sexta-feira, 30 de julho de 2010

Curso a distância de Introdução ao Sensoriamento Remoto


A Sociedade de Especialistas Latino-americanos em Sensoriamento Remoto (SELPER) está organizando o curso a distância de Introdução ao Sensoriamento Remoto.

O objetivo é o de capacitar diferentes tipos de profissionais no uso da tecnologia de Sensoriamento Remoto. Ele visa também a difundir o uso de dados do satélite sino-brasileiro (CBERS) e de outros satélites, disponíveis gratuitamente na internet, bem como o software SPRING (Sistema de Processamento de Informações Georeferenciadas), desenvolvido pelo INPE, e também gratuito.

É pré-requisito que o aluno possua internet com banda larga.

O curso terá início no dia 08 de setembro de 2010 e as inscrições vão até o dia 08 de agosto de 2010.

Mais informações:
http://www.selperbrasil.org.br/cursos/ead/intro_sr

XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR


O XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR acontecerá entre os dias 30 de abril e 05 de maio de 2011 em Curitiba (PR).

O evento oferece oportunidades para divulgação dos trabalhos técnico-científicos na área de sensoriamento remoto, troca de experiências entre profissionais, ampliação do conhecimento da aplicação das tecnologias de sensoriamento remoto e geoprocessamento, fomento de cooperação inter-institucional, e o estímulo ao desenvolvimento do segmento privado deste setor.

A submissão de trabalhos vai até o dia 10 de novembro de 2010.

Mais informações:
http://www.dsr.inpe.br/sbsr2011/index.html

Inaugurado laboratório de pesquisa ambiental


Criado para medir a qualidade da água e de extratos aquosos de amostras ambientais e, também, verificar a concentração de determinados gases na atmosfera, o Laboratório de Pesquisa Ambiental em Aerossóis, Soluções Aquosas e Tecnologias (Laquatec) foi inaugurado nesta quarta-feira (28/7) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP).

Com competência para manipulação e análise de amostras ambientais, o Laquatec, uma facilidade do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do INPE, será utilizado por pesquisadores de diversas áreas do Instituto, como Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), Sensores e Materiais (LAS), Combustão e Propulsão (LCP) e Observação da Terra (OBT), além de instituições parceiras.

Seus resultados terão impactos em estudos sobre mudanças ambientais e climáticas, ciclos biogeoquímicos, emissão de poluentes, entre outros. “Além de caracterizar quimicamente amostras ambientais - ar, água, solo, plantas, etc -, o laboratório colabora no desenvolvimento e testes de tecnologias com aplicações na quantificação e detecção de espécies químicas”, diz Cristina Forti, pesquisadora do INPE e uma das responsáveis pelo Laquatec.

Instalado em duas salas do prédio Circuito Impresso, o Laquatec já possui equipamentos para realizar análise por técnica de cromatografia a líquido, medições de carbono e nitrogênio e está adquirindo outras facilidades. O local está preparado para manipulação de amostras, calibração de sondas de qualidade de águas, caracterização de sensores, montagem de coletores de aerossóis, entre outras atividades.

Fonte: Inpe

quinta-feira, 29 de julho de 2010

XIV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida


O XIV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida acontecerá entre os dias 25 a 28 de agosto de 2010 em Fortaleza, Ceará.

No evento serão discutidos temáticas do interesse dos Biólogos, como congelamento de gametas, análise seminal e oocitária e estudo embrionário.

O Congresso contará com conferências, mesas-redondas, simpósios, cursos pré-Congresso e debates com especialistas.

Mais informações:
http://reproducaoassistidace2010.com.br/

Pós-graduação em Perícia Criminal


O Centro de Pós Graduação - CPG é uma empresa prestadora de serviços educacionais, especializada em identificar demandas por cursos de especialização em todo território nacional.

A empresa irá realizar, em parceria com a Universidade Castelo Branco do Rio de Janeiro, a pós-graduação em Perícia Criminal na cidade mineira de Uberlândia.

As aulas começarão no dia 20 de agosto e serão realizadas sempre um final de semana por mês (sexta-feira à noite, sábado o dia todo e domingo de manhã).

Mais informações:
http://www.cursoscpg.com.br/

Inventário irá listar as espécies de aves que habitam BH


Não é possível dizer com precisão se elas viviam escondidas entre os recantos verdes de Belo Horizonte, se decidiram adotar a cidade como novo lar ou simplesmente estavam de passagem. Mas algo é certo: elas nunca tinham sido vistas na capital e hoje integram os registros de um povoado viveiro urbano.

Pesquisadores encontraram mais nove espécies de aves em BH. Ainda não há uma lista oficial desses seres que habitam o município mas, até o fim do ano, aquela que já foi chamada Cidade Jardim, pela diversidade da arborização, ganhará um inventário de suas aves. Biólogos já antecipam que a lista é extensa e deve conter cerca de 300 tipos desses animais.

As espécies inéditas em BH foram encontradas na Lagoa da Pampulha, no Parque das Mangabeiras e no Parque Roberto Burle Marx. Segundo o ornitólogo Gustavo Pedersoli, da instituição filantrópica Ecoavis Ecologia e Observação, as espécies foram descobertas durante observações, principalmente por meio dos sons que emitem. ''Costumo dizer que os melhores instrumentos de um descobridor de aves são os olhos e os ouvidos. Eles têm um canto bem característico. Cerca de 70% deles são identificados inicialmente pelo som. Foi assim que encontrei um deles no Parque das Mangabeiras'', conta.

Ele caminhava pelo maior parque de BH, quando ouviu um canto que ainda não havia escutado lá. ''Pensei: 'Opa, esse é o som do estalador'. Depois, consegui avistá-lo. A boa notícia é que essa espécie é típica de áreas bem preservadas'', diz. Segundo Pedersoli, já foram registradas no Parque Mangabeiras a presença de pelo menos 180 espécies. ''Um dos fatores que mais contribuem para a diversidade de aves em um parque é a diversidade de ambientes: lagos, lagoas, fragmentos de mata, campos rupestres, espaços arborizados, pastagens, etc'', explica. No Parque Lagoa do Nado, em que há uma variedade de ambientes, já foram registradas 112 espécies, como a lavadeira mascarada, a casaca de couro da lama e o pica-pau do campo.

Para conhecer as espécies que vivem em BH, a Ecoavis está finalizando um inventário das aves da capital. ''Já existem alguns levantamentos, mas não há nenhum oficial ou que abranja toda a cidade. Temos uma parceria com a Fundação de Parques Municipais. Eles permitem a nossa entrada nos parques nos melhores horários para pesquisa, quando normalmente não estariam abertos, e nós contribuímos com os nossos estudos”, relata. Segundo ele, o pico de atividades das aves, sendo também o melhor horário para pesquisa, é entre 6h e 9h e entre 16h e 18h.

Galeria: veja algumas espécies de aves que vivem em BH

Fonte: Jornal Estado de Minas

Lançamento do Livro Plantas da Floresta Atlântica


VI Simpósio de Meio Ambiente


O VI Simpósio de Meio Ambiente será realizado nos dias 20, 21 e 22 de setembro de 2010, na cidade de Viçosa (MG), no Campus da UFV.

O evento pretende reunir profissionais interessados em debater sobre o cenário ambiental atual e perspectivas sobre desenvolvimento sustentável.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 10 de agosto de 2010.

Os resumos deverão ser encaminhados para eventos@cbcn.org.br, até o dia 1º de setembro de 2010.

Mais informações:
http://www.cbcn.org.br/simposio/2010/

quarta-feira, 28 de julho de 2010

II Encontro Nacional de Inovação em Biotecnologia


Entre os dias 03 e 05 de agosto, será realizado o II Encontro Nacional de Inovação Tecnológica em Biotecnologia (ENCONIT-Biotec), na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), em Belo Horizonte.

O ENCONIT-Biotec tem o objetivo de apoiar a difusão da inovação tecnológica pelas empresas incubadas e pelas micro e pequenas empresas, por meio de treinamento em gestão empresarial, divulgação da inovação tecnológica e apoio à criação de ambiente propício para a aproximação entre investidores e empresas.

O evento contará com um dia de palestras e treinamento em elaboração de Plano de Negócios, oferecido pelo Sebrae, seguido de dois dias de apresentações das empresas de Biotecnologia para fins de promoção e alcance de sinergias e parcerias tecnológicas, produtivas e comerciais. A participação das empresas de Biotecnologia é o foco do II ENCONIT, que também contará com representantes das universidades e investidores.

Segundo o líder do projeto de Biotecnologia na ABDI, Dr. Wilker Ribeiro Filho, o ENCONIT-Biotec é um importante instrumento para estimular o investimento em bio. “O ENCONIT é um fórum ideal para que os empresários possam interagir, conhecer as novas demandas, ter assessoria técnica e especializada sobre mecanismos de fomento e financiamento, entre outras etapas da inovação”, explicou Dr. Filho.

No âmbito da Política de Desenvolvimento Produtivo da Biotecnologia (PDP-Biotec), o ENCONIT já é considerado como uma etapa piloto para a realização de um evento internacional de grande porte no segundo semestre de 2011, no qual participarão, com o apoio da APEX-Brasil e de outros órgãos, investidores e empresas estrangeiras. Assim, as empresas presentes ao II ENCONIT-Biotec já estarão se pré-qualificando para participação do evento internacional, previsto para o próximo ano.

Promovido pela Secretaria de Inovação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Sebrae Nacional, Fiemg e as entidades Sindusfarq e Minas-Biotec, o II ENCONIT surgiu da necessidade de estimular a atração de investimentos para as empresas do setor e desenvolver parcerias.

Serviço
Data: 3 a 5 de agosto de 2010.
Local: Sede da Fiemg, localizada na Avenida do Contorno, 4520 – Funcionários – Belo Horizonte (MG).
Programação e inscrições pelo site: http://www.abdi.com.br/enconit
E-mail: enconit@abdi.com.br

9º Festival Lixo e Cidadania

Curso de Homeopatia na Agricultura Orgânica


Local
Auditório da Faculdade de Estudos Administrativos (FEAD)
Rua Santa Rita Durão, 1160, 6° andar, Savassi. Belo Horizonte (MG).

Data
De 31 de julho a 28 de novembro de 2010.

Carga Horária
100 horas (100 horas presenciais).
Haverá 60 horas de estudos orientados além da carga horária básica.

Público-alvo
Estudantes. Profissionais. Agricultores.
Interessados no uso de homeopatia em plantas.

Inscrição
Taxa: R$150,00 mensais (5 mensalidades).
Local: Superintendência Federal de Agricultura MGAv. Raja Gabaglia 245 Cidade Jardim CEP: 30380-103

Mais informações
Telefone (31) 3250-0439, (31) 3277-9211, (31) 3277-9823
E-mail: organicos-mg@agricultura.gov.br

Concurso Público Professor UFRJ (03 vagas para Biólogos)

Saiu o edital para concurso público de provas e títulos, que visa selecionar profissionais para vagas de Professor do Ensino Superior da UFRJ.

Os vencimentos são de até R$ 6.359,01, variando conforme a titulação.

As inscrições devem ser feitas presencialmente até o dia 02 de setembro de 2010, em dias úteis das 10h às 16h, no Colégio de Aplicação da UFRJ, Rua J. J. Seabra, s/nº, Lagoa.

Existem 03 vagas para o setor/disciplina de Biologia. É exigido do candidato Licenciatura Plena em Ciências Biológicas.

Mais informações:
http://migre.me/10x3D

INPE e Serviço Florestal firmam parceria para monitorar concessões

Os pontos em vermelho correspondem à extração seletiva, enquanto em verde estão indicadas as áreas em processo de degradação


O monitoramento da exploração madeireira em florestas públicas foi formalizado neste mês com a assinatura do acordo de cooperação técnica entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), e o Serviço Florestal Brasileiro, ligado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). O principal objetivo da parceria é permitir o controle e acompanhamento da extração de madeira nas áreas de concessão florestal.

Para a detecção da exploração seletiva de madeira, o INPE já vinha desenvolvendo o DETEX, um novo sistema para análise e monitoramento da cobertura florestal baseado em imagens de satélites.

O sistema do INPE será utilizado para verificar se a exploração florestal, sob contrato de concessão, está ocorrendo no local, na intensidade e nos períodos estabelecidos no Plano de Manejo Sustentável orientado pelo Serviço Florestal. Também será utilizado para detectar atividades madeireiras ilegais.

Para o DETEX entrar em operação, está sendo realizado um inventário completo das florestas públicas, com base nos dados de desmatamento dos anos de 2005 e 2006. O INPE já concluiu o mapeamento da Floresta Nacional (Flona) do Jamari, em Rondônia, a primeira concessão do país, onde as atividades produtivas devem iniciar ainda neste ano. O mapeamento da Flona Saracá-Taquera, no Pará, também está pronto e as próximas a serem concluídas são as flonas Amana e Crepori, no mesmo Estado.

Segundo o Serviço Florestal, o monitoramento por satélite das áreas de concessão vai gerar informações mais detalhadas que as utilizadas atualmente, pois será possível acompanhar espacialmente as atividades dos concessionários. Com essas informações em mãos, o Serviço Florestal conseguirá identificar onde estão os pátios de estocagem e onde foram abertas as estradas para escoamento da produção dentro da unidade de manejo, bem como alguma eventual exploração fora da área designada.

CapacitaçãoO INPE também começou a capacitar técnicos do Serviço Florestal que trabalham com sensoriamento remoto no processamento digital das imagens para realçar as feições características da exploração seletiva. O acordo prevê ainda capacitações em sistemas de informações geográficas e gerenciamento de banco de dados espaciais, o que ajudará o Serviço Florestal a ter equipes capazes de aprimorar o monitoramento das florestas públicas brasileiras.

Fonte: Inpe

O pescoço da evolução


Aquele pequeno pedaço do corpo entre a cabeça e os ombros foi mais importante para a evolução humana do que se pensava. Segundo um novo estudo, o pescoço deu ao homem tamanha liberdade de movimentos que teve papel fundamental na evolução. A conclusão deriva da análise genética do homem e de peixes e foi publicada nesta terça-feira na revista on-line Nature Communications, em artigo com acesso livre.

Cientistas achavam que as nadadeiras peitorais em peixes e os membros superiores (braços e mãos) em humanos fossem inervados (recebessem nervos) a partir dos mesmos neurônios. Afinal, nadadeiras e braços parecem estar no mesmo local no corpo.

Não exatamente. De acordo com a pesquisa, durante a transição ocorrida entre peixes e animais que passaram a caminhar sobre a terra – que deu origem aos mamíferos –, a fonte dos neurônios que controlam diretamente os membros superiores se deslocou do cérebro para a medula espinhal, à medida que o tronco se distanciou da cabeça e entrou em cena o pescoço.

Os braços no homem, assim como as asas de aves e morcegos, separaram-se da cabeça e ficaram posicionados no tronco, abaixo do pescoço, indica o estudo feito por Andrew Bass, da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, e colegas.

“O pescoço possibilitou o avanço em movimentos e na destreza em ambientes terrestres e aéreos. Essa inovação em biomecânica ocorreu simultaneamente a mudanças no modo em que o sistema nervoso controla os membros”, disse Bass.

De acordo com o pesquisador, o surgimento desse nível de plasticidade evolutiva provavelmente é responsável pela grande variedade de funções dos membros superiores, do voo em aves e do nadar em baleias e golfinhos às habilidades humanas.

O artigo Ancestry of motor innervation to pectoral fin and forelimb (doi:10.1038/ncomms1045), de Andrew Bass e outros, pode ser lido na Nature Communications em:
www.nature.com/ncomms/journal/v1/n4/full/ncomms1045.html

Fonte: Agência FAPESP

1º Simpósio sobre Evolução e Diversidade


O 1º Simpósio sobre Evolução e Diversidade da Universidade Federal do ABC (UFABC) será realizado em Santo André (SP), entre os dias 1º e 03 de setembro.

Inspirado no Ano Internacional da Biodiversidade, o evento tem o objetivo de divulgar estudos sobre biodiversidade em diversos aspectos – zoológicos, botânicos, genéticos e ecológicos – para um público de alunos de graduação e pós-graduação, docentes e pesquisadores de outras áreas de pesquisa.

A programação inclui palestras e mesas-redondas abordando questões sobre evolução e filogenia, conhecimento e gestão da biodiversidade em várias escalas e níveis de organização. O evento contará com a participação de pesquisadores da UFABC e de outras instituições do Estado de São Paulo.

Mais informações:
http://simposioevolucao.ufabc.edu.br/

Cumprimento de metas ambientais esbarra na falta de pessoal qualificado


Foi debatido nos dias 13 e 14 de julho, durante seminário sobre o Ano Internacional da Biodiversidade, na Câmara dos Deputados, as dificuldades que o Brasil enfrenta para atingir metas fixadas em compromissos ambientais internacionais. De acordo com o secretário substituto de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), João de Deus Medeiros, o Brasil só poderá enfrentar os desafios existentes se qualificar e aumentar seus funcionários.

Os maiores desafios que o Brasil enfrenta hoje são em relação à ampliação de áreas protegidas, ao acesso a recursos genéticos e controle de espécies invasoras, o que é agravado pela falta de pessoal e de qualificação nos órgãos ambientais e também de articulação entre diferentes ministérios.

Na opinião do secretário, é preciso qualificar os agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Polícia Federal e da Receita Federal. “Senão, vamos continuar tendo uma política capenga e com resultados insatisfatórios”, disse.

O coordenador-geral de Gestão de Pessoas do MMA, Humberto Luciano Schloegl, reconheceu que faltam funcionários qualificados, mas que, por outro lado, o número de servidores efetivos do MMA passou de 12, em 2005, para os atuais 640. No total, o ministério conta com 1.240 funcionários atualmente.

“A expectativa é que isso seja ampliado para o Instituto Chico Mendes e o Ibama no próximo ano. Temos a intenção de incluir outros ministérios, como Minas e Energia, nessa capacitação. Precisamos entender a realidade de outros órgãos que tratam de infraestrutura”, disse ainda o coordenador.

Sobre o aumento da área protegida no país, segundo João de Deus Medeiros, a ampliação das áreas de conservação esbarram na resistência local, seja da comunidade, de empresários ou de políticos. Para a coordenadora-geral de Proteção Integral do Instituto Chico Mendes, Giovanna Palazzi, mais do que criar novas áreas, é preciso implementar as existentes, o que passa mais uma vez pelo aumento e capacitação de pessoal e também pelo envolvimento da sociedade no problema.

Ainda falta muito para que se cumpram as metas de proteção dos diferentes biomas. Em 2006, a Comissão Nacional de Biodiversidade (Conabio) definiu que até este ano 30% da Amazônia e 10% dos outros biomas deveriam ser protegidos. No entanto, esse percentual é de 27,1% na Amazônia, 9% na Mata Atlântica, 8,2% no Cerrado, 7,3% na Caatinga, 4,8% nos Pampas e 1,6% na área marinha.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Fórum Florestal Mineiro manifesta preocupação com alterações no Código Florestal


Na sexta-feira, 23 de julho, o Fórum Florestal Mineiro, formado por empresas do setor florestal e ONGs ambientalistas, manifestou, em ofício enviado ao Presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, sua preocupação com as alterações previstas para o Código Florestal Brasileiro.

Conforme expresso no ofício, o Fórum entende a necessidade de reforma do Código Florestal (Lei 4.771/65), mas ressalta que são necessárias modificações que promovam conciliação entre proteção do meio ambiente natural e desenvolvimento de atividades econômicas necessárias ao bem estar humano. O Fórum acredita que as atuais alterações propostas afetam gravemente um patrimônio coletivo, logo, para que haja qualquer mudança, deve existir um amplo e profundo debate com toda a sociedade. Para finalizar o ofício, o Fórum ainda ressalta que “áreas já desmatadas e antropizadas devem ser preferencialmente utilizadas para manter eexpandir atividades agrárias”.

O objetivo do Fórum Florestal Mineiro é construir uma visão comum entre empresas do setor florestal e ONGs ambientalistas que leve a ações economicamente viáveis e aumente a escala dos esforços e os resultados para a conservação do meio ambiente como um todo. A busca de reconhecimento público da importância social/econômica dos plantios de florestas renováveis é também parte desse objetivo.

Fonte: AMDA

terça-feira, 27 de julho de 2010

XXIII Congresso Brasileiro de Entomologia


O XXIII Congresso Brasileiro de Entomologia irá acontecer de 26 a 30 de setembro de 2010 em Natal (RN).

O evento terá palestras, mesas-redondas e simpósios.

Terão desconto as inscrições feitas até o dia 15 de setembro.

Mais informações:
http://www.cbe2010.com.br/

XIV Congresso Brasileiro de Arborização Urbana


A Sociedade Brasileira de Arborização – SBAU estará realizando entre os dias 28 de novembro a 03 de dezembro de 2010, o XIV Congresso Brasileiro de Arborização Urbana que nesta edição, será realizado na cidade de Bento Gonçalves, RS no Centro de Convenções Fundaparque.

O evento conta com mini-cursos, conferências, mesas-redondas e painéis.

O envio de trabalhos poderá ser feito até o dia 04 de outubro de 2010.

Mais informações:
http://www.cbau2010.com.br/

Congresso Nordestino de Biólogos - Congrebio


Com o objetivo de debater a importância e as repercussões do profissional Biólogo na sociedade atual, vários profissionais da área estão promovendo o Congresso Nordestino de Biólogos - Congrebio 2010. O evento realizado pelo Instituto BioEducação em Campina Grande (Paraíba), nos dias 21 e 22 de setembro de 2010, com o apoio da Universidade Estadual da Paraíba, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal de Campina Grande e outros parceiros.

Os resumos e trabalhos completos, para serem apresentados na versão 2010 do Congresso Nordestino de Biólogos, poderão ser enviados até 15 de agosto de 2010.

Para a participação das atividades, que incluirão palestras, conferência e mesas-redondas, estão confirmados profissionais do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Ceará e Bahia.

O Congresso Nordestino de Biólogos - Congrebio é uma iniciativa do sítio eletrônico ronilson-paz.net, que teve sua primeira realização em João Pessoa, nos dias 2 e 3 de setembro de 2009, com a participação de cerca de 250 congressistas, entre professores, pesquisadores e estudantes, e tem o objetivo principal de promover encontros sistemáticos entre Biólogos no Nordeste do Brasil, que possa favorecer uma maior integração destes profissionais.

Mais informações:
http://congresso.rebibio.net/

Instituto Justiça Ambiental processa empresa em Belém do Pará pelo abate Ilegal de mais de 280 mil tubarões


A ação civil pública foi protocolada quarta-feira, dia 21 de julho, via fax, na Justiça Federal de Belém (PA), com base em fiscalizações e autos de infração do IBAMA/PA. O IJA busca indenização pelos danos ambientais irreversíveis e incontáveis causados pela captura ilegal de 25 toneladas de barbatanas e bexigas natatórias, número que representa mais de 280 mil tubarões.

A empresa processada é a Sigel do Brasil Comércio, Importação e Exportação Ltda. A Sigel processa e beneficia barbatanas e bexigas natatórias para futuramente serem revendidas de forma ilegal. Dentre os animais abatidos constam espécies marinhas em risco de extinção e vulnerabilidade, como é o caso do tubarão grelha.

“Acreditamos que esta seja uma autuação recorde, nunca ouvimos nada parecido. O que é assustador é que provém de apenas uma empresa. Imaginem então as quantidades que escapam da fiscalização do Ibama/PA”, comenta Cristiano Pacheco, diretor do IJA. “Quase não se fala na área costeira amazônica. Os brasileiros precisam saber que é a mais rica do país em biodiversidade marinha, banhada pela foz do Rio Amazonas. Suprimir os tubarões dessa forma absurda e descontrolada colocará em colapso os ecossistemas marinhos na região, já que o tubarão é topo de cadeia, inventor da seleção natural nos oceanos e habitante deste planeta há mais de 400 milhões de anos”, completa Pacheco.

O valor provisório da indenização, pleiteado pela instituição, é de R$ 1.382.725.000,00 (um bilhão trezentos e oitenta e dois mil setecentos e vinte e cinco reais). No decorrer do processo o IJA apresentará parecer técnico que deverá superar em muito o valor, já que o cálculo considerará todos os ecossistemas afetados. O valor da indenização será revertido ao Fundo Nacional do Meio Ambiente.

Instituto Justiça Ambiental (IJA)

O Instituto Justiça Ambiental IJA é uma organização não-governamental, sediada em Porto Alegre (RS), sem fins lucrativos, formada por profissionais atuantes na área do direito ambiental e na área técnica, destinada a promover a proteção do meio ambiente. O Conselho do Instituto Justiça Ambiental é formado por ex-juízes, promotores de justiça, advogados, biólogos e veterinários, de renome nacional e internacional. O IJA é apoiado pela Fundación AVINA, entidade criada para impulsionar o desenvolvimento sustentável da América Latina por meio da construção de vínculos de confiança e alianças frutíferas entre líderes sociais e empresariais de maneira exitosa e responsável.

Fonte: Assessoria de Iimprensa do Instituto Justiça Ambiental

O papel do Biólogo no Programa de Saúde da Família


Por Clarice Luz, presidente do CRBio 03

Na Conferência de Ottawa (1986) foi estabelecido que a promoção da saúde só é possível em um contexto de múltiplos fatores, atores e interesses. Dos cinco pontos centrais apontados no evento, destaca-se a criação de ambientes favoráveis à saúde e ao bem-estar humano por intervenções e diagnósticos de caráter interdisciplinar. Portanto, saúde em biologia humana envolve estilo de vida, organização do atendimento e meio ambiente.

A criação do Programa de Saúde Família (PSF) foi uma solução para reverter o antigo modelo centrado na cura de doenças. Ele demonstra cada vez mais a relação doença x estilos de vida e meio ambiente da população. O modelo proposto pelo PSF está estruturado em atividades focadas nas comunidades. As formas de condução e gerência das ações estão centradas no trabalho conjunto de profissionais e agentes da própria comunidade que compõem o sistema de Atenção Básica de Saúde (APS).

Saúde, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) “é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença”. Assim, a atuação de biólogos é fundamental junto às equipes de trabalho do PSF no enfrentamento de inúmeras questões básicas que envolvem a saúde da população e que devem ser abordadas no Programa. Isto contribui para a promoção da saúde e diminui custos públicos nas práticas curativas.

Com uma concepção mais interativa das relações homem, ambiente e condições de saúde, os biólogos estão aptos a colaborar na orientação sobre saneamento básico, risco contaminação da água de mananciais, uso de cisternas e utilização consciente dos recursos hídricos. Também podem promover conscientização sobre destinação de dejetos, reciclagem e reaproveitamento do lixo. Outros temas nos quais os biólogos podem contribuir são relativos ao extrativismo predatório, justificado, às vezes, pela busca de “remédios” naturais, sem qualquer orientação profissional. Atuam ainda em questões relacionadas a controle de pragas e vetores causadores de inúmeras doenças, como a de Chagas e a Dengue, além de orientar em outros assuntos, como as DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e AIDS.

Na concepção atual do PSF, o biólogo é um dos mais ecléticos profissionais para atuar junto às equipes. Isto em face de uma formação profissional que parte do princípio da multidisciplinaridade nas relações entre o homem, o meio ambiente e a saúde.

CBMEG-Unicamp tem vaga para pesquisador

O Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) abriu processo seletivo para contratação de um pesquisador da área de Análise Genética Molecular.

O profissional selecionado terá jornada de trabalho de 40 horas semanais, com dedicação exclusiva às atividades do CBMEG. As inscrições para o concurso estarão abertas até o dia 9 de setembro. Os candidatos deverão ser portadores, no mínimo, do título de doutor.

O processo seletivo consistirá em avaliação de títulos acadêmicos, prova – na qual serão verificados os conhecimentos técnico-científicos do candidato sobre a sua linha de pesquisa e projetos na área de Análise Genética e Molecular – e arguição.

A seleção compreenderá ainda uma avaliação do conjunto de atividades de natureza científica, cultural ou técnica realizado pelos candidatos, incluindo trabalhos científicos ou relatórios técnicos publicados, artigos publicados em revistas, livros e capítulos de livros, traduções, resenhas e prefácios de livros, trabalhos apresentados em congressos e artigos de revisão.

Mais informações:
http://files.me.com/sartor/hledmi

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Alexandre Aleixo - O matador de passarinhos


Um dos maiores especialistas em aves da Amazônia diz por que continua abatendo animais a tiros

O biólogo Alexandre Aleixo é um exímio caçador de passarinhos. Em suas pesquisas na floresta, sempre leva uma espingarda calibre 16. É com um tiro certeiro que Aleixo derruba das árvores tucanos, mutuns e arapaçus. Um gravador com a reprodução de cantos ajuda a atrair as aves. Os animais abatidos são empalhados e levados para as gavetas da coleção de ornitologia do Museu Emílio Goeldi, no Pará, uma das mais importantes fontes de pesquisa sobre a biodiversidade da Amazônia. Matar os animais para estudá-los é visto por ativistas como método cruel. Cientistas como Aleixo afirmam que isso é imprescindível. “O sacrifício de animais é importante para as pesquisas de preservação das florestas e para o desenvolvimento de produtos na área de saúde”, disse a ÉPOCA.

Para visualizar a entrevista com o Biólogo, clique aqui

Há avanço na compreensão da doença esquizofrenia


A esquizofrenia é uma doença mental crônica que afeta aproximadamente 1% da população mundial. Até agora, acreditava-se que afetasse homens e mulheres de igual modo. Mas um novo resultado de pesquisa, obtido pelo biólogo brasileiro Daniel Martins-de-Souza, do Departamento de Engenharia Química e Biotecnologia da Universidade de Cambridge, Inglaterra, sugere que isso não é tão verdadeiro quanto se pensava. Em artigo publicado no Journal of Psychiatric Research, Martins-de-Souza relata que homens e mulheres que sofrem de esquizofrenia apresentam diferentes padrões de regulação do conjunto das proteínas produzidas pelo cérebro.

"Ainda não se pode afirmar categoricamente que a doença se manifeste de forma diferente nos dois sexos, mas a patogênese pode tomar rumos diferentes, tendo posteriormente um mesmo fim", diz o biólogo.

O resultado, obtido por meio da análise post mortem de tecidos cerebrais de pessoas saudáveis e portadoras da doença, é mais um importante avanço na compreensão da esquizofrenia, que, embora muito estudada, ainda é obscura para os cientistas. A recente constatação é nova etapa das pesquisas do biólogo brasileiro, iniciadas na Universidade Estadual de Campinas e na Universidade de São Paulo e desenvolvidas no Instituto Max Planck de Psiquiatria, na Alemanha.

Fonte: Diário do Grande ABC

Os primeiros seres vivos multicelulares


Existem muitas maneiras de dividir o universo dos seres vivos. Vegetais e animais, eucariotos e procariotos, e assim por diante.

Uma das maneiras mais informativas é dividi-los em unicelulares e multicelulares. Os unicelulares são aqueles constituídos por uma única célula, como a maioria das bactérias, muitas algas e um número enorme de protozoários. As amebas que infectam nosso intestino são um bom exemplo. Os organismos multicelulares são compostos por mais de uma célula, desde os muitos simples, como algumas bactérias, até os mais complexos como as árvores, as formigas e o ser humano. Seres multicelulares podem dividir as funções do corpo entre células de diferentes tipos, cada uma exercendo um papel específico.

É o nosso caso. Possuímos neurônios em nossos cérebros, células musculares em nosso coração e espermatozoides nos testículos. Organismos multicelulares simples possuem dois ou três tipos de células, enquanto os mais complexos, como os mamíferos, possuem centenas de tipos de células.
Os primeiros seres vivos que apareceram na Terra, provavelmente há 3 bilhões de anos, eram unicelulares. Até recentemente, acreditava-se que os seres multicelulares só haviam aparecido muito mais tarde. Agora, fósseis encontrados no Gabão sugerem que os seres multicelulares surgiram muito antes, por volta de 2,1 bilhões de anos atrás, e estavam envolvidos na produção de oxigênio.

Três bilhões de anos é muito tempo. A civilização humana tem somente alguns milhares de anos, o homem surgiu no planeta faz 1 milhão de anos e os fósseis de animais mais antigos têm menos de 500 milhões de anos. Quando a vida surgiu, não havia oxigênio na atmosfera e as concentrações de gás carbônico eram muito altas. Foi somente com o surgimento das algas unicelulares, capazes de fazer fotossíntese, por volta de 2,3 bilhões de anos atrás, que se iniciou a produção de oxigênio.

Ao longo de mais de 1 bilhão de anos, nossos ancestrais exerceram o papel hoje reservado às plantas: consumir gás carbônico liberando oxigênio. Ao poucos, a concentração de oxigênio nos mares e na atmosfera subiu 100 mil vezes, atingindo os níveis atuais. Somente então puderam aparecer os organismos que necessitam de oxigênio para viver, por volta de 700 milhões de anos atrás. Mas ainda foram necessários 699 milhões de anos para surgir o primeiro ser humano.

Revertendo o processo. Agora, nos últimos 50 anos, tudo indica que o ser humano está revertendo lentamente esse processo, liberando quantidades crescentes de gás carbônico e destruindo os seres vivos que produzem oxigênio.

As rochas no Gabão, onde foram encontrados esses novos fósseis, datam de aproximadamente 2,1 bilhões de anos atrás, uma época em que o acúmulo de oxigênio na atmosfera já havia se iniciado. Nesse período, os mares ainda continham uma quantidade enorme de enxofre e a atmosfera possuía menos de 1% da quantidade atual de oxigênio. Peixes, mamíferos e a quase totalidade das formas de vida existentes hoje em dia não sobreviveriam cinco minutos naquele ambiente.

Foram nessas rochas que um grupo de cientistas descobriu os fósseis desses seres vivos de até 12 centímetros de comprimento. Eles parecem discos, compostos por múltiplas camadas muito finas, como uma massa folhada. Os discos possuem estruturas radiais que partem do centro e chegam às beiradas. O centro do disco é mais grosso que as beiradas e possui uma estrutura interna. As beiradas são finas e onduladas.

Os cientistas acreditam que essas estruturas representam enormes grupos de células organizadas em colônias. É impossível saber se todas as células presentes nesses organismos eram idênticas ou se já havia especialização entre elas. Mas, sem dúvida, cada uma dessas estruturas ? e foram encontradas centenas delas nas rochas do Gabão ? possuía uma estrutura interna organizada, o necessário para podermos classificar esses seres vivos como multicelulares.
A descoberta desse nosso ancestral sugere que os seres vivos multicelulares surgiram muito antes do que os cientistas imaginavam. E que eles contribuíram para construir a atmosfera que respiramos hoje.

Fonte: Estadão

Pesca e Aquicultura receberão R$ 5 milhões para formação de recursos humano


O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT), o Fundo Setorial do Agronegócio (FNDCT-Agro) e o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) lançaram edital para apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica para o desenvolvimento dos setores pesqueiro e aquícola, por meio da concessão de bolsas de estudo no país. Os interessados devem apresentar suas propostas até 13 de setembro. Serão investidos R$ 5 milhões oriundos do orçamento do MPA e do FNDCT/Fundos Setoriais.

O edital é dividido em duas chamadas. A primeira pretende selecionar projetos na área de Aquicultura que contemplem pelo menos uma das seguintes linhas temáticas: Genética, Nutrição e alimentação, Sistemas de Manejo e Cultivo, Sanidade Aquícola, Engenharia para Aquicultura, Interação Aquicultura e Meio Ambiente,Tecnologias e Processos aplicados ao Processamento, Beneficiamento e Comercialização do pescado e Estudos sócio-econômicos das cadeias produtivas da Aquicultura.

A segunda chamada é destinada para a área de Recursos Pesqueiros. Serão selecionados projetos que se enquadram em temas como: Biologia e Ecologia Pesqueira, Prospecção para avaliação da viabilidade técnico-econômica de exploração de recursos pesqueiros inexplorados, Avaliação, manejo e recuperação de estoques pesqueiros explorados, Engenharia para a construção de embarcações de pesca e inovações tecnológicas pesqueiras, Tecnologias e processos aplicados ao processamento, beneficiamento e comercialização do pescado a bordo e em terra, Estudos sócio-econômicos das cadeias produtivas da pesca.

Parcela mínima de 30% dos recursos será destinada a projetos coordenados por pesquisadores vinculados a instituições sediadas nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste. O proponente deve possuir título de doutor, ter seu currículo cadastrado na Plataforma Lattes, ser obrigatoriamente o coordenador do projeto e manter vínculo empregatício com a instituição de execução do projeto. Poderá ser apresentada uma única proposta, no valor máximo de R$ 150 mil, para apenas uma das chamadas.

As propostas devem ser encaminhadas ao CNPq exclusivamente via Internet, por meio do Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas (http://carloschagas.cnpq.br/). Os resultados serão divulgados no Diário Oficial da União e na página do CNPq a partir de18 de outubro deste ano.

Consulte o edital completo em:
http://www.cnpq.br/editais/ct/2010/025.htm

Processo Seletivo Professor USP (03 vagas para Biólogos)

A Universidade de São Paulo (USP) abriu processo seletivo para o preenchimento de vagas para professores doutores para atuar em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa.

São três vagas no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) no Departamento de Microbiologia. Uma é para o programa da disciplina Biologia Estrutural Aplicada a Microrganismos e a outra para a disciplina de Bioinformática e Biologia de Sistemas Aplicados a Microrganismos. A outra vaga é para o Departamento de Genética Evolutiva, na área de Biologia Celular.

As inscrições terminam de 18 de outubro a janeiro de 2011, a depender do edital.

Mais informações:
www.usp.br/drh/novo/recsel/cargosdoc.html

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Pós-graduação com projeto pedagógico da Faculdade Oswaldo Cruz


A Avanço Educação (http://www.avanconet.net/), em parceria com a Faculdade Oswaldo Cruz (www.oswaldocruz.br/pos), irá realizar as seguintes pós-graduações em Belo Horizonte (MG): Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental (http://migre.me/ZuKF); Ciências Forenses (http://migre.me/ZuL1); Ciências Toxicológicas (http://migre.me/ZuLs).

As aulas começarão no dia 20 de agosto e serão uma vez ao mês, dividido em quatro turnos: sexta (noite), sábado (manhã e tarde) e domingo (manhã).

Mais informações:
http://migre.me/ZuOu

Bolsas de pesquisas com dendê


A unidade Agroenergia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) oferece duas vagas para bolsistas no projeto Dinamização do Banco Ativo de Germoplasma de Dendê da Embrapa e Apoio ao Melhoramento Genético (ProDendê), executado com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Uma das vagas destina-se a graduados em biologia ou engenharia agronômica, com bolsa no valor de R$ 1.045,89, e a outra é para mestres e doutores nas mesmas áreas, no valor de R$ 2.186,87.

As ações propostas nessas bolsas, que podem durar de 12 a 24 meses, poderão contribuir com a estratégia de pesquisa e desenvolvimento na genômica dessa cultura, sendo realizadas na Embrapa Agroenergia e na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, ambas em Brasília (DF).

Os interessados devem enviar o currículo para o e-mail manoel.souza@embrapa.br no período de 20 de julho a 10 de agosto, com início dos trabalhos previstos para 1º de setembro.

Mais informações no link http://migre.me/Zup3 ou pelo telefone (61) 3448-4844.

"Vida de cientista é difícil em todo lugar", diz alemão no Brasil


O biólogo alemão Klaus Hartfelder, 55, se mudou da Alemanha há 28 anos. Mesmo tendo saído de um país com invejável tradição científica, diz que sua carreira não teria sido muito diferente se tivesse ficado lá. "Vida de cientista é bonita e difícil em qualquer lugar", afirma.

Se pudesse mudar alguma coisa na ciência brasileira, faria com que os alunos pudessem ingressar na graduação só por volta dos 20 anos: "Faz diferença em termos de maturidade".

Além disso, diz, muitas vezes os estudantes precisam de um acompanhamento mais próximo porque não tiveram um ensino médio tão bom.

Algo que o incomoda é a desigualdade do financiamento à ciência. "Existem dois brasis: São Paulo, que tem a Fapesp, e o resto. Mas o CNPq melhorou muito desde que cheguei. Se um cientista brasileiro tem um bom projeto, consegue dinheiro."

Trabalhando com genética de abelhas, o biólogo conheceu o Brasil em 1982. Fixou-se há 12 em Ribeirão Preto (SP), onde é professor da USP. No intervalo, conheceu e se casou, em 1985, com uma brasileira, que não gosta do clima alemão.

No clima tropical do Brasil porém, é preciso enfrentar a burocracia para importar reagentes e materiais biológicos. "É desanimador."

Também o incomoda a sensação de que revistas científicas duvidam da ciência do país. Com a experiência de quem já remeteu trabalhos da Alemanha e do Brasil, diz que há preconceito.
"Não digo que os editores-chefes se importem com o país, mas funcionários da revista, em primeira análise, costumam preferir os países mais ricos."

Fonte: Folha Online

V COMESP - Congresso Mineiro de Epidemiologia e Saúde Pública


A Associação Mineira de Saúde Coletiva (AMEP) está organizando o V COMESP - Congresso Mineiro de Epidemiologia e Saúde Pública.

O evento será realiado entre os dias 08 e 11 de setembro de 2010 em Belo Horizonte (MG), no auditório do Colégio Monte Calvário e no novo prédio da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP MG).

Terão descontos as inscrições feitas até 02 de setembro.

O prazo para inscrições de trabalhos vai até o dia a 14 de agosto.

Mais informações:
http://www.vcomesp.amep.org.br/

Blog Biorritmo


Assuntos tratados: biologia, saúde, pesquisa biológica, educação e meio ambiente.

Criado em 18 de abril de 2009 pelo professor José Antônio Dias (Biólogo formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ).

Atualmente o blog Biorritmo possui mais de 120 postagens.

Endereço: http://www.profjabiorritmo.blogspot.com/

Campanha online em defesa da Mata Seca


Conforme recentemente divulgado na mídia, a Amda, em parceira com outras entidades, está fazendo campanha para que o Projeto de Lei de nº 4057/09, que retira a Mata Seca do regime de proteção do bioma Mata Atlântica, não seja sancionado pelo governador de Minas, Antônio Anastasia.

Os responsáveis pela aprovação do Projeto de Lei são os deputados estaduais Gil Pereira (PP), Ana Maria Resende (PSDB) Arlen Santigo (PTB), Carlos Pimenta (PDT), Paulo Guedes (PT) e Ruy Muniz (DEM). Hoje, sexta-feira, 23 de julho, é o prazo para que o governador se posicione a respeito, aprovando ou vetando o PL. Por isso, convidamos a todos a mandarem email (governadorgab@governo.mg.gov.br) ao governador pedindo-lhe que não o sancione.

Esta luta é de todos! Juntos podemos salvar nossas florestas!

A importância do imprinting genômico para a compreensão da psicologia humana e dos transtornos pediátricos


A conferência "A importância do imprinting genômico para a compreensão da psicologia humana e dos transtornos pediátricos" será apresentada no dia 04 de agosto, às 15h, na Cidade Universitária em São Paulo, pelo biólogo evolucionista Robert Trivers, da Universidade Rutgers (Estados Unidos).

Um dos mais influentes teóricos do evolucionismo em atividade, Trivers foi considerado pela revista Time um dos cem maiores pensadores e cientistas do século 20.

A conferência é uma realização do Instituto de Estudos Avançados (IEA) e do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). O evento será apresentado em inglês, sem tradução, no Instituto de Biociências (IB) da USP.

Mais informações:
http://www.iea.usp.br/trivers.html

quinta-feira, 22 de julho de 2010

XIII International Congress of Acarology


O XIII International Congress of Acarology irá acontecer de 23 a 27 de agosto de 2010 em Recife (PE).

O evento conta com simpósios, palestras, apresentações orais de resumos e oficinas.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 13 de agosto.

Mais informações:
http://www.cenargen.embrapa.br/ica13/

Arrecadação de multas pelo Ibama foi de apenas 0,2% em 2009


A arrecadação de multas aplicadas pelo do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) de janeiro a novembro de 2009 foi de apenas 0,2%, segundo dados revelados pelo Tribunal de Contas da União. O Ibama é o pior arrecadador de multadas aplicadas no país. Dos R$ 23,8 bilhões devidos por credores da União, 64% são multas ambientais, aplicadas pelo órgão, que não foram pagas.

Em 2005, o governo chegou a receber 1% do valor das multas. O problema está se acentuando mesmo com a queda no número de autuações por ano, tendência registrada de 2008 até agora. Desde 2009 o Ibama concentrou sua fiscalização nos grandes infratores A fiscalização do órgão acredita que grandes operações com multas mais pesadas inibe os pequenos infratores. Inicialmente, a estratégia fez cair em 25% o número de autuações e o montante total das multas aplicadas. A soma das multas de 2008 é R$ 724,2 milhões maior que a de 2009.

O principal responsável pela queda na arrecadação em 2009 foi Minas Gerais, devido ao cancelamento do convênio com a Polícia Militar, que gerou uma queda de 6.200 multas. Com a nova política, podem deixar de ser alvos prioritários do órgão colecionadores caseiros de animais silvestres sem registro. E também os 869 assentamentos da reforma agrária que contribuíram com o desmate verificado durante o ano passado na Amazônia Legal.

A nova estratégia concentrou a fiscalização na Amazônia, que acumulou 74% do total de R$ 7,5 bilhões em multas aplicadas nos últimos dois anos por poluição, degradação e infrações contra fauna e flora. Nesse período, fiscais assinaram 52,6 mil autuações em todo país, sendo 20,8 mil delas (39,6%) na Amazônia.

O Pará apareceu no ano passado como campeão de multas nas planilhas do Ibama, tanto em números de autos de infração quanto de autuações de maior valor. Isso se deve a uma grande operação, conhecida como Boi Pirata 2, que concentrou ações no município de Novo Progresso, área de intenso desmatamento.

Fonte: AMDA

Blog Evolução em Foco


O Grupo Evolução em Foco é formado por estudantes de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e tem como principais objetivos divulgar, debater, aprender e ensinar Evolução, dentro e fora da universidade.

Dentre as atividades do grupo se destacam a organização do evento Dia Darwin, que ocorre anualmente na UFMG.

O Evolução em Foco possui agora uma página na internet que funciona como um blog.

Para acessar o site, clique no link: http://www.evolucaoemfoco.com.br/

quarta-feira, 21 de julho de 2010

2º Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-Estar Animal


A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) sediará o 2º Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-Estar Animal, de 4 a 6 de agosto, em Belo Horizonte (MG).

A realização é do Conselho Federal de Medicina Veterinária e do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais. Um dos objetivos do evento é discutir temas relacionados ao bem-estar animal que despertam o interesse da comunidade científica e da sociedade em geral.

“Padrões de bem-estar animal preconizados pela Organização Mundial de Saúde Animal”, “Estratégias para avaliar o bem-estar animal”, “Legislação e direito dos animais” e “Alternativas ao uso de animais” serão alguns dos temas debatidos no congresso.

O evento será realizado no Auditório Prof. Mário Souza Couto Barbosa, na Escola de Veterinária, no campus da UFMG.

Mais informações:
www.cfmv.org.br/portal/destaque.php?cod=213

terça-feira, 20 de julho de 2010

Emprego representante técnico de vendas (área de controle de pragas), Rio de Janeiro – RJ


Empresa Contratante
Malva Defensivos e Equipamentos

Ramo da Atividade
Distribuidor e Fabricante de Equipamentos e Produtos para o Controle de Pragas

Perfil Profissional
Biologia, Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental, Medicina Veterinária

Representante Técnico de Vendas
- Estudos Mínimos: Superior completo nas áreas afins.
- Desejável experiência no setor comercial.
- Atuação no segmento de venda às prefeituras ou órgão públicos será diferencial competitivo.
- Exige-se experiência profissional entre 1 e 3 anos.
- Disponibilidade de horário.
- Conhecimento em técnica de vendas.
- Exige-se conhecimento em informática: Aplicações de Escritório (PowerPoint, Word, Excel, Outlook).
- Disponibilidade para viagens.
- Cinco anos de CNH ativa.
- Imprescindível: capacidade de negociação, bom conhecimento técnico, boa comunicação, iniciativa, visão de negócios e natural empatia.

Responsabilidades
- Responsável pela realização de vendas de produtos e equipamentos domissanitários.
- Contribuirá no atingimento das metas de volume, lucratividade e cobertura de mercado.
- Divulgação e orientação técnica dos produtos domissanitários.
- Realização de palestras e apresentações.
- Atuação no Estado do Rio de Janeiro.

Envio de currículos até dia 09 de Agosto de 2010

Interessados que se encaixem no perfil acima devem encaminhar currículo em anexo e no corpo da mensagem para curriculo@malva.com.br / Contato somente por e-mail.

Enquete Biologia na Rede

Em uma pesquisa feita este ano, a Datafolha constatou que a maior parte dos brasileiros (59%) acredita que o ser humano é fruto de uma evolução guiada por Deus.

25% acreditam no criacionismo e 8% são evolucionistas.

A enquete do Biologia na Rede apresentou um resultado diferente para a mesma questão.

Apenas 15% dos votantes acreditam que o homem foi criado por Deus e 30% não acreditam em interferência divina na criação do homem.

Entretanto, 55% dos internautas acreditam que o ser humano é fruto de uma evolução guiada por Deus, número bem próximo ao resultado da pesquisa feita pela Datafolha (59%).

E não deixe de participar da nova enquete do blog:

Você é a favor ou contra as alterações no Código Florestal Brasileiro propostas pelo deputado Aldo Rabelo (PT)?

Brasil e a arqueologia inglesa


A arqueologia inglesa passa por uma revolução silenciosa. Essa área da ciência, cujos dados eram garimpados lentamente por pesquisadores universitários munidos de pás e picaretas e financiados por dinheiro público, foi inundada por uma enxurrada de dados gerados pela iniciativa privada. Apesar de muitos arqueólogos questionarem a qualidade desses dados, outros demonstraram que eles podem revolucionar o que sabemos sobre o passado da Inglaterra. O interessante é que um fenômeno semelhante pode ocorrer com nosso conhecimento sobre a flora, a fauna e o meio ambiente no Brasil.

Tudo começou em 1990, quando o governo inglês aprovou uma lei que obriga todos os executores de projetos de construção civil a analisar, do ponto de vista arqueológico, o que encontrarem durante suas escavações. Antes de 1990, se você estivesse construindo um puxadinho no terreno da sua casa ou um novo shopping center e, durante a escavação das fundações, encontrasse um muro romano ou artefatos da época do bronze, você podia jogar concreto sobre os achados arqueológicos ou vender o que encontrasse. A nova lei obriga o construtor a contratar arqueólogos para fazer um levantamento do que foi encontrado e produzir um relatório detalhado.

O resultado é que antes de 1990 havia menos de cem arqueólogos trabalhando no setor privado; hoje há mais de 7 mil. O investimento privado em escavações arqueológicas soma US$ 220 milhões por ano, quase dez vezes mais que o gasto pelo governo para financiar pesquisadores universitários.

O fato de esses relatórios não serem publicados em revistas científicas, mas ficarem simplesmente arquivados nas prefeituras, não impediu que cientistas os vasculhassem e escrevessem livros importantes baseados nesses achados. Analisando todas as aldeias da Idade do Bronze, foi possível demonstrar que, ao contrário do que se acreditava, a população na Inglaterra não diminuiu durante este período da Pré-História.

O conhecimento sobre a época em que a Inglaterra foi dominada pelo Império Romano também foi modificado por escavações privadas. Até 1990, somente as ruínas mais importantes haviam sido estudadas. As novas escavações revelaram um grande número de novas vilas e casas, alterando o que se conhecia sobre a dominação romana.

O fato de as escavações ocorrerem ao acaso, ditadas somente pelo progresso da construção civil, está produzindo uma amostragem mais realista do que existe no subsolo inglês. Se isso é uma vantagem, por outro lado o fato de esses documentos não serem publicados e muitos serem de baixa qualidade é claramente um problema. A solução encontrada pelos ingleses é a obrigatoriedade de esses relatórios serem disponibilizados em bancos de dados públicos, o que facilita o acesso e força uma melhora gradativa na qualidade dos dados.

No Brasil. No Brasil há lei semelhante. Grande parte dos novos projetos, seja uma usina hidrelétrica, uma nova indústria ou mesmo uma casa no litoral, só é aprovada após contratação e aprovação de estudos de impacto ambiental (os famosos EIA-Rima). Nesses estudos, biólogos e outros profissionais com formação científica são obrigados a seguir um protocolo detalhado, descrevendo fauna, flora, córregos, topografia e mesmo achados arqueológicos.

Da mesma maneira que na Inglaterra, no Brasil muitos duvidam da qualidade dessas investigações e grande parte desses estudos é de difícil acesso. Por outro lado é muito provável que a quantidade de recursos utilizados para financiar nossos EIA-Rima são muito maiores que as verbas que os governos repassam às universidades para esse tipo de pesquisa.

Não seria o caso de esses dados serem disponibilizados em bancos de dados públicos, onde, além dos achados, constasse a localização da área estudada, o nome e a afiliação dos autores do estudo? Ao longo dos anos, a transparência forçada seguramente provocará melhora na qualidade dos dados e esse banco poderia se tornar uma fonte importante de conhecimento sobre a flora e a fauna brasileira, complementando as coleções existentes nos museus e nas universidades.

Da mesma forma que os ingleses, que agora sabem o que está enterrado embaixo de cada construção, nós poderíamos ao menos quantificar o que destruímos e preservamos na medida em que vamos ocupando nossas florestas, pântanos e o Cerrado.

Fonte: Estadão

Projetos de reserva e mina disputam área rica em ferro em MG


Dois projetos distintos, um parque nacional e uma mina da Vale, disputam o mesmo espaço na serra da Gandarela, região central de Minas (a 50 km ao leste de BH).

O ICMBio (Instituto Chico Mendes), órgão do governo federal que cria e gere as unidades de conservação nacionais, estuda a implantação de um parque de 27 mil hectares na região - quase o tamanho da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Já a Vale quer extrair 24 milhões de toneladas de minério de ferro por ano com o Projeto Apolo - um investimento de R$ 4 bilhões. "É um dos maiores investimentos do setor minerário neste período", diz Cláudio Lopes, do departamento de Engenharia de Minas da UFMG.

A última grande aposta da Vale foi a mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo (MG), inaugurada em 2006, com a capacidade de extrair 30 milhões de toneladas de minério por ano.
O problema é que a cava da mina Apolo, projetada para cerca de 900 hectares, está dentro da área que o ICMBio pretende para o parque.

Autor de uma dissertação de mestrado na UFMG que sugere a criação da reserva, o biólogo Wander Lopes diz que, além da presença de mamíferos ameaçados de extinção, como o lobo-guará e a onça-pintada, a área é especial por ser zona de transição entre mata atlântica, cerrado e campos de altitude.

A região, pouco explorada, conta com pelo menos nove cachoeiras e mais de 70 cavernas -numa das quais se encontra um sítio com pinturas rupestres.

CANGAS

O biólogo Flávio do Carmo, autor de outra dissertação da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) que estudou a serra, conta que a área é rica em um tipo de formação rochosa difícil de ser encontrada, as cangas.

Elas são ecossistemas que afloram no alto das montanhas, onde vivem espécies raras de vegetais e insetos e que propiciam a infiltração da chuva no lençol freático -tanto que a serra tem nascentes que abastecem parte da região metropolitana de Belo Horizonte.

Compostas por crostas de ferro, as cangas atraem as mineradoras. A exploração de minério de ferro fez com que do total de 18,5 mil hectares da formação que havia em Minas restem 11 mil. Desse total, 4,5 mil hectares estão na Gandarela, o que justifica o interesse da Vale.

O Projeto Apolo está em fase de licenciamento ambiental na Secretaria de Meio Ambiente do Estado. Já foram feitas seis audiências públicas nos municípios envolvidos -Caeté, Santa Bárbara, Raposos, Itabirito, Rio Acima e Belo Horizonte. A previsão da secretaria é que o resultado da análise fique pronto até o final do ano.

Fonte: Folha Online

Evento AVISTAVIS


A ECOAVIS convida a todos para participarem do evento AVISTAVIS - Projeto de Parceria com a direção do Parque Rola Moça - que acontecerá no próximo dia 25 de julho - Domingo às 8h na sede do Parque (sede da parte alta - com entrada pelo bairro Jardim Canadá - saída para RJ - BR-040).

O evento consiste em uma palestra que terá início as 8h e posteriormente uma saída em campo com os convidados para observação das aves locais as 9h.

Não há nenhum custo, mas que aqueles que se interessarem a fazer a saída em campo procurem se vestir com roupas de cores neutras, tais como verdes fôlhas, marron, caque e camuflada.

Importante estar bem calçado, preferivelmente botas ou tênis, boné e chapéus de cores neutras, cantil de água e um pequeno lanche, binóculos.

Os participantes poderão ser agraciados durante o evento com a aparição da Águia-cinza, Águia-chilena e Urubu-rei e até com o pequeno beija-flôr, endêmico da região chamado Gravatinha-verde. O parque deve possuir ao redor de 200 espécies de aves.

Informações e inscrições:
edubiologo@yahoo.com.br

Blog 'Diz o Estudo'


'Diz o Estudo' é um blog criado recentemente (junho de 2010) que faz parte do portal Veja.com .

O foco do veículo são notícias sobre pesquisas científicas inusitadas, com a opinião de especialistas.

Alguns dos posts do blog: "Café pode prevenir câncer de cabeça e pescoço", "Barriga de chopp pode estar relacionada ao Alzheimer", "Pessoas que bebem são mais saudáveis do que abstêmios".

Para acessar o 'Diz o Estudo', clique no link:
http://veja.abril.com.br/blog/diz-estudo/

Concurso Público Professor Pedra Azul – MG (01 vaga para Biólogos)

O concurso público da Prefeitura de Pedra Azul (MG) irá contratar Professor de Ciências (salário de R$694,70).

As inscrições devem ser feitas pelo site www.gazzinelliconsultoria.com.br, entre 16 de agosto a 14 de setembro de 2010.

A aplicação da prova objetiva será no dia 24 de outubro.

Mais informações:
http://migre.me/YBei

II Semana de Biotecnologia Industrial - EEL/USP


Com objetivo de contribuir para a valorização da Biotecnologia Industrial no Brasil, os alunos do programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Industrial e o Departamento de Biotecnologia da Escola de Engenharia de Lorena – Universidade de São Paulo promovem a Segunda Semana de Biotecnologia Industrial (II SBI), com os temas principais em “Tópicos Especiais em Fabricação de alimentos e Utilização de Biomassa”.

O evento, dirigido a toda a comunidade científica, alunos, docentes e profissionais da área, será realizado entre os dias 20 e 22 de outubro de 2010 na Escola de Engenharia de Lorena.

O prazo final para submissão dos resumos será 30 de julho.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 20 de setembro.

Mais informações:
http://www.eel.usp.br/sbi/

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Em Defesa da Mata Seca Mineira


No dia 1º de julho de 2010, pesquisadores da Rede Colaborativa de Pesquisas Tropi Dry, que trabalham na América Latina com “Florestas Estacionais Deciduais”, conhecidas no norte de Minas como Matas Secas, realizaram o III Workshop sobre Políticas Públicas e Dinâmicas Socioambientais na Mata Seca Norte-mineira: Desafios para a Conservação.

Participaram da discussão membros da academia, ministério público, organizações da sociedade civil e público em geral. Nesse workshop foram demonstrados resultados científicos referentes à biodiversidade da Mata Seca na região, reafirmando a sustentação científica para sua inserção no bioma Mata Atlântica (http://migre.me/YjAo) .

Além disso, foram apresentados estudos sobre as dinâmicas de ocupação e uso do solo, a evolução do desmatamento mapeados por sensoriamento remoto e a regulação jurídica que protege esta formação vegetal no norte de Minas Gerais. Foi apontado também um conjunto de possibilidades de se conservar as matas secas no Norte de Minas com base no uso sustentável dos ambientes e promoção da inclusão sócio-econômica de uma significativa parcela da população. Ações que passam pelo reconhecimento dos territórios quilombolas e das comunidades tradicionais que, historicamente, aí habitam; pela criação de unidades de conservação de uso sustentável associadas com unidades de proteção integral; e/ou com a implantação de projetos de assentamentos agroextrativistas.

Os participantes demonstraram grande preocupação com a pressão política que o governador de Minas Gerais vem sofrendo por parte da classe ruralista da região para aprovar o Projeto de Lei 4.057/09, de autoria do deputado estadual Gil Pereira. Contendo graves ameaças aos remanescentes de Mata Seca, que já foi desmatada em 52% na região, o referido projeto traz também uma série de equívocos legislativos e justificação sem qualquer fundamento científico.

Para tentar impedir que o PL seja sancionado pelo governador do Estado, criou-se um abaixo-assinado online. Para acessa-lo, clique no link:
http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/6512

Assembleia Legislativa ameaça Mata Seca do Norte de Minas


Os deputados estaduais Gil Pereira (PP), Ana Maria Resende (PSDB), Arlen Santiago (PTB), Carlos Pimenta (PDT), Jayro Lessa (DEM), Luiz Humberto Carneiro (PSDB), Paulo Guedes (PT) e Ruy Muniz (DEM) foram responsáveis pela aprovação do PL nº 4057/09, que autoriza ampliar a derrubada da Mata Seca do Norte de Minas Gerais.

Localizada principalmente no vale do São Francisco, em territórios mineiro e baiano, a Mata Seca é rica em espécies animais e vegetais que só nela ocorrem. Chama-se “Seca” por perder grande parte de suas folhas no período seco do ano. Na estação de chuvas, veste-se de verde, adquirindo feição das florestas úmidas.

Sua maior parte já foi derrubada para expansão da fronteira agropecuária e produção de carvão vegetal. Pelas ameaças à sua sobrevivência, a Lei Federal nº 11428/2006 a incluiu no regime de proteção especial da Mata Atlântica. Mais de 80% da cobertura vegetal nativa de Minas Gerais já foi destruída e grande parte do que sobrou está empobrecido ou ameaçado.

Se o PL for sancionado pelo governador do Estado, a Mata Seca corre risco de extinção e, com ela, espécies cada vez mais raras como onça pintada, arara vermelha, anta, macaco prego e macaco barbado. Vale lembrar também a importância da Mata e da biodiversidade que ela enseja na prestação de serviços ambientais essenciais para a qualidade de vida de nossa população, como polinização, água limpa, solo fértil e equilíbrio climático.

Envie mensagem ao governador, pelo e-mail governadorgab@mg.gov.br, pedindo-lhe que não sancione o PL nº 4057/09.

Fonte: Conservação Internacional Brasil

Estágio na área de Educação Ambiental


A Petrel Engenharia (http://www.petrelengenharia.com.br/) abriu uma vaga para estágio na área de Educação Ambiental.

LOCAL DE ATUAÇÃO
Belo Horizonte - MG.

OBJETIVO
Estágio na área de Educação Ambiental.

ATIVIDADE
Fazer acompanhamento das atividades que serão desenvolvidas nas Unidades da Fundação de Parques Municipais pelos transatores civis e penais encaminhados pelo Ministério Público e ter interesse em atuar na área de Educação Ambiental.

PRÉ-REQUISITO
Os candidatos devem ser estudantes do 2º ao 6º período dos cursos de Ciências Biológicas.

HORÁRIO
No período da tarde e eventualmente nos finais de semana.

Os interessados devem enviar currículo até o dia 23 de julho para:
Ari Gobira: ari@petrelengenharia.com.br
Karine Martins: karine@petrelengenharia.com.br.

OBS: No campo assunto deve constar "Seleção de estágio para Educação Ambiental".

Maiores informações no telefone (31) 3335-0281 com Ari ou Karine.

XIV Semana da Bio em Botucatu-SP


Do dia 16 a 21 de agosto acontecerá a XIV Semana da Bio em Botucatu-SP, com palestras e mini-cursos com temas voltados para várias áreas da Biologia e Biomedicina.

Terão descontos as inscrições feitas até o dia 1º de agosto.

Mais informações:
www.ibb.unesp.br/semanadabio

Prêmio Agroambiental Monsanto


Estão abertas até 16 de agosto as inscrições para a segunda edição do Prêmio Agroambiental Monsanto, destinado a pesquisadores e estudantes das áreas de agronomia e ecologia, biologia e gestão ambiental, direito e inovação.

As propostas devem ser inéditas no Brasil e não podem ter sido aplicadas comercialmente. Devem também ter como principal requisito o desafio de apresentar práticas inovadoras e levar as informações de maneira clara para a sociedade.

Podem se inscrever na categoria pesquisador: estudantes nos níveis mestrado, doutorado ou pós-doutorado matriculados no ano de 2010 em instituições brasileiras; e pesquisadores já formados nos níveis mestrado, doutorado ou pós-doutorado, com tese concluída a partir de 2007 em instituições brasileiras.

O primeiro lugar de cada categoria receberá R$ 12 mil (pesquisador) e R$ 6 mil (estudante), além de viagem para participar de evento internacional e nacional, respectivamente, relacionadas aos temas do concurso, a ser realizada em 2011. Os segundos e terceiros colocados de ambas as categorias ganharão um notebook cada.

Mais informações:
http://www.premiomonsanto.com.br/

IPCC oferece bolsa de estudos


O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) da Organização das Nações Unidas está com chamada de propostas aberta para o seu Programa da Bolsa de Estudos. Interessados podem se candidatar até o dia 31 de julho.

Podem se candidatar estudantes graduados ou doutorandos de países em desenvolvimento, com até 40 anos, que desejem se engajar na formação acadêmica e empreender habilidades avançadas de pesquisa e de aperfeiçoamento.

O programa priorizará pesquisas em temas como “a ciência envolvida nas mudanças climáticas”, “impactos das mudanças climáticas em ecossistemas aquáticos, na saúde e na agricultura”, “potencial de adaptação e mitigação” e “desenvolvimento sustentável”.

A duração da bolsa será normalmente de 12 a 18 meses, desde que se verifique progresso satisfatório durante o período de estudo. Relatórios deverão ser enviados pelos orientadores ao comitê científico da bolsa a cada seis meses.

Os valores da bolsa dependerão do período de estudo e da instituição na qual será conduzido.

Mais informações:
http://migre.me/YjXm

2º Simpósio de Sequestro de Carbono


A Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu, realizará de 17 a 19 de agosto o 2º Simpósio de Sequestro de Carbono, em Botucatu (SP).

O evento tem o objetivo de promover discussões e levar conhecimento sobre ações sustentáveis no meio florestal a estudantes, produtores rurais e profissionais que atuam em áreas afins.

O simpósio reunirá pesquisadores, produtores rurais e profissionais para a discussão de ações sustentáveis no meio florestal.

Inscrições na área de eventos do site da Faculdade de Ciências Agronômicas.

Mais informações:
www.fca.unesp.br/noticia_detalhes.php?vID=427

Revisão sem sustentação científica


A revisão do Código Florestal brasileiro, em votação no Congresso Nacional, está provocando sérias preocupações na comunidade científica e suscitando diversas manifestações no Brasil e no exterior.

Com uma possível aprovação do relatório que propõe mudanças na legislação ambiental, o Brasil estaria “arriscado a sofrer seu mais grave retrocesso ambiental em meio século, com consequências críticas e irreversíveis que irão além das fronteiras do país”, segundo carta redigida por pesquisadores ligados ao Programa Biota-FAPESP e publicada na sexta-feira (16/7), na revista Science.

O texto é assinado por Jean Paul Metzger, do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), Thomas Lewinsohn, do Departamento de Biologia Animal da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Luciano Verdade e Luiz Antonio Martinelli, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da USP, Ricardo Ribeiro Rodrigues, do Departamento de Ciências Biológicas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, e Carlos Alfredo Joly, do Instituto de Biologia da Unicamp.

As novas regras, segundo eles, reduzirão a restauração obrigatória de vegetação nativa ilegalmente desmatada desde 1965. Com isso, “as emissões de dióxido de carbono poderão aumentar substancialmente” e, a partir de simples análises da relação espécies-área, é possível prever “a extinção de mais de 100 mil espécies, uma perda massiva que invalidará qualquer comprometimento com a conservação da biodiversidade”.

A comunidade científica, de acordo com o texto, foi “amplamente ignorada durante a elaboração” do relatório de revisão do Código Florestal. A mesma crítica foi apresentada em carta enviada por duas das principais instituições científicas do país, no dia 25 de junho, à Comissão Especial do Código Florestal Brasileiro na Câmara dos Deputados.

Assinada por Jacob Palis e Marco Antonio Raupp, respectivamente presidentes da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC), a carta defende que o Código Florestal, embora passível de aperfeiçoamentos, é a “peça fundamental de uma legislação ambiental reconhecida com uma das mais modernas do mundo”.

A reformulação do código, segundo o texto, baseia-se na “premissa errônea de que não há mais área disponível para expansão da agricultura brasileira” e “não foi feita sob a égide de uma sólida base científica, pelo contrário, a maioria da comunidade científica não foi sequer consultada e a reformulação foi pautada muito mais em interesses unilaterais de determinados setores econômicos”.

Entre as consequências de uma aprovação da proposta de reformulação, a carta menciona um “aumento considerável na substituição de áreas naturais por áreas agrícolas em locais extremamente sensíveis”, a “aceleração da ocupação de áreas de risco em inúmeras cidades brasileiras”, o estímulo à “impunidade devido a ampla anistia proposta àqueles que cometeram crimes ambientais até passado recente”, um “decréscimo acentuado da biodiversidade, o aumento das emissões de carbono para a atmosfera” e o “aumento das perdas de solo por erosão com consequente assoreamento de corpos hídricos”.

No dia 16 de junho, as lideranças da Câmara dos Deputados também receberam carta do geógrafo e ambientalista Aziz Nacib Ab’Sáber – professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP e pesquisador do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP –, que fez duras críticas ao relatório de reformulação da legislação.

Reconhecido como um dos principais conhecedores do bioma amazônico, Ab’Sáber defendeu que, “se houvesse um movimento para aprimorar o atual Código Florestal, teria que envolver o sentido mais amplo de um Código de Biodiversidades, levando em conta o complexo mosaico vegetacional de nosso território”. Segundo o geógrafo, a proposta foi apresentada anteriormente ao Governo Federal, mas a resposta era de que se tratava de “uma ideia boa mas complexa e inoportuna”.

No documento, Ab’Sáber afirma que “as novas exigências do Código Florestal proposto têm um caráter de liberação excessiva e abusiva”. Segundo ele, “enquanto o mundo inteiro repugna para a diminuição radical de emissão de CO2, o projeto de reforma proposto na Câmara Federal de revisão do Código Florestal defende um processo que significará uma onda de desmatamento e emissões incontroláveis de gás carbônico”.

Novos debates

No dia 7 de julho, a SBPC reuniu em sua sede em São Paulo um grupo de cientistas ligados à temática do meio ambiente para iniciar uma análise aprofundada sobre o assunto, do ponto de vista econômico, ambiental e científico.

O evento teve a participação de Raupp, Ab’Sáber, Joly, Martinelli, Rodrigues, além de Ladislau Skorupa, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Carlos Afonso Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e João de Deus Medeiros, do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Os cientistas formaram um grupo de trabalho para emitir pareceres sobre as mudanças do Código Florestal. Na Reunião Anual da SBPC, que será realizada em Natal (RN) entre 25 e 30 de julho, uma mesa-redonda discutirá o tema.

Outra reunião, prevista para a segunda quinzena de agosto, deverá sistematizar todas as sugestões do grupo em um documento a ser divulgado nos meios de comunicação e encaminhado aos congressistas.

No dia 3 de agosto, o programa BIOTA-FAPESP realizará o evento técnico-científico "Impactos potenciais das alterações do Código Florestal Brasileiro na biodiversidade e nos serviços ecossistêmicos". Na oportunidade, especialistas farão uma avaliação dos possíveis impactos que as alterações do Código terão sobre grupos taxonômicos específicos (vertebrados e alguns grupos de invertebrados), bem como em termos de formações (Mata Atlântica e Cerrado) e de serviços ecossistêmicos (como ciclos biogeoquímicos e manutenção de populações de polinizadores). Além de reforçar a base cientifica sobre a importância das APP e de RL para conservação da biodiversidade, o evento visa a subsidiar a ABC e a SBPC no posicionamento sobre essa temática.

Fonte: FAPESP