terça-feira, 20 de novembro de 2012

É o auge do período reprodutivo', diz biólogo sobre insetos na primavera



Mesmo com as temperaturas altas ainda é primavera e a estação, conhecida como a das flores, também poderia ser lembrada como a dos insetos. Apesar de incomodarem em algumas situações os isentos não devem ser mortos, apenas capturados e soltos. Eles são importantes para o funcionamento de diversos ecossistemas porque são utilizados como alimento por vários animais, pássaros e peixes.

Nessa época do ano, alguns insetos que são grandes polinizadores das flores, aparecem em grande quantidade. “É uma explosão de vida, o auge do período reprodutivo. Devido às altas temperaturas e a baixa umidade vai acontecer a reprodução”, explicou o biólogo Marco Túlio de Freitas.

Além dos insetos que causam tanto incômodo nessa época do ano outro fato que marca a primavera é o canto das cigarras. “Quem canta é o macho justamente para atrair a fêmea e há uma disputa de quem canta mais alto, por isso, a gente ouve tanto barulho”, disse Marco Túlio.

O gestor ambiental Paulo Henrique Lopes reproduziu um projeto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que captura os insetos e deu certo. Com açúcar mascavo, fermento biológico e água ele montou em uma garrafa pet uma espécie de armadilha. É preciso escurecer o pote e os insetos ficarão presos. “Você coloca o fermento biológico, o açúcar mascavo e o inseto é atraído porque o fermento exala CO2. Quando ele é atraído, fica preso no melaço e não consegue sair porque ele também perde o senso de direção porque você veda a garrafa”, explicou Paulo.

Mas outras alternativas podem ser ainda mais fáceis para a dona de casa. “É muito comum usar vela de andiroba, casca do abacaxi e da laranja, que também emitem cheiro que atrai os insetos”, disse o gestor ambiental.

Desde que os insetos começaram a aparecer na casa da aposentada Divina Carvalho o sossego foi embora. Os bichos estão por toda casa e são muitos. “Escureceu que seja, acendeu a lâmpada, eles aparecem e ficam a noite inteira fazendo barulho, ferroando as crianças”, contou Divina. A neta de apenas dois anos foi picada na perna por um deles. Por precaução a avó levou a criança ao médico. “Ela chorou e eu ficava procurando até que eu vi os bichos grudados na perninha dela”, disse.

Fonte: G1
Postar um comentário