terça-feira, 26 de junho de 2012

Dinos gigantes pesavam menos do que se acreditava, diz estudo



O braquiossauro era gigantesco, mas menos pesadão do que se imaginava, indica um estudo feito com base em um novo método de cálculo publicado na edição desta quarta-feira da revista especializada Biology Letters, da Sociedade Real britânica, que atribui ao animal um peso de "apenas" 23 t.

O braquiossauro foi um dos maiores animais terrestres conhecidos. Este dinossauro herbívoro tinha 25 m de comprimento. Em ocasiões anteriores foram propostas várias estimativas de seu peso, a maior parte na casa das 40 t, mas alguns cálculos dos anos 1960 se aproximavam das 80 t.

Agora, uma equipe de biólogos desenvolveu uma nova técnica para calcular com precisão o peso dos dinossauros. Os cientistas usaram laser para medir a quantidade mínima de pele necessária para "envolver" o esqueleto de grandes mamíferos atuais (bisão, touro, camelo, elefante, girafa, cavalo, rinoceronte e urso polar).

Em seguida, estabeleceram uma relação entre este volume de "pele e ossos" e a massa corporal do animal. Depois, os biólogos aplicaram seu modelo matemático ao maior esqueleto de dinossauro do mundo, o Brachiosaurus brancai, do Museu de História Natural de Berlim, calculando o peso do animal em 23 t, que se revelou muito inferior às estimativas anteriores feitas com métodos diferentes.

Este novo método "é totalmente objetivo", disse à AFP o autor principal do estudo, Bill Sellers (Universidade de Manchester, Grã-Bretanha), destacando que a massa corporal é um parâmetro muito importante para os biólogos.

Os cientistas consideram que se trata de "um método robusto" para estimar o peso a partir de um esqueleto reconstituído. "Nossos resultados sugerem que várias estimativas precedentes (para todos os dinossauros) são realmente muito pesadas", disse o professor Sellers. Para vários dinossauros, a diferença não seria tão importante quanto para o braquiossauro, mas é provável que "as estimativas mais leves" sejam as corretas, acrescentou o pesquisador.

Fonte: AFP
Postar um comentário