terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pós-graduação com projeto pedagógico da Faculdade Oswaldo Cruz


A Avanço Educação (http://www.avanconet.net/), em parceria com a Faculdade Oswaldo Cruz (www.oswaldocruz.br/pos), irá realizar as seguintes pós-graduações em Belo Horizonte (MG): Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental; Ciências Forenses; Ciências Toxicológicas.

As aulas começarão no dia 22 de outubro de 2010 e serão uma vez ao mês, dividido em quatro turnos: sexta (noite), sábado (manhã e tarde) e domingo (manhã).

Biólogos registrados no CRBio-04 possuem: 50% de desconto na matrícula até o dia 10 de setembro e 30% de desconto até o dia 24 de setembro.

A mensalidade do curso também terá 10% de desconto para os registrados.

Mais informações:
http://migre.me/ZuOu

Curso de Análise espacial para resolução de questões prioritárias para conservação


O IPÊ - CBBC/CURSOS irá promover entre os dias 24 e 28 de outubro de 2010, o curso de Análise espacial para resolução de questões prioritárias para conservação.

O curso focará no treinamento dos alunos na identificação de áreas prioritárias para conservação e restauração usando o SIG. Devido à escassez de financiamentos disponíveis para promover tais ações, o uso eficiente dos recursos é essencial para atingirmos os objetivos. Os alunos analisarão a paisagem e identificarão o estado legal de conservação e os valores potenciais de diferentes áreas, assim como irão gerar todos os dados necessários para essas análises. Após o curso os alunos estarão preparados para implementar esses projetos em suas áreas de interesse. Questões específicas que os alunos resolverão e que estão entre as mais recorrentes atualmente em conservação incluem:

1. Como espacializar as leis ambientais de APPs (entornos de rios, lagos e várzeas; topos de morro; em áreas declivosas - >45°) e as áreas de Reservas legais e monitorar o cumprimento da legislação em uma bacia hidrográfica?
2. Como monitorar a dinâmica da paisagem?
3. Como projetar cenários futuros para identificar áreas ameaçadas?
4. Como valorar os diferentes elementos que compõem uma paisagem?
5. Onde estão as maiores prioridades ou as áreas mais efetivas para fins de conservação ou retauração?

Mais informações:
http://www.ipe.org.br/novositeipe/cursosInscricao.asp?it=3&id=48

Atividades de Educação Ambiental - SETEMBRO DE 2010 - SMMA/PBH


A Prefeitura de Belo Horizonte divulgou as atividades de educação ambiental para o mês de setembro.

A programação inclui palestras, oficinas e visitas orientadas.

O público-alvo são cidadãos, a partir de 16 anos, interessados nas questões socioambientais.

Mais informações:
http://migre.me/1bp6k

A ressurreição de um mar quase morto


O mar da costa da Namíbia era um dos melhores lugares do mundo para pescar sardinhas. Décadas de exploração predatória acabaram por exterminar as sardinhas e os peixes que se alimentavam delas. Sem as sardinhas para comer as algas que fazem fotossíntese, estas se multiplicaram rapidamente, reduzindo drasticamente a concentração de oxigênio e tornando as águas turvas.

Sem oxigênio, o resto da fauna da região morreu. Por volta de 1970, a pesca ficou insustentável e os 9 mil quilômetros quadrados do que era uma rica região pesqueira se juntaram a outras regiões costeiras dizimadas pela atividade humana. Mas agora os peixes estão voltado. O interessante é que a recuperação não se deve a qualquer programa de proteção ambiental desenvolvido pelo Homo sapiens, mas graças ao estranho hábito alimentar de um pequeno peixe, o Sufflogobius bibartus.

Em um ecossistema, os seres vivos que sintetizam matéria orgânica utilizando luz solar, sais minerais e água são chamados de produtores primários. A denominação de "primários" reflete o fato deles produzirem grande parte do alimento no ecossistema. No mar as algas e os outros organismos fotossintéticos são os produtores primários. Na terra são as plantas.

Em seguida na cadeia alimentar encontramos os seres vivos que comem estes produtores primários: os herbívoros, como as zebras e gazelas no ambiente terrestre, ou as sardinhas que habitavam a costa da Namíbia. Os carnívoros que se alimentam dos herbívoros, como o leão e o tigre, são chamados de consumidores terciários pois comem os seres vivos que se alimentaram dos produtores primários.

Quando esta cadeia é interrompida, quem vem antes perde seu predador e passa a se multiplicar loucamente - é o caso das algas na ausência das sardinhas ou das gramíneas nas estepes africanas se removêssemos todos os herbívoros. Para os consumidores terciários o destino é a extinção pois seu alimento deixa de existir. É o caso dos peixes que se alimentavam das sardinhas na Namíbia ou dos leões sem herbívoros para caçar. Nós somos consumidores secundários quando comemos alface e terciários quando devoramos um bife.

Com o fim das sardinhas, o acúmulo de fitoplâncton (o nome correto para os organismos que fazem fotossíntese no mar) e a falta de oxigênio provocaram o colapso do ecossistema. Toda a biomassa morta se acumulou no fundo do mar - um ambiente inóspito, sem oxigênio, onde somente algumas espécies de águas-vivas sobrevivem. Como era de se esperar, as águas-vivas se multiplicaram loucamente. Tudo indicava que o ecossistema estava moribundo e levaria séculos para se recuperar.

Mas nos últimos anos os ecologistas observaram um fato inesperado. Os peixes carnívoros reapareceram na costa da Namíbia. Examinando o estômago destes peixes foi descoberto que eles não estavam se alimentado de sardinhas, mas de outro peixe, o Sufflogobius bibartus.

Mas do que se alimenta o S. birbatus, que esta se reproduzindo loucamente, aumentando rapidamente sua população? O pouco fitoplâncton que havia e sobreviveu não poderia explicar o crescimento dos cardumes de S. birbatus.

Usando sonares para acompanhar as andanças dos cardumes de S. birbatus e examinando o conteúdo de seus estômagos os cientistas descobriram seu segredo. Os S. birbatus se alimentam das águas-vivas que habitam a região sem oxigênio formada no fundo do oceano. Não somente os S. birbatus são resistentes ao veneno da água-viva, mas são capazes de permanecer por horas no fundo do mar, em uma região pobre de oxigênio, devorando as águas-vivas. Após se alimentarem, os cardumes de S. birbatus voltam para a proximidade da superfície e reconstituem seus estoques de oxigênio. É neste momento que são devorados pelos outros peixes, que aos poucos estão voltado, atraídos pela comida abundante.

A recuperação dos mares da Namíbia não está ocorrendo por causa do retorno das espécies originais, mas através da organização de uma nova cadeia alimentar, com pelo menos dois novos membros, as águas-vivas e os S. birbatus.

Quem poderia imaginar que os S. birbatus, peixes muito especializados e com hábitos alimentares tão pouco usuais, pudessem vir a ter um papel tão importante? Eles existiam nos oceanos em pequeno número, ocupando seu nicho especializado, mas bastou o ambiente mudar para que eles rapidamente ocupassem o espaço deixado pelas sardinhas, trazendo de volta os peixes carnívoros para o mar da Namíbia.

Este é o real valor da biodiversidade. O conjunto de espécies que existia na região - sua biodiversidade - forneceu os seres vivos que estão reconstruindo o ecossistema abalado pelo homem. Este exemplo demonstra como é difícil prever como um ecossistema reage quando agredido.

Fonte: Jornal Estado de São Paulo

Oportunidade de estágio - Educação Ambiental Inhotim


O Instituto Inhotim (http://www.inhotim.org.br/) abriu a seleção para os candidatos a estágio na área de Educação Ambiental.

As atividades do estagiário serão: integrar ações educativas desenvolvidas pela equipe de Educação Ambiental, conduzir visitas mediadas e desenvolver atividades educativas com público infantil, jovem e adulto.

Os candidtados devem ser estudantes do 2º ao 6º período de Ciências Biológicas.

A fluência em alguma língua estrangeira será um diferencial para a escolha do candidato.

Os interessados devem enviar currículo para educacaoambiental@inhotim.org.br ou teresarh@inhotim.org.br (assunto: seleção de estágio para Educação Ambiental), até o dia 05 de setembro de 2010.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Perfil do CRBio-04 no Facebook


O Facebook (http://www.facebook.com/) é uma rede social composta por mais de 400 milhões de usuários no mundo.

O veículo permite a postagem e compartilhamento de textos, imagens e vídeos.

Atualmente nos EUA o site possui mais visitas que o Google.

Com a finalidade de aproximar ainda mais dos Biólogos, o CRBio-04 criou um perfil nesta rede social.

Para acessa-lo, clique no link:
http://migre.me/1behM (é necessário ter uma conta no Facebook para visualizar a página)

VI Curso de Identificação em Campo das Famílias Botânicas da Mata Atlântica

Estão abertas as inscrições para o VI Curso de Identificação de Famílias Botânicas da Mata Atlântica. Ele será realizado nos dias 23 e 24 de outubro de 2010.

O curso é oferecido pelo Viveiro Maria Tereza, Juquitiba, SP.

Inscrições: Enviar e-mail com o Assunto "VI Curso de Identificação" para Rodrigo (nest_usp@yahoo.com.br).

Mais informações:
http://brasilbioma.blogspot.com/

Meio ambiente na mente


A estação que celebra a beleza e o florescimento da natureza é um momento que, em especial, traz à tona a questão ecológica. A relação é direta. A necessidade da conscientização ambiental é assunto de importância mundial, mas cujas ações podem fazer parte do cotidiano de qualquer pessoa. Pensar global e agir local. Ambientalistas de vários segmentos reafirmam a urgência de mais educação e informação quanto ao assunto. A solução começa como uma iniciativa pessoal.

Para o físico, professor, e coordenador do movimento SOS Mangue, Rogério Câmara, a questão é simples. “Você escolhe ter a sua casa limpa ou suja. Não tem fórmula mágica. Qualidade de vida é o que todo mundo deveria almejar”, afirma. Para Rogério, entre os muitos problemas que afligem a natureza atualmente, as queimadas florestais são as mais urgentes. “Sem vegetação perdemos proteção contra o sol, o ar fica mais poluído, há mais poluição sonora e visual, e desperdício de energia. Uma tragédia”, diz.

Cuidados mais simples fazem parte do dia a dia, conforme Rogério. Pode-se começar pela economia de água e energia elétrica, como por exemplo, menos tempo no banho e moderação no uso de água; apagar as luzes quando desnecessário, e utilizar eletrodomésticos com parcimônia. “A água é o bem mais precioso dos dias atuais”, enfatiza. ´Quase tudo está envolvido com o cotidiano, como o monóxido de carbono emitido pelos carros, os objetos plásticos, e mesmo o óleo de fritura. São elementos que devem ser reajustados ao meio ambiente, de forma a não prejudicá-lo.

O biólogo Gilvan Cassiano há quatro anos desenvolve um trabalho que promove o reaproveitamento de resíduos de óleo e gordura de fritura. Esse ingrediente – nocivo dentro e fora do corpo – é transformado em sabão, beneficiando comunidades e o meio ambiente. Gilvan segue recolhendo o óleo inútil das residências e fazendo oficinas de reciclagem em escolas, entidades e interessados em geral. “São restos que sujam e prejudicam. É uma iniciativa que pode e deve se estender a vários segmentos”, afirma. Gilvan também alerta sobre a contaminação dos lençóis freáticos, causada pelos despojos dos esgotos clandestinos, o desmatamento de mangues, e demais resíduos indevidos – como a do óleo de cozinha. São cuidados que também levam ao tratamento do lixo, cuja seleta coletiva ainda não se tornou popular como deveria. “Separar materiais orgânicos e sintéticos é a base de tudo. A questão do plástico ainda é algo a ser muito debatido”, diz.

Apesar do problema real e urgente, os ambientalistas celebram o fato de que hoje em dia se fala e se discute mais o assunto do que antigamente. “Há muitas instituições que fazem campanhas de alcance global, que alertam sobre as mudanças climáticas e as consequencias para o mundo. O planeta Terra é a nossa casa, e devemos cuidar bem dela”, conclui o biólogo.

Fonte: Tribuna do Norte

1st PRIMO International School on Marine Ecology and Ecotoxicology


A Primeira Escola Internacional de Ecologia Marinha e Ecotoxicologia acontecerá em Arraial do Cabo (RJ) de 23 a 31 de outubro de 2010.

A escola é uma iniciativa do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da conferência PRIMO (Pollutant Responses in Marine Organisms), tendo como principal objetivo estimular a curiosidade de estudantes de pós-graduação para questões relevantes e discutir as bases das ciências ambientais.

Esta é uma oportunidade única para estudantes de pós-graduação de diferentes países interarigem e discutirem os fundamentos da ciência ambiental: a arte de observar e fazer perguntas interessantes. Não há taxas de inscrição e a organização do evento proverá transporte (Rio-Arraial-Rio), acomodações (quartos para 2-3-4 pessoas) e uma refeição diária durante o período em que se realizará a escola.

A programação completa e as instruções para inscrição podem ser conferidas no link:
http://bioletim.biof.ufrj.br/ismee

ABC abre indicação de novos membros


A partir de 1º de setembro, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) dará início ao processo para indicação de candidatos a membro titular e membro correspondente da instituição.

Apenas membros titulares podem indicar novos integrantes. A indicação pode ser feita eletronicamente ou por carta, em formulário próprio a ser solicitado na secretaria da ABC. Cientistas de nacionalidade estrangeira radicados no Brasil há mais de dez anos também poderão ser indicados como membros titulares.

Os indicados serão avaliados por seus pares, ou seja, os titulares da seção a que pertence o candidato, entre os dias 1º e 26 de outubro. Segundo a ABC, as senhas individuais de acesso ao sistema eletrônico serão enviadas por e-mail no dia 1º de setembro.

No dia 27 de outubro, a tabela com as notas recebidas por cada candidato será encaminhada para a comissão de seleção, que se reunirá na sede da ABC em 05 de novembro para decidir quantas vagas serão abertas para cada seção e fazer a pré-seleção dos candidatos.

Os indicados que passarem por essa primeira fase terão seus nomes inscritos nas cédulas de votação, em que também estará citado o número e vagas para cada seção. Essa cédula será encaminhada a todos o titulares da ABC, que votarão nos candidatos listados.

O resultado final será definido na assembleia geral da ABC em 17 de dezembro e divulgado em seguida.

A posse dos novos acadêmicos ocorrerá no dia 03 de maio de 2011, dentro da programação da reunião magna da academia.

Mais informações:
http://www.abc.org.br/
(21) 3907-8111

Fonte: Agência FAPESP

1º Simpósio de Ruminantes

O 1º Simpósio de Ruminantes será realizado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) no dia 2 de setembro, em Registro (SP).

Especialistas apresentarão temas relacionados à criação de bois e búfalos, além de sistemas de manipulação do ambiente e da nutrição desses ruminantes com o objetivo de aumentar a produção de carne e leite.

Os palestrantes abordarão novas técnicas de manejo de alto rendimento, características da carcaça como a composição ideal de osso, músculo e carne e o peso ideal de abate, entre outros assuntos.

Mais informações:
www.registro.unesp.br/simposioruminantes
(13) 9140 – 9960

11º Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia


A Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia realizará, de 19 a 23 de setembro, o 11º Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia (Ecotox), em Bombinhas (SC).

A ecotoxicologia é o ramo da toxicologia que estuda os efeitos tóxicos causados por poluentes naturais ou sintéticos sobre quaisquer constituintes dos ecossistemas, sejam animais, vegetais ou microrganismos.

O evento será constituído de cursos técnicos e reuniões temáticas, palestras, apresentação de trabalhos e mesa-redonda.

Mais informações:
http://www.ecotox2010.com/

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Processo Seletivo Jaboatão dos Guararapes – PE (03 vagas para Biólogos)

Foi divulgado o edital do processo seletivo para a Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararapes (PE), o objetivo é admitir servidores em caráter temporário.

O cargo de Biólogo possui remuneração mensal de R$1.500,00 e 03 vagas disponíveis.

Para se inscrever os interessados devem acessar www.institutocidades.org.br, até o dia 12 de setembro de 2010.

Mais informações:
http://migre.me/18akV

"Fronteiras da ciência" terá transmissão on-line


O UK-Brazil Frontiers of Science Symposium será aberto nesta sexta-feira (27/08), às 18 horas, em Itatiba (SP). Os debates terão início no sábado, às 8h15. O encontro é aberto apenas aos pesquisadores convidados, mas será transmitido pela internet.

O evento de quatro dias faz parte do programa Fronteiras da Ciência, uma série de encontros promovida periodicamente pela Royal Society, em diversos países, com o objetivo de estimular os participantes a refletir sobre os novos rumos de seus campos de atuação, assim como de outras áreas do saber.

O evento no Brasil é organizado pela Royal Society e pela FAPESP, em parceria com British Council, Academia Brasileira de Ciências, Academia Chilena de Ciências e Cooperação Reino Unido-Brasil em Ciência e Inovação.

Os debates se concentrarão em nove temas: “Biocombustíveis”, “Plasticidade cerebral”, “Sistema da Terra profunda”, “Modelagem matemática de populações e doenças”, “Formação e evolução do planeta”, “Mudança climática e desenvolvimento de plantas”, “Emaranhamento quântico”, “Regulação de metabolismo energético” e “Jornalismo científico”.

“As palestras terão um enfoque geral – já que serão apresentadas a cientistas de outras áreas –, contextualizando os temas. O objetivo é fomentar a discussão, para que cada um possa expandir seus horizontes de pesquisa, refletindo sobre assuntos que normalmente não temos oportunidade de abordar, devido à especialização da ciência”, disse um dos coordenadores da organização do evento, Marcelo Knobel, pró-reitor de graduação e professor do Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Ao todo, serão 70 participantes: 35 brasileiros e 35 britânicos. “Neste simpósio de 2010, no entanto, teremos também a presença de oito cientistas chilenos com o mesmo perfil, e que atuam nas oito áreas em pauta, convocados pela Academia Chilena de Ciências”, disse Knobel.

Mais informações: www.fapesp.br/frontiersofscience

Fonte: Agência FAPESP

3º International Workshop on Spectroscopy for Biology


A terceira edição do International Workshop on Spectroscopy for Biology (IWSB) será realizada de 18 a 22 de outubro, em Maresias (SP).

O objetivo do evento é disseminar, entre estudantes de pós-graduação e jovens pesquisadores, novas técnicas biofísicas para investigação de sistemas biológicos.

O workshop também comemorará o 70º aniversário de Shyrley Schreier, professora titular do Instituto de Química da Universidade de São Paulo, pioneira da biofísica no Brasil.

Pesquisadores farão apresentações com foco em técnicas biofísicas e suas aplicações, desde o estudo da conformação de proteínas, passando por sistemas biomiméticos até aplicações biotecnológicas.

Ian Smith, do Conselho de Pesquisas do Canadá, Wayne Hubbell, da Universidade da Califórnia (Estados Unidos), Bruno Maggio, da Universidade Nacional de Córdoba (Argentina), Paolo Mariani, da Universidade Politécnica de Marche (Itália), Derek Marsh, do Instituto Max Planck de Química Biofísica (Alemanha), e Manuel Prieto, da Universidade Técnica de Lisboa (Portugal), são alguns dos palestrantes confirmados.

O evento será realizado no Maresias Beach Hotel, localizado na Rua Francisco Loup, 1109, em Maresias, litoral norte de São Paulo.

Mais informações:
www.if.usp.br/iwsb, ajcosta@ifsc.usp.br

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Curso e Pós-Graduação Ietec


PÓS-GRADUAÇÃO
O meio ambiente, um dos pilares da sustentabilidade, é hoje uma das principais preocupações das empresas. Devido à alta demanda do mercado, o Instituto de Educação Tecnológica (Ietec) abriu inscrições para mais uma turma de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Integrada. As aulas têm início em 20 de outubro.

CURSOS CURTA DURAÇÃO
Instituto de Educação Tecnológica (Ietec) está com inscrições abertas para quatro cursos voltados para as áreas de meio ambiente e mineração em setembro. São eles:
- Controle ambiental da mineração (08 a 10/09);
- Fechamento de mina (09 e 10/09);
- Gerenciamento de bancos de dados geológicos mineiros (15 a 17/09);
- Tratamento de esgotos e efluentes industriais (28 e 29/09).

O Ietec fica na Rua Tomé de Souza 1.065, Savassi, Belo Horizonte.

Mais informações:
(31) 3116.1000, 3223-6251, http://www.ietec.com.br/ e cursos@ietec.com.br

CDMicro e ENAMA


O 3° Congresso sobre Diversidade Microbiana da Amazônia (CDMicro) e XII Encontro Nacional de Microbiologia Ambiental (ENAMA) serão realizados de 05 a 08 de dezembro de 2010, no Studio 5 - Centro de Convenções, em Manaus, Amazonas.

O CDMicro é realizado a cada dois anos na capital do Amazonas e trata-se de um evento idealizado por um grupo de pesquisadores da FIOCRUZ, da UEA, do INPA e da UFAM.

O ENAMA é um encontro promovido pelos microbiologistas da área de microbiologia ambiental da Sociedade Brasileira de Microbiologia (SBM) de dois em dois anos, desde 1988 com a liderança de Maria Therezinha Martins e sempre em diferentes regiões do Brasil. O último ENAMA (XI), realizado em Fortaleza (Ceará), recebeu 500 participantes e 40,9% deles foram da região do Nordeste.

O objetivo do evento é promover a congregação dos profissionais que lidam direta ou indiretamente com a diversidade microbiana da região Amazônica e microbiologia ambiental para estimular a interação entre pesquisadores, estudantes e gestores na área de saúde, ciência e tecnologia, e proporcionar um ambiente adequado para o estabelecimento de parcerias em projetos, com os diversos segmentos da sociedade. Para isso, o nosso público alvo são os estudantes de ensino médio (PIBIC júnior), graduação e pós-graduação, pesquisadores e professores; técnicos de nível médio e superior, profissionais liberais (médicos, odontólogos, farmacêuticos, entre outros) representantes da área industrial; gestores relacionados a políticas públicas em saúde, ciência e tecnologia.

30 de setembro é a data limite para envio de resumos e inscrições com desconto.

Mais informações:
www.sbmicrobiologia.org.br/CDMicroENAMA

Concurso Público Professor Formosa – GO (02 vagas para Biólogos + Cadastro de Reserva)

Estão abertas as inscrições para o Concurso Público da Prefeitura de Formosa (GO), visando atender a necessidade do município na área da educação.

Existem 02 vagas para graduados em Ciências Biológicas e a área de atuação é a segunda fase do ensino fundamental. Há vagas também destinadas a cadastro de reserva.

O vencimento mensal é R$891,40 e a jornada de trabalho é 30 horas semanais.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.selectaplusconcursos.com.br, até o dia 22 de setembro de 2010.

Mais informações:
http://migre.me/17AIi

Concurso Público Professor IFF – RJ (01 vaga para Biólogos)

O concurso público do IFF – Instituto Federal de Educação Fluminense/ RJ irá contratar professor para a área de Meio Ambiente.

A remuneração varia entre R$2.130,33 a R$3.678,74, conforme a titulação.

As inscrições devem ser feitas até o dia a 17 de setembro de 2010, através do site www.iff.edu.br .

Mais informações:
http://migre.me/17Azi

Impactos ambientais causados pelo pré-sal ainda são ignorados pelo governo, afirma especialista


Até o dia 31 de agosto, o governo federal assinará contrato com a Petrobrás para estabelecer alguns padrões com relação à exploração de petróleo na camada pré-sal. O tratado irá definir o preço do barril de petróleo, que servirá para calcular o valor da capitalização da Petrobrás, e fixar o nível de nacionalização de equipamentos para a exploração e para a produção na área.

O pré-sal é uma área de 800 quilômetros entre os Estados do Espírito Santo e Santa Catarina, localizada abaixo do leito do mar, a uma profundidade de 7.000 metros. Essa área engloba três bacias sedimentares: Espírito Santo, Campos (RJ) e Santos (SP).

As questões ambientais são um dos pontos do pré-sal que mais deveriam ser levados em conta, pelas muitas consequências que podem trazer. O site do jornal britânico Financial Times destacou “as complicações para explorar o petróleo na camada pré-sal podem ser muito maiores que as enfrentadas pela BP no golfo do México, uma vez que estão a uma profundidade muito maior”.

Para o advogado e professor Cláudio Araújo Pinho, especialista em petróleo e gás, as conseqüências do pré-sal no meio ambiente é um assunto que deve ser tratado com urgência. “O Governo demonstra muita preocupação em colocar a capitalização da Petrobras na ordem do dia e, mesmo em pleno cenário de desastre do Golfo do México, a questão ambiental foi negligenciada e ficou omissa.”

Segundo o especialista, "A senadora Marina Silva, relativamente à área cedida, apresentou uma emenda legislativa que previa que deveriam ‘ser promovidos estudos técnicos que apontem obrigatoriamente todas as informações de cunho ambiental, necessárias ao prévio diagnóstico quanto à vulnerabilidade ambiental das áreas cedidas’. Essa emenda foi rejeitada, pois isso certamente atrasaria a assinatura do contrato de cessão." Mais uma vez, a questão ambiental é desprezada.

Fonte: AMDA

Para a "civilização do desperdício" de recursos naturais, planejamento é coisa de tolo


Por Maria Dalce Ricas, Superintendente executiva da AMDA

Alguns ruralistas estão tão entusiasmados com as possibilidades de manterem sua postura de desrespeito à natureza, que agora querem que os cargos públicos de meio ambiente sejam ocupados por pessoas ligadas a eles. É um perigo! Se a moda pega, os traficantes vão exigir que os cargos na área de segurança sejam ocupados da mesma forma.

Em Nova Lima, a ordem é construir torres e condomínio. Quanto mais, melhor! Um dos maiores problemas disso é aumentar o entupimento das duas avenidas que saem de BH e dão acesso ao município, cujas áreas urbanas já estão interligadas. No Alphaville, por exemplo, licenciado para 12.000 pessoas, provavelmente vão tentar colocar umas 60.000. Mas é claro que isso não é problema de empresas e prefeitos. Para que pensar o futuro, com tanta grana rolando no presente? Planejamento é coisa de tolo!

É claro que somos a "civilização do desperdício" de recursos naturais. Mas, mesmo que fôssemos a civilização da economia dos mesmos, consumiríamos minério, madeira, água, algodão, plástico, água encanada e outros produtos que se tornaram "necessários" à nossa forma de viver. Por isso, chega a ser hilário quando alguém ergue a voz e grita bem alto que é contra mineração, contra florestas plantadas, contra tudo. Mas foi de carro, está vestido, calçado... Bem diz o ditado: "se queres reformar o mundo, antes, dê duas voltas em sua própria casa". No caso, nem dá para ter casa, porque é preciso ferro, tijolo, areia, água, cimento...

Em círculos governamentais e privados, virou moda dizer que energia elétrica no Brasil virou sinônimo de energia limpa, porque barramentos emitem menos gases de Efeito Estufa. É uma baita mudança no significado da palavra "limpa", porque transformar rios valiosos em biodiversidade em sucessão de lagos é bem sujo ambientalmente.

E por falar em "energia limpa", aguarda-se ansiosamente que o governo estadual anuncie sua posição em relação à construção de PCHs no território mineiro. Parece que serão classificadas em "apoiáveis", "por conta própria" e "inaceitáveis", sob critérios de relação custo/benefício (geração de energia, versus impactos ambientais). Parabéns antecipado!

Fonte: Artigo publicado na seção "Metal Pesado" do Ambiente Hoje, jornal impresso da Amda, na edição de agosto de 2010

Teoria Ecológica


A revista Ciência & Ambiente, publicada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), lançou uma nova edição inteiramente dedicada ao tema “Teoria Ecológica”, reunindo dez artigos de especialistas que analisam o assunto sob a perspectiva de diversas áreas do conhecimento.

Às vésperas da comemoração de seus 20 anos, a revista discute, no número especial, as críticas e perspectivas da teoria ecológica, as reiteradas tentativas de aplicação da ideia ecossistêmica às sociedades humanas, as múltiplas possibilidades de estudo dos sistemas ecológicos, considerando os elementos históricos, o papel da biodiversidade, as variantes genéticas e os padrões estatísticos, entre outros aspectos.

A edição especial celebra também os quase 20 anos de intercâmbio brasileiro com o pesquisador francês Pascal Acot, do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS, na sigla em francês) e autor de diversos livros sobre a história da ecologia.

Os editores convidados para a 39ª edição da revista são o próprio Acot e Paulo Guimarães Jr., professor do Departamento de Ecologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP).

Neste número, a revista introduziu uma inovação: a publicação de artigos em língua francesa, além das línguas espanhola e portuguesa, ambas já contempladas desde o lançamento do periódico, em 1990.

Os outros autores dos artigos são Denis Couvet, Anne Teyssèdre, Patrick Matagne, Julien Delord, Dominique Gravel, Isabelle Gounand, Nicolas Mouquet, Elizabeth Baptestini, Marcus de Aguiar, Márcio Araújo, Sérgio dos Reis, José Alexandre Felizola Diniz-Filho, Levi Carina Terribile e Paulo Inácio Prado.

“Críticas recentes e perspectivas atuais da teoria dos ecossistemas”, “Regulações ecossistêmicas e sociedades humanas”, “História do conceito de ecossistema”, “Extinção e funcionamento dos ecossistemas”, “O papel da biodiversidade no funcionamento dos ecossistemas”, “Especiação espontânea em populações espacialmente distribuídas e padrões de diversidade”, “As implicações ecológicas da variação intrapopulacional”, “Componentes filogenéticos e adaptativos em padrões ecogeográficos”, “Distribuições de abundâncias de espécies” e “A estrutura e a dinâmica evolutiva de redes mutualísticas” são os artigos no volume.

Mais informações:
http://w3.ufsm.br/reciam

8º Congresso de Iniciação Científica em Ciências Agrárias, Biológicas e Ambientais


O 8º Congresso de Iniciação Científica em Ciências Agrárias, Biológicas e Ambientais será realizado entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro, na sede do Instituto Biológico, em São Paulo.

Além de mostrar a importância da ciência em suas diferentes vertentes, o evento tem o objetivo de estimular a formação de novos pesquisadores, permitindo também àqueles que já estão engajados em projetos de pesquisa um espaço para que possam demonstrar trabalhos e trocar experiências com colegas de outras instituições de pesquisa e ensino.

Os alunos de graduação que participam do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) participarão com apresentações orais de seus trabalhos, assim como participantes externos que tiveram seus trabalhos selecionados.

Além dessas apresentações, também fazem parte da programação um workshop de oratória e palestras sobre Divulgação Científica e o Programa Biota-FAPESP.

Mais informações:
http://eventos.fundepag.br/8cicam

7º Simpósio Brasileiro de Bioinformática


O 7º Simpósio Brasileiro de Bioinformática será realizado entre os dias 31 de agosto e 03 de setembro, em Búzios (RJ).

Coordenado por Sérgio Lifschitz, professor do Departamento de Informática do Centro Técnico Científico da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), o evento ocorrerá em conjunto com o International Workshop on Genomic Databases (IWGD) e com a Escola Brasileira de Bioinformática (EBB). A promoção é da Sociedade Brasileira de Computação (SBC).

Durante o evento, especialistas do Brasil e do exterior discutirão questões relacionadas à bioinformática, que permite simulações computacionais nos estudos de comparação de sequência de genes, construção de árvores evolutivas, montagem de fragmentos de DNA e pesquisas com células-tronco e genoma humano.

O simpósio é voltado para estudantes e profissionais das áreas de biologia, informática, bioquímica e biofísica. A programação inclui minicursos sobre temas como “Método de alinhamento de sequências”, “Probabilidade e estatística em bioinformática”, “Bioinformática estrutural de proteínas” e “Genômica comparativa”.

Mais informações:
http://bsb2010.inf.puc-rio.br/

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Padre biólogo assume comando da PUC do Rio com agenda verde


O padre Josafá Carlos Siqueira, de 58 anos, é o primeiro reitor a assumir uma universidade de porte do País com uma agenda marcadamente ambiental. "Minha mãe se chama Orquídea. Acho que já nasci com a vocação para cuidar de plantas e admirar sua beleza", diz Siqueira, que comanda a Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio desde julho. Nascido em Pirenópolis, cerrado goiano, ele virou seminarista depois de se formar em Biologia, por influência de um primo que era padre.

Não vê conflito entre sua opção religiosa e a ciência. "Se queremos resolver os grandes problemas do planeta, temos de religar as duas pontas", diz. "Devemos enxergar a natureza como criação divina que precisa ser respeitada e preservada a partir do conhecimento científico."

Como nasceu a proposta da agenda ambiental para a PUC?
Veio do fortalecimento do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente, que fundamos em 1999 com o objetivo de acolher ideias sobre meio ambiente na universidade, criar projetos de pesquisa e atuar em parceria com poder público e iniciativa privada, fundamentalmente em educação ambiental. Embora a proposta da agenda seja da reitoria, ela nasceu desse grupo de alunos e professores. O objetivo é dar nosso testemunho de sustentabilidade, mostrar para a sociedade como lidamos com as questões ambientais na PUC. É uma pequena semente, mas que, por analogia, pode se tornar um pau-mulato (árvore que alcança 40 metros de altura).

De que maneira?
Com o estabelecimento de metas a curto, médio e longo prazo, tanto no nível de gestão quanto de ensino e pesquisa. A agenda envolve diversas áreas: biodiversidade, água, energia, atmosfera, materiais, resíduos e educação ambiental. Neste momento, estamos priorizando as ações de curto prazo, como reduzir o consumo de papel, ter maior controle sobre consumo de água e energia e preservar as árvores do câmpus. A PUC está no coração do pouco que resta de mata atlântica no Rio.

É difícil conciliar vocação religiosa e a atividade científica?
Nunca encontrei dificuldade, até porque estamos vivendo em outro momento histórico, que não é mais aquele do conflito apologético entre religião e ciência. Se queremos resolver os grandes problemas do planeta, temos de religar as duas pontas e construir uma visão mais ampla das questões. Devemos enxergar a natureza como criação divina que precisa ser respeitada e preservada a partir do conhecimento científico.

Após quase 70 anos, a PUC terá uma graduação em Biologia. Por que demorou tanto?
O curso nasce com uma proposta diferenciada, depois de um longo processo de consolidação do discurso ambiental na universidade. Hoje temos mais de cem disciplinas ligadas a temas ambientais, em todos os departamentos. Nestes mais de 30 anos em que milito na área, pude perceber as ideias formidáveis e os limites na formação do biólogo. O maior deles é a falta de um conhecimento interdisciplinar.

Qual é o projeto do curso?
Queremos um profissional preparado para enfrentar os grandes desafios ambientais do futuro – mudanças climáticas, bioinvasão (migração de espécies que pode desequilibrar hábitats) – a partir de várias áreas do conhecimento.

O que o sr. acha de o tema sustentabilidade ter entrado na agenda destas eleições?
É evidente que todos os candidatos querem agregar a sustentabilidade a seus discursos, porque todos nós temos consciência da importância do tema. Mas é preciso tomar cuidado, ver quais são os fundamentos dessa opção pelo ambiental, qual a ética que está por trás. Sem dúvida, é preciso aliar o desenvolvimento à preservação.

Fonte: Jornal Estado de São Paulo

Fogo na floresta expulsa e atrai espécies


Uma floresta atingida pelo menos uma vez pelo fogo tem bichos diferentes dos encontrados nas matas intocadas. Isso acontece porque as queimadas matam as plantas menores e abrem "brechas" na floresta, as quais permitem a entrada de bichos que não são nativos da mata.

É o caso das emas. "Sem o incêndio, esses bichos não conseguiriam se deslocar pela mata", explica o biólogo Oswaldo de Carvalho Júnior, do Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia). Tais animais acabam competindo por alimentos (insetos) com os bichos nativos, como os macacos, que podem diminuir em quantidade na área queimada.

Como a velocidade de espalhamento do fogo é lenta (25 metros por hora), os animais de maior porte conseguem fugir. Mamíferos nativos, como antas e onças, só voltam para a área quando a floresta já está em processo de regeneração.

Os cientistas estão acompanhando também como alguns bichos contribuem para reduzir os impactos das queimas. Um exemplo inesperado são as saúvas, cuja construção arenosa dos seus enormes formigueiros bloqueia a passagem do fogo, já que a areia não é inflamável.

Os estudos acontecem numa fazenda do Grupo Amaggi que tem mais de 80 mil hectares (aproximadamente metade da cidade de São Paulo). A área do experimento foi emprestada, por meio de uma parceria com o Ipam, e será devolvida depois de ser regenerada. (SR)

Fonte: Folha Online

Harvard confirma casos de má conduta científica de pesquisador da moral


Após muitas especulações, a Universidade Harvard anunciou que o pesquisador Marc Hauser, biólogo e um dos principais nomes do estudo da moral, é o "único responsável" por oito casos de má conduta científica.

Em e-mail enviado ao corpo docente de Harvard, na sexta-feira, o decano da Faculdade de Artes e Ciências (FAS, em inglês) da universidade, Michael Smith, afirmou que Hauser foi considerado culpado.

"Após revisão cuidadosa do relatório do comitê de investigação e das oportunidades para que o professor Hauser o respondesse, eu aceitei as conclusões do comitê e imediatamente comecei cumprir nossas obrigações com as agências financiadoras e com a comunidade científica, além de impor as sanções apropriadas" disse Smith na mensagem.

Alegando questões de confidencialidade, porém, o decano não revelou qual será a pena do cientista.

Nesses casos, as sanções aplicáveis vão desde a demissão até a restrição para captar financiamentos de pesquisa. A universidade também pode obrigar o pesquisador a ter "supervisão adicional" em seu laboratório.

Os problemas de Hauser podem ser mais sérios do que as restrições de Harvard. Em sua declaração, o decano afirma que órgãos do governo americano também estão investigando a questão.

Horas após o pronunciamento de Harvard, Hauser quebrou o silêncio e se manifestou. Em entrevista ao "The New York Times", ele afirma que cometeu erros e se diz "profundamente arrependido" pelos problemas que causou aos estudantes, aos colegas e à universidade.

ESCÂNDALO

As dúvidas quanto à seriedade do trabalho do biólogo começaram a ser divulgadas aos poucos, há duas semanas.

A situação do pesquisador se complicou quando o jornal 'Chronicle of Higher Education', dos Estados Unidos, teve acesso a e-mails e documentos comprometedores, divulgados por um ex-assistente de pesquisa, que exigiu anonimato.

As mensagens mostram Hauser irritado e impaciente com os questionamentos e dúvidas de seus colaboradores.

Fonte: Folha Online

Baleia é desencalhada no Rio Grande do Sul


Uma baleia jubarte de 11 metros de comprimento - pesando de 20 a 25 toneladas - foi desencalhada na tarde desta terça-feira em Capão da Canoa (135 km de Porto Alegre), no litoral do Rio Grande do Sul. Desde domingo (22) ela estava presa em um banco de areia, próximo à praia.

A operação de resgate envolveu mergulhadores, biólogos, bombeiros e até embarcações da Petrobras e guindastes da prefeitura.

O trabalho durou todo o dia. Mergulhadores prenderam uma cinta no entorno do cetáceo e puxaram com rebocadores. A maré alta ajudou a liberá-la.

Agora os biólogos vão monitorar se a baleia voltará ao mar sozinha ou se poderá encalhar de novo na areia.

Segundo o biólogo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e coordenador das equipes de resgate, Maurício Tavares, baleias jubartes são comuns no litoral brasileiro, mas no Rio Grande do Sul, a maior incidência é de baleias francas. "As jubartes, quando chegam no litoral brasileiro, passam longe da costa, em direção à Fernando de Noronha [PE]. Como essa se aproximou demais, suspeitamos que esteja doente", diz.

Fonte: Bol

XIII Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Palinologia (SBPP)


O XIII Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Palinologia - SBPP irá ser realizado em Salvador (BA), entre os dias 14 e 17 de novembro de 2010.

São esperadas mostras do atual estado da arte em Paleobotânica e Palinologia em todas as suas subáreas e especialidades. Na Palinologia, estudos em Arqueologia, Palinotaxonomia, Melitopalinologia, Entomopalinologia e Palinologia Forense serão bem recebidos; igualmente, na Paleobotânica, estudos tafonômicos, reconstituições paleoambientais, paleogeográficas, paleoclimáticas e de caráter bieostratigráfico. Também, a interação de ambas, Palinologia e Paleobotânica, em trabalhos multidisciplinares ou que as aliem a outros tipos de organismos fósseis na avaliação dos depósitos sedimentares e no acompanhamento das alterações globais do clima.

A submissão de resumos pode ser feita até o dia 12 de setembro de 2010.

Mais informações:
http://www.xiiisbpp.com.br/

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Cientistas enfatizam "espaço" ao invés de competição para evolução


Charles Darwin talvez estivesse errado quando disse que a competição era a principal força impulsionando a evolução das espécies.

O autor de "A Origem das Espécies", obra publicada em 1859 que lançou as bases da Teoria da Evolução, imaginou um mundo no qual os organismos lutavam por supremacia e em que apenas o mais forte sobrevivia.

Mas uma nova pesquisa identifica a disponibilidade de espaço para desenvolvimento de vida, em vez de competição, como o principal fator da evolução.

A pesquisa, conduzida pela estudante de pós-doutorado Sarda Sahney e outros colegas da Universidade de Bristol, foi publicada na revista científica Biology Letters.

Eles usaram fósseis para estudar padrões de evolução ao longo de 400 milhões de anos.

Focando apenas em animais terrestres - anfíbios, répteis, mamíferos e pássaros - os cientistas descobriram que a quantidade de biodiversidade tem relação com o espaço disponível para a vida se desenvolver ao longo do tempo.

AMBIENTE

O conceito de espaço para a vida - conhecido na literatura científica como "conceito de nicho ecológico" - se refere às necessidades particulares de cada organismo para sobreviver. Entre os fatores estão a disponibilidade de alimentos e um habitat favorável à procriação.

A pesquisa sugere que grandes mudanças de evolução de espécies acontecem quando animais se mudam para áreas vazias, não ocupadas por outros animais.

Por exemplo, quando os pássaros desenvolveram a habilidade de voar, eles abriram uma nova fronteira de possibilidades aos demais animais.

Igualmente, os mamíferos tiveram a chance de se desenvolver depois que os dinossauros foram extintos, dando "espaço para a vida" aos demais animais.

A ideia vai de encontro ao conceito darwinista de que uma intensa competição por recursos em ambientes altamente populosos é a grande força por trás da evolução.

Para o professor Mike Benton, co-autor do estudo, a "competição não desempenha um grande papel nos padrões gerais de evolução".

"Por exemplo, apesar de os mamíferos viverem junto com os dinossauros há 60 milhões de anos, eles não conseguiam vencer os répteis na competição. Mas quando os dinossauros foram extintos, os mamíferos rapidamente preencheram os nichos vazios deixados por eles e hoje os mamíferos dominam a terra", disse ele à BBC.

QUESTIONAMENTO

No entanto, para o professor Stephen Stearns, biólogo evolucionista da universidade americana de Yale, que não participou do estudo, "há padrões interessantes, mas uma interpretação problemática" no trabalho da Universidade de Bristol.

"Para dar um exemplo, se os répteis não eram competitivamente superiores aos mamíferos durante a Era Mesozoica, então por que os mamíferos só se expandiram após a extinção dos grandes répteis no fim da Era Mesozóica?"

"E, em geral, qual é o motivo de se ocupar novas porções de espaço ecológico, se não o de evitar a competição com outras espécies no espaço ocupado?"

Fonte: Folha Online

Concurso Público Professor UFES (01 vaga para Biólogos)

Estão abertas as inscrições para o concurso público da UFES – Universidade Federal do Espírito Santo.

Biólogos podem se candidatar para a área de Anatomia Animal (Professor Assistente).

É exigido do candidado Mestrado na área de Ciências Biológicas, Zoologia, Ciência Animal, Ciências Morfofuncionais, Medicina Veterinária, Ciências Veterinárias, Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres ou Morfologia.

A remuneração é de R$4.651,59.

As inscrições podem ser realizadas na Secretaria do Departamento de Medicina Veterinária, até o dia 15 de setembro de 2010.

Mais informações:

Concurso Público Caçapava – SP (Cadastro de Reserva)

Saiu o edital para concurso público da Prefeitura de Caçapava (SP).

As inscrições devem ser feitas até o dia 09 de setembro de 2010, através do site www.consesp.com.br .

O cargo Biólogo é destinado a cadastro de reserva e exige do candidado CNH na categoria “B” ou superior. O salário é de R$1.872,31.

Mais informações:

13ª Semana Temática da Biologia - STBio


A 13ª Semana Temática da Biologia - STBio acontecerá de 20 a 24 de setembro de 2010 em São Paulo (SP).

O evento conta com palestras, cursos, oficinas e debates

A Semana é organizada por alunos de graduação do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo.

Mais informações:

TCU passa a exigir cumprimento de normas ambientais em licitações


As compras com exigência de critérios ambientais vem apresentando um considerável crescimento na administração pública. Regulamentado há pouco mais de seis meses, os critérios de sustentabilidade no processo de licitação entraram nas preocupações do Tribunal de Contas da União. O órgão, que fiscaliza os gastos públicos, enviou consulta aos ministérios, inclusive ao Ministério do Meio Ambiente. O tribunal quer saber o que tem sido feito para garantir que os bens e serviços adquiridos pelo serviço público contribuam para a preservação do meio ambiente.

Dados revelam que o consumo de bens e serviços pela Administração Pública podem chegar à cifra de R$600 milhões ao ano, representando 15% do PIB. Desde o ano passado, o Governo vem usando esse poder de compra para promover a sustentabilidade no setor produtivo. Vários grupos de trabalho interministeriais estudam uma proposta de mudança na Lei nº 8.666, que rege os processos de licitação para dar segurança jurídica às novas exigências. Já existe no Congresso um projeto de lei propondo alterações, que deverá receber a contribuição dos estudos em andamento.

Segundo o diretor interino de Sustentabilidade e Responsabilidade Social, Geraldo Abreu, a ideia é evitar que os fabricantes carimbem um produto com um selo de sustentável só para vender à administração pública, sem comprovarem a sustentabilidade na cadeia de produção. No dia 19 de agosto, em Simpósio sobre Sustentabilidade na Administração Pública, realizado no TST, ele defendeu mudanças no marco legal das licitações, para que o setor público não contribua com a degradação ambiental ao fazer suas compras.

O programa Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P, criado por decreto pelo Governo para promover a sustentabilidade nas suas próprias atividades, tem o papel de indutor da atividade produtiva, explica Geraldo. Para isso, o Ministério do Meio Ambiente vem buscando orientar fornecedores e prestadores de serviço à administração pública no sentido de encontrar soluções de produção sustentáveis na ora de entrarem nas licitações.

Uma das preocupações no Ministério do Meio Ambiente é que o próprio Governo saia na frente na execução do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, já que o potencial de consumo da administração pública é proporcional à quantidade de lixo reaproveitável que produz. Dessa forma, a nova lei, que será regulamentada até novembro, deverá influenciar as novas licitações, tendo em vista que os fornecedores de bens e serviços terão de se adequar à logística reversa, a exigência de que a destinação final dos produtos, após o fim de sua vida útil, seja dada por quem os produz.

Equipe – Os bons resultados alcançados até agora pelos novos critérios licitatórios levaram o Governo a buscar as adequações do mercado, mesmo antes que venha a mudança pretendida na lei das licitações. Para isso, ministérios do Meio Ambiente, Planejamento e a Advocacia-Geral da União, em ação simultânea em seis estados, está preparando gestores que atuam nos seus setores de compra para elaborarem editais com especificações ambientais, dentro da novas normas. No Dia Nacional das Compras Sustentáveis, 2 de setembro, uma equipe de gestores será capacitada para elaborar licitações sustentáveis com as regras já em vigor.

Os responsáveis pelas licitações em vários setores do estado serão orientados sobre a contribuição que podem dar à preservação do meio ambiente em suas atividades. As licitações dos governos federal, estaduais e municipais são alvo frequentes de questionamentos judiciais por diversas razões e o Governo quer evitar que as exigências ambientais sejam um motivo a mais para os concorrentes recorrerem nos tribunais.

Fonte: Paulenir Constâncio/ MMA

Vitamina D influencia mais de 200 genes


Um novo estudo acaba de ampliar – de maneira contundente – as evidências de que a deficiência de vitamina D poderia aumentar os riscos de desenvolvimento de muitas doenças.

A pesquisa, cujos resultados foram publicados nesta segunda-feira (23/8) na revista Genome Research, relacionou pontos nos quais a vitamina D interage com o DNA e identificou mais de 200 genes que são influenciados diretamente pela vitamina.

De acordo com o estudo, estima-se que 1 bilhão de pessoas no mundo tenham carência de vitamina D, devido a fatores como insuficiência de exposição ao sol ou uma dieta pobre em nutrientes.

Além de ser conhecida como fator de risco para o desenvolvimento de raquitismo, há evidências de que a falta de vitamina D também estaria relacionada ao aumento da suscetibilidade a condições como esclerose múltipla, artrite reumatoide e diabetes, bem como demência e alguns tipos de câncer.

No novo estudo, feito no Reino Unido, os cientistas utilizaram tecnologia de sequenciamento genético para criar um mapa das ligações dos receptores de vitamina D pelo genoma. Esse receptor é uma proteína ativada pela própria vitamina, que, por sua vez, liga-se ao DNA e influencia quais proteínas são feitas a partir do código genético.

Os pesquisadores identificaram 2.776 pontos de ligação para o receptor por toda a extensão do genoma humano e verificaram que esses locais estão concentrados anormalmente próximos a genes associados a suscetibilidade a problemas no sistema imunológico.

O trabalho também mostrou que a vitamina D tem um efeito importante na atividade de 229 genes, entre os quais o IRF8, que já foi associado com esclerose múltipla, e o PTPN2, ligado a diabetes do tipo 1 e com a doença de Crohn, que atinge o intestino.

“O estudo mostra dramaticamente a ampla influência que a vitamina D tem sobre nossa saúde”, disse Andreas Heger, da Universidade de Oxford, um dos autores da pesquisa.

Fonte: Agência FAPESP

Simpósio Ciência e Arte 2010: 10 anos de Ciência e Arte nos 110 anos da Fiocruz


De 20 a 23 de setembro, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) realizará o simpósio “Ciência e Arte 2010: 10 anos de Ciência e Arte nos 110 anos da Fiocruz”, no campus de Manguinhos, no Rio de Janeiro.

O evento reunirá pesquisadores, estudantes, artistas, divulgadores de ciência, profissionais de saúde e educadores para debater a integração entre os dois campos de conhecimento.

A programação contará com exposições, palestras, rodas de conversa, debates por meio de vídeo, oficinas de criatividade, espetáculos, mostra livre de trabalhos sobre o tema e um festival com atividades interativas.

“Ciência, arte e educação popular em saúde”, “Ciência, arte e inclusão”, “Ciência, arte, cultura e desenvolvimento” são alguns temas abordados pelos convidados.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 10 de setembro no site do evento.

Pragas controladas sem impacto ambiental


A aplicação de inseticidas pode resolver a incidência de doenças em uma determinada lavoura, mas traz uma série de efeitos colaterais indesejáveis. Eliminar o inseto transmissor pode afetar a reprodução de outras espécies vegetais que dependem daquele animal para a polinização. Além disso, resquícios dos químicos empregados aderem à planta e podem contaminar a alimentação humana, bem como rios e outros corpos d'água.

A preocupação com essas questões fez surgir o conceito de controle biorracional de pragas, uma maneira de controlar insetos e doenças com o uso de produtos naturais e seus derivados, procurando minimizar os impactos ambientais.

No Brasil, oito unidades de pesquisa de cinco estados se uniram para formar o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Controle Biorracional de Insetos Pragas, com a proposta de desenvolver soluções de diversos problemas que atingem as plantações brasileiras.

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), campus de Rio Claro, e a Universidade de São Paulo (USP), com seus campi de Ribeirão Preto e da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba, são as quatro unidades paulistas que integram o instituto e recebem apoio da FAPESP e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) por meio da modalidade Temático-INCT.

O INCT também é integrado pelas universidades federais do Paraná e de Sergipe e por duas unidades da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac): a Estação Experimental Sósthenes de Miranda, em São Sebastião do Passé (BA), e a Superintendência da Amazônia Oriental, em Belém (PA).

Uma das vantagens de utilizar compostos naturais no controle de pragas é retirar substâncias tóxicas dos processos ecológicos. “A probabilidade de uma substância natural apresentar toxicidade a um inseto é pequena. Ela pode inibir o desenvolvimento de um determinado inseto, por exemplo, e isso poupa de produtos tóxicos o animal e o próprio ser humano, que consumirá alimentos vindos daquela planta”, disse a coordenadora do INCT, Maria de Fátima das Graças Fernandes da Silva, professora do Departamento de Química da UFSCar, à Agência FAPESP.

Por serem mais familiares ao organismo, as substâncias naturais são metabolizadas mais facilmente, enquanto os produtos sintéticos podem acabar se acumulando. Isso ocorre porque os produtos de origem natural fazem parte de um processo de coevolução entre a planta e o inseto. No caso da aplicação de um inseticida sintético, essa interação é nula.

As fontes de substâncias naturais não são somente as plantas, mas também fungos e bactérias, e o trabalho de pesquisa também envolve os mecanismos de interação entre insetos e plantas. “É preciso entender por que o inseto vai até a planta, por que ele carrega a bactéria e por que essa bactéria se desenvolve bem no vegetal, provocando doença”, disse Maria de Fátima.

Uma abordagem como essa foi feita para entender a propagação da Xylella fastidiosa, bactéria causadora da clorose variegada de citros, popularmente conhecida como praga do amarelinho, e cujo vetor são pequenas cigarras da família Cicadellidae.

“Ao entender a interação química entre bactéria e planta, podemos desenvolver um metabólito que iniba a proliferação do patógeno no vegetal ou ainda buscar uma substância que controle a proliferação do inseto vetor”, explicou Maria de Fátima.

O controle dos insetos é ambientalmente mais interessante do que a sua eliminação completa, de acordo com a pesquisadora, pois o animal pode ser o vetor de uma doença para uma determinada planta e ao mesmo tempo o polinizador de outra. Portanto, eliminá-lo resultaria em perdas ambientais maiores na região em que o inseto desaparecesse.

INCT de Controle Biorracional de Insetos Pragas:
www.cbip.ufscar.br

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Site The Breathing Earth


O site The Breathing Earth apresenta uma simulação visual, em tempo real, que exibe as emissões de dióxido de carbono (CO2), bem como as taxas de natalidade e mortalidade de todos os países do mundo.

As estimativas seguem parâmetros da CIA World Factbook e United Nations Statistics Division.

Para acessar o Breathing Earth, clique no link:
http://www.breathingearth.net/

IX Semana da Biologia da UnB


De 08 a 12 de novembro de 2010, irá acontecer IX Semana da Biologia da UnB - Semabio.

O evento é organizado majoritariamente por alunos de graduação em Ciências Biológicas, em parceria com alunos de pós-graduação e professores do Instituto de Ciências Biológicas. A formação destas parcerias estimula o espírito acadêmico dos envolvidos e os ajuda na sua estruturação profissional.

As inscrições devem ser feitas entre os dias 04 a 22 de outubro de 2010.

A edição de 2010 da SemaBio é um dos eventos oficiais em comemoração ao Ano Internacional da Biodiversidade: http://www.cbd.int/2010/celebrations/

Mais informações:
http://www.semabio.unb.br/

Sites com informações sobre células-tronco


Terapia celular: www.terapiacelular.org.br
É produzido por profissionais ligados à área da saúde (médicos, farmacêuticos, biólogos, enfermeiros, biomédicos), pesquisadores de instituições públicas e privadas, com ampla experiência nas áreas de pesquisa e desenvolvimento no campo da terapia celular. Um dos objetivos é informar sobre o andamento dos estudos de células-tronco.

Rede Nacional de Terapia Celular: http://www.rntc.org.br/
A Rede é formada por oito Centros de Tecnologia Celular localizados em cinco estados brasileiros e por 52 laboratórios selecionados pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e pelo Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) do Ministério da Saúde. O principal objetivo é aumentar a integração entre os pesquisadores de todo o Brasil e facilitar a troca de informações em relação às pesquisas com células-tronco realizadas, gerando conhecimento científico e competência tecnológica na área da medicina regenerativa.

Laboratório Nacional de Células-tronco Embrionárias - Rio de Janeiro (Lance-RJ): http://www.lance-ufrj.org
No site você poderá ler sobre a biologia das células-tronco pluripotentes, novidades na área, informações sobre o grupo do professor Stevens Rehen.

Associação Brasileira de Engenharia de Tecidos e Estudos das Células-Tronco: http://www.abratron.org.br
A Abratron se dedica ao tema da Biotecnologia na Saúde, reunindo os diversos profissionais e pesquisadores relacionados à engenharia de tecidos, biomateriais, órgãos artificiais e estudos de terapias celulares, principalmente aquelas que utilizam células-tronco. A proposta é unir recursos humanos, tecnológicos e financeiros para estimular o progresso científico visando aliviar o sofrimento dos pacientes com novas e reais possibilidades de tratamento.

Cientistas descobrem modo de incentivar fertilização de óvulos


Durante anos, biólogos que estudam a reprodução foram frustrados por um mistério do desenvolvimento do óvulo: quais são os sinais que ordenam que óvulos imaturos - folículos primordiais - se desenvolvam em óvulos maduros capazes de ser fertilizados?

A pergunta é importante para especialistas em fertilização. As mulheres que estão entrando na menopausa não produzem óvulos maduros, ou os produzem ocasionalmente, mas ainda possuem folículos primordiais. Assim como ocorre com mulheres cujos ovários falham num estágio ainda mais precoce. Se houvesse uma forma de estimular óvulos imaturos a se desenvolverem, deveria possibilitar que essas mulheres engravidassem.

Mulheres em tratamento contra o câncer que desativam seus ovários podem querer guardar alguns óvulos imaturos para gerar um bebê mais tarde. Agora, Aaron J.W. Hsueh e Jing Li, da Stanford University, e colegas no Japão e na China relatam que resolveram o enigma da maturação do óvulo.

Num artigo publicado online no Proceedings of the National Academy of Sciences, eles descrevem uma forma simples de sinalizar o amadurecimento de óvulos de ratas. Eles fertilizaram os óvulos maduros, obtiveram ratos recém-nascidos, os criaram e mostraram que eles eram férteis. Os pesquisadores também usaram seu método para amadurecer óvulos humanos, mas não os fertilizaram. Mas o Dr. Kazuhiro Kawamura, no Japão, planeja dar o próximo passo com pacientes cujos ovários falharam mais precocemente - maturando os folículos primordiais, então fertilizando os óvulos, disse Hsueh.

No entanto, Hsueh alerta que "ninguém pode garantir o sucesso" com óvulos humanos. Ele é apenas cientista e não planeja tratar pacientes. O Dr. Louis DePaolo, chefe do escritório de ciências reprodutivas do Instituto Nacional Eunice Kennedy de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano, enfatiza que o método ainda é experimental.

Os cientistas há muito tempo ficam perplexos com o processo de maturação do óvulo. Um bebê do sexo feminino tem 800 mil óvulos imaturos no ovário quando nasce. Quando ela chega à puberdade e começa a ovular, mil dessas células de óvulos começam a se desenvolver todos os meses. Normalmente, apenas um óvulo se desprende no caminho. Ninguém sabe o que acontece com todos os óvulos que não conseguiram.

Tratamentos de fertilidade usam hormônios para ajudar óvulos que já estão bem longe para amadurecer. Porém, como ocorre com mulheres que estão iniciando a menopausa, pode não haver óvulo nenhum tão longe assim. Até o momento, nada podia ser feito.

O ímpeto por trás da descoberta foi um achado acidental de outros pesquisadores. Eles tinham removido um gene em ratas e viram algo estranho e inesperado: todos os óvulos imaturos dos animais começaram a amadurecer. As ratas, na verdade, acabaram se tornando inférteis mais tarde na vida; eles tinham usado todos os óvulos de uma vez.

Isso levou à percepção de que o segredo para fazer óvulos imaturos se desenvolverem é inibir uma enzima conhecida como PTEN e adicionar um fragmento de proteína para ajudar a ativar os óvulos. Parar aquela enzima tirou os freios do desenvolvimento do óvulo. Com um empurrãozinho extra da proteína ativadora, os óvulos começaram a crescer.

Agora, diz Hsueh, os pesquisadores melhoraram os métodos que reportam em seu novo artigo. É claro, eles não querem usar todos os óvulos num ovário de uma vez. Em vez disso, afirmou ele, a ideia é pegar um pequeno pedaço de ovário, ativar seus óvulos primordiais e colocá-lo de volta no corpo, permitindo que os óvulos cresçam e amadureçam.

A descoberta, disse DePaolo, "é importante", não apenas porque pode dar às mulheres mais opções quando seus ovários falham. Além disso, ele comentou, o trabalho fornece "conhecimentos básicos de como esses folículos em estágio inicial funcionam". "Nunca entendemos isso", disse DePaolo.

Fonte: The New York Times

Biólogos tentam libertar baleia encalhada no litoral do RS


Biólogos do Ceclimar e a Polícia Ambiental do Rio Grande do Sul tentam nesta manhã, dia 23, socorrer uma baleia que está encalhada desde domingo nas proximidades da praia de Capão Novo, no litoral norte gaúcho. Segundo o Ceclimar, órgão vinculado ao Instituto de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o animal seria da espécie jubarte e teria ficado preso em um banco de areia.

Ainda de acordo com o Ceclimar, os biólogos não removeram a baleia na noite de domingo na expectativa de que o animal se soltasse sozinho com a subida da maré. Os profissionais acreditam que o mamífero esteja doente, já que não é comum que exemplares da espécie se aproximem da costa gaúcha.

Fonte: Terra

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Palestra As Cangas no Quadrilátero Ferrífero: Biodiversidade e conservação

Com o título As Cangas no Quadrilátero Ferrífero: Biodiversidade e conservação, o Biólogo e Mestre em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre Flávio Fonseca do Carmo desenvolve palestra que pode ser agendada por grupos interessados em debater o assunto.

São abordados temas como Geodiversidade do Quadrilátero Ferrífero, alteração da paisagem, ambientes associados aos afloramentos ferruginosos, diversidade e endemismos da flora, uso e Ocupação do Solo, ecossistemas subterrâneos e conservação.

Os interessados podem fazer contato através dos e-mails carmo.flaviof@gmail.com ou flaviofc@ufmg.br .

Vaga para Biólogo recém-formado


A F2r Consultoria Ambiental (http://www.f2rconsultoriaambiental.com.br/) irá contratar biólogo recém-formado com bons conhecimentos em botânica para realização de trabalho temporário na área ambiental.

O local de atuação é em Belo Horizonte (MG).

Os currículos devem ser enviados até o dia 28 de agosto, através do e-mail:
f2rambiental@hotmail.com .

Mais informações sobre a vaga pelo telefone: (31) 9698 1765.

XXII Semana Científica de Estudos Biológicos


No período de 04 a 08 de outubro será realizada em Uberlândia (MG), a XXII Semana Científica de Estudos Biológicos - diferentes olhares sobre um mesmo mundo, do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Uberlândia.

O evento será importante para a divulgação e troca de conhecimentos relacionados as áreas de atuação dos Biólogos.

A data limite para submissão de trabalhos será 04 de setembro de 2010.

A Semana tem o apoio do CRBio-04.

Mais informações:
http://www.sceb.ib.ufu.br/

Bióloga desenvolveu uma vacina para tratar uma das doenças mais comuns em mulheres


Mariana Diniz, 28 anos, é doutoranda na Universidade de São Paulo (USP) e está tendo deu nome destacado no cenário científico nacional pela criação de uma vacina que pode radicalizar o tratamento de uma das principais doenças femininas, o câncer de colo de útero.

Mariana foi a vencedora do prêmio nacional de jovens empreendedores no final do ano passado, promovido pelo banco Santander, e seu projeto acaba de ser selecionado para a disputa Ibero-americana.

A bolsa de R$ 50 mil que ganhou em novembro, usada para a continuidade das pesquisas, foi reconhecimento de um trabalho que teve iniciou em 2000.

Pesquisa

Os testes em animais conduzidos por Mariana mostraram que as doses estimulam o sistema imunológico, impedem o avanço do vírus (causador do câncer de colo de útero), e reduzem as lesões. Se os efeitos forem confirmados em pessoas, em um futuro próximo, o produto poderá coibir a alta mortalidade de mulheres pela doença, hoje a terceira causa de morte do sexo feminino entre 10 e 49 anos, como mostram os dados do Ministério da Saúde.

“Conseguimos (o plural é em referência ao professor e dois colegas que ajudam no trabalho) ainda a parceria de um laboratório que vai financiar os testes clínicos em humanos e também a produção em larga escala das doses”, diz Mariana. “Esta segunda etapa dos testes deve começar já neste semestre. É muito bom saber que um projeto desenhado há tanto tempo pode sair do papel e virar realidade.”

HPV

Em 2002, Mariana encontrou a possibilidade de pesquisar uma vacina contra o HPV, vírus sexualmente transmissível que, dizem as pesquisas, acometem 80% das mulheres em alguma fase da vida.

Democrática, a doença está em todas as classes sociais, mas na parte mais carente da população, descobriu Mariana em seus estudos, a evolução do problema tende a ser mais cruel.

Para aquelas que não têm acesso à saúde de qualidade e não fazem exames simples, como o papanicolau, o vírus pode evoluir para o câncer de colo de útero, ainda muito letal no País (segundo o Instituto Nacional do Câncer serão 18.430 novos casos só este ano).

Próximo passo

Após o encontro com o HPV, muitos avanços das pesquisas foram catalogados nas pranchetas, companheiras inseparáveis de Mariana. De estagiária do Instituto de Ciências Biomédicas da USP ela conseguiu passar direto da pós-graduação para o doutorado, sem o mestrado entre as duas fases como seria natural, de tão sólidos que foram seus achados.

Com os resultados em mãos e com o dinheiro conseguido com o prêmio Santander, Mariana criou uma empresa e conseguiu a parceria com o laboratório, a Farmacore, para avançar ainda mais na elaboração do produto. Para comprovar se a vacina será a saída para quem só vê o médico depois que as lesões provocadas pelo HPV estão em fase muito crítica, a bióloga e a empresa aguardam aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para começar a produação em escala e aplicá-la em humanos.

Fonte: IG

Flora brasileira ganha lista


A Lista de Espécies da Flora do Brasil está disponível para acesso pela internet, com informações sobre mais de 40 mil espécies da flora brasileira, divididas em angiospermas, algas, briófitas, pteridófitas, gimnospermas e 3,6 mil fungos.

A lista é resultado do trabalho de cerca de 400 taxonomistas de instituições de pesquisa brasileiros e está inserida nas metas da Convenção sobre a Diversidade Biológica (CDB), que compreende, entre seus compromissos, a implementação da Estratégia Global para a Conservação de Plantas (GSPC).

A GSPC tem o objetivo de facilitar o consenso e a sinergia nos níveis global, nacional, regional e local para impulsionar o conhecimento e a conservação de plantas.

A elaboração da lista foi coordenada pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em parceria com o Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora). O sistema de informação foi desenvolvido pelo Centro de Referência em Informação Ambiental (Cria).

A intenção é que a lista seja atualizada periodicamente para incluir novas espécies e mudanças taxonômicas.

A estimativa dos organizadores é que a lista seja transformada em livro para ser lançado no 61º Congresso Nacional de Botânica, que ocorrerá de 5 a 10 de setembro, em Manaus.

Mais informações:
http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010

UK-Brazil Frontiers of Science Symposium


Com o desafio de discutir, sob perspectiva multidisciplinar, importantes questões das fronteiras do conhecimento, cientistas proeminentes do Brasil e do Reino Unido estarão reunidos, a partir do dia 27 de agosto, em Itatiba (SP), para o UK-Brazil Frontiers of Science Symposium.

O evento de quatro dias faz parte do programa Fronteiras da Ciência, uma série de encontros promovidos periodicamente pela Royal Society, em diversos países, com o objetivo de estimular os participantes a refletir sobre os novos rumos de seus campos de atuação, assim como de outras áreas do saber. O simpósio anterior foi realizado em Pequim, China, em novembro de 2009.

O evento no Brasil é organizado pela Royal Society e pela FAPESP, em parceria com British Council, Academia Brasileira de Ciências, Academia Chilena de Ciências e Cooperação Reino Unido-Brasil em Ciência e Inovação.

Os títulos das nove sessões de debates são: Biofuels: new developments, challenges and limitations, Brain plasticity, Deep Earth system, Mathematical modelling of populations and disease, Planet formation and evolution, Plant development and climate change, Quantum entanglement, Regulation of energy metabolism e Science Journalism and Public Perception on Science.

Mais informações:
www.fapesp.br/frontiersofscience

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Abertas inscrições para O grito e a resistência no Cerrado


Escolas, universidades, estudantes e pessoas interessadas já podem se inscrever para participar do encontro “O grito e a resistência no Cerrado: saberes e fazeres dos povos deste chão”, a ser realizado no dia 10 de setembro, a partir das 8 horas. O evento será na Cidade de Goiás (GO).

O evento tem o objetivo de promover a valorização pessoal e coletiva dos povos tradicionais, seus saberes e fazeres, e intercâmbio as várias comunidades; e alcançar a melhoria qualidade de vida da população da região trabalhada, urbana e rural, ao garantir o acesso à informação sobre a melhoria alimentar e às práticas populares de saúde, estimulando sua adoção.

Ainda, contribuir para a melhoria ambiental global, ao buscar a proteção do Cerrado, sua biodiversidade e suas águas, por meio da proteção da cultura das populações tradicionais e suas relações saudáveis com o ambiente em que vivem, evidenciando-se e estimulando-se as ações de manejo sustentável em contraponto ao desmatamento.

Uma das colaboradoras do evento é a renomada bióloga Patricia Mousinho. Segundo a especialista, o Bioma Cerrado, que tem papel-chave na questão dos recursos hídricos por abrigar as nascentes dos rios que formam as principais bacias hidrográficas brasileiras, está seriamente ameaçado. “O Cerrado teve quase metade de sua área desmatada e permanece sob taxa alarmante de degradação”.

“O Cerrado reúne um terço da biodiversidade do nosso país e 5% da flora e da fauna de todo o Planeta e infelizmente vive em constante ameaça ao seu patrimônio cultural. As comunidades que detém o conhecimento tradicional desta biodiversidade, como seus saberes e suas relações com o ambiente em que vivem, estão de modo semelhante em processo de destruição. Outro problema é a grave e inquestionável crise no sistema público de saúde nacional, destacadamente em nossa região”, complementou Mousinho.

Segundo a bióloga, o Cerrado desaparece, e com ele perdemos a opção de uso sustentável de recursos como as numerosas espécies de potencial alimentar e farmacológico nele existentes. “E é neste contexto de degradação que se desenvolve o presente, buscando-se apontar caminhos para a reversão deste quadro”.

Programação

A partir das 9 horas haverá a Mística de Abertura, que terá como foco a degradação do Cerrado e a importância das iniciativas de resistência e entrega de sementes de árvores nativas para os participantes.

Segundo Patricia Mousinho, haverá várias atividades permanentes como exposição fotográfica de plantas e frutos e exibição de vídeo sobre o trabalho desenvolvido pela Casa da Agricultura junto às comunidades e Farmacinhas.

No espaço de Direitos Humanos, benzedeiras estarão à disposição do público. Na Praça da Catedral, sob uma grande tenda, as pessoas poderão desfrutar de diversos espaços de informação, diálogo e demonstração.

Mais Informações:
Patricia de Oliveira Mousinho – patricia.mousinho@gmail.com
Maria Luiza da Silva Oliveira – marialgoias@yahoo.com.br

Fonte: Portal da Hora