segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

XL Reunião Anual da SBBQ


A Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular - SBBq se realizará no período de 30 de abril a 03 de maio de 2011 em Foz do Iguaçu, Paraná.

A conferência de abertura será ministrada pela Profa. Dra. Ada Yonath, do Instituto Weizmann, Prêmio Nobel de Química de 2009.

Mais informações:

Concurso Público Técnico Administrativo UFRN (02 vagas para Biólogos)

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) lançou edital para concurso público que irá selecionar Biólogos (cargo Técnico Administrativo).

O vencimento básico é de R$ 2.989,33, podendo ser acrescido de vantagens, benefícios e adicionais previstos na legislação.

A inscrição será feita via internet (www.comperve.ufrn.br), até o dia 02 de março de 2011.

Mais informações:

Concurso Público Professor UFTM (01 vaga para Biólogos)

A Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) – MG irá contratar Professor Assistente (Dedicação Exclusiva) para a disciplina de Anatomia Humana.

A remuneração é de R$4.651,59.

O candidato deve ter mestrado na área da Saúde ou Ciências Biológicas e experiência comprovada de 04 anos em ministrar aulas da disciplina de Anatomia Humana.

Será admitida inscrição somente via internet, no endereço eletrônico www.uftm.edu.br, entre os dias 1º de fevereiro e 12 de março de 2011.

Mais informações:

Concurso Público Hortolândia – SP (01 vaga para Biólogos)

O concurso público da Prefeitura Municipal de Hortolândia (SP) irá contratar Biólogo (salário de R$ 2.446,59).

A inscrição será feita por meio endereço eletrônico www.rboconcursos.com.br, a partir do dia 07 de fevereiro de 2011 até o dia 25 de fevereiro de 2011.

A prova escrita do concurso está marcada para o dia 10 de abril de 2011.

Mais informações:

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Dano ambiental remediado


Alunos e professora do Centro Universitário UNA criam processo de biorremediação de solo contaminado por gasolina

O tratamento de solos contaminados por gasolina custa tempo e dinheiro. Comparativamente com os demais combustíveis, a gasolina concentra grande quantidade de substâncias nocivas à saúde humana, como o benzeno, que pode provocar leucemia. Os mecanismos de remediação de danos ambientais provocados por infiltração do combustível no solo custam, no mínimo, entre R$ 300 mil e R$ 500 mil e levam cerca de dois anos para serem concluídos. A eficiência desses processos pode chegar a 99%.

Conseguir um meio barato e eficiente de descontaminação do solo é um desafio para as universidades que investem em processos alternativos e ambientalmente indicados, como a biorreme-diação. Por essa técnica, micro-organismos - bactérias e fungos - digerem o material contaminante quebrando as moléculas dos hidrocarbonetos, como benzeno e tolueno, transformando-os em substâncias presentes na natureza: água e gás carbônico.

Os estudos ambientais para minimizar os efeitos da gasolina no solo começam a marcar presença inclusive nas universidades privadas que nunca trabalharam com pesquisas do gênero. No Centro Universitário UNA, alunos do curso de graduação em Ciências Biológicas desenvolveram pesquisa de biorremediação com boa aceitação no meio científico.

Performance bastante incomum para estudos de graduação, a pesquisa chegou a ser publicada em duas revistas científicas nacionais que possuem reconhecimento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior(Capes).

Uma das orientadoras do projeto, a professora Fernanda Wasner, que também é coordenadora do curso de Gestão Ambiental da instituição, avalia que a pesquisa tem dois pontos principais de destaque em comparação com estudantes semelhantes em andamento no meio científico.

"O primeiro, é que foi usada amostra de solo contaminado e não injeção de micro-organismos em terra descontaminada, agilizando a pesquisa; o segundo, é que optamos por isolar e trabalhar com um grupo reduzido de fungos e bactérias que, segundo as análises de laboratório, se mostraram mais eficientes na degradação do material poluente”.

A limitação ao número de 10 micro-organismos, quatro bactérias e seis fungos com mais afinidades com a gasolina, segundo ela, reduz muito o custo com a pesquisa, que ela prefere não revelar. “Mostramos que, dentro dos recursos biotecnológicos, é possível reduzir os custos consideravelmente”, diz a professora, emendando que o projeto é muito simples. Outra vantagem de usar micro-organismos da própria área contaminada é que o equilíbrio ecológico do local fica preservado. A introdução de organismos estranhos ao solo que se pretende descontaminar pode afetar o equilíbrio da microfauna local.

Conforme a professora, a primeira fase da pesquisa durou seis meses e a segunda, de campo, deverá ser iniciada neste ano. O tempo estimado para que uma pesquisa de campo seja concluída é de aproximadamente dois anos. Os testes devem compreender as mudanças do clima provocadas pelas estações do Inverno e do Verão.

Fernanda explica que, para chegar a ser comercializado, um produto gerado a partir de pesquisas tem que ser exaustivamente testado em campo. “No laboratório, tudo segue em ambiente controlado. Em campo, isso muda completamente porque trabalha-se com muitas variáveis”.

A experiência da pesquisa para os alunos da faculdade privada seria outro ponto de importância do estudo. De acordo com a professora, os alunos das faculdades particulares pensam que nunca vão trabalhar com pesquisa, convicção que o estudo contrariou numa experiência pouco comum, como ela admite.

Para Fernanda, o estudo despretensioso mostrou aos alunos que eles podem, sim, trabalhar com pesquisa e aplicá-la no mercado profissional. “Para qualquer pesquisa realizada dentro da metodologia, o resultado é efetivo”, observa.

A publicação em duas revistas científicas reconhecidas pela Capes, segundo a professora, confirmou a importância da pesquisa denominada Estudo de micro-organismos presentes em áreas contaminadas por gasolina comercial. Para qualquer trabalho científico ganhar relevância, a publicação em revistas especializadas é decisiva. “Não adianta nada fazer o trabalho e não publicar o artigo”, conclui.

Mesmo considerando que é grande a quantidade de pesquisas para descontaminação de solos em andamento, o professor Celso Loureiro, da UFMG, especialista em hidrogeologia ambiental, diz que os métodos mais usados para remediação de contaminação por combustíveis não contemplam as medidas de biorremediação.

"Normalmente, bombeia-se água com tratamento para tratar a área, ou retira-se a água contaminada do lençol freático para tratar, e depois ela é reinjetada no local”. Ele explica que as atuais exigências legais começaram entre os anos de 1999 e 2000, quando passou ser obrigatório os postos tirarem a licença ambiental.

No primeiro momento, os já instalados passaram por análise de risco de contaminação e de readequação das instalações para evitar a contaminação por vazamentos, por exemplo. Em seguida, a licença foi exigida para todos os estabelecimentos que entravam em operação.

O professor detalha que a avaliação de risco inclui inicialmente uma triagem de vapores no solo para identificar a presença dos hidrocarbonetos voláteis. “Eles são o indício de que há contaminação na área”. Uma vez detectada a poluição, a área precisa ser tratada conforme os critérios indicados pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam).

De acordo com Loureiro, a análise exigida pela lei é complexa e tem objetivo de identificar os riscos reais para a contaminação do solo e uso e ocupação do entorno do estabelecimento. Segundo estudos de técnicos da Feam, os danos à saúde humana decorrentes da contaminação do solo e da água por combustíveis levam de 10 a 15 anos para aparecer.

Fonte: Hoje em Dia

Curso de capacitação de em técnicas de observação de aves


Data: 20 a 25 de março de 2011

Local: Manaus-AM.

O Curso de Ornitologia (observação de aves, pássaros) é destinado a guias de turismo, condutores e ao trade turístico, empreendedores, fotógrafos de natureza; profissionais de biologia, agronomia, zoologia, naturalistas, educadores ambientais, amadores de aves e demais interessados. O curso é de caráter teórico e prático e será realizado em Manaus.

O curso de observação de pássaros ou de Ornitologia divide-se em 5 módulos teóricos (20 horas) a serem realizadas na Sala de Cursos do Manaus Center DNA em Manaus mais 5 horas práticas no campo (a ser realizado num Parque urbano em Manaus ou numa Reserva a ser definido junto com os alunos), totalizando 25 horas de aula. O curso é limitado a 10 e ao máximo de 25 vagas. O curso aborda entre os vários assuntos: biologia das Aves, migração, distribuição, ameaças e conservação de aves, características dos grandes grupos de aves: os não-passeriformes e os passeriformes. Técnicas de observação de aves, o condutor e a excursão, o turismo de observação de aves e outros. Para a aula prática de campo, recomenda-se que os inscritos providenciem binóculo para a aula prática.

Mais informações:

Simpósio Internacional de Morte Celular


O Simpósio Internacional de Morte Celular (International Cell Death Symposium – ICDS) será realizado de 10 a 13 de junho em Mairiporã, interior de São Paulo.

O evento é realizado anualmente pela Sociedade Internacional de Morte Celular, com apoio da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O tema deste ano é “Signaling in cell death survival, proliferation and degeneration”.

Nesta edição os participantes latino-americanos, principalmente estudantes de pós-doutorado, têm direito a desconto na inscrição.

O evento é limitado a 200 participantes e será realizado no EcoResort Cheiro de Mato.

O dia 1º de março é a data limite para envio de resumos e para as inscrições com desconto.

Mais informações:
icds2011@gmail.com

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A maioria dos agrotóxicos comercializados no Brasil oferecem perigo ao meio ambiente, afirma Ibama


De acordo com relatório divulgado nesta segunda-feira (24) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a maioria dos agrotóxicos comercializados no Brasil são classificados como perigosos ou muito perigosos para o meio ambiente.

O Ibama classifica os agrotóxicos em quatro níveis de acordo com o "potencial de periculosidade ambiental". Os da classe 1 são considerados altamente perigosos, os da classe 2, muito perigosos, os da classe 3, perigosos e os da classe 4, pouco perigosos.

Em 2009, 88% dos defensivos agrícolas comercializados no país pertenciam às classes 1, 2 e 3: 1% são da classe 1, 38% da classe 2, e quase metade, 49%, da classe 3. Na avaliação por estados, o panorama é parecido com o nacional, com exceção do Amazonas, onde a maioria dos agrotóxicos comercializados foram do tipo pouco perigoso para o meio ambiente.

Mais comercializados

Entre os dez mais comercializados está o metamidofós, banido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última semana pelos altos riscos à saúde. A proibição será gradual e o produto poderá ser comercializado até 2012.

O insumo agrotóxico mais comercializado no país em 2009 foi o herbicida glifosato, utilizado em lavouras de 26 culturas diferentes, entre elas arroz, café, milho, trigo e soja. Avaliado na classe 3, de produtos perigosos, o agrotóxico teve 90,5 mil toneladas comercializadas no período.

Também estão na lista dos mais vendidos os produtos à base de cipermetrina, óleo mineral, óleo vegetal, óleo mineral, enxofre, ácido 2,4-Diclorofenoxiacético, atrazina, acefato e carbendazim. Segundo o Ibama, o acefato está passando por processo de reavaliação e pode ser banido das lavouras brasileiras.

Os dados para levantamento do Ibama são enviados por empresas, seguindo determinação legal. As informações poderão subsidiar a fiscalização e a concessão de autorizações de estudos para buscar produtos menos nocivos ao ambiente.

Fonte: AMDA

OPINIÃO: Pegada ecológica, população e desenvolvimento


Por José Eustáquio Diniz Alves,Doutor em demografia, Professor titular do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE.

O ser humano não é dono, mas sim, inquilino da Terra e do sistema solar. A humanidade depende da disponibilidade de terra, água e ar existente no Planeta. Ultrapassar os limites existentes significa caminhar para a destruição do habitat terrestre. Qual é a situação atual.

Após 200 anos de desenvolvimento econômico, propiciado pela Revolução Industrial, a população ganhou com a redução das taxas de mortalidade e crescimento da esperança de vida. Hoje em dia, na média, as pessoas vivem mais e melhor. O consumo médio da humanidade cresceu muito. Entre 1800 e 2010 a população mundial cresceu, aproximadamente, 7 vezes (de 1 bilhão para 7 bilhões de habitantes) e a economia (PIB) cresceu cerca de 50 vezes. Mas o crescimento da riqueza se deu às custas da pauperização do Planeta. Como medir o impacto do ser humano na Terra?

A Pegada Ecológica é uma metodologia utilizada para medir a quantidade de terra e água (em termos de hectares globais – gha) que seria necessária para sustentar o consumo atual da população. Considerando cinco tipos de superfície (área cultivada, pastagem, floresta, área de pesca e áreas edificadas), o planeta Terra possui aproximadamente 13,4 bilhões de hectares globais (gha) de terra e água biologicamente produtivas.

Segundo dados da Global Footprint Network’s 2010 a Pegada Ecológica da humanidade atingiu a marca de 2,7 hectares globais (gha), em 2007, para uma população mundial de 6,7 bilhões de habitantes na mesma data (segundo a divisão de população da ONU). Isto significa que para sustentar esta população seriam necessários 18,1 bilhões de gha. Ou seja, já ultrapassamos a capacidade de regeneração do Planeta. No nível médio de consumo mundial atual, com pegada ecológica de 2,7 gha, a população mundial sustentável seria de no máximo 5 bilhões de habitantes. Para manter a população de 2007, a pegada ecológica mundial teria que ser no máximo de 2 gha.

A tabela 1 mostra os números da Pegada Ecológica para diferentes regiões do mundo e qual seria a população que a Terra seria capaz de manter de maneira sustentável. Se a população mundial adotasse o consumo médio do continente africano – com pegada ecológica per capita de 1,4 gha – a população mundial poderia atingir 9,6 bilhões de habitantes. Se o consumo médio mundial fosse igual à média asiática (1,8 gha) a população mundial poderia ser de 7,4 bilhões de habitantes. Com base na pegada ecológica da Europa (4,7 gha) a população mundial não poderia passar de 2,9 bilhões de habitantes, com a pegada ecológica da América Latina (2,6 gha), a população mundial não poderia ultrapassar 5,2 bilhões de habitantes. Com as pegadas ecológicas da Oceania (5,4 gha) e dos Estados Unidos e Canadá (7,9 gha) a população mundial não poderia ultrapassar 2,5 bilhões e 1,7 bilhão de habitantes, respectivamente.

Qual é a perspectiva para as próximas décadas?

Segundo os dados da divisão de população da ONU a população mundial, em 2050, deve atingir 8 bilhões de habitantes, na projeção baixa, 9 bilhões, na projeção média, e 10 bilhões de habitantes, na projeção alta. Segundo dados do FMI, a economia mundial deve crescer acima de 3,5% ao ano de 2010 a 2050. Isto significa que o PIB mundial vai dobrar a cada 20 anos, ou multiplicar por quatro até 2050. Portanto, o mais provável é que a Terra tenha mais 2 bilhões de habitantes nos próximos 40 anos e uma economia quatro vezes maior. O Planeta suporta?

Evidentemente que não há como manter este crescimento no padrão de produção e consumo atuais. Muito menos é possível garantir a regeneração do Planeta e a sobrevivência das demais espécies com a população aumentando em 2 bilhões de habitantes e a produção (PIB) crescendo quatro vezes, até 2050. Muito é preciso ser feito, a começar pelo controle do aquecimento do clima.

Entre os dias 29 de novembro e 10 de dezembro, representantes de 194 países reuniram em Cancún, México, na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 16), para discutir metas, estratégias e acordos para combater o aquecimento global. Ficou claro que se nada for feito para diminuir as emissões de gases de efeito estufa, o aquecimento global colocará em risco a existência da vida na Terra.

As duas maiores economias do mundo não ajudam. Os Estados Unidos não assinaram o Protocolo de Kyoto e não colaboram para a redução do aquecimento e a China, segunda maior economia e líder mundial na emissão de dióxido de carbono, não aceita reduzir suas taxas de crescimento econômico. Em síntese, os países ricos não querem pagar a conta da poluição do passado e os países pobres querem ter o “direito” de crescer e “poluir” (com a justificativa de combater a pobreza).

Promover o desenvolvimento pelo desenvolvimento significa apenas aumentar os custos de soluções, cada vez mais difíceis, no futuro. É preciso mudar o modelo de produção e consumo para uma economia verde que garanta a inclusão social. Em maio de 2012, a cidade do Rio de Janeiro volta a sediar uma Conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável, desta vez, a denominada: Rio + 20. O tema é: “Economia verde, desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza”. Será um bom momento para estabelecer um consenso entre os diversos países do mundo para tirar a humanidade do caminho de colisão com o meio ambiente.

Fonte: EcoDebate

Concurso Público SEDUC – AM (+ de 200 vagas para Professor)

A Secretária de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) – AM lançou edital de concurso público para preenchimento de vagas do seu quadro de funcionários.

As inscrições devem ser feitas até o dia 03 de fevereiro de 2011.

Dados das vagas (+ de 200 disponíveis):

Professor – Biologia
Requisito: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior de licenciatura plena em Biologia, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

Professor – Ciências
Requisito: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior de licenciatura plena em Ciências Naturais ou em Ciências Biológicas, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

Jornada de Trabalho
20 horas semanais e 40 horas semanais.

Remuneração
R$ 1.174,89 para Professor 20 horas semanais e 2.349,78 para Professor 40 horas semanais.

Informações e inscrições:

Concurso Público IPT – SP (01 vaga para Biólogos)

Está aberto o concurso público do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) – SP com intuito de preencher vagas no quadro efetivo de funcionários, sob o Regime Celetista.

Biólogos podem concorrer ao cargo Assistente de Pesquisa Trainee - Centro de Tecnologia de Recursos Florestais (salário de R$3.296,35).

A inscrição deverá ser efetuada até o dia 09 de fevereiro de 2011, exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico www.vunesp.com.br .

O concurso será composto por Prova Objetiva (conhecimentos gerais e específicos), Prova de Títulos e Banca Examinadora.

Mais informações:

UFPR organiza Encontro Nacional de Gestão de Resíduos


Profissionais com atuação no setor de gestão de resíduos, gestores públicos e privados e outros interessadas nessa área poderão participar do II Encontro Nacional de Gestão de Resíduos (ENAGER2011), que ocorre simultaneamente à VI ReciclAção - Feira Brasileira de Reciclagem Preservação e Tecnologia Ambiental.

Os eventos serão realizados de 04 a 06 de maio deste ano, em Curitiba, na Expo Unimed, mas as inscrições poderão ser feitas a partir de 07 de fevereiro.

O ENAGER visa divulgar ações que promovam a sustentabilidade e o intercâmbio entre agentes da iniciativa privada e a universidade em temas associados à gestão de resíduos. Durante o evento serão apresentadas contribuições relacionadas ao tema, bem como indicados rumos e perspectivas de forma a possibilitar o desenvolvimento sustentável segundo padrões éticos.

Promovido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPR e pelo Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente e Desenvolvimento, o Encontro irá selecionar 100 resumos de trabalhos para apresentação na forma de poster.

Os interessados devem encaminhar seus resumos para análise a partir de 07 de fevereiro.

Todos os detalhes para inscrição ao evento e submissão de resumos, bem como programação, estão no endereço eletrônico http://www.prppg.ufpr.br/enager2011 .

02 vagas na Coordenação de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica, DF


O Ministério da Saúde, por meio da Coordenação de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica-CLVE, da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública/CGLAB, da Secretaria de Vigilância em Saúde, contrata dois técnicos para trabalhar, sendo um na área de DIAGNÓSTICO HUMANO DE DOENÇA DE CHAGAS e MALÁRIA e outro de LEISHMANIOSES.

Local de trabalho: Brasília – DF.

Requisitos: Profissional de nível superior com graduação na área da saúde, preferencialmente, médico veterinário, biomédico, bioquímico, biólogo ou médico. Será realizada análise de currículo e entrevista com o candidato.

Enviar currículo para o e-mail: aline.reis@saude.gov.br ou selma.suzuki@saude.gov.br, até 04 de fevereiro de 2011.

Vaga para analista de projetos ambientais e coordenador de projetos ambientais


A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza oferece oportunidade para analista de projetos ambientais e coordenador de projetos ambientais. Os candidatos devem ter formação em Engenharia Florestal, Biologia ou áreas afins. Para a vaga de analista, é preciso experiência profissional nas áreas de conservação da natureza, unidades de conservação e/ou projetos de pesquisa de conservação.

Para o cargo de coordenador, exige-se experiência em atividades na área de conservação, tendo vivência no gerenciamento de projetos e gestão de pessoas, além de fluência nos idiomas inglês e espanhol.

Entre os benefícios oferecidos pela Fundação estão assistência médica, vale refeição, auxílio alimentação, auxílio medicamento, previdência privada, seguro de vida, vale transporte, além de estacionamento na empresa.

Os interessados devem se inscrever por meio do site do Boticário - www.boticario.com.br -, Seção Institucional -> Trabalhe Conosco -> Envie seu currículo -> Vagas.

Só serão aceitos currículos encaminhados por este canal.

Curso de Extensão em Educação Ambiental


Curso de Educação Ambiental, teórico e prático, com abordagens socioambientais que tem a cidade de Belo Horizonte como espaço de ensino / aprendizagem.

OBJETIVO
Contribuir para a formação de educadores visando a promoção de ações socioambientais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
- Agenda 21
- Aspectos naturais
- Ambiente urbano
- Redes socioambientais
- Políticas públicas

METODOLOGIA
O curso desenvolve-se através da realização de aulas de campo, relatos de experiência, atividades interativas e lúdicas. Como trabalho final é proposta uma atividade prática de planejamento e realização de uma Oficina ou Travessia Urbana.

INFORMAÇÕES GERAIS DO CURSO
- Período: 02/03 a 06/07/2011 – quartas feiras
- Horário: de 8h às 12h
- Carga Horária: 110 horas

PROCESSO SELETIVO PARA CURSISTAS
Terão prioridade os candidatos que apresentarem certificado de participação no maior número de atividades educativas oferecidas pela Gerência de Educação Ambiental da SMMA/PBH na seguinte ordem:

1º - Curso de Extensão em Educação Ambiental “Educação para o Risco Socioambiental”;
2º - Oficinas de Educação Ambiental, Visitas Orientadas, Travessias Urbanas, Circuitos Ambientais Regionais, Ambiente em Foco, Agentes Ambientais em Ação e Ciclo de Estudos sobre Riscos Socioambientais. Neste item será considerada a somatória das atividades realizadas;
3º - Atividades educativas promovidas pelos Centros Regionais de Educação Ambiental (Barreiro, Norte e Venda Nova). Neste item será considerada a somatória das atividades realizadas;

Obs. em caso de empate será considerada a ordem de inscrição.

PROCESSO SELETIVO PARA MONITORES VOLUNTÁRIOS
Poderão se candidatar para as vagas de Monitores Voluntários aqueles que no ato da inscrição:

- apresentarem certificado de participação do curso BH Itinerante;
- declararem ter disponibilidade para participar na organização e desenvolvimento do curso semanalmente às 2ª feiras, de 10h às 12h, e às 4ª feiras, de 7h30min. às 12h30min., no período de 23/02/2011 a 15/07/2011; e
- apresentarem currículo.

A seleção dos monitores voluntários se dará por meio de entrevista com os coordenadores do curso e pela análise do currículo.

INSCRIÇÕES
Período de inscrição: 16 e 17 de fevereiro de 2011.
Horário: 9h às 17h
Local: Centro de Extensão em Educação Ambiental / Sala Verde – SMMA – Av. Afonso Pena, 4000 / 6º andar – Cruzeiro – Belo Horizonte
Deverão ser feitas pessoalmente ou por representante portando autorização assinada pelo interessado(a). No ato da inscrição deverão ser apresentados os certificados das atividades educativas oferecidas pela GEEDA conforme consta no item “Processo Seletivo para Cursistas” ou “Processo Seletivo para Monitores”.

REALIZAÇÃO
Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
Secretaria Municipal de Meio Ambiente
Gerência de Educação Ambiental
Av. Afonso Pena, 4000 / 6º andar – Cruzeiro
Belo Horizonte - MG

INFORMAÇÕES
(31) 3277-5199

Ietec realiza curso Administração de Resíduos Sólidos Industriais


No atual cenário econômico, as empresas somente irão se desenvolver se atenderem às exigências das leis, regulamentos e normas ambientais. Neste sentido, o Ietec realiza, nos dias 22 e 23 de março, o curso Administração de Resíduos Sólidos Industriais.

O treinamento é voltado para gerentes de produção, engenheiros sanitaristas, profissionais envolvidos no processo produtivo da indústria, gerentes de manutenção e de segurança, entre outros. Inscrições realizadas com antecedência têm descontos progressivos.

O Ietec fica na Rua Tomé de Souza 1.065, Savassi, Belo Horizonte.

Mais informações:
(31) 3116.1000, 3223-6251
cursos@ietec.com.br

Física biológica


Professor de física da Universidade da Califórnia em San Diego e codiretor do Centro para Física Biológica Teórica (CTBP) – um dos dez centros de excelência em física criados pela National Science Foundation, José Nelson Onuchic lidera um grupo de pesquisa que se dedica a uma nova área de fronteira, a física biológica.

A nova área consiste no desenvolvimento e utilização de métodos modernos de física teórica para tentar solucionar fenômenos biológicos complexos.

Onuchic esteve no Brasil para participar como professor convidado da Escola São Paulo de Ciência Avançada – New Developments in the field of synchrotron radiation, no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas (SP), que terminou no dia 25. Na ocasião, ministrou aulas sobre alguns dos fenômenos biológicos que pesquisa.

A escola foi realizada no âmbito da ESPCA, modalidade lançada em 2009 pela FAPESP para financiar a organização de cursos de curta duração em pesquisa avançada nas diferentes áreas do conhecimento do Estado de São Paulo.

Graduado em física pela Universidade de São Paulo (SP), em São Carlos, onde fez o mestrado em física aplicada, Onuchic foi aos Estados Unidos nos meados da década de 1980. Após concluir o doutorado em química no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), retornou ao Brasil como professor do Instituto de Física da USP de São Carlos. E no começo de 1990 decidiu voltar aos Estados Unidos, onde acreditava que encontraria melhores oportunidades de carreira e condições de realizar pesquisas interdisciplinares.

Aos 53 anos, depois de 21 anos fora do Brasil, de ter se naturalizado norte-americano e se tornar membro da National Academy of Sciences (Academia Americana de Ciências), o cientista planeja retornar, ainda que parcialmente, e destaca o bom momento da ciência brasileira.

Agência FAPESP – Quais são as principais atividades científicas que o senhor exerce nos Estados Unidos?
José Nelson Onuchic – Dou aulas de física, oriento pós-doutorandos e doutorandos na Universidade da Califórnia em San Diego e sou codiretor de um grande centro da NSF, o Centro para Física Biológica Teórica (CTBP). A NSF financia dez centros de excelência em física no país, que são chamados NSF Physics Frontier Centers. O nosso é o único dedicado à biologia.

Agência FAPESP – Qual é a proposta do Centro para Física Biológica Teórica?
Onuchic – A ideia é aplicar métodos modernos de física teórica em vários problemas de biologia, como o dobramento de proteínas, que é um problema de física estatística extremamente complicado. Um dos pontos que queremos saber é qual o mecanismo básico que faz com que as proteínas possuam sequências específicas de aminoácidos com informações que fazem com que suas estruturas sejam únicas. A outra parte do problema é, sabendo que uma sequência de aminoácidos que forma uma proteína tem uma estrutura única, qual a complexidade dos movimentos que ela pode fazer e como estão envolvidos na função molecular. Hoje, já se consegue calcular isso e mostrar seu funcionamento.

Agência FAPESP – Essa é a principal linha de pesquisa na qual o senhor trabalha hoje?
Onuchic – Na maior parte da minha carreira tenho trabalhado com dobramento de proteínas, mas agora também estou pesquisando redes genéticas. No CTBP, desenvolvemos modelos para investigar como a rede genética de uma bactéria decide se vai produzir esporos ou fazer mutações para sobreviver. E várias dessas decisões são estocásticas, não determinísticas. Para saber como funciona esse mecanismo de decisão é preciso entender o mecanismo molecular e identificar a complexidade dos elementos da rede genética. Essa interface entre o molecular e o celular é algo que nos tem interessado muito.

Agência FAPESP – De que maneira a física teórica pode auxiliar a entender esses problemas complexos da biologia?
Onuchic – As ciências biológicas eram áreas extremamente descritivas, relatando cada fase da criação de uma proteína ou de uma mutação. Por outro lado, a física sempre foi uma ciência reducionista, pegando um problema e tentando identificar os elementos e princípios básicos que o governam. E, hoje, não dá mais para ser apenas descritivo, como eram as ciências biológicas, porque a quantidade de dados é muito grande.

Agência FAPESP – O desafio mudou?
Onuchic – O grande desafio agora é tentar descobrir quais são os princípios básicos e o nível mínimo de descrição e complexidade que podemos ter para conseguir descrever um problema biológico. Como podemos simplificar ao máximo uma proteína e ainda entender como ela funciona? Esse tipo de problema não é mais descritivo, mas quantitativo. Essa é a ideia da física teórica aplicada à biologia, que pode ser chamada de teoria quantitativa ou de física biológica. Essa quantificação das ciências da vida é algo que não havia no passado.

Agência FAPESP – Como o senhor se interessou por essa nova área?
Onuchic – Meu orientador no doutorado no Caltech, o professor John Hopfield, que foi um dos primeiros a trabalhar com redes neurais, pensava dessa maneira. Quando ele criou os problemas de redes neurais, disse que a complexidade vem do coletivo de neurônios, não de cada um especificamente. Cada elemento é extremamente trivial.

Agência FAPESP – Há grupos de pesquisa nessa área no Brasil?
Onuchic – Existem alguns cientistas começando a fazer isso em redes neurais e também em macromoléculas, mas ainda são poucos grupos. Mas nos Estados Unidos esse tipo de pesquisa também é nova. Apesar disso, meu grupo de pesquisa tem 15 pessoas trabalhando no tema e no CTBP tem uma centena de cientistas, entre professores, pós-doutorandos e estudantes de doutorado.

Agência FAPESP – Podemos falar de aplicações das descobertas nessa nova área de pesquisa?
Onuchic – Apesar de ser de ciência básica, as pesquisas nessa área têm aplicações enormes. Se entendermos todo o mecanismo de dobramento, será possível projetar novas proteínas. Se compreendermos como as proteínas interagem, será possível desenvolver novas drogas. Boa parte do nosso grupo tem trabalhado nisso. Um dos cientistas, J. Andrew McCammom, tem diversas patentes de drogas para o tratamento de Aids e outras doenças.

Agência FAPESP – Por que o senhor decidiu migrar para os Estados Unidos para seguir sua carreira científica?
Onuchic – Na época, avaliei que teria mais liberdade de fazer pesquisa no exterior. Estava interessado em fazer ciência interdisciplinar e os departamentos nos institutos de pesquisa brasileiros ainda eram muito convencionais. Os Estados Unidos foram muito bons para minha pesquisa e para a minha carreira.

Agência FAPESP – O senhor teria interesse em retornar ao Brasil para continuar suas pesquisas?
Onuchic – Eu tenho pensado em voltar pelo menos parcialmente. Não tenho nenhum plano de voltar permanentemente, mas estou conversando com colegas daqui para tentar encontrar situações alternativas nesse sentido.

Fonte: Agência FAPESP

Bolsa - Pós em genômica


O Laboratório de Genética e Biologia Molecular de Fungos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo prorrogou para o dia 11 de fevereiro o prazo para inscrições para uma vaga de Bolsa de Pós-Doutorado.

A oportunidade está inserida no Projeto Temático "Genômica Funcional e Comparativa em Fungos" e tem como objetivo estudar os mecanismos moleculares envolvidos na interação dermatófito-hospedeiro.

Os candidatos devem ter título de doutor e experiência em técnicas de biologia molecular (amplificação, clonagem, sequenciamento, expressão gênica, nocaute gênico). É desejável fluência em inglês e experiência em bioinformática.

Os interessados devem enviar carta de apresentação com: motivações quanto à função; breve relato da experiência profissional; curriculum vitae atualizado; nomes e e-mail de dois profissionais para referências.

A documentação deverá ser enviada em arquivo em formato PDF para Nilce M. Martinez-Rossi (nmmrossi@usp.br), coordenadora do Projeto Temático.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 5.028,90 mensais por 24 meses.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ibama libera licença para construção de Belo Monte


O Ibama liberou nesta quarta-feira a licença de instalação da usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, no Pará. A licença será parcial, instrumento que não existe no direito ambiental brasileiro. Com ele, a Norte Energia, empresa que reúne os investidores, poderia iniciar a montagem do canteiro da obra.

O construção da usina em si, além do canteiro, ainda depende da licença de instalação definitiva, também pelo Ibama.

A liberação consta do sistema informatizado de licenciamento ambiental do Ibama. Procurados, o Ibama e o Ministério do Meio Ambiente não quiseram falar sobre a emissão da licença.

USINA

A usina de Belo Monte será a terceira maior do mundo, com capacidade de 11.233 MW (megawatts), atrás da chinesa Três Gargantas, com 22,5 mil MW, e da binacional Itaipu, com 14 mil MW.

O custo é estimado em até R$ 30 bilhões pela iniciativa privada --o governo estima em R$ 25 bilhões.

A primeira unidade geradora da hidrelétrica de Belo Monte deverá entrar em operação comercial em fevereiro de 2015.

A Norte Energia venceu, em abril deste ano, o leilão de geração promovido pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para a construção, operação e manutenção da Usina de Belo Monte. A operação e manutenção do empreendimento será realizada pela Eletronorte.

ENTRAVE

O processo de licenciamento foi conturbado. Os empreendedores negociavam com a agência ambiental e o governo a flexibilização dos prazos de cumprimento de algumas das 40 condicionantes impostas pelo Ibama na Licença Prévia, concedida antes do leilão da usina.

A Norte Energia argumentava que parte das condicionantes (pré-requisito para a concessão da licença de instalação) poderia ser cumprida posteriormente, sem prejuízo da região. O Ibama não havia aceitado o argumento.

O choque pode ter sido uma das razões para a saída do presidente do Ibama, presidente do Ibama, Abelardo Bayma. Ele alegou questões pessoais para deixar a presidência da agência ambiental.

No início do mês, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou que existem mais de 30 pendências ambientais emperrando projetos de energia no país. O principal deles, a construção da hidrelétrica de Belo Monte, poderia atrasar em um ano se a autorização do Ibama não saísse até fevereiro.

O Ministério Público Federal do Pará encaminhou ofício ao Ibama prometendo ações judiciais caso a licença de instalação seja dada com a flexibilização das condicionantes.

Para evitar atrasos, as obras da usina têm que começar antes do período chuvoso, que inicia em abril.

FINANCIAMENTO

Em dezembro, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) aprovou empréstimo-ponte no valor de R$ 1,087 bilhão à Norte Energia para a implantação da usina hidrelétrica de Belo Monte.

"O empréstimo-ponte é um adiantamento de recursos a título de pagamento inicial das encomendas para a fabricação de máquinas e equipamentos necessários ao projeto, a fim de garantir o cumprimento do cronograma da obra, estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica", explicou à época, em nota.

Segundo o BNDES, o capital servirá para compra de materiais e de equipamentos nacionais, além do pagamento de serviços de engenharia e de estudos técnicos para a instalação da usina. O projeto faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O empréstimo chegou a ser questionado pelo Ministério Público Federal e ONGs tentaram barrar o financiamento.

Fonte: Folha Online

Processo Seletivo Professor IFC – SC (01 vaga para Biólogos)

Processo Seletivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFC) – SC

Objetivos
Contratar professor por tempo determinado

Campo de Conhecimento
Biologia

Nº de vagas
01

Regime de Trabalho
40 horas/ semanais

Remuneração
Varia conforme titulação, podendo chegar a R$3.678,88

Requisitos
Graduação em Ciências Biológicas ou Biologia, Licenciatura em Ciências Biológicas ou Biologia

Inscrições
Até 28 de janeiro pelo site www.ifc­riodosul.edu.br

Informações

Concurso Público Vila Lângaro - RS (01 vaga para Biólogos)

Está aberto o concurso público para a Prefeitura de Vila Lângaro (RS), que visa o provimento de vagas existentes pelo Regime Jurídico Estatutário.

As inscrições devem ser feitas presencialmente até o dia 17 de fevereiro de 2011 nas dependências da Prefeitura, localizada à Avenida 22 de Outubro, 311.

A única vaga para Biólogos possui o vencimento mensal de R$2.512,35 para 20 horas semanais de jornada de trabalho.

A avaliação escrita do concurso será realizada dia 26 de fevereiro de 2011, com horário e local da prova a ser informado dia 22 de fevereiro no endereço www.vilalangaro.rs.gov.br .

Mais informações:

Seminário O Uso dos Biocombustíveis no Transporte Público de Belo Horizonte


Com o objetivo de discutir a política de utilização de etanol e biodiesel no transporte urbano, a Prefeitura de Belo Horizonte irá promover o seminário “O Uso dos Biocombustíveis no Transporte Público de Belo Horizonte”.

O evento será realizado gratuitamente, nos dias 08 e 09 de fevereiro de 2011, no Auditório Juscelino Kubitschek – Espaço Municipal (Av. Afonso Pena, 1.212 – 1º andar, Centro), das 8h às 18h.

Informações e inscrições:

Concurso Público Professor UFOP (03 vagas para Biólogos)


A Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP lançou edital para concurso público de provas e títulos que visa a seleção de professor integrante da carreira do magistério superior.

Biólogos podem concorrer para os seguintes departamentos/unidades: Ensino de Ciências e Biologia (Assistente); Botânica/Biologia Vegetal (Adjunto); Zoologia dos Vertebrados/Anatomia Comparada dos Vertebrados e Fisiologia Animal Comparada (Adjunto).

A remuneração varia entre R$4.561,59 e R$7.333,67.

As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet no endereço www.concurso.ufop.br, até o dia 07 de fevereiro de 2011.

Mais informações:

Descoberto dinossauro de um dedo só


Uma espécie de dinossauro terápode até então desconhecida foi desenterrada por um grupo de cientistas chineses no interior da Mongólia. Os terápodes, que deram origem às aves modernas, são um grupo de dinossauros essencialmente carnívoros ao qual também pertencem répteis bem conhecidos como o tiranossauro e o velocirraptor.

O grupo liderado por Xing Xu, do Instituto de Paleontologia e Paleoantropologia de Vertebrados da Academia Chinesa de Ciências, encontrou o terápode preservado em rochas localizadas próximas a fronteira entre a Mongólia e a China.

A formação rochosa (Wulansuhai) datada de 75 milhões a 84 milhões de anos atrás já foi o cenário de inúmeras descobertas de fósseis. Os autores da descoberta acharam parte de um esqueleto que incluía ossos da coluna vertebral, os membros anteriores, parte da pélvis e os membros posteriores quase completos.

O pequeno dinossauro provavelmente tinha a altura de poucas dezenas de centímetros e peso aproximado de um papagaio, de acordo com os autores. A maior parte dos terápodes tem três dedos na mão, mas os pesquisadores apontam que o novo dinossauro tinha apenas uma grande garra em cada uma das mãos.

Essa característica, segundo eles, faz do espécime descoberto o único dinossauro conhecido com um só dedo, sugerindo um complexo padrão de evolução nos membros superiores do grupo.

Fonte: Jornal do Brasil

Inscrições abertas para o concurso de vídeo Minuto Científico


Estão abertas as inscrições para o Minuto Científico, concurso de vídeos de difusão científica latinoamericana e caribenha, organizado pelo Museu Exploratório de Ciências (MC), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A premiação acontece dia 30 de maio de 2011, durante a 12ª Reunião Bienal da Rede de Popularização da Ciência e Tecnologia na América Latina e no Caribe (RedPop), realizada no Brasil, em Campinas, interior de São Paulo, no período de 29 de maio a 2 de junho.

Com o tema Transformação, o concurso aceitará trabalhos nas categorias Jovem, para participantes com até 18 anos de idade, e Adulta. Os vídeos com duração entre 60 e 120 segundos, deverão ser inscritos em apenas uma, das três grandes áreas do conhecimento: ciências humanas e sociais, exatas e tecnológicas e biológicas. Para cada vídeo submetido, o participante deverá encaminhar um resumo de até 250 palavras, link da produção no Youtube, declaração de posse e cessão de direitos autorais e ficha técnica da obra.

As inscrições acontecem até 11 de março de 2011, na página da 12ª Bienal da Red Pop (http://www.mc.unicamp.br/redpop2011/) e custam 10 dólares americanos, ou o seu valor correspondente em reais. Os interessados podem inscrever quantos trabalhos desejar, sendo necessário efetuar o pagamento da taxa de inscrição para cada vídeo enviado.

Os trabalhos serão premiados nas categorias Jovem e Adulta, em cada uma das áreas de conhecimento. Para cada obra vencedora, será oferecido prêmio no valor de 500 dólares. Além disso, os vídeos premiados têm garantida a sua exibição nos portais: Revista Fapesp Online, 17ª Mostra Ver Ciências e Museu Exploratório de Ciências.

Sobre

O Minuto Científico tem como objetivo estimular, localizar e qualificar a produção espontânea, dispersa ou institucional no âmbito da divulgação e difusão científica, que pode ocorrer por iniciativas individuais ou institucionais diversas, tais como, escolas, universidades, museus de ciência e tecnologia, sites, ONGs, centros culturais, empresas de base científica e tecnológica, entre outros.

Organizado pelo Museu Exploratório de Ciências da Unicamp, associado à Red Pop, o concurso é promovido com apoio do Ministério de Ciência e Tecnologia do Brasil (MC&T) e do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST).

Curso Técnicas de Levantamento da Fauna


Local
Reserva Ecológica de Guapiaçu - Cachoeiras de Macacu - RJ

Carga Horária
24horas/aula

Data das aulas
22,23 e 24 de abril de 2011

Objetivo
Ao final do curso o aluno estará apto a realizar as principais técnicas de levantamento e análise de biodiversidade faunística.

Objetivos Específicos
- Executar as técnicas de captura e identificação de anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
- Executar técnicas de quantificação de fauna.
- Elaborar relatórios de dados de levantamentos faunísticos .
- Complementar a carga horária prática dos cursos de graduação.

Metodologia
Aulas teóricas e práticas a campo com execução das principais metodologias de estudo de campo aplicáveis a levantamentos de biodiversidade faunística.

Programa
Monitoramentos e Manejo Faunísticos; - Legislação Ambiental; - Importância e aplicabilidade;- Noções de Etologia; - Utilização de Armadilhas Fotográficas em Levantamentos Faunísticos;-vestígios indiretos e diretos ;-Técnicas de play-back;-Manejo e contenção de aves;-condicionamento alimentar;- Focagem noturna e diurna;- confecção de moldes de pegadas e rastros (com gesso e cera de vela) ;-biologia, comportamento, manejo e sistemática de Chiroptera da mata atlântica.

Mais informações

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Expedição brasileira registra imagens inéditas de diversas espécies de peixes


Espécies como o Macropina, peixe de cabeça transparente, foram catalogadas em uma expedição no litoral brasileiro que durou três meses. Feito pela produtora Canal Azul, o projeto visa a conscientizar a população da importância de cuidar da fauna e da flora do Brasil. O biólogo marinho Alfredo Carvalho, mergulhador e um dos pesquisadores do grupo, afirma que todo dia é descrita uma nova espécie no mundo.

O peixe Macropina, registrado com detalhes nessa viagem ao fundo do mar, é uma das espécies mais exóticas encontradas pelos pesquisadores. Também conhecido como peixe Pokémon, ele vive a 300 metros de profundidade e tem a cabeça completamente transparente. Além do Macropina, os pesquisadores registraram o peixe morecego, facilmente encontrado no litoral de São Paulo, a barracuda e o 'hell boy'.

Fonte: O Globo

UFMG: 4 vagas professor substituto em Ciências Agrárias, Montes Claros – MG


Empresa Contratante
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)/ Instituto de Ciências Agrárias (ICA)

Processo Seletivo professor substituto em Ciências Agrárias
Área de conhecimento: Fundamentos de Química, Química Geral, Química Analítica e Bioquímica.
Graduação em Química, Bioquímica, Biologia e áreas afins.
01 vaga

Salário
R$ 1.536,46

Horário
20 horas semanais

Inscrições
Data: 11 de Fevereiro de 2011
Horário: De segunda a sexta-feira, das 08h às 11h e das 14h às 18h
Local: Secretaria Geral do Instituto de Ciências Agrárias (localizada na Avenida Universitária, nº 1000, bairro Universitário, Montes Claros – MG).

Documentos Necessários
Carteira de Identidade ou outro documento que comprove ser brasileiro nato ou naturalizado; se, estrangeiro deverá comprovar ser portador do visto pertinente
Declaração de que possui:
Prova de quitação com a justiça eleitoral e prova de quitação com o serviço militar, quando couber
Declaração de que está apto a comprovar a titulação exigida no ato da assinatura do contrato
3 exemplares da relação de títulos ou “Curriculum Vitae”, abrangendo:
Graus, diplomas universitários e certificados de cursos de especialização e de aperfeiçoamento
Experiência docente
Experiência científica, técnica ou artística
Experiência em administração acadêmica
Publicações
Distinção obtida em reconhecimento de atividade intelectual relevante
Comprovação de títulos em uma só via
Declaração de que não possui participação em gerência ou administração de empresa privada ou de sociedade civil, ou, ainda, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário, segundo o inciso X do art. 117 da Lei nº 8.112/ 1990.

Seleção
Forma de seleção: entrevista e análise de Curriculum vitae.
Data da seleção: 5º dia útil, após o encerramento das inscrições.

Curso de Auditoria Ambiental



Público Alvo
Profissionais atuantes na área de meio ambiente em organizações dos setores públicos, privados ou terceiro setor; Estudantes de nível superior (Atenção: O curso de Auditoria Ambiental 40 horas, é um dos pré-requisitos para o cadastro de Auditor Ambiental junto ao IAP, os demais pré-requisitos como nível superior completo e registro em conselho de classe, podem ser consultados diretamente no site do IAP); Profissionais interessados em atuar na &aa cute;rea de Auditoria Ambiental.

Objetivos
- Conhecer os requisitos e aplicabilidade da NBR ISO 14.001/2004 – Sistemas de Gestão Ambiental;
- Conhecer os termos e definições utilizados no processo de auditoria segundo a NBR ISO 19.011/2002 – Diretrizes para auditorias de sistema de gestão da qualidade e/ou ambiental;
- Conhecer e aprimorar procedimentos e práticas de Auditorias Ambientais conforme a NBR ISO 19.011/2002;
- Conhecer os principais documentos e registros utilizados em procedimentos de Auditorias Ambientais;
- Conhecer os principais aspectos jurídicos dos sistemas de gestão;
- Conhecer as normas jurídicas que regulamentam a Auditoria Ambiental Compulsória do Estado do Paraná, abordando suas características e exigências;
- Conhecer as responsabilidades dos auditores nas auditorias de Sistema de Gestão e nas Auditoria s Ambientais Compulsórias;
- Elaborar relatório de auditoria;
- Conhecer as características pessoais necessárias para a realização de auditorias ambientais.

Carga horária
40 horas/aula

Data do curso
12, 13, 19 e 20 de fevereiro de 2011

Período de inscrição
Até 10 de fevereiro de 2011

Local
Cutiriba (PR)


Informações
cursos@eccoambiental.com.br
(41) 3224-7819

Recados da Natureza


Por Maria Cristina da Silva - Bióloga

Impossível não pensar na arrogância humana diante da fragilidade da vida. Nada parece abalar as nossas rotinas até que, tudo aquilo que parecia tão firme, desaparece de repente. Submetido às forças da natureza, o que é sólido se desfaz em instantes. O tempo de vida, uma promessa cada vez mais longa para os humanos, pode esvair-se numa ínfima fração de tempo. Diante de situações que não controlamos, não há muito o que fazer.

O planeta, desde que começou a abrigar as primeiras formas de vida, nunca foi lugar seguro para nenhuma espécie - 90% delas já desapareceram, dizem os cientistas. O que leva à conclusão de que o destino de todos os seres vivos é a inevitável extinção e o surgimento de outras espécies. Pelo menos até o desaparecimento do Sol, previsto para daqui a uns 5 bilhões de anos, quando também os planetas em seu entorno serão pulverizados. Mas o ser humano tem acelerado o relógio do tempo, desnecessariamente. Porque elegeu um modelo de sociedade que destrói rapidamente o próprio habitat. Ao interferir de forma tão contundente na natureza, desencadeou reações cada vez mais frequentes e de incontrolável agressividade: enchentes, deslizamentos, secas e incêndios - entre outros fenômenos naturais.

A ação humana tem sido o estopim de muitas tragédias anunciadas: pela ocupação desordenada de encostas e áreas inundáveis; pela falta de distribuição de renda e políticas habitacionais, que empurram os mais pobres para áreas de risco; pela inexistência de projetos adequados para a destinação dos resíduos sólidos; pelo desmatamento; pela desordenada ocupação urbana; pela poluição industrial; pelo incessante apelo à compra de bens materiais que degradam o solo, o ar e a água. Os meios de comunicação culpam os governos pela falta de obras de prevenção, mas nada dizem sobre o estímulo que produzem à sociedade de consumo.

O ser humano criou um estilo de vida que se transforma numa espécie de lento suicídio coletivo. Nos últimos 300 anos, aproximadamente, acionou um motor que pode vir a ser o da própria extinção. Durante milênios, viveu com muito pouco. Há algumas gerações, desde as primeiras máquinas a vapor até a mais informatizada delas, desencadeou um modelo de sociedade baseada na substituição frenética de bens de consumo - para muito além das necessidades básicas -, que provoca danos ambientais em escala sem precedentes.

Os avisos não param de chegar. Estudo recém-publicado pela revista científica Nature diz que o aumento das emissões de dióxido de carbono (CO²) terá impacto sobre as temperaturas da Terra pelos próximos mil anos e elevará em quatro metros o nível das águas do mar. Uma catástrofe com consequências devastadoras e imprevisíveis em sua extensão, pois há de modificar rapidamente todo o ecossistema sobre o qual a vida se sustentou até aqui. O sal dos oceanos irá contaminar boa parte do lençol freático. Haverá drástica redução dos recursos de água potável. A temperatura dos oceanos sofrerá impactos que irão dizimar boa parte da vida marinha. O equilíbrio entre espécies entrará em colapso. Algumas irão proliferar caoticamente, outras desaparecerão. A irregularidade de sol e chuva terá impactos sobre a agricultura, e a fome será o flagelo de milhões.

Epidemias e doenças até então desconhecidas irão proliferar numa velocidade maior do que as respostas da ciência. Mortos se empilharão por toda a parte. Alarmismo? Estamos tão anestesiados em nosso mundo virtual e material que desprezamos os avisos da natureza. E de milhares de cientistas, que alertam para consequências devastadoras.

Especialistas dizem que os fenômenos climáticos de grande intensidade serão cada vez mais frequentes e de maior magnitude. Apesar de todas as evidências da mão humana ter aberto essa Caixa de Pandora, poucas pessoas parecem dispostas a questionar a ideologia de consumo que desencadeia muitos desses desastres. Há reações tímidas na construção do chamado "desenvolvimento sustentável", mas ainda insuficientes para atenuar o desastre ambiental. A tecnologia pode e deve estar a serviço do bem-estar de toda a humanidade, diferente do que ocorre atualmente, voltada para gerar lucros em benefício de poucos.

O modelo de civilização precisa mudar. Não haverá futuro para o ser humano se ele não estiver em equilíbrio com a natureza. Mas a imensa maioria, quando confrontada com essa situação, prefere viver como se nada disso fosse ocorrer - ou que ainda estivesse muito distante. Nada parece perturbar a fé dos que elegeram o mercado como um novo deus e a mídia como o seu profeta. A ideologia do "progresso" continua inabalável, apesar de a miséria e a degradação ambiental espalharem-se pelo planeta. A ciência encontrará uma resposta, confiam os cidadãos abastados, absortos em consumir a última novidade tecnológica, sem nunca perguntar quais os custos ambientais para produzir tanto luxo e tanto lixo.

Tragédias ambientais como as do Rio de Janeiro e outras tantas pelo Brasil e pelo mundo devem servir de alerta, para conscientizar de que algo está muito errado e precisa mudar. E que é preciso cobrar das autoridades e de todos os cidadãos um compromisso responsável para com as atuais e futuras gerações que habitarão o planeta.

Coordenação de Doenças Transmissíveis

Contratante
Departamento de Vigilância Epidemiológica /Secretaria de Vigilância em Saúde/ Ministério da Saúde

Dados
- Profissional de nível superior com graduação na área de saude preferencialmente: Medicina Veterinária, Biologia, Enfermagem, Medicina..
- Contratação na Unidade Técnica de Zoonoses Causadas por Roedores e Outros Agravos de Importância Epidemiológica.
- Nas áreas de Vigilância da Hantavirose, Acidentes por Animais Peçonhentos e na Unidade de Vigilância de Zoonoses e Vetores – UVZ’s (nova denominação do CCZ).

Remuneração
A ser definida com base na formação acadêmica e experiência profissional.

Local da Vaga
Brasília – DF

Envio de currículos
Até 28 de janeiro de 2011.

Interessados que se encaixem no perfil acima devem encaminhar currículo para marilia.lavocat@saude.gov.br, simone.pereira@saude.gov.br, eduardo.caldas@saude.gov.br .

Concurso Público Bragança - PA (01 vaga para Biólogos)

Até o dia 20 de fevereiro de 2011, estarão abertas as inscrições para o concurso público da Prefeitura de Bragança (PA).

A única vaga disponível para Biólogos possui a remuneração mensal de R$1.080,00.

A prova objetiva do concurso está marcada para o dia 27 de março de 2011.

Informações e inscrições:

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Concurso Público Potim – SP (01 vaga para Biólogos)

A Prefeitura de Potim (SP) lançou edital para concurso público destinado ao provimento de vagas pelo regime CLT.

A única vaga destinada a Biólogo possui a remuneração mensal de R$1.159,73.

As inscrições devem ser feitas através do endereço eletrônico www.grifon.com.br até o dia 25 de fevereiro de 2011.

Mais informações:

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Processo Seletivo Professor UEM – PR (03 vagas para Biólogos)

A UEM – Universidade Estadual de Maringá irá realizar Processo Seletivo com a finalidade de contratar docentes em caráter temporário.

Biólogos podem se candidatar para as seguintes áreas do conhecimento:

- Biologia Celular, Genética e Biotecnologia;

- Anatomia Humana;

- Histologia e Embriologia.

Os vencimentos oscilam entre R$1.698,42 a R$4.242,75.

Serão admitidas inscrições por correio desde que recebidas pelo Protocolo Geral até às 16h30 de 03 de fevereiro de 2011.

Mais informações:

Concurso Público Professor UEPG (01 vaga para Biólogos)

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) – PR lançou edital para a contratação de Professores.

Biólogos podem concorrer para a seguinte área de conhecimento: Biologia do Desenvolvimento.

O candidato deve ter doutorado em Ciências Biológicas com produção científica na área.

As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de janeiro de 2011, pelo site www.uepg.br/concurso .

O salário pode chegar até R$ 6.657,65.

Mais informações:

Revista eletrônica Política Ambiental traz entrevista com especialista sobre implicações e controvérsias em torno da construção de Belo Monte


A 7ª edição da revista eletrônica "Política Ambiental", da ONG Conservação Internacional (CI-Brasil), traz entrevista com o cientista Philip Fearnside, pesquisador-titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). O objetivo da publicação é esclarecer aos leitores implicações e controvérsias em torno da construção da usina de Belo Monte. Fearnside é um dos cinco pesquisadores brasileiros da área ambiental mais citados internacionalmente e integrante do painel de especialistas que analisou o EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental) da usina.

Na entrevista, o cientista respondeu a perguntas dos jornalistas a respeito dos impactos socioambientais da obra e de alternativas viáveis para garantir a segurança energética do Brasil sem sua construção. Foram convidados para entrevistar Fearnside os jornalistas André Trigueiro, da Globo News; Bettina Barros, do jornal Valor Econômico; Herton Escobar, do Estado de S. Paulo; Verena Glass, da ONG Repórter Brasil; Manuel Dutra, professor de jornalismo da Universidade Federal do Pará e da Universidade da Amazônia; Ana Ligia Scachetti, diretora de comunicação da Fundação SOS Mata Atlântica; e Hebert Regis de Oliveira, coordenador de comunicação do Instituto de Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável do Oeste da Bahia (Bioeste).

Na entrevista, Fearnside deixa claro que o projeto analisado pelo Ibama é economicamente inviável. "O projeto oficial – no qual haverá a construção de apenas uma barragem – mostrou-se totalmente inviável economicamente pela análise detalhada feita pela ONG Conservação Estratégica (CSF, da sigla em inglês)," conta.

O cientista ainda explica que "a afirmação de que não serão construídas outras barragens a montante de Belo Monte é uma mentira institucionalizada. A lógica leva à construção de barragens rio acima, começando com a Babaquara/Altamira, que ocuparia 6.140 km2, sendo grande parte em terra indígena".

Impactos ambientais

Na entrevista, Fearnside afirma acreditar que o EIA/Rima realizado pelo Ibama não reflete a realidade dos impactos biológicos e sociais que acontecerão com a construção da usina. A CI-Brasil acredita que o projeto apresentado não prevê impactos da redução dos níveis da água do rio Xingu e do rebaixamento do lençol freático, que podem causar extinção local de espécies, destruição da floresta aluvial e, principalmente, provocar a escassez de pesca, a principal fonte de alimentos para a população indígena da bacia do Xingu, ameaçando a sua sobrevivência.

"A obra terá impactos em um raio de 3 mil km de distância da usina, colocando em risco a segurança alimentar das populações indígenas, o que pode provocar a perda da grande diversidade cultural existente na bacia do Xingu, onde vivem 20 mil índios de 28 etnias que serão direta ou indiretamente afetados", afirma Paulo Gustavo Prado, diretor de Política Ambiental da CI-Brasil.

Outros problemas apontados pela CI-Brasil e por Fearnside são a pouca credibilidade do processo de consultas públicas e de licenciamento da usina, já que todo o corpo técnico do Ibama posicionou-se contra a licença. Além disso, a usina alagará cerca de 50% da área urbana de Altamira e mais de mil imóveis rurais de três municípios, num total de 100 mil hectares, sendo que de 20 a 40 mil pessoas serão desalojadas pela obra.

Alternativas mais viáveis

Fearnside cita uma série de alternativas que poderiam garantir a segurança energética do Brasil para os próximos anos sem a necessidade da construção de Belo Monte. Dentre elas, ele aponta investimentos em eficiência energética e em fontes limpas de energia, como a solar e a eólica, além de pequenas usinas hidrelétricas como forma de evitar grandes impactos em áreas que, sob os aspectos sociais e ambientais, são inapropriadas para empreendimentos deste porte.

Para acessar a revista, clique aqui.

Fonte: AMDA

Senadora Marina Silva pede que Congresso barre proposta do novo Código Florestal

Ambientalistas alertam que a proposta de reforma do novo Código Florestal amplia a chance de ocupação de áreas de risco, uma das razões das mortes causadas pela chuva no Sudeste, principalmente na região serrana do Rio de Janeiro. O relator da revisão do Código Florestal, Aldo Rebelo (PC do B-SP), nega que o projeto trate de regras nas cidades. O texto, porém, cita a regularização fundiária de áreas urbanas.

A senadora Marina Silva (AC), candidata do Partido Verde (PV) à Presidência da República nas últimas eleições, declarou que considera a tragédia do Rio de Janeiro consequência do desrespeito do homem pelos limites da natureza. Marina fez um apelo para que o Congresso Nacional barre a proposta do novo Código. "Não se pode mudar o Código Florestal permitindo que as pessoas façam construções e edificações nas áreas de preservação permanente", disse a senadora.

Marina alertou que está na hora dos governantes olharem esses acontecimentos não apenas como catástrofe, mas com olhar preventivo. A senadora ainda defendeu a criação de sistema de alerta nas áreas de risco, aprofundamento dos mapas que apontam áreas mais vulneráveis, cumprimento dos planos diretores das cidades e integração entre alta tecnologia e os procedimentos de emergência em situações como as vividas no Rio. "Não podemos tratar com medida provisória perdas que são eternas", completou.

Consequências da reforma prevista para o Código Florestal

O texto, em tramitação no Congresso, não considera topos de morro como áreas de preservação permanente, o que libera a construção de casas em encostas. O projeto reduz ainda a faixa de preservação nas margens de rios. As conseqüências das alterações propostas podem ser entendidas na ilustração abaixo:


Fonte: Folha Online