quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Ações para compatibilizar desenvolvimento econômico com sustentabilidade ambiental



Um grupo de especialistas mundiais em meio ambiente publicou um documento reunindo um conjunto de recomendações para os líderes governamentais sobre ações necessárias e urgentes para compatibilizar desenvolvimento econômico com a sustentabilidade ambiental e social do planeta.

Intitulado "Desafios ambientais e desenvolvimento: o imperativo para agir", o documento foi elaborado por 20 cientistas laureados com o Blue Planet Prize.

Concedido pela fundação japonesa Asahi Glass Foundation desde 1992 – por ocasião da realização no Rio de Janeiro da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, mais conhecida como ECO-92 –, o prêmio é considerado o “Nobel do Meio Ambiente”, dado que a máxima distinção científica concedida pela Fundação Nobel não premia essa área de pesquisa.

Algumas das recomendações dos cientistas no documento são eliminar os subsídios em setores como os de energia, transporte e agricultura, que, na opinião dos autores, criam custos ambientais e sociais, e substituir o Produto Interno Bruto (PIB) como medida de riqueza dos países.

Na avaliação dos autores do artigo, o índice é incapaz de mensurar outros indicadores importantes do desenvolvimento econômico e social de um país, como seu capital social, humano e natural e como esses dados se cruzam. Por isso, poderia ser substituído por outras métricas, como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O artigo Environment and development challenges: the imperative to act, de Golbemberg e outros, pode ser lido em http://migre.me/86Knt .

Brasil deve atingir seu compromisso de reduzir em 80% o desmatamento no país ainda em 2012



Em palestra na London School of Economics (LSE), a senadora apresentou dados oficiais que mostram que, em 2010, foram desmatados 6.600 km2. "O compromisso assumido pelo governo brasileiro durante a COP-15, em Copenhague, em 2009, foi de chegar a uma área de 5.400 km2 em 2020. Ou seja, já praticamente chegamos a essa meta dez anos antes", afirmou a senadora Kátia Abreu.

Para a presidente da CNA, os principais fatores que contribuíram para a queda no desmatamento no Brasil foram a melhoria da fiscalização por parte das agências ambientais e os esforços do setor agropecuário brasileiro no sentido de aumentar sua produtividade sem a necessidade de destruir a vegetação nativa. 

"O produtor rural brasileiro não tem interesse em desmatar. O grande interesse dele hoje é produzir mais no mesmo espaço de chão. Ele sabe que se deixar a água acabar, a terra se degradar e as encostas desmoronarem, ele vai perder dinheiro. Ele sabe que se não corrigir seu passivo ambiental, ele não vai vender seu produto, porque hoje há uma enorme pressão do mercado por alimentos que respeitem o meio ambiente", disse a senadora Kátia Abreu.

A atividade agropecuária brasileira ocupa uma área de 236 milhões de hectares -- ou 27,7% do território nacional. Outros 61% estão preservados como mata nativa nos seis biomas do Brasil, entre eles a Amazônia. Com a aplicação de tecnologias que reduzem as emissões de gás carbônico e com iniciativas endossadas pela CNA, como o Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono) do Governo federal, o setor terá condições de incorporar à produção até 70 milhões de hectares de terras que hoje se encontram degradadas.

Entre essas iniciativas estão técnicas de agricultura sustentável exclusivamente brasileiras, como a integração lavoura-pecuária-floresta, além do trabalho de plantio direto, de restauração de pastagens degradadas e a fixação biológica do nitrogênio no solo. "O Brasil está hoje na condição única de produzir, de maneira sustentável e sem derrubar uma árvore, 400 milhões de toneladas de alimentos até 2050, contribuindo com a meta de 2,8 milhões da FAO [Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura] para alimentar os 9 bilhões de pessoas que habitarão o planeta até lá", disse a senadora Kátia Abreu.

O setor agropecuário brasileiro responde por 20,2% do PIB, por 37% dos empregos e por 37% das exportações do país. O Brasil é também o maior exportador mundial de açúcar, café, suco de laranja, soja e frango.

Fonte: Agência CNA

Mordida de Tiranossauro rex é a mais forte de todos os tempos



O famoso Tiranossauro rex, mais conhecido dinossauro carnívoro, tinha a mordida mais poderosa de todos os animais que já existiram na Terra.

A conclusão é de pesquisadores britânicos, que usaram modelos de computador para reconstruir os músculos da mandíbula do predador extinto.

A definição desses músculos é essencial para se calcular a força de uma mordida.

A equipe projetou a mordida de animais como o jacaré, o homem, o T. rex jovem e um T. rex adulto. A conclusão é que o T. rex adulto tinha a maior força de todos.

A bocarra do bicho sempre fascinou os cientistas. Estudos anteriores apontavam que a intensidade da sua mordida variava entre 8.000 e 13,4 mil newtons (unidade de medida de força), mas o novo estudo aponta um valor que poderia chegar a até 57 mil newtons, colocando-a em um novo patamar.

A pesquisa foi publicada recentemente na revista científica "Biology Letters".

Fonte: Folha Online

Processo Seletivo Contagem - MG (Vagas para Professor)


A Prefeitura Municipal de Contagem (MG) disponibilizou edital (002/2012) de abertura para processo seletivo, que prevê a contratação de profissionais para atuar junto a Secretaria de Educação.

As inscrições serão realizadas através do endereço eletrônico www.contagem.mg.gov.br, no período de 29 de março a 02 de maio de 2012. 

O cargo Professor de Educação Básica PEB 2 Ciências possui o vencimento de R$1416,25. A jornada de trabalho é de 22 horas e 30 minutos semanais.

O edital 002/2012 não especifica o número de vagas, sendo que as contratações serão realizadas conforme a necessidade dos estabelecimentos de Ensino do Município.

A prova objetiva está previamente agendada para o dia 20 de maio de 2012.

Mais informações:

Processo Seletivo UFV (01 vaga para Professor)


Encontram-se abertas as inscrições para o processo seletivo (Edital 025/2012) da Universidade Federal de Viçosa - UFV, que ira contratar Professor de Biologia em caráter temporário.

A remuneração mensal é de R$2.130,33.

As três etapas que regem o processo seletivo são: Prova Didática, Análise de Títulos e Entrevista.

As inscrições permanecerão abertas até o dia 08 de março de 2012. 

Para se inscrever os candidatos deverão se deslocar até à Secretaria de Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD), das 8h às 11h e das 14h às 17h.

Mais informações:

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Estudo reconstrói superpinguim pré-histórico da Nova Zelândia



Pesquisadores americanos conseguiram reconstruir pela primeira vez o esqueleto de um superpinguim que habitou a Nova Zelândia durante o Oligoceno, cerca de 25 milhões de anos atrás.

A espécie, batizada de Kairuku (que na língua maori significa algo como "o mergulhador que volta com comida"), é muito diferente de todos os pinguins conhecidos, tanto os modernos quanto os mais antigos.

Por isso, a reconstrução e o estudo desse animal podem lançar luz sobre como foi a evolução dos pinguins, afirmam os autores do trabalho, publicado no "Journal of Vertebrate Paleontology".

"O Kairuku era uma ave elegante para os padrões dos pinguins, com um corpo esguio e nadadeiras [asas modificadas] longas, mas com pernas e pés curtos e grossos", afirmou Dan Ksepka, professor da Universidade Estadual da Carolina do Norte (EUA) e um dos responsáveis pela reconstrução do bicho.

GRANDALHÃO

O animal media cerca de 1,5 metro e coexistiu com pelo menos outras quatro espécies de pinguim na região. Seu corpo diferente e a existência de tantos outros tipos de pinguim dificultaram a reconstrução do esqueleto.

O fóssil foi encontrado em 1977, mas ficou guardado durante muito tempo. Somente em 2009 e em 2011 Ksepka conseguiu se dedicar ao projeto e concluir o trabalho.

A Nova Zelândia nos tempos de Kairuku era uma espécie de paraíso para o desenvolvimento dos pinguins.

SEGURANÇA

"O local era ótimo para os pinguins em termos de comida e segurança. A maior parte da Nova Zelândia estava sob a água naquele tempo, deixando isoladas áreas de terra rochosa que mantiveram os pinguins protegidos contra eventuais predadores e fornecendo suprimentos de comida abundante", completou o cientista.

Ksepka diz esperar que seu trabalho consiga animar outros paleontólogos a estudarem com mais afinco as espécies extintas de pinguins, em especial as gigantes.

Fonte: Folha Online

Cientistas querem veto a texto-base do novo Código Florestal



As duas principais instituições que representam os cientistas do país sugeriram que a proposta do novo Código Florestal seja vetada pela presidente Dilma Rousseff.

Em documento entregue nesta segunda-feira (27) na USP de Piracicaba ao relator do Código Florestal, o deputado ruralista Paulo Piau (PMDB-MG), a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e a ABC (Academia Brasileira de Ciências) solicitaram que alguns artigos sejam excluídos do texto "já que eles não poderão mais ser corrigidos no âmbito do legislativo".

Caso a supressão não aconteça, a proposta é que esses trechos sejam vetados.

Entre eles está o artigo 16, que inclui as APPs (Áreas de Preservação Permanente) na conta da Reserva Legal --regiões florestais que devem ser preservadas por lei nas propriedades rurais do Brasil.

Hoje, quem tem terra no campo deve garantir 10% da área em APPs e cerca de 20% em florestas (taxa que varia em cada região do país).

Se as APPs entrarem na conta das Reservas Legais, cada propriedade teria de manter 20% da sua área em florestas, e não cerca de 30% como acontece hoje em dia.

Os cientistas também querem suprimir trechos que reduzem a proteção de biomas (como os mangues, no artigo 8) e que permitem a aquisição de florestas em regiões distantes de onde a vegetação nativa foi ilegalmente degradada (artigo 68).

"Se esses artigos não forem retirados do texto do novo Código Florestal, teriam de ser vetados pela presidente Dilma Rousseff", afirmou o biólogo Ricardo Rodrigues, da USP de Piracicaba. Ele é do grupo de trabalho sobre o Código Florestal da SBPC, criado em junho de 2010.

"Mas sabemos que esse veto será praticamente impossível", completou Rodrigues.

De acordo com o biólogo, o texto que chegou do Senado à Câmara dos Deputados estava "muito ruim" e, agora, ficou "compreensível".

"Mas há muitos pontos que precisariam ser alterados."

O documento entregue ontem, preparado pela SBPC e pela ABC, afirma que o texto em discussão apresenta "graves problemas".

"Para que não se alegue o aval da ciência ao texto ora em fase final de deliberação no legislativo, a SBPC e a ABC vem novamente se manifestar e reiterar suas posições", afirma o documento.

O Senado aprovou o texto-base da reforma do Código Florestal em dezembro de 2011. A votação do novo Código Florestal na Câmara dos Deputados está agendada para os dias 06 e 07 de março.

Fonte: Folha Online

Concurso Público Lagoa Santa - MG (01 vaga para Biólogos)


A Prefeitura Municipal de Lagoa Santa (MG) disponibilizou o edital de abertura de concurso público onde as novas contratações serão regidas pelo Regime Estatutário local.

As inscrições poderão ser preenchidas no período de 23 de abril a 31 de maio de 2012 mediante acesso ao website www.gestaodeconcursos.com.br .

O salário base de entrada para o cargo Biólogo é R$ 1.320,38.

A carga horária semanal é de 20 horas.

A previsão é que a prova objetiva do concurso aconteça na data de 05 de agosto de 2012 no próprio município de lagoa Santa ou na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sendo que os locais e horários serão definidos e divulgados posteriormente. Os candidatos de nível superior aprovados na prova objetiva deverão realizar a entrega dos títulos nos dias 24 e 25 de setembro de 2012.

Mais informações:

Concurso Público Sertãozinho – SP (02 vagas para Biólogos)


Iniciaram as inscrições para concurso público da Prefeitura de Sertãozinho (SP), cujo objetivo é a contratação de novos servidores para o âmbito local.

Biólogos podem concorrer ao cargo de Fiscal Ambiental. São 02 vagas disponíveis e o vencimento é de R$1.932,23.

Acessando o endereço eletrônico www.vunesp.com.br será possível se inscrever até o dia 30 de março de 2012.

Mais informações:

Concurso Público Cotia – SP (01 vaga para Biólogos)


A Prefeitura Municipal de Cotia – SP disponibilizou o novo edital de abertura de concurso público, cujo objetivo é a contratação de profissionais sob a égide do Regime Estatutário.

As inscrições estarão disponíveis no período de 05 a 30 de março de 2012. Para realizar as mesmas será necessário acessar o endereço eletrônico www.rboconcursos.com.br .

O cargo Biólogo possui vencimento base R$2.835,00.

A convocação para a realização das provas será afixada no mural da Prefeitura de Cotia no dia 13 de abril de 2012.

Mais informações:

Pós-graudação Núcleo Senac Minas



O Núcleo Senac Minas irá realizar 02 pós-graduações na área ambiental: Educação Ambiental (modalidade a distância: três encontros presenciais ao longo do curso) e Gestão Ambiental (modalidade presencial: aulas às segundas e terças-feiras, com um trabalho de campo, visitas técnicas, em cada disciplina).

As aulas terão início no dia 31 de março e as presenciais serão realizadas em Belo Horizonte, na Rua Guajajaras, 40 - 15o andar.

Mais informações:
(31) 3048-9407/3048-9403

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Pós-graduação UNIBH


O UNIBH está com as inscrições abertas para dois cursos de pós-graduação na área de Meio Ambiente: Licenciamento e Diagnóstico Ambiental; Avaliação de Impactos Ambientais e Recuperação de Áreas Degradada.

As aulas começarão em setembro e serão realizadas em Belo Horizonte, na unidade Estoril (Av. Prof. Mário Werneck, 1685), quinzenalmente, às sextas (18h às 22h35) e sábados (7h40 às 17h35).

Biólogos registrados no CRBio04 terão desconto de 23%.

As inscrições devem ser feitas até o dia 07 de março de de 2012.

Mais informações:

Curso sobre Técnicas de Levantamento de Fauna para Licenciamento Ambiental



Local
Reserva Ecológica de Guapiaçu - Cachoeiras de Macacu - RJ

Carga Horária
24horas/aula 

Data das aulas
13,14 e 15 de abril de 2012

Objetivo
Ao final do curso o aluno estará apto a realizar as principais técnicas de levantamento e análise de biodiversidade faunística.

Objetivos Específicos
- Executar as técnicas de captura e identificação de anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
- Executar técnicas de quantificação de fauna.
- Elaborar relatórios de dados de levantamentos faunísticos .
- Complementar a carga horária prática dos cursos de graduação.

Metodologia
Aulas teóricas e práticas a campo com execução das principais metodologias de estudo de campo aplicáveis a levantamentos de biodiversidade faunística.

Programa
Monitoramentos e Manejo Faunísticos; - Legislação Ambiental; - Importância e aplicabilidade;- Noções de Etologia; - Utilização de Armadilhas Fotográficas em Levantamentos Faunísticos;-vestígios indiretos e diretos ;-Técnicas de play-back;-Manejo e contenção de aves;-condicionamento alimentar;- Focagem noturna e diurna;- confecção de moldes de pegadas e rastros (com gesso e cera de vela) ;-biologia, comportamento, manejo e sistemática de Chiroptera da mata atlântica.

Mais informações

Concurso Público Açailândia - MA (01 vaga para Biólogos)


A Prefeitura de Açailândia (MA) abriu concurso que irá contratar Biólogo.

O vencimento é de R$1.900,00.

As inscrições serão realizadas até o dia 09 de março nos sites www.fsadu.org.br/concursos e www.sousandrade.org.br/concursos .

Mais informações:

Concurso Público Indústrias Nucleares do Brasil (02 vagas para Biólogos + CR)


A Indústrias Nucleares do Brasil S/A  – INB abriu processo seletivo para contratação de diversos profissionais.

O cargo Biólogo possui 02 vaga destinadas para as cidades de Caetité (BA) e Caldas (MG).

Para Resende (RJ), o cargo é destinado a cadastro de reserva. O candidato deve possui conhecimento de inglês para leitura técnica.

O salário base é de R$3.065,00. É previsto o pagamento de vantagens específicas, tais como adicional de periculosidade e adicional por tempo de serviço, correspondente a 1% do salário base por ano trabalhado, a cada quinquênio, limitado a 35%.

A jornada de trabalho semanal será de 44 horas.

As inscrições devem ser feitas até o dia 18 de março pelo site www.legitimusassessoria.com.br .

Mais informações:

Projeto estuda efeito das mudanças climáticas nos animais da Amazônia



Projeto do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), instala sessenta câmeras fotográficas espalhadas na floresta para registrar o efeito das mudanças climáticas e geográficas sobre a biodiversidade.

As "armadilhas" fotográficas são instaladas nos troncos das árvores, uma a cada dois quilômetros da outra. De acordo com o biólogo responsável pelo projeto, Carlos Faresin, as máquinas ficam 24 horas ligadas. "Elas ficam ligadas 24 horas, durante um mês e registram absolutamente tudo o que passa na frente delas", disse o biólogo.

Para o coordenador do Projeto Team no Amazonas, Wilson Spironello, "é importante estudá-los porque 25% destas espécies no mundo já têm risco de extinção em florestas tropicais. E você acompanhando o que está acontecendo com estas populações será possível utilizar as informações para protegê-los."

De acordo com informações dos biólogos, a câmera tem um sensor infra-vermelho que detecta a presença dos animais e automaticamente faz três fotos por segundo. O projeto já é realizado há sete anos, mas somente em 2009 foram instaladas câmeras que suportam alta umidade e o calor tropical.

Este ano foram divulgados os primeiros resultados do projeto, mais de 52 mil fotografias, retratando 105 espécies de animais selvagens. Dezessete áreas tropicais, distribuídas em três continentes, são monitoradas pelo projeto. Duas delas estão em Manaus, em reservas do Inpa.

Fonte: G1

Pesquisadores do RS que estavam na Antártida estão bem, diz Universidade



Entre os brasileiros que estavam na Estação Antártica Brasileira Comandante Ferraz, que pegou fogo durante a madrugada de sábado (25), na Antártida, três pesquisadores representavam a Universidade do Vale do Sinos, a Unisinos, de São Leopoldo (RS). De acordo com a instituição, que se manifestou através de seu site, todos passam bem e devem chegar ao Brasil no início desta semana.

A equipe da Universidade contava com um funcionário biólogo, do laboratório de Zoologia; uma graduanda de Biologia; e uma mestranda de Biologia. As duas têm, respectivamente, bolsas de Iniciação Científica e Capes pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Antártica de Pesquisas Ambientais. "Eles não sofreram nada no incêndio e logo foram retirados do local e transferidos para a base chilena", informou a Universidade.

Um avião modelo Hercules C130 da Força Aérea Brasileira (FAB) fez voo emergencial para resgatar os brasileiros e levá-los até uma base no Chile. A aeronave também transportava doações. A Universidade Federal do Rio Grande (Furg) prestou apoio com 20 kits com roupas e calçados especiais para temperaturas extremas. O voo contará com tripulantes da FAB e membros da Secretaria da Comissão Interministerial para os recursos do mar.

Entre os pesquisadores do Rio Grande do Sul que estavam na estação na Antártida haveria, ainda, representantes da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), mas o G1 não conseguiu informações em contato com a instituição na manhã deste domingo (26).

Ao todo, estavam em Punta Arenas à espera de resgate 30 pesquisadores, um alpinista que auxilia nos estudos, um representante do Ministério do Meio Ambiente e 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

O incêndio começou por volta das 2h (horário de Brasília) na praça de máquinas. Dois militares morreram e um ficou ferido. Um inquérito foi instaurado para apurar as causas do acidente.

Fonte: G1

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Hambúrguer artificial vai sair neste ano, diz cientista holandês





O primeiro bife (ou hambúrguer) de carne artificial deve estar pronto em até um ano, de acordo com pesquisadores que revelaram dados sobre a inusitada meta em um dos maiores congressos científicos do mundo.

Resta saber quem conseguirá o feito. Houve até troca de farpas entre grupos concorrentes de biólogos durante uma apresentação conjunta na reunião da AAAS (Associação Americana para o Progresso da Ciência) em Vancouver, no Canadá.

Mark Post, pesquisador da Universidade Maastricht, na Holanda, saiu na frente, pelo menos no quesito atenção midiática, e afirmou ao jornal "Financial Times" que deve apresentar o primeiro hambúrguer de laboratório em agosto deste ano.

Em uma entrevista à imprensa após a declaração, porém, Post admitiu que ainda não provou o produto, feito pelo cultivo de células-tronco, de uma maneira similar à empregada com essas células para fins médicos.

"Ainda não conseguimos obter material suficiente para ser cozido", afirmou ele.

A afirmação deu margem para que Patrick Brown, da Faculdade de Medicina da Universidade Stanford (EUA), criticasse o colega.

"Com todo o respeito pelo trabalho do Mark [Post], eu acho que o uso de células-tronco não é uma alternativa viável economicamente."

Brown afirmou que seu grupo trabalha com um método muito melhor, mais eficiente e barato. "Sim, já provei meu produto. E ele tem um gosto muito bom", disse.

Como essa suposta carne artificial revolucionária é feita, no entanto, ele não quis dizer. Brown se limitou a afirmar que é feita uma espécie de engenharia reversa da proteína e gordura animal.

VERSÃO 2.0

"Nós pensamos nas características que a carne tem e que nós queremos reproduzir. A partir daí, procuramos maneiras alternativas de desenvolvê-las em laboratório, de um modo mais eficiente."

O objetivo da carne artificial, dizem os cientistas, não é atingir o público vegetariano, mas sim os "adoradores de carne". Eles procuram criar uma alternativa com bom preço, sabor agradável e valor nutricional compatível com o da carne natural.

Tanto Brown quanto Post classificaram a criação de animais para a produção de carne como obsoleta e inimiga do ambiente. Um quinto das emissões globais de gases do efeito estufa está ligado à prática, que também consome muita água.

"É uma maneira muito ineficiente de transformar vegetais em proteína. Só aproveita 15%. Em laboratório, nós podemos mais", disse Brown.

Ambos os cientistas se recusaram a revelar quem financia suas pesquisas, mas sinalizaram que há empresas de tecnologia envolvidas.

Fonte: Folha Online

De acordo com pesquisa, fungo encontrado na Amazônia pode degradar plástico



Um fungo da Amazônia equatoriana capaz de degradar o poliuretano, um tipo de polímero muito usado para a confecção de espumas, adesivos e tintas, foi descoberto por pesquisadores norte-americanos. Por meio do trabalho, estratégias inovadoras para reduzir o impacto ambiental dos plásticos podem ser desenvolvidas.

Na pesquisa, o estudante Jonathan Russell identificou a enzima secretada pelo fungo responsável pelo enfraquecimento das ligações químicas do polímero. Os resultados trouxeram uma descoberta inusitada: a enzima funciona tanto na presença como na ausência de oxigênio, algo inesperado para os cientistas.

Desse modo, o fungo poderia funcionar nos aterros sanitários, onde uma grossa camada de dejetos e terra costuma cobrir os plásticos descartados, diminuindo a oxigenação e, desta forma, dificultando sua decomposição.

A descoberta de organismos que são aptos para degradar o plástico nos aterros sanitários ajudaria a encurtar o tempo de decomposição e a diminuir consideravelmente o dano causado no meio.

O plástico demora muito para se decompor na natureza. O polietileno, por exemplo, leva cerca de 50 anos. O PET, usado na produção de garrafas plásticas, permanece até 200 anos no ambiente. 

Museu do Meio Ambiente será reaberto para a Rio+20



Com apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$ 5,1 milhões, o Museu do Meio Ambiente será reaberto ao público, em junho deste ano, para a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio+20).

Oriundos do Fundo Cultural do BNDES, os recursos serão aplicados na instalação da infraestrutura para os programas educativo, museográfico e de divulgação científica do museu, que fica no Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ). Esses programas funcionarão no primeiro pavimento, em uma área de 400 metros quadrados. No segundo piso, serão apresentadas exposições temporárias.

Com os R$ 5,1 milhões, serão feitas intervenções que vão desde a concepção geral do museu, implantação do site e aquisição de mobiliário e de equipamentos de informática até a elaboração de material educativo e treinamento de equipes de monitores e instrutores.

A coordenadora do museu, Lídia Vales, da Associação de Amigos do Jardim Botânico, destaca que no programa educativo, por exemplo, estão sendo desenvolvidos jogos gigantes para crianças, com conteúdos ambientais. Na divulgação científica, o software (programa de computador) Fórum de Debate permitirá ao público discutir temas relacionados ao meio ambiente.

“Isso é superimportante, porque o museu pretende exercitar um diálogo com a sociedade. Ele vai fazer isso por meio dos seus programas. A gente quer esse diálogo, fazer esse canal de comunicação com a sociedade sobre as questões ambientais, mas também não é só falar em mão única. Tem que ter mão e contramão. A gente também quer ouvir a sociedade”, ressalta Lídia.

O projeto tem ainda um cunho social. Segundo a coordenadora, os recursos do BNDES propiciarão a integração ao museu de um programa de apoio do Jardim Botânico para jovens de baixa renda. “Nós vamos trazer, em conjunto com esse programa, esses jovens e remunerá-los para eles serem o apoio aos monitores e a toda a operação do museu.”

Para ela, o importante do projeto é colocar esses jovens que vivem em comunidades em uma realidade de valorização do conhecimento, da relação pessoal e do próprio meio ambiente. “Dá uma conotação de cidadania para esses jovens.”

O lançamento do museu ocorreu em 2006, em solenidade que contou com a presença da então ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. A partir das obras de restauro do prédio histórico e administrativo, datado de 1900, o museu foi inaugurado em 2008, abrigando durante dois anos quatro exposições. As obras de restauro tiveram apoio do BNDES no valor de R$ 1,8 milhão.

Após esse período, o museu foi fechado para correção de infiltrações no subsolo, com apoio do BNDES, no montante de R$ 900 mil, além de recursos orçamentários do Jardim Botânico e do Ministério do Meio Ambiente.

A expectativa é que, quando for reaberto, o Museu do Meio Ambiente receba 300 mil visitantes por ano, de acordo com Lídia.

Está prevista a construção de um prédio anexo, que terá uma área de exposições de mil metros quadrados, para mostras de longa duração. O projeto desse novo edifício foi vencedor de um concurso público coordenado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e é assinado por um escritório de arquitetura de Belo Horizonte.

A construção deve começar em 2013. Para isso, porém, a biblioteca de referência em botânica do Jardim Botânico do Rio de Janeiro terá de ser remanejada para perto da Diretoria de Pesquisa. Como o projeto executivo do anexo está sendo concluído, ainda não foram levantados os investimentos necessários para a obra, explicou Lídia Vales.

Segundo ela, esse prédio novo já recebeu o selo de eficiência energética do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). No prédio histórico, além da questão socioambiental, está sendo considerado o uso sustentável  dos materiais. “Tanto na parte expositiva, como na parte da infraestrutura”, ressalta a coordenadora.

Fonte: Info Exame

Ibama multa empresa responsável por construção de Belo Monte



O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) multou em R$ 7 milhões o consórcio Norte Energia S.A., responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), por "atrasos constatados na implementação do Projeto Básico Ambiental (PBA)".

Além da multa, o Ibama notificou a empresa a elaborar plano de ação para regularizar o cronograma dos programas ambientais.

"A avaliação do Ibama refere-se ao período compreendido entre junho a outubro de 2011 e foi elaborada com base no 1º Relatório de Andamento do PBA, apresentado pela empresa em novembro", informou o órgão.

De acordo com o site de notícias G1, por meio de nota, a Norte Energia informou ter recebido a notificação no dia 15 e que "adotará os procedimentos administrativos cabíveis, inclusive interpondo recurso".

"A Norte Energia informa também que a referida notificação não implica em qualquer suspensão da licença de instalação, que continua válida, e que as obras e demais atividades do empreendimento seguem seu curso normal. Vale ressaltar que o próprio Ibama, na notificação, ressalvou que as desconformidades apontadas não implicam 'reflexos ambientais negativos'", destacou o consórcio.

Belo Monte é um dos maiores empreendimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  Localizada no rio Xingu, no município de Vitória do Xingu (PA), Belo Monte será a segunda maior usina hidrelétrica do Brasil, atrás apenas da binacional Itaipu, e custará pelo menos R$ 19 bilhões, segundo o governo federal.

Fonte: G1

XIV Jornada de Toxicologia

Concurso Públlico Piranhas – GO (01 vaga para Biólogos + CR)


Encontram-se abertas as inscrições para o concurso público da Prefeitura de Piranhas (GO), que pretende preencher o quadro de funcionários vinculados a administração local.

O cargo Analista de Vigilância Epidemiológica (exige Curso Superior em Biologia) possui 01 vaga em aberto. O vencimento é de R$1.800,00.

O cargo Biólogo é destinado a cadastro de reserva e possui o vencimento mensal de R$1.950,00.

As inscrições deverão ser feitas presencialmente até às 16h do dia 17 de março de 2012, na Prefeitura Municipal de Piranhas/GO, (Avenida Brasil Central, N 974, Centro), de segunda à sexta-feira, em dias úteis e em horário comercial.

Mais informações:

Curso Introdução a Primatologia



O Núcleo de Pesquisas Integradas do ISMECN irá realizar no dias dias 12 e 13 de maio de 2012, na RPPN Fazenda Lagoa (Monte Belo/MG), o curso "Introdução a Primatologia".

As inscrições deve ser feitas pelo e-mail rafaelslaurindo@gmail.com .

O curso será formado por módulos teóricos e práticos, com duração de 24 horas.

Mais informações:

Cavalos encolheram durante aquecimento global pré-histórico



A primeira espécie de cavalo, 56 milhões de anos atrás, tinha adultos pesando meros 5,5 kg, e só muito tempo depois esses animais iriam adquirir suas dimensões atuais, multiplicando seu peso por cem.

O início dessa evolução, porém, começou na contramão. Em seus primeiros milhares de anos, os cavalos encolheram até uma média de 3,8 kg, o peso de um gato, por culpa de um episódio de aquecimento global.

A descoberta saiu de fósseis encontrados no estado do Wyoming (EUA), no sopé das Montanhas Rochosas. Uma equipe liderada pelo paleontólogo Ross Secord, da Universidade do Nebraska, mediu restos de arcadas dentárias de cavalos do gênero Sifrhippus encontradas da região e estabeleceu uma correlação entre as temperaturas da época e o corpo desses animais: quanto mais quente, menor.

Essa relação já era conhecida na biologia como "Regra de Bergman", segundo a qual espécies de animais similares tendem a pesar mais quando habitam climas mais frios. Ninguém, contudo, tinha documentado esse efeito com precisão ao longo da história evolutiva de um único animal. Secord descreve sua descoberta em um estudo na revista "Science".

O período durante o qual os cavalos pré-históricos passaram por essa fase de encolhimento extremo é conhecido pelos geólogos como Máximo Termal do Paleoceno-Eoceno. Foi um intervalo de tempo de cerca de 170 mil anos, durante o qual temperaturas ficaram até 10ºC mais quentes.

Nessa época, os cavalos perderam a necessidade de possuir um corpo maior porque não precisavam reter muito calor interno. A seleção natural, então, favorecia os menores, que podiam atingir a vida adulta mais rápido e aceleravam sua taxa de reprodução. Com o clima de volta ao normal, ao fim do Máximo Termal, o Sifrhippus cresceu de novo até uma média de 6,8 kg.

"Comparados a um cavalo atual, eles ainda eram muito pequenos, mais ou menos do tamanho de um mini-schnauze, mas isso já era quase o dobro do tamanho mínimo que tinham atingido", disse à Folha Jonathan Bloch, biólogo do Museu de História Natural da Flórida, coautor do estudo.

"Depois disso, nos milhões de anos seguintes, a história evolutiva dos cavalos se tornou extremamente complexa e bonita. Um animal que tinha essencialmente duas espécies passou a aparecer numa infinitude de espécies diferentes ao longo tempo, em vários continentes, e com várias formas diferentes existindo simultaneamente."

Um dos eventos mais importantes na história dos equídeos foi a mudança de habitat principal das florestas para as pradarias, onde se alimentava de gramíneas em vez de arbustos e árvores. Só quando ocuparam um ambiente mais aberto e começaram a pastar, os cavalos adquiriram tamanhos similares aos que possuem hoje.

EVOLUÇÃO REAQUECIDA

Essa história poderia ter sido interrompida, porém, se a evolução do Sifrhippus não o tivesse permitido se adaptar ao Máximo Termal, diminuindo de tamanho. "Com o aquecimento global causado pelos humanos,é possível que os mamíferos selvagens comecem a passar por um encolhimento parecido agora, talvez não tão drástico", diz Bloch. "Como a natureza já realizou esse 'experimento' com outros animais no passado, podemos tentar antecipar o que vai acontecer no futuro."

Muitos biólogos, porém, ainda não estão totalmente seguros de que o encolhimento será uma estratégia evolutiva viável para mamíferos contemporâneos lidarem com a mudança climática.

"A mudança extrema na superfície da Terra durante o Máximo Termal do Paleoceno-Eoceno não é diferente daquela esperada para nosso futuro, mas naquela época tudo aconteceu em uma janela de tempo muito mais longa", afirma Felícia Smith, bióloga da Universidade do Novo México que comentou o estudo de Secord em outro artigo. Pode ser que agora não haja tempo suficiente para a seleção natural induzir as mudanças necessárias, diz.

Para alguns animais, uma alternativa ao encolhimento evolutivo seria migrar na busca de hábitats com temperatura adequada em latitudes ou altitudes maiores. Com a superfície terrestre cada vez mais ocupada pelo desenvolvimento humano, porém, biólogos temem que muitos animais não terão para onde fugir.

Fonte: Folha Online

Planta é ressuscitada depois de 30 mil anos



O mundo era habitado por mamutes e tigres-dente-de-sabre quando o fruto da pequena flor branca Silene stenophylla foi preso ao gelo da Sibéria, há 30 mil anos. Agora, os descendentes dessa planta vão viver nos tempos da engenharia genética, dos edifícios e da internet. Na semana passada, cientistas da Academia de Ciências da Rússia anunciaram que foram capazes de “ressuscitar” o vegetal. A partir da semente congelada a 7 graus negativos, os especialistas, liderados por David Gilichinsky, fizeram florescer diversos outros indivíduos férteis. Até então, o gérmen mais antigo a dar origem à vida, uma palmeira israelense, tinha 2 mil anos.

Stanislav Gubin, um dos pesquisadores envolvidos na experiência, contou ontem à Rádio Voz da Rússia que a semente foi encontrada em pequenas tocas de hibernação de roedores na Sibéria, a 30m de profundidade. “Nesses buracos, os animais guardavam grãos e sementes que consumiam durante o inverno. No total, ali se acumularam de 600 mil a 800 mil gérmens. Lamentavelmente, nem todos eles serviram para os testes, mas nós acabamos por escolher a silene, que era resistente ao frio.”

As plantas ancestrais ressuscitadas pelos russos têm algumas diferenças com relação à Silene stenophylla existente hoje, como o tamanho das pétalas e o sexo de suas flores. Essas ligeiras modificações já são, no entanto, marcas da evolução, segundo Luiz Eduardo Anelli, paleontólogo da Universidade de São Paulo (USP) e autor de Guia completo dos dinossauros brasileiros. “O mundo religioso tem, ainda, muitos problemas em aceitar a evolução – e seu principal argumento é de que não conseguimos vê-la operar. Mas ela funciona como o ponteiro das horas de um relógio: sua ação é tão lenta que sequer percebemos que ocorre, mas se olharmos com um intervalo suficiente vamos notá-la. A Silene stenophylla nos mostra as marcas do tempo e da seleção natural.”

O experimento foi recebido com otimismo pelo mundo científico, que nutriu, mais uma vez, as esperanças de recuperar espécies extintas. “Os cientistas concluíram que o gelo ancestral do Ártico funciona como um ‘museu de gelo do DNA’. Nós encontramos uma preservação similar com bactérias nessas placas, mas fazer brotar uma flor a partir de sementes congeladas por 30 mil anos é absolutamente fantástico”, comenta John Priscu, pesquisador da Universidade Estadual de Montana, nos Estados Unidos. “Quando nos dermos conta, estaremos ressuscitando dinossauros”, graceja.

Perspectivas 

A brincadeira de Priscu não é, contudo, completamente infundada. Pelos, ossos e tecidos de mamutes (com até 50 mil anos) já foram encontrados no gelo do Ártico, com uma preservação surpreendente. Existem muitos cientistas que estão animados com a perspectiva de fazer por esses animais o mesmo que fizeram pela Silene stenoplylla, produzindo clones a partir de seu material genético. “Como os mamutes, há dezenas de outros animais extintos pelo homem moderno. Trazê-los de volta à vida seria uma ótima maneira de redimir os seres humanos”, defende Anelli.

Alguns, mais animados, já pretendem garantir o futuro, congelando seu entes queridos para os tempos em que a ressurreição for possível. É o caso da Sociedade Americana Cryonics, especializada na preservação de corpos de recém-falecidos. A expectativa é poder, um dia, fazer essas pessoas renascerem, talvez em um mundo talvez dominado por uma engenharia genética ultra-avançada, prédios flutuantes e transmissão de informações por pensamento.

Fonte: Estado de Minas

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

IV ENGEMIG – Encontro de Genética de Minas Gerais



De 23 a 25 de maio de 2012, será realizado no Campus Umuarama, da Universidade Federal de Uberlândia - UFU, o  IV ENGEMIG – Encontro de Genética de Minas Gerais.

O evento é uma promoção da Sociedade Brasileira de Genética/Regional Minas Gerais.

O Encontro é voltado para o ensino de genética, para professores da educação násica (fundamental e médio), ensino técnico e superior. 

A programação é composta por palestras e exposições.

Mais informações:

II Encontro Paulista de Citogenética



O II Encontro Paulista de Citogenética (EPACITO) será realizado nos dias 22, 23 e 24 de abril de 2012, no Centro de Convenções Ribeirão Preto, em Ribeirão Preto (SP).

O evento terá 07 convidados internacionais e 27 palestrantes nacionais de destaque nesta área emergente de pesquisa, abordando os principais tópicos associados a citogenética clássica, molecular e citogenômica.

Mais informações:

MicroRNA 2012 – International Symposium



A Universidade Estadual Paulista (Unesp) realizará, nos dias 25 a 27 de março de 2012, o MicroRNA 2012 – International Symposium.

Voltado para estudantes de graduação e pós-graduação, professores e pesquisadores na área de biologia molecular, a programação do evento será composta por palestras, que serão proferidas por pesquisadores do Brasil e do exterior.

“Novas tecnologias para o estudo de microRNAs”, “Alterações de microRNA em leucemia” e “O papel do microRNA em tumor colorretal” são alguns assuntos que serão abordados durante o simpósio.

O evento será realizado no hotel Golden Tulip Park Plaza, localizado na Alameda Lorena, nº 360, em São Paulo.

Mais informações e inscrições:

Sugestões - 58º Congresso Brasileiro de Genética



O 58º Congresso Brasileiro de Genética será realizado na cidade de Foz do Iguaçu, PR, no período de 11 a 14 de setembro de 2012, com o tema: GENÉTICA E SUSTENTABILIDADE.

A Sociedade Brasileira de Genética solicita os interessados enviar sugestões para elaboração do programa, através do link abaixo, que deverá ser preenchido online, até o dia 27 de fevereiro:

XXIX Congresso Brasileiro de Zoologia



O XXIX Congresso Brasileiro de Zoologia -  CBZ acontecerá de 05 a 09 de março de 2012, no Centro de Convenções da Bahia, na cidade do Salvador da Bahia de todos os Santos.

O evento pretende promover a cooperação entre profissionais, pesquisadores, acadêmicos de pós-graduação e graduação, e empresas em um evento de relevância científica, refletindo a importância da área de zoologia, com seus contrastes e responsabilidades. 

O tema do CBZ este ano é "Biodiversidade e Memória”.

A programação conta com conferências, mesas-redondas, simpósios, cursos de atualização e apresentação de trabalhos científicos.

Mais informações:

Cientistas criam métodos para 'turbinar' fotossíntese



Há milhões de anos, plantas, algas e algumas bactérias fazem uso da fotossíntese para transformar luz em energia. Cientistas agora se apressam a dizer: elas têm feito isso errado. Ou melhor, de um jeito ineficiente, que aproveita só 5% do que poderia.

Três dos principais nomes da área protagonizaram ontem uma das palestras que mais despertaram a atenção do público presente na reunião anual da AAAS (Sociedade Americana para o Progresso da Ciência), em Vancouver, no Canadá.

"Essa história toda de otimizar a fotossíntese pode parecer maluquice, mas eu garanto que não é. Afinal, eu não teria sido chamada para falar em um evento tão importante se a minha pesquisa não fizesse sentido", disse Anna Jones, da Universidade do Estado do Arizona.

Ela e outros pesquisadores querem otimizar o processo de transformação da energia recebida do Sol. Atingir esse objetivo permitirá melhorar culturas de alimentos e produzir combustíveis renováveis de um jeito sustentável e em grandes quantidades.

"Na natureza, a enzima que acelera a fotossíntese, a rubisco, acaba saturada após algum tempo de exposição à luz e o processo fica lento. Ou seja, os organismos têm uma ampla oferta de luz, mas não a capacidade de transformar essa energia em um combustível armazenável", diz Jones.

Para dar uma forcinha à natureza, os cientistas estão tentando vários métodos. Uma das principais apostas é pensar o processo da fotossíntese como se fosse a geração de energia numa bateria.

Em sua pesquisa, Jones quer gerar mais energia ao separar as duas etapas do processo: a captação e a produção da energia. Cada uma seria feita em uma estrutura. As duas seriam ligadas por um fio biológico, que transmitiria a energia gerada com alta eficiência. Esses nanocabos podem ser produzidos por bactérias, como a Shewanella oneidensis, cultivadas em condições especiais.

"Esse material consegue alta taxas de condutividade. Comporta-se quase como alguns condutores de metal", afirma Jones.

O trabalho de Richard Cogdell, da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, também aposta nos nanofios para otimizar a fotossíntese. Batizada de folha artificial, sua ideia é criar um jeito de simplificar o processo.

"A natureza tem várias maneiras de fixar carbono. Estamos incentivando as mais eficientes", diz o cientista.

O grupo de Cogdell é um dos mais bem-sucedidos. Além de ser a estrela de um recente programa na rede BBC, o cientista deve conseguir a patente de um combustível gerado por essa fotossíntese turbinada.

Ele afirma não poder dar muitos detalhes. Mas o campo é promissor. Além de várias empresas se interessarem em patrocinar estudos nesse campo, fundações distribuíram mais de US$ 10 milhões em verbas para as pesquisas.

Fonte: Folha Online

Traição entre bichos fica comum quando há dificuldades ou tentação pelo poder


Chimpanzés observambola em parque da Alemanha: machos da espécie costumam cultivar amizades duradouras, mas podem virar inimigos

Quem vê de fora jura que são o casal perfeito. O papai pássaro trabalha arduamente para trazer alimento para a família, enquanto a mãe protege e aquece os filhos no ninho. Eles são dedicados só um ao outro e a parceria pode durar uma vida inteira. Mas, assim como acontece com muitos seres humanos, as aparências caem por terra quando surge o famigerado teste de DNA. Pois é: nem mesmo os pássaros, famosos por sua monogamia, escaparam na malha fina da fidelidade. Cientistas acabam de descobrir que eles também pulam a cerca — e, quanto maior a adversidade, mais frequência terão essas “escapadinhas” extraconjugais. Para ter uma ideia, do ninho de que cuida um macho como o do exemplo acima, pelo menos 10% dos ovos não são seus.

Há muito tempo a ciência tem olhado para o comportamento animal em busca de similaridades com os seres humanos. Nos últimos anos, as descobertas desse ramo têm sido as mais surpreendentes. Já se sabe que alguns animais, como os papagaios, são capazes de viver em monogamia, seguindo até mesmo o preceito do “até que a morte os separe”. Observou-se também que outros, como alguns mamíferos, desenvolvem amizades duradouras, que, algumas vezes, ultrapassam até mesmo as fronteiras do além, se transformando em luto. Mais que isso, agora a ciência parece entender que amor e amizade são facas de dois gumes. Onde eles existirem, existirá, também, a possibilidade de traição.

Essa hipótese guiou os trabalhos do ecologista evolutivo Carlos Botero, da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Botero e sua equipe revisaram mais de 200 anos de estudos sobre o comportamento sexual dos pássaros. Observações mostraram que a monogamia é prática comum de 80% a 90% dessas espécies. Por essa razão, no início, os biólogos apostavam na fidelidade das aves. “Tudo isso mudou quando as pesquisas genéticas se tornaram possíveis. Depois disso, revelou-se que, em alguns casos, até 100% dos filhos criados pelo pai social não eram seus”, conta Botero.

O ecologista se perguntou, então, se o aquecimento global não estaria influenciando a lealdade conjugal das aves. Nesta semana, ele partilhou suas conclusões em um artigo publicado na revista científica PloS One. E, sim, em tempos de incerteza, os pássaros são menos fiéis. “Quanto mais imprevisível o clima, maiores serão as taxas de divórcio e traição. Isso acontece porque, em tempos de mudanças, quanto maior for a variedade genética da prole, mais chances haverá de ao menos um entre eles sobreviver”, explica Botero. O raciocínio é o seguinte: quando o sol está raiando e as frutas são macias, pode parecer uma grande vantagem escolher como pai de seus filhos um pássaro de bico macio e penagem verde gritante. Contudo, quando o clima começa a esfriar, as folhas despencam das árvores e as sementes se tornam duras, o parceiro ideal pode ser uma ave marrom de bico longo e duro. E se o pássaro não souber que condições esperar da próxima temporada? Melhor cruzar com os dois, só para garantir.

Amigos da onça O ecologista evolutivo John Mitani dedicou 33 anos a estudar os parentes mais próximos dos humanos, os macacos. Toda essa temporada de observações o deixou convicto de que os chimpanzés sabem ser amigos. Os chimpanzés machos, ressalte-se. “As fêmeas costumam competir muito por alimento para si e suas crias e são, por isso, mais solitárias. Os machos desenvolvem entre si laços profundos que chegam a durar a vida toda”, revela Mitani. Quando o ecologista fala de amizade, ele não está se referindo apenas à companhia. Hare e Ellington — dois chimpanzés do Parque Nacional Kibale, de Uganda, observados por ele ao longo de anos — cooperavam um com o outro em diversos aspectos, como partilhar comida e intervir em brigas, por exemplo. Quando Ellington morreu, Hare se isolou do resto do grupo e ficou apagado por um longo período, atitude que, para Mitani, se assemelhou ao luto humano.

Como os chimpanzés, os cientistas já identificaram amizades em diversas outras espécies. Entre elas estão os golfinhos, as hienas, os cavalos, os elefantes e os babuínos. Mas houve, então, uma descoberta estarrecedora. Os animais também podem ser “amigos da onça”. “Entre chimpanzés, pelo menos, o amigo de hoje pode ser o inimigo de amanhã”, revela Mitani. E as maiores causas dessas traições são ainda mais curiosas (sem contar assustadoramente parecidas com a natureza humana): o poder e o sexo.

Na década de 1980, os chimpanzés machos Kasonta, Kamemanfu e Sobongo vivenciaram um enredo recheado de jogos de poder e traição nas montanhas do Parque Nacional de Mahale, na Tanzânia. Por anos, Kasonta manteve a liderança de seu grupo com o suporte de seu parceiro Kamemanfu. Certo dia, no entanto, a lealdade do amigo começou a vacilar. Kasonta e Sobongo passaram a disputar a aliança de Kamemanfu por um longo período, oferecendo a ele regalias em comida e cedendo parceiras sexuais. Algum tempo depois, Kamemanfu se uniu a Sobongo em um golpe que derrubou o antigo aliado.

Retaliação

Às vezes, também como os homens, os animais descobrem a traição. No caso dos pássaros, não há muita certeza acerca da paternidade, mas as pistas da deslealdade da parceira são várias. Há no ninho mais ovos do que o macho poderia produzir; ou ele percebe que a fêmea se ausentou por longos períodos durante seu período fértil — tempo provavelmente dedicado a seus amantes de outras comunidades.

A reação? 

O macho negligencia a família. Não se atreve a sacrificar a prole do outro, devido ao risco de, no caminho, acabar matando seus próprios descendentes por engano. Então, resolve ser um pai pior para todos. Entrega menos comida, comparece ao ninho com menos frequência. Mas a parceria prossegue, e os filhotes crescem, apesar dos pesares. Ao que tudo indica, em alguns aspectos, a evolução não deixou pássaros e homens tão distantes assim, afinal.

Fonte: Jornal Estado de Minas

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Empresa GCTbio contrata Profissional de Biotecnologia



Empresa Contratante

Função
Desenvolvimento de Projetos envolvendo operação, assistência, monitoramento e controle de processos fermentativos, elaboração de relatórios científicos e análises de rotina, orientados ao desenvolvimento de bioprocessos.

Requisitos
Experiência em trabalhos com processos enzimáticos, fermentativos, biocatálise, etc. Habilitação A e/ou B. Boas habilidades interpessoais serão diferenciais.

Características
Período Integral (44 horas semanais); Contrato CLT; Disponibilidade para viagens e em residir em outras localidades.

Locais de Trabalho
Campinas (SP), Jaíba (MG), Uberlândia (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Região dos Lagos (Cabo Frio e Arraial do Cabo). 

Envio de Currículos
Os interessados devem encaminhar currículo para o e-mail rh@gctbio.com.br, até o dia 03 de março.

Pós-graduação Esfa 2012



A Esfa - Escola Superior São Francisco de Assis está com as inscrições abertas para seus cursos de pós-graduações:

- Direito Ambiental (2ª. turma)
- Planejamento e Conservação Ambiental (8ª. turma)

As aulas acontecerão em Santa Teresa (ES), quinzenalmente, aos sábados, de 8 às 18 h. A duração do curso é de 15 meses.

A previsão para início das aulas é março de 2012.

As matrículas podem ser feitas no site www.esfa.edu.br (link Pós Graduação).

Concurso Público UESB (05 vagas para Professor)


Está disponível o edital 013/2012 destinado a concurso público da UESB - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, que tem como objetivo a contratação de professores em diversas classes.

A remuneração inicial vai de R$2.418,72 a R$8.711,00, variando conforme a titulação do docente e a carga horária semanal.

As inscrições serão recebidas no período de 23 de fevereiro a 1º de março de 2012 exclusivamente no site http://www.uesb.br/ .

Biólogos podem concorrer para as seguintes áreas/matérias: Zoologia; Genética; Botânica; Metodologia e Prática do Ensino de Ciências e Instrumentalização para o Ensino de Ciências e Biologia; Fisiologia Animal e Comparada.

Mais informações:

Concurso Público UFRJ (02 vagas para Biólogos)


O edital 021/2012 publicado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) prevê a realização de concurso público, visando a contratação de Técnicos Administrativos para vários Campis.

As inscrições serão recebidas exclusivamente pela internet no período de 28 de fevereiro a 18 de março de 2012.

Existem 02 vagas disponíveis para Biólogos, com lotação em Macaé e Xerém.

A remuneração inicial é de R$2.989,33, acrescidos de auxílio alimentação no valor de R$304,00, auxílio pré-escolar no valor de R$ 89,00 e auxílio transporte.

Informações e inscrições:

VI Curso de Identificação em Campo das Famílias Botânicas da Mata Atlântica Aplicado à Restauração Ambiental



PERÍODO
19 e 20 de maio de 2012

LOCAL DE REALIZAÇÃO DO CURSO
Juquitiba/SP (60 km de São Paulo)

INSCRIÇÕES ATÉ
20 de maio ou até encerrarem as vagas

CARGA HORÁRIA
20 hs

MAIS INFORMAÇÕES
E-mail: nest_usp@yahoo.com.br (com o Assunto: VI Curso de Identificação Aplicado à Restauração)
Twitter: @brasilbioma e @cursosbotanica, 
Facebook: Brasil Bioma

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Árvore exótica plantada há 40 anos está destruindo a Mata Atlântica



Uma muda de árvore exótica plantada por um morador da região há 40 anos, está destruindo a Mata Atlântica na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Refúgio do Macuco, nas cabeceiras do rio Itajaí, em Itaiópolis (SC). Plantas e animais invasores (exóticos, isto é, trazidos de outros lugares) são a segunda causa de perda de biodiversidade, ficando atrás somente do desmatamento. Na RPPN, o poder de invasão e destruição do bioma é causado pela árvore conhecida como pé-de-galinha ou uva-do-japão (Hovenia dulcis).

A árvore exótica invasora pé-de-galinha é nativa do Japão, leste da China, Coréia até a cordilheira do Himalaia. Esta cresce em áreas abertas de solos úmidos arenosos ou argilosos. A árvore foi introduzida no Brasil como uma espécie ornamental e para produção de lenha nas propriedades rurais, mas não foi aprovada pelos agricultores.

Os frutos do pé-de-galinha são saborosos e apreciados por toda a fauna de aves e mamíferos. Por ser doce, parece que os animais silvestres preferem esses frutos importados aos nativos. No Refugio do Macuco há oferta de uma grande diversidade de frutos das árvores da Mata Atlântica que chegam a forrar o chão e apodrecer na mesma época. Mas os animais preferem consumir a importada, os frutos do pé-de-galinha, mesmo correndo risco de serem atingidos por tiros ou caírem em armadilhas quando frequentam as propriedades do entorno.

Esta concorrência é um problema que desencadeia outro, com graves consequências futuras. A fauna dissemina milhares de sementes para o meio da mata nativa preservada e, ao longo dos anos, as árvores nativas vão perdendo espaço ao serem substituídas pelo pé-de-galinha, que pode fornecer frutos para alimentar a fauna somente durante duas ou três semanas - ao contrário da diversidade de árvores do bioma, que fornece frutos o ano todo.

A situação na RPPN Refúgio do Macuco serve de alerta. Fica evidente que o pé-de-galinha é uma espécie de árvore invasora muito perigosa, com poder devastador de aniquilar a Mata Atlântica e toda sua rica biodiversidade de plantas e animais em poucas décadas. A árvore começa a colonizar a mata ciliar, onde incide mais luz, e vai se expandindo para dentro da mata, substituindo gradualmente as espécies nativas.

Em uma pequena área da RPPN Refúgio do Macuco, já foram abatidas mais de 500 árvores adultas de pé-de-galinha, que deixaram milhares de mudas, muitas delas plantadas pela fauna bem distante do local, na parte de mata primária. Há estimativas de que sejam necessários mais de 50 anos para erradicação desta invasora.

Fonte: AMDA

Concurso Público Campos de Goytacazes – RJ (01 vaga para Biólogos)


A Prefeitura de Campos de Goytacazes (RJ) disponibilizou edital de abertura para o concurso público, onde as contratações serão regidas pelo Regime Estatutário do Município.

As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet através do endereço eletrônico www.cepuerj.uerj.br, no período de 05 à 22 de março de 2012.

O cargo Biólogo – Ênfase Análises Clínicas possui 03 vagas disponíveis. O vencimento base é de R$2.862,38, para 24 horas semanais de jornada de trabalho.

A previsão é que a prova objetiva seja aplicada no dia 15 de abril de 2012.

Mais informações:

Concurso Público Fundação de Saúde Angra dos Reis – RJ (01 vaga para Biólogos)


Encontram-se abertas as inscrições para o concurso público da Fundação de Saúde de Angra dos Reis – RJ (FUSAR), que objetiva selecionar novos funcionários para o quadro da entidade, sob Regime Estatutário.

O cargo Biólogo possui remuneração mensal de R$2.292,54. A jornada de trabalho é 175 horas mensais.

As inscriçõs devem ser realiadas nos sites www.fec.uff.br e www.angra.rj.gov.br, até o dia 11 de março de 2012.

A prova objetiva do concurso está previamente agendada para o dia 25 de março de 2012.

Mais informações:

Análises Clínicas



O exercício profissional do Biólogo na área da saúde encontra-se legalmente respaldado pela Constituição Federal. Assim os Biólogos registrados nos Conselhos Regionais de Biologia podem atuar em diversas áreas da saúde, inclusive em Análises Clínicas, desde que atendidos os pressupostos e requisitos regulamentares preconizados nas Resoluções do CFBio.

Recentemente a Vice-Procuradora Geral da República respondeu ao ajuizamento de Ação de Direta de Inconstitucionalidade representada pelo Conselho Federal de Biomedicina contra a íntegra da Lei 1767-A/1990 do Estado do Rio de Janeiro (que inclui a profissão de Biólogo entre as previstas no art. 141 do Decreto no. 1754/78), manifestando que fica caracterizada a ausência de efeitos práticos da eventual propositura de ADI em face da Lei nº 1.767 - A/1990, do Estado do Rio de Janeiro, pois mesmo que viesse a ser declarada a sua inconstitucionalidade, persistiria vigente a legislação federal que viabiliza o mesmo resultado.

O Sistema CFBio/CRBios reafirma que não há empecilho técnico e nem legal para que os Biólogos, que atendam as exigências curriculares e possuam ART e TRT expedidas pelos Conselhos Regionais de Biologia, continuam a exercer atividades na área da saúde, em especial nas Análises Clínicas, inclusive podendo assumir a Responsabilidade Técnica por laboratórios clínicos públicos e privados.

Em caso de dúvidas, envie um e-mail para o Conselho Regional de Biologia da sua jurisdição:
http://migre.me/7WJ9C

Jornal do Biólogo nº62



O Jornal do Biólogo número 62 já está disponibilizado de forma eletrônica e pode ser acessada gratuitamente no site do CRBio04.

O tema da edição nº62 é: "Conselheiros tomam possem no CRBio04".

O acesso direto ao conteúdo do Jornal pode ser feito, clicando aqui:
http://migre.me/7WIOW

MPF entra com ação contra porto em Santos



O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação civil pública na semana passada para tentar impedir a construção de um terminal portuário particular no Largo Santa Rita - uma área do estuário de Santos (litoral sul de SP) ainda relativamente bem preservada.

O procurador da República em Santos, Luís Marrocos, responsável pela ação, afirmou que o objetivo é impedir o dano ambiental a uma área de alta biodiversidade protegida pela Lei da Mata Atlântica, de 2006.

Ele se baseou na análise de biólogos e engenheiros florestais peritos do MPF, em estudos publicados sobre a biodiversidade da área e também em parecer da Fundação Florestal do Estado, que considerou que a região deveria ser destinada à conservação por ser uma extensão do Parque Estadual da Serra do Mar.

"A região é peculiar porque ali o maciço florestal da Serra do Mar chega até o estuário, encontrando os manguezais - situação propícia ao aumento da biodiversidade. Várias espécies ameaçadas de extinção vivem lá, como o guará-vermelho", explica o biólogo Fábio Olmos, consultor ambiental e autor de pesquisas usadas para fundamentar a ação.

É no manguezal onde se reproduzem várias espécies comerciais, como o camarão-branco e o robalo, e o local é área de alimentação para aves migratórias.

A medida é o mais recente movimento de um embate que vem ocorrendo há cerca de um ano entre o MPF e o Ibama, que havia expedido uma licença prévia autorizando a construção da empresa Santa Rita S/A. De acordo com Marrocos, no mesmo dia em que saiu a licença, o Ibama havia recebido uma recomendação do MPF para que ela fosse negada. Alguns meses depois, o procurador diz que voltou a se manifestar, dessa vez pedindo para que a licença fosse revogada, o que não ocorreu.

"É iminente o risco de que a licença de instalação seja expedida e aí o dano estará feito", diz Marrocos. "Esgotamos as tentativas de ter uma solução extrajudicial, por isso entramos com a ação." O juiz fez ontem um despacho pedindo para o Ibama se pronunciar em 72 horas. O órgão disse que só vai se manifestar quando receber a notificação.

Fonte: O Estado de S.Paulo