sexta-feira, 30 de setembro de 2011

2º Workshop Internacional de História do Ambiente: Desastres Ambientais e Sustentabilidade


Entre os dias 15 e 19 de novembro, será realizada em Florianópolis (SC) a segunda edição do Workshop Internacional de História do Ambiente: Desastres Ambientais e Sustentabilidade.

Promovido pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), o evento tem como objetivo debater princípios e metodologias de ação educativa visando à prevenção de desastres, além de promover a resiliência. Também serão discutidos os principais paradigmas e metodologias da História do Ambiente, sua vocação interdisciplinar e suas inter-relações com outras áreas do conhecimento e pesquisa.

A programação do workshop traz conferências, mesas-redondas, oficinas, comunicações livres e apresentações de pôsteres.

Mais informações:

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Curso Técnicas de Levantamento da Fauna para Licenciamento Ambiental


Local
Reserva Ecológica de Guapiaçu - Cachoeiras de Macacu - RJ

Carga Horária
24horas/aula

Data das aulas
25, 26 e 27 novembro de 2011

Objetivo
Ao final do curso o aluno estará apto a realizar as principais técnicas de levantamento e análise de biodiversidade faunística.

Mais informações

Vigília virtual pelas florestas mobiliza 40 milhões de usuários do Twitter


A vigília em repúdio ao projeto que modifica o Código Florestal reuniu mais de 60 especialistas e jornalistas em três dias de transmissão ao vivo pela internet. De acordo com os organizadores, mais de 40 milhões de pessoas usaram a hashtag #florestafazadiferença para tuitar ou retuitar conteúdo veiculado durante as 72 horas de transmissão ininterrupta de informações sobre o assunto.

A ação, promovida pelo Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, também foi apoiada por artistas e celebridades. "Há muito tempo falamos em preservar as nossas florestas; a hora é agora", afirmou o ator Rodrigo Santoro. O diretor Fernando Meirelles também apoiou a campanha, assim como Marcos Palmeira, Regina Casé, Fernanda Torres, Marisa Monte e Mônica Torres.

Na quarta-feira (21), o projeto de lei que altera o Código passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e foi aprovado. O PL ainda passará pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Agricultura e Meio Ambiente da casa.

Para Bazileu Margarido, do Instituto Democracia e Sustentabilidade, não dá pra saber se a vigília repercutiu junto aos senadores, mas para ele, a ação foi útil para instruir a população.

"O sucesso da vigília mostrou que a sociedade está atenta e que o tema é relevante para a população”, afirma Margarido.

Fonte: AMDA

Brasil tem quase 500 espécies de árvores ameaçadas


Com a chegada da Primavera, nesta sexta-feira (23), o Ibama (Instituto Nacional de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) divulgou que o Brasil tem oficialmente 472 espécies de árvores ameaçadas de extinção. Ao menos 276 delas são originárias da Mata Atlântica.

O número de espécies na “lista vermelha” da fauna nacional tem quatro vezes mais exemplares que o levantamento anterior, feito em 1992, que registrava 108 espécies em risco de extinção. A relação feita pelo Ibama no entanto, é muito menor que a lista real de tipos de árvores em vias de se extinguirem ou extintas.

Dados do Ibama apontam que outras 1.079 espécies nacionais ainda podem estar ameaçadas de extinção, mas não foram incluídas, por enquanto na lista, devido à falta de estudos científicos comprobatórios. O Sudeste brasileiro, onde fica a maior parte dos 8,5% que sobraram da Mata Atlântica, é a região com o maior número de espécies ameaçadas (348), seguido por Nordeste (168) e Sul (84). Curiosamente, a Amazônia é o bioma com menor número de espécies na lista (24).

Entre as espécies mais ameaçadas da relação está o Faveiro-de-Wilson (Dimorphanda wilsonii Rizinni) e o jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra).

Na última quarta-feira (21), representantes do Projeto Manuelzão, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, fizeram uma manifestação simbólica em prol da recuperação e preservação das nascentes do córrego Cascatinha.

Na segunda-feira (19), os proprietários do lote foram notificados pela Secretaria por desmatar sem autorização, jogar esgoto sem tratamento e lixo no córrego e soterrar três pequenas nascentes para construir barracões, também sem autorização da Prefeitura. O desmatamento ilegal também é um problema: o terreno, que possui 3,3 mil metros quadrados, teve cerca de 80% da área desmatada ou queimada. Originalmente coberto por árvores, só sobraram sete exemplares na área.

Fonte: R7

6º Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Carnes


Entre 24 e 27 de outubro, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) promoverá o 6º Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Carnes, em São Pedro, no interior paulista.

O encontro visa discutir a produção científica brasileira – de universidades ou institutos de pesquisa – sobre as diferentes cadeias produtivas de carnes, assim como promover a aproximação entre pesquisadores de diferentes regiões do Brasil.

A sexta edição do Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Carnes será realizada no Hotel Fazenda Fonte Colina Verde, localizado na rua Veríssimo Prado, nº 1500, São Pedro (SP).

Mais informações:

O futuro da Amazônia


Cientistas de 14 instituições de pesquisa europeias e sul-americanas – incluindo o Brasil, a Bolívia, a Colômbia e o Peru – iniciaram um novo e ambicioso programa de pesquisa para prever o que poderá ocorrer com a Amazônia ao longo das próximas décadas.

Intitulado Amazalert, o projeto tem como objetivo testar previsões que sugerem que, sob contínuas mudanças climáticas e desflorestamento, as florestas da região amazônica poderão estar vulneráveis a degradação em diversos aspectos, como no clima, águas e comunidades.

O programa pretende avaliar o quanto essas previsões são prováveis e, em caso positivo, antecipar onde, como e quando isso deve acontecer. O orçamento é de 4,7 milhões de euros, financiados conjuntamente pelo European 7th Framework Programme e por organizações nacionais.

A equipe é liderada pelos pesquisadores Bart Kruijt, da Universidade de Wageningen, nos Países Baixos, e Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), membro da Coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG) e secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Os cientistas estudarão um possível sistema que detecte sinais de degradação de grandes dimensões na floresta, e que inclui um sistema de alerta caso uma situação de perda de floresta irreversível pareça provável.

O Amazalert também avaliará impactos e efetividade de políticas públicas e medidas para a prevenção da degradação da Amazônia. Serão reunidas informações disponíveis em trabalhos anteriores sobre clima regional, sensibilidade das florestas e ciclo da água, desflorestamento, os impactos sobre as leis e respostas aos impactos na bacia amazônica.

Os pesquisadores explorarão em detalhes observações resultantes de programas como o Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA) e simulações de mudanças climáticas globais, conduzidas pelos relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

O projeto também pretende melhorar a compreensão do papel do fogo, e como a população, agricultura e governos poderão responder às mudanças do clima e do meio ambiente.

Segundo a equipe do programa, também serão envolvidos diretamente representantes de instituições e governamentais para que suas perspectivas sejam incluídas na modelagem e para auxiliar no desenvolvimento de um modelo para um sistema de alerta.

Dentro de três anos, o projeto deverá fornecer um conjunto de ferramentas aprimoradas para avaliar e assessorar as tomadas de decisão na gestão futura da região amazônica, incluindo formas de monitorar o funcionamento da Amazônia para evitar mudanças irreversíveis em seus serviços ambientais.

A reunião inaugural do projeto ocorrerá entre 03 e 05 de outubro no Inpe, em São José dos Campos.

Mais informações:

4º Simpósio de Restauração Ecológica


O Instituto de Botânica de São Paulo realizará, nos dias 16 a 18 de novembro, o 4º Simpósio de Restauração Ecológica: desafios atuais e futuros.

Voltado para estudantes, pesquisadores, professores e profissionais da área, no evento serão apresentados casos de sucesso de restauração ecológica, envolvendo pesquisa, aspectos econômicos e a interdisciplinaridade.

Durante o encontro serão abordados temas relacionados ao cenário atual das pesquisas científicas, políticas públicas, legislação ambiental, evolução dos processos históricos e legais envolvendo restauração e impactos das alterações do Código Florestal e das mudanças climáticas na restauração ecológica.

O evento será no Jardim Botânico de São Paulo, na Av. Miguel Stéfano nº 3687. As inscrições poderão ser feitas até 31 de outubro.

Mais informações:

Prêmio Top Etanol


Profissionais de nível técnico, além de estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores e inventores, podem inscrever até o dia 29 de fevereiro de 2012 seus trabalhos na terceira edição do Prêmio Top Etanol.

A premiação reconhecerá trabalhos acadêmicos, como teses e artigos publicados por estudantes de graduação e pós-graduação, matriculados no período de 2009 a 2011, relacionados a “Agroenergia e Meio Ambiente”.

O prêmio também destacará descobertas, aperfeiçoamentos tecnológicos ou novidades significativas de caráter tecnológico que contribuam para o uso mais eficiente do etanol no Brasil. Os autores das maiores inovações em transportes, geração de energia industrial e utilização do etanol como insumo industrial na produção de bioplástico receberão, cada um, R$ 5 mil.

Mais informações:

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Mestrado Profissional em Ecologia Aplicada - Biodiversidade em Unidades de Conservação da ENBT/JBRJ


O Mestrado Profissional em Ecologia Aplicada - Biodiversidade em Unidades de Conservação da ENBT/JBRJ busca atender prioritariamente um público alvo formado por profissionais com nível superior que lidam com UCs públicas ou privadas e que necessitam de melhor qualificação técnica para a avaliação, monitoramento e gestão da biodiversidade.

Com o novo curso, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro busca promover a aproximação da academia com entidades responsáveis pela gestão da biodiversidade brasileira. O curso pretende viabilizar e valorizar a participação de profissionais já atuantes no mercado de trabalho, oferecendo grade de disciplinas condensada e docentes com disponibilidade para orientação à distância.

As inscrições devem ser efetuadas por formulário eletrônico até 21 de outubro de 2011.

São oferecidas 25 vagas para a turma de 2012.

Mais informações:
http://www.jbrj.gov.br/enbt/mestrado_profissional/mp_objetivo.htm


terça-feira, 27 de setembro de 2011

Planos de Ação Nacionais


O Plano de Ação Nacional para a Conservação de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção (PAN) é uma ferramenta de gestão para conservação da biodiversidade.

Trata-se de um planejamento para a conservação, onde pactua-se com a sociedade - poluidores, consumidores e protetores - e o poder público a responsabilidade por ações que efetivamente possam proteger a espécie atuando sobre as ameaças que a levem ao risco de extinção.

Os Planos de Ação são construídos a partir de um diagnóstico do estado de conservação das espécies e em oficinas de trabalho, por meio de um processo de planejamento participativo.

Entre 627 espécies ameaçadas de extinção constantes na Lista da Fauna Ameaçada de Extinção vigente, 144 (23,5%) estão contempladas nos 26 Planos Nacionais de Ação aprovados pelo ICMBio.

Mais informações:

Arquivos das apresentações de evento apoiado pelo CRBio04


A Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais - Cetec realizou nos dias 31 de agosto a 02 de setembro de 2011, o 1º Seminário Internacional sobre Restauração de Rios em Ambientes Minerários.

O CRBio04 apoiou o evento.

Todas as apresentações das palestras que aconteceram no Seminário estão disponíveis na internet em PDF.

Para acessar os arquivos, clique no link:

Vaga em Goiânia (GO)


O Laboratório DNAVIDA (www.dnavida.com.br), que atua na área de exames de paternidade e diagnósticos moleculares, irá contratar Biólogo.

A empresa é sediada em Goiânia.

O candidato deve ter Mestrado na área de Biologia Molecular ou Genética.

Os interessados devem enviar currículo para rh.laboratorio@yahoo.com.br, até o dia 07 de outubro.

7ª Amazontech


A 7ª Amazontech será realizada de 18 a 22 de outubro em Palmas (TO), promovida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), universidades e instituições atuantes na Amazônia Legal.

O evento tem por objetivo estimular a pesquisa aplicada de interesse dos pequenos negócios sustentáveis da Amazônia, visando à articulação e ao apoio de implementação de políticas públicas e inovação no setor.

A programação científica do encontro contempla seminários, reuniões, mesas-redondas e fóruns, nos quais serão abordados temas como “tecnologias para o manejo e sustentabilidade dos recursos naturais”, “bioindústria e bioenergia”, “extrativismo”, “desenvolvimento sustentável para os pequenos negócios” e “uso e conservação da água”.

Mais informações:

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Bombeiros: incêndio consome 80% de parque ambiental de MG


Um incêndio que começou na última sexta-feira praticamente acabou com uma das mais importantes reservas ambientais de Minas Gerais e do País, localizada na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o Corpo de Bombeiros, cerca de 80% da área do parque Estadual do Rola Moça foi destruída pelo fogo, uma área correspondente a 3.153 campos de futebol.

De acordo com Marcus Vinicius de Freitas, biólogo e gerente do Rola Moça, o parque é o terceiro maior em área urbana do Brasil e abriga importantes mananciais de água que abastecem 40% da população da capital mineira, além de várias espécies de animais ameaçadas de extinção, como a onça-parda, o lobo-guará e o veado-campeiro. "O prejuízo do incêndio é incalculável", disse Freitas.

Na véspera de completar 17 anos de criação, esse já é considerado o maior incêndio da história da reserva. "No parque nós temos muitas espécies endêmicas, raras, que só existem aqui. Com esse incêndio, corre o risco de muitas delas serem extintas antes mesmo de serem descritas pela ciência", afirmou.

Freitas acredita que o incêndio tenha sido criminoso. "Ele começou na BR-040. Direta ou indiretamente alguém começou esse incêndio de enormes prejuízos." De acordo com os bombeiros, 34 militares estão na região desde as 5h desta segunda-feira para continuar o combate ao incêndio, que também já conta com a ajuda de brigadistas do local.

Durante o final de semana o combate contou com o auxílio de três aviões Air Tractor do Instituto Estadual de Florestas, além de helicópteros do Corpo de Bombeiros e pelo menos 100 brigadistas, bombeiros e voluntários.

Fonte: Portal Terra

DNA aborígine reescreve história da ocupação humana do planeta


Uma mecha de cabelos pode reescrever a história da ocupação humana do planeta. Esta é a teoria do biólogo Eske Willerslev, do Centro de Geogenética da Universidade de Copenhague. O material, doado por um aborígine australiano a um antropólogo do Reino Unido no início do século passado, teve seu DNA isolado recentemente. Com isso, foi possível determinar que aqueles índios chegaram à Oceania aproximadamente 70 mil anos atrás - sendo, assim, a mais antiga população do planeta fora da África.

Até agora, a teoria mais aceita era a de que o homem deixou a África, seu berço, em uma única onda migratória. Fora de lá, espalhou-se quase simultaneamente para Europa e Ásia, e esta última leva originou ainda outra facção, que rumou para a Austrália, onde teria chegado há 50 mil anos. Os cabelos estudados por Willerslev, porém, levantam outra possibilidade - e adiantam esta vinda. Segundo seu estudo, publicado na "Science", o êxodo africano foi dividido em pelo menos dois momentos. O primeiro teve como destino a Oceania. O mais recente, quase 30 mil anos depois, foi o que separou asiáticos de europeus.

- Nossa espécie estava parada em algum lugar no norte da África ou do Oriente Médio, quando alguns homens, provavelmente devido à escassez de recursos disponíveis ali, resolveram arriscar uma expedição inédita - contou Willerslev ao GLOBO. - Ainda não sabemos quantos eram, nem temos certeza de sua motivação. Mas não podemos descartar que ela foi simplesmente a curiosidade de um grupo.

Outra resposta pendente, segundo Willerslev, é a logística usada pelos pioneiros para chegar à Oceania, na época ainda mais distante da Ásia do que hoje. Neste cenário, a construção de barcos parece obrigatória. Como foram produzidos, ainda não se sabe.

O biólogo dinamarquês admitiu ter conduzido a pesquisa para entender por que os povos indígenas australianos são tão diferentes do resto da população, cujo DNA contêm fortes traços europeus, devido à chegada dos britânicos em 1770. Em sua investigação, Willerslev encontrou ainda mais motivos para considerar os aborígines intrigantes.

- Nenhum outro povo fora de nosso continente de origem têm, como eles, raízes tão profundas com o lugar onde se fixaram - analisou. - São os únicos sobreviventes da primeira onda migratória. Perto deles, europeus e asiáticos não passam de um fenômeno recente. A análise do DNA revela que os ancestrais dos aborígines separaram-se dos ancestrais de outras populações humanas entre 64 mil e 75 mil anos atrás.

De acordo com Willerslev, outro mérito da pesquisa é divulgar uma fonte para o estudo de nossa migração mundo afora: fios de cabelo congelados. Trata-se de um material ainda pouco usado, mas com o qual o sequenciamento do genoma é bem menos passível de contaminação do que ossos e dentes antigos.

- Basta compararmos o que temos em coleções de museu com amostras de DNA dos descendentes daquela população - recomendou. - Assim poderemos ter o histórico genético de muitas comunidades em todo o mundo. Queremos, agora, levar este trabalho para a América do Sul, e descobrir como e por onde o homem chegou àquele continente.

Fonte: O Globo

Blog ARTHROPIA


O Blog ARTHROPIA é voltado aos estudantes e profissionais de todas as áreas acadêmicas.

Informações, curiosidades, vídeos, charges: tudo sobre o mundo dos artrópodes.

Do blog "O genoma de 5 mil insetos e outros tipos de artrópodes será descoberto e estudado por um grupo de cientistas nos próximos cinco anos. Conhecida como Projeto Genoma de Insetos 5000 (i5k), a iniciativa foi lançada em 2011 para que entomologistas possam conhecer mais sobre a biologia desses animais e como controlá-los quando causam ameaças à saúde, aos alimentos e à economia".

Para visualizar o ARTHROPIA, acesse:

Curso Introdução a Programação em Linguagem PERL para Bioinformática - à distância


A PUC - Goiás (www.pucgoias.edu.br) irá realizar o curso de Introdução a Programação em Linguagem PERL para Bioinformática.

O objetivo é proporcionar aos alunos o conhecimento para trabalhar com programação em linguagem de alto nível, PERL votado para Bioinformática.

As aulas serão desenvolvias na modalidade a distância utilizando o ambiente de ensino e aprendizagem - MOODLE e as suas ferramentas de comunicação.

O início do curso está programado após a formação de turma.

Mais informações:

Workshop sobre Campos Rupestres


O Instituto de Observação da Terra – InOT irá realizar nos dias 05 e 06 de outubro de 2011, em Belo Horizonte (MG), o Workshop sobre Campos Rupestres.

Diante do agravamento do grau de ameaça aos campos rupestres, o evento propõe-se a realização de um debate para melhor definir esta fitofisionomia e sua relação com as vegetações de Mata Atlântica e do Cerrado.

O Workshop será realizado no Ouro Minas Palace Hotel e terá o seguinte evento "Biodiversidade, Conservação, Uso e Políticas Públicas nos Campos Rupestres".

Mais informações:

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Resultado da Eleição


O Conselho Regional de Biologia - 4ª Região informa o resultado das eleições: a chapa AFIRMAÇÃO foi a vencedora.

Os 20 Conselheiros eleitos irão exercer o mandato no quadriênio 2011 a 2015.

Concurso Público Itaquiraí – MS (Cadastro de Reserva)

A Prefeitura de Itaquiraí (MS) está com inscrições abertas para concurso público que abre oportunidades no quadro de servidores sob Regime Estatutário.

Biólogos podem concorrer ao cargo de Fiscal de Meio Ambiente (cadastro de reserva). A remuneração mensal é de R$2.500,00.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.saber.srv.br, até o dia 06 de outubro de 2011.

Mais informações:

Termo de cooperação propõe diminuir testes com animais


O Brasil terá o primeiro centro da América do Sul preparado para desenvolver métodos alternativos para validação de pesquisas que não usam animais em fase de teste. O Centro Brasileiro de Validação de Métodos Alternativos foi criado a partir de um acordo de cooperação assinado nesta terça-feira (13), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com Maria Cecília Brito, uma das diretoras da Anvisa, o objetivo do Centro será desenvolver e validar as chamadas metodologias alternativas de experimentação, que não usam animais para determinar a segurança ou eficiência de um produto.

Para Isabella Delgado, da Fiocruz, a ideia é ampliar os casos em que o uso dos animais não é necessário. Mas, em situações como teste de potencial de câncer ou riscos na reprodução humana, a substituição dos animais é improvável.

"Pensamos na redução e no refinamento, buscando diminuir dor e sofrimento [dos animais]", diz Isabella.

O médico Marcelo Morales, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), representante dos cientistas no Conselho de Ética Animal, concorda com Isabella. Para ele, a criação do centro é um caminho para o país desenvolver alternativas à experimentação animal.

Segundo Morales, cada metodologia de experimentação alternativa pode levar até dez anos para ser desenvolvida. Isso é feito com base em pesquisas científicas. Além de desenvolver métodos próprios, o Centro deve interligar outros no país nessa área e também utilizar testes já feitos no exterior.

De acordo com Maria Cecília, os primeiros resultados, com cosméticos, devem sair em até um ano. Ela acredita ainda que o Centro vai estimular que empresas brasileiras optem pelos testes sem animais.

"Países mais avançados nessa questão não aceitam testes pré-clínicos com animais. Alguns produtos brasileiros não conseguem mercado fora e outros já lançaram mão desses métodos para vender no exterior", afirma.

Fonte: AMDA

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Com ou sem Código, cresce demanda por muda nativa


Mesmo diante do impasse do Código Florestal - após novo adiamento, a votação do projeto de lei de reforma do código está marcada para hoje, data que comemora também o Dia da Árvore -, produtores de sementes e mudas nativas seguem com mercado aquecido, dada a crescente demanda por serviços de reposição florestal. As exigências da atual lei estão por trás da maioria dos casos de reflorestamento, mas hoje já há projetos de plantios voluntários, de interessados em valorizar a propriedade ou por simples consciência ecológica.

Em regiões muito degradadas, como o Estado de São Paulo, a restauração florestal tem se mostrado uma grande oportunidade de negócio", diz o professor Ricardo Ribeiro Rodrigues, do Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal (Lerf) da Esalq/USP. Em 2001, segundo levantamento do Instituto de Botânica, havia 55 viveiros cadastrados e eram produzidos 13 milhões de mudas (277 espécies) por ano. Em 2009, o número de viveiros cadastrados passou para 114; as espécies para 582, e a produção de mudas chegou a 30 milhões por ano, com capacidade para 53,3 milhões de mudas/ano.

"Vale lembrar que o plantio só é necessário nas áreas extremamente degradadas; áreas não tão prejudicadas têm a capacidade de se regenerar sozinhas. Isso sai do senso comum de dizer que restauração custa caro e que o Brasil vai quebrar com o cumprimento do atual Código atual", diz Rodrigues.

A demanda por mudas tem sido grande em função da quantidade de áreas a serem restauradas - sobretudo as áreas de preservação permanente (APP) e de reserva legal previstas pelo atual Código Florestal, segundo o professor Paulo Kageyama, da Esalq. "Só no Estado de São Paulo estima-se um déficit de 2 milhões de hectares de APP, considerando que as matas ciliares somam, em média, 10% da propriedade e que o total do Estado é de 22 milhões de hectares", diz.

Com a recomendação técnica de plantar 2 mil mudas por hectare, isso representa cerca de 4 bilhões de mudas. "O Estado tem de 20 a 30 viveiros que produzem mais de 1 milhão de mudas/ano, diz a Secretaria de Meio Ambiente, portanto muito longe da necessidade."

Diversidade

Para o diretor do Jardim Botânico do Instituto de Botânica, Luiz Mauro Barbosa, o setor avançou muito, sobretudo em relação à tecnologia de produção de sementes e à diversidade de espécies. "Há dez anos, eram 25, 30 espécies. Hoje são mais de 80 disponíveis. A diversidade é crucial para sustentar uma mata", diz.

Para garantir uma boa diversidade de espécies, o produtor Guaraci Diniz, do Sítio Duas Cachoeiras, em Amparo (SP), trabalha em parceria com outros viveiristas. "Em vez de competição, vira cooperação. Trocamos sementes e, como cada um é de uma região, elevamos o número de espécies."

Diniz, que também dá cursos de coleta e identificação de sementes de árvores brasileiras, está instalando viveiro próprio, com capacidade inicial de 10 mil mudas, de pelo menos 150 espécies diferentes. "A ideia é a de que o viveiro atue na capacitação de mão de obra, pois falta pessoal qualificado no setor", diz. Hoje, parte do sítio é Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Compensação

O mercado de compensação ambiental divide-se em três tipos: o da compensação obrigatória, que consiste, basicamente, na reparação de dano ambiental por meio do plantio de árvores; o compulsório, que envolve grandes empreendimentos passíveis de licenciamento ambiental, e o voluntário, sem fins comerciais. "Tem todo tipo de cliente", diz o biólogo especialista em conservação Otávio César Cafundó de Moraes, da Brasil Diverso Soluções Ambientais.

Moraes vê futuro promissor para o mercado, mas também chama a atenção para a carência de profissionais que executem - e bem - projetos de reflorestamento. "Não é só plantar. Para formar floresta é preciso adotar técnicas de plantio e avaliar que espécies atraem aves e outros animais, por exemplo. Se a floresta consegue atrair animais, estes trazem mais sementes e a enriquecem, tornando-a viável ao longo do tempo."

Após constatar essa lacuna, também resolveu investir na produção de mudas e está instalando, em Sorocaba (SP), um viveiro. "Um dos gargalos do setor é a semente. Garantir um lote de mudas viável e com variabilidade genética é difícil." O viveiro tem capacidade para 45 mil mudas/ano, com meta de chegar a 300 mil/ano.

A coleta de sementes é feita o ano todo, mas no Estado de São Paulo, o fim do inverno é considerado o pico da "safra". Em um mês de coleta, o biólogo conseguiu 46 espécies. Além de ter "olho clínico" para o negócio, Moraes diz que é essencial que o produtor tenha mudas para pronta entrega e faça controle do estoque. "Quem consegue aliar essas duas coisas a um trabalho de pós-venda, que é o acompanhamento do projeto, tem mercado."

Profissional disputado no mercado, o técnico agrícola Emilson José Rabelo, do viveiro Ambiental Mudas Nativas e Exóticas, em Araraquara (SP), tem talento inato para identificar espécies e é experiente coletor de sementes. "É um trabalho árduo. Tem que entrar na mata de madrugada, subir em árvore, enfrentar calor, bichos. Tem que gostar muito." O viveiro produz, por ano, mais de 1 milhão de mudas, de 120 espécies nativas. A maioria é vendida em tubetes, mas ele produz também mudas em saquinhos e em potes. "Cada cliente quer de um jeito."

Tubete ou saquinho

Os tubetes, diz, são para clientes que vão plantar grande quantidade, acima de 10 mil mudas. "Esses querem preço e facilidade no transporte, porque onde são transportados 100 saquinhos, cabem 2 mil tubetes", explica Rabelo. A muda no saquinho atende a projetos que necessitem de plantas mais desenvolvidas. Já as mudas de pote, mais caras, têm foco em projetos maiores, como arborização de ruas, fazendas e condomínios. "Mesmo com a indefinição do código, muitos produtores estão investindo em reflorestamento. É uma forma de se antecipar à lei, mas também demonstra maior consciência ecológica."

"Se o Brasil tiver 30 bons coletores de sementes, é muito", diz o consultor Flores Welle, de Holambra (SP). Com produção de 150 mil mudas de mais de 100 espécies nativas, Welle quer, em um ano e meio, expandir a área e produzir 400 mil mudas. "Fazer o controle de estoques dá trabalho, mas é bom fazer", diz ele, que elabora e executa projetos de recuperação ambiental e, se o cliente quiser, faz a manutenção da área.

O agrônomo André Gustavo Nave, diretor do Viveiro Bioflora, em Piracicaba (SP), que produz 4 milhões de mudas de mais de 150 espécies, atesta a importância de uma boa gestão do viveiro. "O maior gargalo é planejar a produção em escala. Isso, por sua vez, tem relação direta com uma reposição bem elaborada, que respeita o processo de formação de uma floresta original", diz. "No interior paulista predomina a floresta estacional semidecídua. É diferente do cerrado, que é diferente da mata atlântica."

Fonte: O Estado de S.Paulo

Repovoamento poderá ser feito com peixes exóticos


Um projeto de lei em trâmite na Câmara dos Deputados causa polêmica entre parte da comunidade científica. Trata-se do PL 5.989/09, do deputado Nelson Meurer (PP-PR), que versa sobre a recomposição de ambientes aquáticos impactados pela introdução de barragens e represas.

Recém-aprovado na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal, o PL abre, segundo especialistas, uma brecha para a criação de espécies exóticas (não nativas) em tanques-rede nas águas públicas.

"A premissa que embasa o PL é a de que espécies exóticas não têm impacto. O projeto equipara as nativas às exóticas. Não se pode apresentar uma premissa dessas na Câmara", afirma Sílvia Ziller, da ONG Instituto Hórus.

Meurer diz que sua preocupação era forçar a reparação de danos em rios represados. Porém, ao redigir a proposta, ele deixou em aberto a possibilidade de repovoamento com exóticas, incluindo a tilápia-do-nilo e vários tipos de carpas. "Já existe tilápia em tanque-rede no País inteiro."

O projeto, também aprovado na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, foi modificado pelo relator Carlos Magno (PP-RO), que retirou do texto os nomes das exóticas que poderiam ser criadas em tanques-rede e atribuiu ao Ministério da Pesca a tarefa de listá-las.

"A nominação de espécies de peixes numa lei federal poderia 'engessar' as opções disponíveis para aquicultura. Mesmo porque as condições ambientais variam muito entre as regiões brasileiras e, portanto, as espécies mais indicadas podem variar também. É mais adequado delegar ao Ministério da Pesca e Aquicultura a nominação."

Para Mário Orsi, biólogo da Universidade Estadual de Londrina, a proposta representa a legalização da criação de exóticas em tanques-rede que, segundo ele, não são os locais mais apropriados. "Ninguém quer banir essas culturas, mas é possível fazer em tanques escavados. O problema dos tanques-rede é que as ovas escapam pela malha e invadem as águas públicas." Ele afirma que isso já acontece em pequena quantidade, porque a maioria das criações não está legalizada. "Toda a cadeia trófica sofre, é um efeito cascata. Não conhecemos o tamanho dos impactos", afirma.

Magno não vê problemas "se a criação em tanques-rede de quaisquer espécies de peixes for executada conforme regramento do Ministério da Pesca". "Um dos objetivos é incrementar a produção de pescado aproveitando um recurso hídrico disponível, de forma técnica, econômica e ambientalmente adequada."

Antigas. Meurer sustenta que espécies como as tilápias são criadas há tanto tempo no Brasil que nem poderiam ser chamadas de exóticas. Mas o Ministério da Pesca diz o contrário.

"Pela legislação atual, a tilápia-do-nilo não pode ser considerada espécie nativa, mas introduzida ou estabelecida na bacia. Portanto não poderá ser considerada como nativa para utilização na recomposição ambiental", afirmou a assessoria da pasta.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Cientistas capturam imagens de tatu gigante no Pantanal


Cientistas britânicos conseguiram capturar imagens de um raro tatu gigante no Pantanal brasileiro.

As câmeras do zoológico de Chester foram colocadas pelos pesquisadores da Royal Zoological Society, da Escócia, na região de Nhecolândia, e fazem parte do Projeto Tatu Gigante.

Depois de dez semanas de pesquisa de campo, os cientistas conseguiram encontrar e fotografar o animal.

"As câmeras vão oferecer informações críticas para a avaliação da situação das populações de tatus gigantes no Brasil", disse Arnaud Desbiez, biológo da Royal Zoological Society, que lidera o projeto.

"Elas vão nos ajudar a ter uma compreensão melhor da história natural da espécie e talvez entender as razões ecológicas de sua raridade (....). E vão nos ajudar a formular uma base de informações sobre a ecologia do tatu gigante e sua função no ecossistema do Pantanal brasileiro", acrescentou.

As fotos mostram o tatu saindo de uma toca. Apesar de as populações de tatus gigantes, ou Priodontes maximus, estarem espalhadas pela maior parte da América do Sul, pouco se sabe sobre este animal devido ao seu comportamento discreto e à pouca densidade das populações, que raramente são vistas.

TOCA

O fato de o tatu gigante passar os dias em tocas embaixo da terra dificulta a observação tornando os avistamentos raros.

O tatu gigante pode atingir 1,5 metro de comprimento e pesar até 50 kg, duas vezes o tamanho de um tatu comum. Ele vive em áreas de florestas conservadas, perto de fontes de água, e tem hábitos noturnos.

Isso levou os cientistas a decidirem usar câmeras automáticas, instaladas como armadilhas, para capturar as imagens.

"Nós simplesmente não sabemos nada sobre os tatus gigantes e podemos perder esta espécie antes de conseguir entender sua história natural básica e seu papel ecológico", afirmou Arnaud Desbiez.

A organização União Internacional para Conservação da Natureza classifica este mamífero como vulnerável, pois o tatu gigante está ameaçado pela perda de seu habitat e pela caça.

Com o uso das câmeras automáticas do zoológico de Chester, os pesquisadores poderão estimar a densidade da população, investigar os padrões de suas atividades, monitorar o uso de suas tocas por outras espécies além de aprender mais sobre seu comportamento social e reprodutivo.

Para Arnaud Desbiez, o tatu gigante pode ser considerado um "fóssil vivo".

"Estou ansioso para usar os resultados de nosso trabalho para mostrar aos brasileiros e ao resto do mundo esta espécie desconhecida que eu acredito simboliza o melhor da biodiversidade", afirmou.

Fonte: BBC BRASIL

Processo Seletivo Juiz de Fora – MG (Cadastro de Reserva para Biólogos)

A Prefeitura de Juiz de Fora (MG) abriu processo seletivo na intenção de selecionar pessoal para possíveis cargos temporários.

Não está definido o número de contratações.

O cargo Analista Ambiental-Biólogo possui remuneração mensal de R$1.968,27.

As inscrições devem ser feitas diretamente no endereço da prefeitura, em www.pjf.mg.gov.br, até o dia 27 de setembro.

O processo seletivo avaliará os candidatos através de pontuação dos seus títulos.

Mais informações:

Concurso Público DAER – RS (01 vaga para Biólogos)

Encontram-se abertas, até o dia 27 de setembro (terça-feira), as inscrições para o concurso público de provas e títulos do DAER, Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem – RS, onde todas as contratações observarão o Regime Jurídico Estatutário.

O cargo Especialista Rodoviário Área 3 – Biologia possui o salário de R$4.391,18.

A aplicação da prova escrita será no município de Porto Alegre. A data, o local e o horário de aplicação ainda não foram definidos.

Informações e inscrições:

Processo Seletivo MCTI – CEMADEN (08 vagas para Biólogos)

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) abriu processo seletivo para contratação temporária de pessoal ao CEMADEN – Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais.

Os candidatos aprovados serão contratados pelo período de 01 ano, com possibilidade de prorrogação até o limite máximo de 04 anos.

Biólogos podem se candidatar para 08 cargos. O local de atuação é em Cachoeira Paulista (SP).

Todas as oportunidades exigem mestrado e/ou experiência na área de atuação. Os regimes de trabalho são em 06 ou 08 horas diárias, e proporcionam vencimento mensal entre R$3.800,00 e R$ 8.300,00.

O candidato ou seu procurador poderá efetivar a inscrição no prédio da Administração da Unidade Regional de Cachoeira Paulista (SP), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

As inscrições também poderão ser realizadas via correios, mediante envio da inscrição e documentação através de Sedex.

Mais informações:

Concurso Público Três Coroas – RS (01 vaga para Biólogos e 02 vagas para Professor)

Está aberto o concurso público para a Prefeitura de Três Coroas (RS), que possui diversos cargos vagos em regime jurídico estatutário.

Existe 01 vaga disponível para o cargo Biólogo. O salário inicial é de R$1.539,88, para uma jornada de trabalho de 20 horas semanais.

O cargo Professor - Ciências Físicas e Biológicas possui 02 vagas em aberto. A remuneração é de R$1.087,83 e 20 horas semanais de jornada de trabalho.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 13 de outubro de 2011, mediante acesso ao site www.exatuspr.com.br .

Mais informações:

Processo Seletivo UFF (01 vaga para Professor)

O processo seletivo da UFF – Universidade Federal Fluminense visa a admissão de pessoal para ocupação de cargos temporários.

O salário varia entre R$1.536,63 e R$4.300,00.

Veja abaixo a vaga destinada a biólogos.

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL
Área de Concentração: Ensino de Ciências e Educação Ambiental
Vagas: 01
Tipo de Contrato: Temporário
Regime: 40 horas semanais.
Classe: Assistente.
Titulação: Graduação em Ciências Biológicas e Mestrado em Educação.
Período de Inscrição: 26/09/2011 a 30/09/2011.

São recebidas as inscrições no respectivo departamento da vaga pleiteada conforme endereço no Anexo II do edital oficial (link abaixo).

Mais informações:

Atualização em Genética Humana

Colégio Magnum em BH contrata Professores


O Colégio Magnum Cidade Nova (www.magnum.com.br/cidade_nova) abriu processo de seleção para professores.

É exigido do candidato graduação completa e experiência de no mínimo 03 anos na profissão.

O processo seletivo visa à manutenção do banco de currículos para eventuais contratações.

Os interessados deverão enviar currículo até o dia 1° de outubro de 2011, para selecaoprofessores@magnum.com.br .

Mais informações:

Doutorado e Mestrado Ecologia UnB


O Programa de Pós-Graduação em Ecologia da UnB - Universidade de Brasília divulgou o edital para a seleção de mestrandos e doutores para a formação de turmas para o período 1º/2012.

Ao todo são 37 vagas, sendo 21 para Mestrado e 16 para Doutorado.

O perído de inscrição vai de 03 de outubro a 04 de novembro de 2011, sendo que a mesma poderá ser feita pessoalmente, por procuração ou por via postal.

Não haverá garantia de oferta de bolsa de estudo, tanto para o Mestrado quanto para o Doutorado.

Mais informações:

Redação científica ganha site especializado


Em 07 livros sobre redação e publicação científica, o zoólogo Gilson Volpato sistematizou o conhecimento acumulado ao longo de mais de 25 anos de dedicação ao tema. A partir de agora, os interessados poderão encontrar uma referência permanente sobre o assunto na internet.

Volpato, que é professor do Departamento de Fisiologia do Instituto de Biociências de Botucatu da Universidade Estadual Paulista (Unesp), lançou um site que tem o objetivo de oferecer ao público acesso a artigos, dicas e reflexões sobre temas como redação científica, educação e ética na ciência.

O veículo eletrônico também dá acesso a aulas online do curso “Bases Teóricas para Redação Científica”, apresentado por Volpato na Unesp.

O site Redação Científica por Gilson Volpato pode ser acessado através do link:

Seminário Luso-Brasileiro de Direito e Ambiental


DATA: 26 de setembro.

HORÁRIO: a partir das 19h.

LOCAL: Rua Timbiras, 628, 4º andar - BH/MG

PALESTRANTE: CARLA AMADO GOMES - Professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e Professora convidada da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. Mestre, Doutora e Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

PRESIDENTE DA MESA: MEIGLA MARIA ARAUJO MERLIN – Procuradora do Município de Belo Horizonte. Mestre e Doutora em Direito pela Faculdade de Direito da UFMG.

DEBATEDOR: THIAGO LINS MONTEIRO – Procurador do Município de Belo Horizonte.

MAIS INFORMAÇÕES: www.aprombh.com.br

Seminário Paranaense de Mudanças Climáticas: Efeitos Econômicos e Ecocidadania


O CEAL (Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina) e o CONSEMMA (Conselho Municipal do Meio Ambiente de Londrina) realizarão nos dias 13 e 14 de outubro de 2011, no Hotel Sumatra, em Londrina, o I Seminário Paranaense de Mudanças Climáticas: Efeitos Econômicos e Ecocidadania.

O evento será realizado juntamente com um grande encontro dos Conselhos Municipais do Meio Ambiente do Paraná.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 07 de outubro.

Mais informações:

Palestra "Metabiology: Life as Evolving Software"


A Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP) receberá, nos dias 26 e 27 de setembro, o matemático Gregory John Chaitin, para proferir uma conferência sobre metabiologia e sua relação com a Teoria da Evolução, de Charles Darwin.

Um dos pioneiros na área da teoria da informação algorítmica, Chaitin não se conformava que a Teoria da Evolução não pudesse ser explicada por equações. Para isso, ele utilizou a metabiologia – uma área que faz a conversão da tecnologia da informação com a biologia, estudando a mutação aleatória por meio de um software.

Ex-pesquisador do Centro de Pesquisa da IBM, Chaitin é doutor honoris causa da Universidade do Maine, nos Estados Unidos. Ele foi um dos três cientistas responsáveis pela teoria da informação algorítmica, pela qual se mostrou possível utilizar computação na teoria da informação, explicando assim alguns paradoxos lógicos, como o teorema da incompletude de Gödel, por meio dessa teoria.

Foi ainda o descobridor do número Ômega (número real entre 0 e 1) que, de certa forma, recoloca a famosa questão de Einstein “Deus não joga dados” em xeque novamente, desta vez no âmbito da matemática pura. Chaitin está no Brasil como professor-visitante da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A conferência será proferida em inglês, em duas partes: dia 26 de setembro, às 14h30, e dia 27 de setembro, às 9h.

O evento será realizado na sala C1-49 do prédio da Engenharia Elétrica da Poli, localizado na Av. Prof. Luciano Gualberto, travessa 3, nº 380, na Cidade Universitária, em São Paulo.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas através do link:

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Processo Seletivo UnB (01 vaga para Professor)

A Fundação Universidade de Brasília (UnB) abriu processo seletivo para contratação de profissional em cargo de docente.

É aberta 01 vaga para qual está prevista contratação de profissional com Doutorado, na classe de professsor substituto, com jornada jornada de 40 horas semanais de trabalho. A área de concentração da vaga é Anatomia Vegetal, do Departamento de Botânica.

A lotação será no Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, da UnB. A remuneração do contratado será da ordem de R$4.300,00.

As inscrições ficam disponíveis entre os dias 19 e 23 de setembro de 2011, das 8j30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30. O local é o Departamento de Botânica do Instituto de Biologia, no Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte. O candidato deverá apresentar seu curriculum vitae com a comprovação das informações nele contidas.

Mais informações:

Circuito Cemig de Arborização Urbana


O Circuito Cemig de Arborização Urbana chega a Belo Horizonte neste mês de setembro, dia 27. O evento promovido pela Cemig, está percorrendo todo o interior do Estado com a proposta de discutir as boas práticas de arboricultura, além de aprimorar os trabalhos dos profissionais envolvidos no planejamento urbano, distribuição de energia elétrica e arborização.

O evento conta com a participação de profissionais da Cemig, prefeituras municipais, estudantes universitários, organizações não governamentais e órgãos públicos ligados à gestão ambiental.

Uma das atrações do evento é o lançamento da nova versão do Manual de Arborização. Com sua primeira publicação feita em 1986, sendo utilizado amplamente pelos mais variados interessados no tema.

As inscrições devems ser feitas até 25 de setembro de 2011 pelo e-mail circuitoarborizacao@cemig.com.br (com nome, empresa, cargo, telefone, e-mail).

O Circuito acontecerá no Auditório do Edifício Sede da Cemig (Av. Barbacena 1200 – Santo Agostinho – Belo Horizonte – MG).

Mais informações:
(31) 3506-3742

Rede oferece bolsas para pesquisa em mudanças globais


O Instituto Interamericano para Pesquisas em Mudanças Globais (IAI), sediado no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de São José dos Campos, seleciona propostas de projetos para o Programa da Rede Cooperativa de Pesquisa III (CRN III).

O Programa da Rede Cooperativa de Pesquisa visa gerar novos conhecimentos sobre os fenômenos de mudanças globais, bem como fornecer opções de mitigação e adaptação dentro do contexto ambiental, social, econômico, institucional e legal. O CRN III terá cinco anos de duração e o início dos projetos está previsto para meados de 2012.

Os interessados devem submeter uma proposta preliminar até o dia 15 de novembro de 2011 e, caso essa seja aprovada, será solicitado o envio de uma proposta completa até o dia 15 de abril de 2012.

Cada pesquisador principal poderá submeter apenas uma proposta preliminar e participar como copesquisador em outras duas. Cada uma delas deve envolver pelo menos quatro países membros do IAI.

A elegibilidade para subsídios no âmbito do CRN III limita-se a faculdades, universidades, sociedades de profissionais e instituições não acadêmicas, sem fins lucrativos, que mantenham programas de pesquisa e estejam localizadas em qualquer país membro do IAI. Ao todo serão oferecidas entre 10 e 12 bolsas.

Mais informações:

Livro GenÉtica: Escolhas que nossos avós não faziam


As informações geradas pelos avanços da genética podem abalar alguns dos valores mais importantes da sociedade. Com isso, torna-se necessária a reflexão sobre dilemas e questionamentos éticos criados pelos avanços na área, como a possibilidade de análise do genoma humano a um custo cada vez mais acessível.

É o que pretende o livro GenÉtica: Escolhas que nossos avós não faziam, escrito pela geneticista Mayana Zatz – coordenadora do Centro de Estudos do Genoma Humano, um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP –, lançado na semana passada na capital paulista.

GenÉtica é voltado tanto para especialistas que atuam nas áreas de genética e bioética como ao público geral. Cada capítulo descreve uma nova situação, que tem por objetivo levar o leitor a refletir sobre o uso da informação genética e seus limites.

Ao todo, são 13 capítulos que abordam temas com questões conceituais que dificultam a aplicação de normas, como os princípios da privacidade e da confidencialidade, a escolha seletiva de embriões, a clonagem humana e os testes de DNA.

No livro, a cientista cita como exemplo o caso do menino conhecido como Pedrinho, sequestrado em Brasília na maternidade. Na mesma época em que o caso veio à tona, suspeitou-se que Roberta, sua suposta irmã, também pudesse ter sido sequestrada por Vilma, mãe adotiva do menino.

A geneticista também chama a atenção para o debate ético sobre a identificação precoce de genes que aumentam a predisposição para doenças – entre as quais certos tipos de câncer, hipertensão e males cardíacos – e os impactos da seleção do sexo em larga escala, como na China e na Índia, onde a proporção de homens é maior que a de mulheres.

A obra conta também com uma seção bibliográfica, para quem desejar se aprofundar nos temas abordados, e outra com explicações sobre os termos técnicos citados nos textos.

GenÉtica: Escolhas que nossos avós não faziam
Autora: Mayana Zatz
Lançamento: 2011
Preço: R$ 29,90
Páginas: 202
Mais informações: http://globolivros.globo.com

Fonte: Agência FAPESP

1º Simpósio Internacional em Ecologia


O Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais (PGERN) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), juntamente com a Universidade Federal de Brasília (UnB), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) realizarão, nos dias 23 a 26 de outubro, o 1º Simpósio Internacional de Ecologia.

O evento reunirá pesquisadores dessas e outras instituições para celebrar os 35 anos da pós-graduação em ecologia no Brasil.

Voltado para estudantes de graduação e pós-graduação, professores e pesquisadores da área, os objetivos do encontro são discutir os avanços da pesquisa ecológica e da formação de profissionais qualificados e consolidar a contribuição da ecologia para a resolução de problemas de conservação da diversidade biológica.

O evento será realizado no Teatro Universitário Florestan Fernandes, localizado na área Norte do campus da UFSCar em São Carlos, situado na Rod. Washington Luís, km 235, SP-310.

Mais informações:

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Curso à distância Negócios Ambientais


O curso de formação rápida à distância em Negócios Ambientais da Universidade Federal do Paraná - UFPR está com as inscrições abertas.

As aulas começarão no dia 10 de outubro e terão carga horária de 60 horas.

Biólogos registrados no CRBio04 possuem descontos.

Mais informações:

Bolsas ICMBio


O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) torna público o lançamento de edital para a concessão de bolsas de auxílio e fomento à pesquisa e ao desenvolvimento tecnológico nas modalidades Apoio Científico e de Apoio Técnico Científico, para apoio ao desenvolvimento das atribuições da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio) do Instituto.

O processo de seleção será constituído por duas etapas: análise de currículos e entrevista. Os interessados devem enviar os currículos (com a respectiva documentação solicitada no edital) para o e-mail: fundacaoflora@gmail.com até o dia 30 de setembro. As bolsas terão duração de 6 a 12 meses, com a possibilidade de prorrogação por igual período.

Os escolhidos na seleção irão desenvolver trabalhos relacionados a avaliação do estado de conservação das espécies da fauna brasileira; elaboração e implementação dos Planos de Ação para a Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção; monitoramento do estado de conservação da biodiversidade em Unidades de Conservação Federais e fortalecimento e estruturação dos Centros de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Brasileira.

São 17 bolsas destinadas a biólogos. Os locais de atuação são: Brasília (DF), João Pessoa (PB), Goiânia (GO); Atibaia (SP); Pirassununga/SP e Itajaí (SC).

A remuneração varia confore a tituação: entre R$2.000,00 e R$4.000,00.

Mais informações:

XVIII Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais & V Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas


O XVIII Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais e o V Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas, serão realizados no período de 13 a 18 de novembro de 2011, no Centreventos Cau Hansen, em Joinville, Santa Catarina.

Os eventos são promovidos pela Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais (SBFPO) e pela Associação Brasileira de Cultura de Tecidos de Plantas (ABCTP).

A realização está a cargo da EPAGRI - Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, da UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, da UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina, da UNIVILLE – Universidade da Região de Joinville e da AJAO – Agremiação Joinvillense de Amadores de Orquídeas.

Mais informações:

Descobertas 12 espécies de sapos em florestas da Índia


Pesquisadores descobriram na Índia 12 novas espécies de sapo e encontraram ainda outros três exemplares de anfíbios que eram classificados como extintos. As informações foram publicadas na revista de taxonomia “Zootaxa” do mês de setembro e elevam para 336 a quantidade de rãs conhecidas no país asiático.

Segundo os cientistas, o encontro é um alerta sobre o papel de preservar estas espécies. De acordo com o biólogo Sathyabhama Das Biju, da Universidade Delhi, autoridades se preocupam apenas em proteger espécies como os elefantes e tigres, ambos considerados símbolos na Índia. “Os sapos não são só apenas indicadores importantes das mudanças climáticas, mas também detectam poluentes no meio ambiente”, afirma o pesquisador.

A maioria dos novos anfíbios são noturnos, encontrados a partir de observações feitas pelo pesquisador e seus alunos em diversas partes do país. Durante a observação, outras três espécies classificadas como extintas foram redescobertas, sendo que uma delas foi descrita há 91 anos.

Fonte: G1

Queimadas colocam em risco vida de animais silvestres brasileiros


As queimadas que se espalham pelo País afetam diretamente a vida dos animais silvestres. Elas geram a extinção de espécies ou sua drástica redução, além da adaptação forçada a um novo habitat. O biólogo Léo Gondi, analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), alerta que os efeitos das queimadas também pesam sobre os recursos hídricos e a vegetação como um todo.

Nos últimos dias, especialistas da Floresta Nacional de Brasília (Flona) e agentes da Polícia Ambiental resgataram várias espécies, de pássaros raros a tatus e tamanduás. O biólogo Léo Gondi afirmou que os impactos a médio e longo prazo são assustadores.

"Há um impacto terrível. (Antes das queimadas) os animais tinham um território, agora eles se veem obrigados a buscar outro local que está ocupado por animais, na maioria das vezes predadores", disse o biólogo. "É um problema gravíssimo, pois os animais que mudam de habitat são expulsos do seu ambiente natural e enfrentam a escassez de comida".

Apenas nos últimos dias, o ICMBio contabilizou 56 animais silvestres que tentavam escapar das queimadas na região da Flona. Foram recolhidos lobos-guará, tamanduás-bandeira, veados campestres e papagaios. Também foram acolhidos, machucados, um veado e um tamanduá-bandeira. Três cobras foram encontradas mortas.

Segundo Gondi, o animal silvestre, quando tem seu território destruído, sai em busca de outro local para viver. Quando o encontra e o local está sob domínio de espécies distintas ou até mesmo de animais da sua espécie, surge uma disputa por espaço. De acordo com ele, os animais passam a se enfrentar e sobrevive o mais forte. "A média de uma queimada a cada dois anos é ruim para manter a sobrevivência das espécies", advertiu.

Fonte: Agência Brasil

Curso: Introdução a Mastozoologia


O Instituto Sul Mineiro de Estudos e Convervação da Natureza irá organizar o curso de Introdução a Mastozoologia.

As aulas serão realizadas entre os dias 26 e 27 de novembro de 2011, na RPPN Fazenda Lagoa, localizada no município de Monte Belo, a 40km de Alfenas, região sul de Minas Gerais. Os alunos ficarão hospedados em alojamento da própria Fazenda Lagoa.

O curso tem como objetivo estimular estudantes e pesquisadores a ingressar em pesquisas ecológicas com mamíferos através da utilização de metodologias sofisticadas para o fortalecimento de uma ciência madura.

Biólogos registrados no CRBio04 possem desconto de 10% no curso.

Mais informações:

V Simpósio Brasileiro de Microbiologia Aplicada


Data
28 a 30 de setembro de 2011

Local
Porto Alegre - UFRGS (Salão de Atos II)

Organização
Alunos do PPG Microbiologia Agrícola e do Ambiente

Objetivo
Contemplar pesquisas que vêm sendo desenvolvidas em âmbito nacional com o objetivo de compartilhar o conhecimento produzido nos diferentes campos da Microbiologia, através da divulgação de trabalhos científicos, discussão de temas das diversas áreas com um olhar critico e científico, aumentando os horizontes e despertando novos interesses nos profissionais em formação ou já formados.

Mais informações
http://www.ufrgs.br/simposiomicro/index.htm