terça-feira, 4 de setembro de 2012

Publicação enfoca hipertensão arterial



Marcela Martins Grosselli, aluna do curso de Ciências Biológicas, e Francine Sayuri Okawabata, graduanda em Física Médica, produziram o Jornal da Saúde "Especial Hipertensão".

A atividade consiste em projeto de extensão universitária que tem como objetivo elaboração de material de apoio didático sobre hipertensão arterial desenvolvido sob orientação da professora Maria José Queiroz de Freitas Alves, do Departamento de Fisiologia do Instituto de Biociências (IB) da Unesp, câmpus de Botucatu.

Antes de elaborar a publicação, as estudantes do IB aplicaram questionários a alunos de quatro salas do 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual "Professor Euclides de Carvalho Campos" (Cevila), localizada em Botucatu, com o intuito de investigar o conhecimento que os alunos possuíam sobre pressão alta e as dúvidas e curiosidades em relação a esse assunto.

O material produzido conta com quatro páginas e contempla sintomas, prevenção e riscos da doença, o fato de esse problema atingir homens e mulheres, brancos e negros, adultos e crianças, e controle por meio da mudança de estilo de vida.

Outro aspecto destacado no jornal é o consumo excessivo de sal. Nesse caso, é orientado que, para saber a quantidade de sal de um alimento industrializado, basta multiplicar o valor do sódio que consta no rótulo do produto por 2,5.

"O Ministério da Saúde recomenda que as pessoas consumam no máximo cinco gramas de sal por dia, o que equivale a uma colher de chá. A média de ingestão do brasileiro é de 10 a 14 gramas diários", citam na publicação.

O aparecimento da hipertensão durante a gestação e os cuidados que a mulher deve ter nessa fase também foram contemplados.

Outra seção, intitulada "Mito ou Verdade?", apresenta questões relacionadas à doença e respostas que procuram elucidar dúvidas.

O aspecto lúdico também consta no jornal e foi explorado por meio de imagens, caça-palavras e de quadrinhos.

"Nós utilizamos uma linguagem de fácil compreensão, porém não deixamos de incluir os termos científicos", explica a professora Maria José.

O material será distribuído em escolas de Botucatu. O projeto tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária (Proex).

Fonte: UNESP
Postar um comentário