dias 26 a 29 de novembro de 2012 a Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), sediará o IX Simpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia, com o tema “Avanços para a identidade cultural, conservação e uso da biodiversidade”.

O objetivo do evento é de criar oportunidades para o debate e para a troca de experiências entre pesquisadores e estudantes da área de Etnobiologia, Etnoecologia e áreas correlatas, enfatizando a articulação entre os conhecimentos das populações locais e aqueles produzidos em instituições formais de ensino e pesquisa.

O prazo máximo para submissão de resumos é até o dia 30 de junho de 2012.

Mais informações:

Lançamento do Livro Águas da Luz e da Vida

(clique na imagem para amplia-la)

Vaga para Biólogo na grande BH - Fiscal em obra de grande porte


A Reserva Real Empreendimentos Imobiliários S/A irá contratar Biólogo para atuar na fiscalização de obra de grande porte (prevenção de passivos ambientais) e execução de relatórios para órgãos ambientais competentes.

É necessário que o profissional tenha conhecimento em licenciamento ambiental e recuperação de áreas degradadas, disponibilidade de trabalhar no município de Jaboticatubas (Região Metropolitana de Belo Horizonte) e possuir CNH tipo B.

Os candidatos deverão encaminhar currículo com pretensão salarial até dia 03 de junho de 2012, para o e-mail joaocarvalho@designresorts.com

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente



Promovida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), a Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (OBSMA) busca incentivar a realização de trabalhos que contribuam para a melhoria das condições ambientais e de saúde no Brasil, além de possibilitar que o conhecimento científico se torne próximo do cotidiano escolar e que as atividades pedagógicas de professores e escolas ganhem visibilidade.

Criada em 2001 e voltada aos alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, de escolas públicas e privadas, reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC), a Olimpíada visa fortalecer nos jovens estudantes, o desejo de aprender, conhecer, pesquisar e investigar.

A inscrição vai até o dia 12 de junho de 2012 e é gratuita, realizada a partir do preenchimento do formulário eletrônico, disponível no sítio oficial - www.olimpiada.fiocruz.br e da postagem do material original, via correio convencional, à uma das coordenações regionais da Olimpíada.

Mais informações:

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Curso de Mudança Climática e Gestão de Carbono



Promoção
Centro de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Oswaldo Cruz

Objetivo
Compreender a mudança climática e entender seus impactos. Desenvolver competências necessárias à mitigação da mudança climática e gestão de carbono. Proporcionar conhecimentos necessários para implementar projetos para mitigação de gases do efeito estufa. Compreender os principais aspectos do mercado de carbono. Possibilitar o acesso a métodos e ferramentas para gestão de carbono.

Local
Cidade de São Paulo

Duração do Curso
16 semanas

Aulas
2ª feiras, das 19h às 23h

Início
06 de agosto de 2012

Mais informações

Mestrado em Ciência e Engenharia Ambiental



A Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) abriu as inscrições para a seleção de alunos para o Programa de Pós-graduação em Ciência e Engenharia Ambiental (Mestrado).

O número de vagas oferecido é 20 sendo que a lista dos docentes, disponíveis para orientação, está publicada no site do programa (http://www.unifal-mg.edu.br/ppgcea/).

As inscrições deverão ser feitas até o dia 09 de junho de 2012, através do site http://www.unifal-mg.edu.br/app/posgrad/inscricoes/ .

A aprovação do candidato no  exame de seleção do  curso  não implica na concessão automática de bolsa.

Mais informações:

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA SEBASTIÃO FONTINHA




O CRBio-02 irá promover o I CONCURSO DE FOTOGRAFIA SEBASTIÃO FONTINHA, aberto para Sociedade em geral residentes no RJ e no ES,  que não se enquadrem na categoria de  “fotógrafo profissional”, ou seja, que sua renda mensal não provenha da venda ou marketing de suas fotos.

As fotografias inscritas podem estar enquadradas em uma das seguintes categorias: Paisagem, Vida silvestre ou Vida microscópica.

As inscrições  estão abertas e as fotografias impressas deverão ser enviadas via correio (por carta registrada) até o dia 28 de maio de 2012.

O limite é de 3 fotos inscritas por participante.

Para inscrição as fotos deverão ser enviadas juntamente com a ficha de inscrição, disponibilizada no site www.crbio-02.gov.br, ou requisitadas pelo e-mail eventos@crbio-02.gov.br .

O resultado do Concurso será anunciado no dia 11 de junho de 2012 na abertura da programação em referência a Rio + 20, após a palestra de abertura às 12 horas no auditório do CRBio-02, situado a R. Alvaro Alvim, 21 /12 andar – Cinelândia – Rio de Janeiro.

Mais informações:

Inpe e Rede Clima lançam cartilha educativa para a RIO+20



O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Rede Brasileira de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede Clima) produziram uma cartilha educativa, intitulada O futuro que queremos – economia verde, desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza.

Voltada ao público em geral, a publicação apresenta os conceitos de economia verde e sustentabilidade e a importância da erradicação da pobreza, que são temas que serão discutidos durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO+20), que será realizada de 13 a 22 de junho no Rio de Janeiro.

A cartilha também traz um histórico das conferências anteriores relacionadas ao meio ambiente e o conceito de “pegada ecológica” (metodologia usada para medir os rastros deixados pelos humanos no planeta a partir de seus hábitos).

A publicação apresenta ao leitor os cenários de mudanças climáticas projetadas para o Brasil para o século 21, as atividades do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e outros projetos e programas nessas áreas, apoiados pelo Inpe.

A cartilha está disponível para download em versão para internet em www.inpe.br/noticias/arquivos/pdf/RIO+20-web.pdf .

O arquivo digital com resolução para impressão pode ser solicitado pelo e-mail maira.morais@inpe.br

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Dia Nacional da Educação Ambiental




Foi publicada no Diário Oficial da União, edição de 15 de maio de 2012, a Lei que institui o Dia Nacional da Educação Ambiental, sancionada pela presidente da República, Dilma Rousseff. Segundo a Lei nº 12.633, de 14 de maio de 2012, a data passa a ser comemorada, anualmente, em 03 de junho.

Para mais informações, clique aqui

Pesquisa da UFMG prova que o alecrim-do-campo recupera até solo contaminado



O alecrim-do-campo (Baccharis dracunculifolia) é tido como uma espécie resistente, que invade territórios de pastagem com muita facilidade. Só que a planta, espécie de arbusto típico do cerrado, serve também para recuperar solos degradados pela ação devastadora da mineração. É o que prova uma nova pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desenvolvida pela Bióloga Lívia Gilberti para o seu mestrado em biologia vegetal no Instituto de Ciências Biológicas (ICB). Iniciado no fim de 2010 sob a orientação do professor Geraldo Wilson Fernandes, o projeto comprovou que a espécie pode absorver grandes quantidades de arsênio, elemento muito comum em áreas já mineradas.

A exposição crônica ao semimetal pode causar doenças graves, incluindo câncer de pele, pulmão, próstata e bexiga, além de hiperpigmentação da pele e outras doenças graves, de coração e neurológicas. Embora seja um elemento abundante na natureza, utilizado também em herbicidas e inseticidas, a grande liberação do arsênio acaba sendo acentuada pela escavação das rochas, o que aumenta a liberação de grandes quantidades do elemento, contaminando o solo e reservas de água próximas.

Fonte: Correio Braziliense

Seleção para Apoio a Projetos de Pesquisa no Estado de Goiás



Encerra-se nesta sexta-feira o período para submissão de projetos de pesquisa para financiamento à CHAMADA PÚBLICA N°05/12 – FAPEG/UNIVERSAL da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás.

O objetivo é selecionar propostas para apoio financeiro a projetos de pesquisa que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação em Goiás.

A chamada é uma oportunidade para criar, aperfeiçoar e modernizar laboratórios vinculados às unidades de pesquisa.

O cadastro da proposta deverá ser efetuado pelo proponente no Sistema FAPEGestor, acessado por meio do sítio da FAPEG no endereço eletrônico www.fapeg.go.gov.br/universal até as 23h59min do dia 25 de maio.

Mais informações:

Processo Seletivo UFTM (01 vaga para Professor)

Tiveram início as inscrições para o processo seletivo da UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, que contratará professor de biologia por tempo determinado.

O edital 045/2012 apresenta 01 vaga, a qual suprirá a demanda de professor no Departamento de Biologia, na área de Fisiologia.

É exigido mestrado do candidato e a remuneração mensal é de R$3.016,52.

Acessando o endereço eletrônico www.uftm.edu.br, será possível de inscrever até o dia 03 de junho de 2012.

As datas, locais e horário da realização da seleção, serão informados posteriormente no site da UFTM.

Mais informações:

Censo vai mapear todas as espécies da Amazônia



Pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém, lançam nesta sexta-feira (18) um plano ambicioso: o de disponibilizar na internet a lista completa de todas as milhares de espécies de animais e plantas da Amazônia.

O Censo da Biodiversidade (que já pode ser acessado on-line ) por enquanto agrega apenas uma lista de mais de 3.000 espécies de animais, de mamíferos a aranhas, todos eles nativos do Pará.

"O plano é que, até o fim do ano, a gente consiga atingir toda a Amazônia brasileira", disse à Folha o biólogo Ulisses Galatti, um dos coordenadores da iniciativa.

O projeto se une a outras ferramentas virtuais Brasil e mundo afora cujo objetivo é concluir a tarefa aparentemente simples, mas na prática extremamente cabeluda, de contar quantas espécies existem no planeta.

Sem esse dado básico, fica muito difícil proteger as áreas mais ameaçadas pela pressão humana ou estudar as raízes evolutivas de plantas ou animais. No entanto, problemas como a escassez de profissionais especializados em sistemática (o ramo da biologia que classifica os seres vivos) atrapalham um bocado.

Mesmo em grupos já estudados de cabo a rabo, como mamíferos e aves, a expectativa é que 10% das espécies amazônicas ainda sejam desconhecidas, diz Galatti.

"Quando se fala de répteis e anfíbios, então, ainda há muita coisa desconhecida", afirma o biólogo do Goeldi.

REFERÊNCIA

Por enquanto, o internauta tem acesso apenas aos nomes científicos e ao status de conservação (se a espécie está criticamente ameaçada de extinção ou é apenas vulnerável, por exemplo) dos bichos paraenses.

O plano, no entanto, é indicar, para cada espécie, em que museu estão seus exemplares de referência, ou seja, os indivíduos (empalhados ou preservados em álcool, digamos) que serviram de base para que o descobridor da espécie a descrevesse.

Essa informação é crucial para que outro cientista, diante de uma criatura parecida, consiga dizer se ela pertence a uma espécie ainda desconhecida ou à mesma.

Os pesquisadores também devem incluir imagens e até sons de cada espécie. Em última instância, a iniciativa do censo pretende incluir espécies amazônicas dos países vizinhos e também de outros ecossistemas do país.

Junto com o site, o Goeldi também está lançando a publicação "Espécies do Milênio", que reúne as 130 novas criaturas descobertas pelos pesquisadores do museu entre o ano 2000 e 2011.

O museu também promove hoje um debate sobre a Rio+20, conferência ambiental da ONU que ocorre no Rio de Janeiro em junho, e a biodiversidade da Amazônia.

"É louvável discutir a economia verde na Rio+20, mas para isso é preciso pensar num desenvolvimento amazônico baseado em ciência e no potencial econômico da biodiversidade", diz Galatti.

Fonte: Folha Online

III Workshop de Genética, Conservação e Biologia Evolutiva do INPA



O Programa de Pós Graduação em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (PPG-GCBEv) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA irá promover o  III Workshop de Genética, Conservação e Biologia Evolutiva do INPA que será realizado na cidade de Manaus, entre os dias 03 a 08 de setembro de 2012.

Os objetivos desse evento são promover intercâmbio e troca de experiências entre graduandos de diversas regiões brasileiras, abordando assuntos atuais das áreas de genética, conservação e biologia evolutiva incluindo atividades de campo e práticas laboratoriais, além de divulgar as linhas de pesquisa desenvolvidas pelo Programa de Pós-graduação em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva do INPA.

Mais informações:

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Processo Seletivo UFF (02 vagas para Professor Bioquímica)


Está disponível o edital para processo seletivo da UFF - Universidade Federal Fluminense, que contratará professor substituto para o Departamento de Biologia Celular e Molecular.

O edital 092/2012 procura candidato que tenha Mestrado em Bioquímica; Biologia Celular e Molecular; Ciências; Biociências; Química; Ciências Biológicas; Química Biológica; Ciências da Saúde; Biologia Marinha; Biologia das Interações; Biotecnologia; Neuroimunologia; Neurociências; Patologia.

A remuneração mensal é de R$3.016,52. São 02 vagas em aberto.

Para participar da seleção, basta preencher a ficha de inscrição no site sistemas.uff.br, no período de 21 a 30 de maio de 2012.

A previsão do concurso, é que as provas sejam aplicadas entre os dias 11 a 15 de junho de 2012, em locais e horários a serem definidos e divulgados posteriormente no site da UFF e no Diário Oficial da União.

Mais informações:

III Encontro de Ciências Biologicas da Universidade Estadual de Londrina



Será realizado entre os dias 31 de julho e 4 de agosto de 2012, no Cine COMTUR, em Londrina (PR), o III Encontro de Ciências Biologicas da Universidade Estadual de Londrina.

O evento este ano tem o seguinte tema: "40 anos do curso de Ciências Biológicas da UEL".

As inscrições para o Encontro estarão abertas a partir do dia 25 de maio.

Mais informações:
http://ecbuel.com/

Brazilian Biophotonics Winter School



Entre os dias 1º e 6 de julho será realizado na Universidade do Vale do Paraíba (Univap), em São José dos Campos, o I Brazilian Biophotonics Winter School. O prazo para a submissão de trabalhos termina no dia 25 de maio.

O objetivo do workshop é reunir estudantes e profissionais das áreas de biologia, química, física, física médica e afins para debater e divulgar as novas aplicações da Biofotônica – ciência que usa a luz como ferramenta – em biologia e medicina.

Entre as técnicas que serão abordadas na programação estão: modelagem biomolecular, espectroscopia de fluorescência, terapia fotodinâmica e tomografia de coerência óptica.

Mais informações: www.biophotonics2012.com.br, biophotonics2012@univap.br ou (12) 3947-1165. 

Políticas públicas e sustentabilidade ambiental - Terça Ambiental



Políticas públicas e sustentabilidade ambiental em Minas Gerais serão debatidas da próxima Terça Ambiental, que acontece no dia 29 de maio, às 19h.

O evento, idealizado pela Amda, trará como palestrante o Secretário de Estado e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, para discutir as questões relacionadas ao meio ambiente e desenvolvimento das cidades.

Após a palestra, o público poderá fazer perguntas e considerações sobre o tema.

No final do evento, haverá sorteio de brindes e diárias em pousada na Serra do Cipó.

A Terça Ambiental acontece no auditório do Senac, localizado na Rua Guajajaras, 40, 16º andar, Centro de Belo Horizonte.

A participação é gratuita e as vagas limitadas. Faça já a sua inscrição: http://migre.me/98aJx .

Mais informações: (31) 3291 0661

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Concurso Público Unifal – MG (01 vaga para Professor)


Tiveram início as inscrições para o concurso público da Unifal – MG, Universidade Federal de Alfenas, o qual contratará professor de genética para a classe adjunto.

O edital 067/2012 exige título de doutor na Área de Avaliação em Genética da CAPES com tese de doutorado desenvolvida na área de Genética Humana ou Médica.

Os candidatos deverão acessar o endereço eletrônico www.unifal-mg.edu.br para preencher a ficha de inscrição, até o dia 13 de junho de 2012.

A remuneração mensal é de R$7.333,66.

Mais informações:

Ciência é tema do Festival do Minuto



O Festival do Minuto foi criado em 1991 e é hoje o principal festival de vídeos da América Latina, tendo inspirado iniciativas similares em outros 50 países.

Pela a primeira vez, a Ciência é o tema do Festival. As inscrições vão até o dia 27 de outubro de 2012.

A participação é aberta para todos os públicos e o desafio é condensar o que o participante sabe sobre um tema ou área do conhecimento em apenas 60 segundos.

Além dos estudantes e professores de primeiro e segundo grau, público tradicional do evento, a ideia é atrair a participação de universitários, pós-graduandos e também de cientistas interessados em divulgar suas pesquisas.

Para participar, basta enviar o vídeo em qualquer formato. Vale até mesmo aquele feito com o celular e tablet ou animações.

Mais informações: 

Concurso Público CRBio04 (03 vagas para Auxiliar Administrativo e 02 vagas para Biólogos)




O Conselho Regional de Biologia da 4ª Região irá promover, através do Instituto de Educação e Desenvolvimento Social Nosso Rumo, Concurso Público, destinado ao provimento de vagas, pelo regime da Consolidação das Leis de Trabalho - CLT, nos empregos atualmente vagos, bem como para formação de cadastro de reserva, dentro do prazo de validade de 02 anos, prorrogável, a critério do CRBio04, por igual período, a contar da data da homologação do resultado do mesmo.

Existem 03 vagas para o cargo Auxiliar Administrativo. O salário inicial é de R$1.464,82. É exigido nível médio completo do candidato.

O cargo Fiscal possui 02 vagas disponíveis e o salário inicial é de R$2.665,00. O profissional deve ter ensino superior completo em Biologia, registro no CRBio04 e disponibilidade para viagens.

Os benefícios para o cargo Fiscal incluem R$400,00 de vale-alimentação, + vale-transporte e plano de saúde integral.

O CRBio04 ainda possui um Plano de Cargos, Carreiras e Salários que aumenta gradativamente o salário do funcionário ao longo dos anos.

O local de atuação dos profissionais é em Belo Horizonte/MG.

As inscrições serão realizadas via internet, no endereço eletrônico www.nossorumo.org.br, iniciando-se no dia 17 de maio às 8h e encerrando-se, impreterivelmente, às 18h do dia 14 de junho de 2012, observado o horário oficial de Brasília/DF.

As provas objetivas estão previstas para serem aplicadas em 22 de julho de 2012, na cidade de Belo Horizonte/MG.

Para mais informações, o Instituto Nosso Rumo disponibiliza o Serviço de Atendimento ao Candidato, por meio do telefone (11) 3664-7878, o e-mail candidato@nossorumo.org.br e o link “Fale Conosco” disponível em seu site www.nossorumo.org.br .

Mais informações, através do edital do concurso:

terça-feira, 15 de maio de 2012

Pós-graduação IPOG




Veja abaixo os cursos de pós-graduação do IPOG dos próximos meses.

Biólogos registrados no CRBio04 possuem descontos.

MBA PERÍCIA, AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL - INÍCIO DIA 22 DE JUNHO (BRASÍLIA) / DIA 13 DE JULHO (GOIÂNIA)/ 17 DE AGOSTO (PALMAS) 
O MBA Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental objetiva apresentar a atual problemática ambiental e oferecer ferramentas necessárias para desenvolver a consciência crítica e dinâmica que permita o desenvolvimento de programas na área socioambiental, bem como a realização de auditoria e/ou perícia judicial e extrajudicial, atendendo as demandas concretas e urgentes da sociedade contemporânea.
Oferece fundamentação teórica e prática de forma a permitir que o profissional possa atuar no mercado de trabalho como auditor ambiental, perito ambiental, assistente técnico ou consultor ambiental de acordo com as atribuições inerentes a expertise destes profissionais.

MBA CONSTRUÇÃO SUSTENTAVEL -  INÍCIO DIA 17 DE AGOSTO (GOIÂNIA)
O MBA Construção Sustentável foi estruturado visando à exploração consciente e inteligente dos recursos disponíveis e à busca de novas alternativas sustentáveis.
O curso prepara o profissional para ser um especialista de alta performance, dominando técnicas de planejamento para empreendimentos da construção civil nas áreas do conhecimento relativas à sustentabilidade, suas vertentes de preservação e aplicação adequada dos recursos naturais, assim como o uso inteligente e integrado das fontes de energia, conforto termoacústico e a preocupação socioambiental.
Ter este MBA em seu currículo é a garantia de estar atualizado com as novas tendências da Construção Civil e ter um diferencial competitivo para sua carreira profissional.

MBA ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL -  INÍCIO DIA 17 DE AGOSTO (GOIÂNIA)
O MBA em Engenharia Sanitária e Ambiental capacita os profissionais compromissados com o equilíbrio entre o desenvolvimento socioeconômico e a manutenção da qualidade do meio ambiente, reduzindo os riscos a que são expostas as populações pelo comprometimento da sua saúde e qualidade de vida.

PERÍCIA CRIMINAL E CIÊNCIAS FORENSES - INÍCIO DIA 1 DE JUNHO (GOIÂNIA)
O curso promove o aprendizado multidisciplinar necessário para o desempenho das atividades de Perícias, oferencendo aos alunos conhecimentos metodológicos e pedagógicos para a doência e para o pleno exercício da perícia.

Mais informações:
http://www.ipog.edu.br/nao-aluno/comunicacao/noticias/proximos-cursos-a-serem-inaugurados-

V Semana de Biologia EaD e I Jornada de Formação Docente



A V Semana de Biologia EaD, com o tema “Educação e Sustentabilidade: compromisso de todos” e a I Jornada de Formação Docente, com o tema “Tecnologias Digitais: integração e convergência entre as modalidades de ensino”, irão acontecer nos dias 21 a 23 de junho de 2012, no Anfiteatro da Universidade Federal de Tocantins - Campus de Gurupi.

As inscrições podem ser efetuadas no site http://www.gurupi.uft.edu.br/inscricao até o dia 15 de junho de 2012.

Os dois eventos, apoiados pelo CRBio04, acontecerão de forma integrada, visando a socialização de experiências de sucesso na educação mediada pelas tecnologias, bem como a abertura do debate sobre perspectivas educacionais futuras.

Os inscritos poderão participar de palestras, mesas-redondas, mini-cursos, seções de comunicação e painéis.

Mais informações:

VIII Genética nas Férias



O Genética nas Férias surgiu com o intuito de divulgar o Programa de  de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular, da Universidade Estadual de Londrina, a alunos de graduação das diferentes áreas que contemplam a genética em seu programa.

Com o apoio da coordenação e docentes, alunos do programa buscam, com o VIII Genética nas Férias, fornecer um complemento extracurricular do conhecimento científico na temática Genética e Biologia Molecular.

O envio de resumos deve ser feito até 29 de junho.

Mais informações:

Biólogos promovem cerco à bactéria que infesta granjas



O Journal of Bacteriology aceitou para publicação um artigo assinado por pesquisadores do Instituto de Biologia (IB) referente ao sequenciamento do genoma de uma linhagem da Escherichia coli , causadora de processos infecciosos em frangos de corte e galinhas poedeiras. O artigo tem como autora principal Thaís Cabrera Galvão Rojas, doutoranda orientada pelo professor Wanderley Dias da Silveira, do Departamento de Genética, Evolução e Bioagentes. Trata-se do segundo trabalho publicado sobre o tema (à exceção de outro nos EUA) e o primeiro na América Latina e Europa.

Thaís Cabrera explica que linhagens APEC (Avian Pathogenic Escherichia coli) causam doenças extra-intestinais em diferentes espécies de aves. “Nesse trabalho estamos apresentando o draft genoma – que é o resultado da montagem de porções sequenciadas do genoma – de uma linhagem brasileira (SCI-07) isolada de lesões peri-orbitais de tecidos de uma galinha poedeira portadora da ‘síndrome da cabeça inchada’. Genes de virulência foram localizados na sequência de nucleotídeos que constitui o genoma, com o objetivo de caracterizar essa linhagem como sendo APEC”, resume a pesquisadora.

Os dados do sequenciamento foram depositados no banco de dados de genomas do National Center for Biotechnology Information (NCBI). Há apenas um ano, Wanderley Silveira falou ao Jornal da Unicamp sobre outro trabalho coordenado por ele, visando igualmente linhagens vacinais a partir da E. coli APEC. “Antes procurávamos genes ao acaso e verificávamos se estavam relacionados com patogenicidade. Agora, fizemos o contrário: sequenciamos a amostra inteira e, no genoma da mesma, procuramos os genes possivelmente relacionados a doenças para promover uma mutação dirigida, que é mais eficiente no processo de obtenção de linhagens vacinais”, esclarece o professor. 

Na opinião de Silveira, a publicação dos dados referentes ao genoma ajudará no desenvolvimento de novas vacinas e servirá a outros pesquisadores. “A publicação do genoma facilitará a detecção, em meio a aproximadamente cinco mil genes presentes na E. coli, daqueles relacionados a doenças – e, nestes, fazer uma mutação sítio-dirigida para verificar quais linhagens mutadas perdem a patogenicidade e podem ser utilizadas como vacina. Estes resultados também indicam produtos gênicos (proteínas) que podem ser utilizados para o desenvolvimento de vacinas contendo epítopos antigênicos. É um método mais eficiente do que aquele que descrevi na outra entrevista”.

As doenças causadas por E. coli, em aves comerciais, vão desde uma septicemia (infecção) generalizada, que leva à sua morte, até outras localizadas, como a síndrome da cabeça inchada (objeto específico do trabalho de Thaís Cabrera), que implica em condenação da carcaça nos abatedouros; a bactéria também produz celulite, onfalite e coligranulona. “Este tipo de E. coli tem uma importância econômica bastante grande para o Brasil, que é o terceiro maior produtor mundial de carne de aves e o primeiro exportador. O setor responde por 1,5% do PIB, num valor anual de 5 bilhões de dólares. Isso sem considerar o enorme consumo interno de um produto de grande valor nutricional e o emprego direito e indireto de milhares e milhares de pessoas”, afirma Wanderley Silveira.

Pesquisa maior

Thaís Cabrera está na metade do doutorado, sendo que o artigo a ser publicado no Journal of Bacteriology é apenas parte de uma pesquisa maior, dentro do Laboratório de Biologia Molecular Bacteriana. Na verdade, o grupo do IB possui mais três linhagens bacterianas com o DNA sequenciado, cada uma delas causadora de um tipo de doença. “O que anunciamos no artigo é que sequenciamos esse genoma e confirmamos que a bactéria, devido à presença de determinados genes já bastante estudados e relacionados à doença, é realmente patogênica para aves. Agora faço um trabalho de comparação com os outros três genomas sequenciados, que ainda está muito no começo”, diz a autora.

Ela observa que a quantidade de informações obtidas num sequenciamento é extremamente grande e a maior dificuldade vem depois, na verificação do que é cada gene e a sua utilidade. “Sempre vamos achar coisas novas em bactérias, mas o trabalho de prospecção ainda é muito árduo. Por isso, normalmente se faz o contrário, sequenciando determinado gene, que é um trabalho menor. Os pesquisadores ainda estão aprendendo a organizar todos os dados de um genoma para que se possa descobrir e extrair o que realmente tem relevância.”

Segundo Wanderley Silveira, a pessoa habilitada para fazer esta prospecção de genes é essencialmente o bioinformata. “O Brasil vem mostrando um avanço em diferentes áreas das ciências biológicas, principalmente por causa do advento de técnicas como a biologia molecular e a bioinformática. Mas, apesar de todos os estímulos que são oferecidos, ainda não existem pesquisadores formados em número suficiente nesta área. Thaís está aprendendo e, só nesse tempo de aprendizagem, já conseguiu ter um trabalho aprovado por uma publicação internacional.”

O professor do IB ressalta que há falta de recursos humanos em sua área de pesquisa como um todo, visto que o enfoque maior, de maneira geral, é dado a linhagens bacterianas de origem humana. “Temos no país grupos trabalhando em microbiologia, dentro dela os envolvidos com bacteriologia e, mais especificamente, os interessados em E. coli. É um nicho ainda pequeno, mas alguns grupos estão se fortalecendo e o nosso vem formando várias pessoas que atuam na área e já estão em outras universidades. O que faz o sistema científico funcionar é a disponibilidade de verba. Esse tipo de publicação vai dar maior visibilidade ao grupo, a fim de atrairmos mais recursos e alunos para serem formados nas diferentes especialidades, inclusive em bioinformática.”

Colaboradores

Para viabilizar seu trabalho, Thaís Cabrera contou com recursos da Capes, CNPq e Fapesp, além da colaboração de Gonçalo Guimarães Pereira, do Laboratório de Genômica do IB, na parte de bioinformática. O artigo para o Journal of Bacteriology, intitulado “The draft genome of a Brazilian Avian Pathogenic Escherichia coli (APEC) strain and in silico characterization of virulence related genes”, tem ainda os seguintes autores: Lucas Pedersen Parizzi, Monique Ribeiro Tiba, Gonçalo Amarante Guimarães Pereira e Wanderley Dias da Silveira, todos do Departamento de Genética, Evolução e Bioagentes do IB; Lihong Chen e Jian Yang, do Instituto de Biologia de Patógenos do Union Medical College de Pequim (China); e JunYu e Vartul Sangal, do Instituto de Farmácia e Ciências Biomédicas da Universidade de Strathclyde (Glasgow, Reino Unido).

Vacina deve chegar ao mercado em até 4 anos

O professor Wanderley Silveira afirma que os estudos realizados pelo seu grupo não têm importância apenas localizada, mas nacional, pois envolvem bactérias causadoras de processos infecciosos em aves de todo o país. “Temos linhagens das regiões Sul, Nordeste e Sudeste: Rio Grande do Sul e Paraná são grandes produtores de aves e Pernambuco tem este setor como segunda economia, enquanto no Estado de São Paulo há grande produção de ovos e aves de corte. Nosso sonho é obter linhagens vacinais brasileiras que possam ser utilizadas em plantéis de todas as regiões. O ideal seria uma linhagem única, contra o maior número de doenças, mas quatro linhagens talvez possam abarcar todas as patogenias. Pretendemos lançar esses produtos no mercado em três ou quatro anos.”

Em relação a possíveis colaborações com o setor privado, o pesquisador admite que tem feito contatos, mas considera que o desenvolvimento de ciência na indústria ainda é muito incipiente. “Geralmente, eles querem um trabalho já pronto, não têm paciência para esperar algum resultado. Tenho conhecimento de que produtos desenvolvidos em outros países podem ser trazidos para comercialização no Brasil. Entretanto, como não são linhagens brasileiras, não possuem necessariamente os mesmos mecanismos de patogenicidade que as nossas. Mas estão prontas para serem usadas, que é o que a indústria deseja.”

Fonte: Unicamp