quarta-feira, 4 de julho de 2012

Migração de aves para cidades coloca população em risco, alerta biólogo


Por causa do desmatamento do cerrado, aves silvestres estão invadindo a área urbana de Rio Verde, no sudoeste de Goiás, e ficam expostos ao risco de choque em fios de alta tensão e podem transmitir doenças aos seres humanos. É o que alerta o biólogo e professor universitário Sebastião Carvalho.

No dia 20 de junho, as Centrais Elétricas de Goiás (Celg) atribuíram um apagão de cerca de 20 minutos, que deixou 100 mil pessoas sem eletricidade, ao fato de uma curicaca ter pousado em um fio. No centro da cidade, na Avenida Getulio Vargas, um casal de araras vive em meio ao barulho e ao trânsito de veículos.

Segundo o biólogo Sebastião Carvalho, as aves vão para a cidade em busca de comida e abrigo, já que o habitat natural delas foi degradado. “Basicamente 80% do cerrado já foi destruído. Esses 20% que restam são de pequenos fragmentos, insuficientes para a sobrevivência dessas espécies”, explica.

Em Rio Verde, um exemplo dessa invasão são as araras azuis que moram na principal rua da cidade, a Avenida Presidente Vargas, no centro. Os moradores se divertem e acham as aves bonitas, mas o perigo existe. Em abril deste ano, uma arara foi encontrada por um morador com sinais de queimadura depois de bater em uma rede de alta tensão. De acordo com a veterinária que atendeu o animal, estes acidentes são comuns.

A proximidade entre pássaros silvestres e seres humanos, cada vez mais comum nos centros urbanos, representa um risco à saúde pública, pois algumas aves têm doenças que podem ser transmitidas à população.

“A gente tem que tomar cuidado, pois as aves silvestres podem transmitir doenças respiratórias. É o que ocorre com os psitacídeos (araras). O contato direto com essas aves, uma vez contaminadas, ou então com resíduos, secreções, podem levar à contaminação”, orienta o biólogo.

Nas ruas, as pessoas gostam dos pássaros. “É uma paisagem da natureza”, diz uma vendedora.

Pesquisa

Na mata de reserva de uma universidade de Rio Verde os alunos do curso de biologia fazem pesquisa com pássaros. Em um ano, professores e estudantes catalogaram 120 espécies. Há até aves que raramente aparecem perto de cidades, como um casal de choca-barrada.

Fonte: G1
Postar um comentário