sexta-feira, 25 de julho de 2008

Novo site do CRBio-04

O CRBio-04 está com site novo, mais bonito, moderno e fácil de usar.
O endereço continua o mesmo: www.crbio4.org.br . Visite o site, deixei a sua opinião na enquete e caso tenha sugestões, encaminhe para o e-mail ascom@crbio4.org.br .

Grupo fará mapa genético de infartados

24/07/2008 - 08h16

RAFAEL GARCIA
da Folha de S.Paulo

Um grupo de pesquisadores de São Paulo está preparando o primeiro mapa genético de brasileiros cardíacos. Dez pacientes atendidos pelo hospital do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia forneceram amostras de sangue para extração de DNA no momento do infarto, e a análise do material já está sendo feita agora, em colaboração com cientistas da Universidade da Catalunha (Espanha).
O projeto --coordenado pelo cardiologista Marcelo Sampaio, do Dante Pazzanese, e pelo bioquímico Mário Hirata, da USP (Universidade de São Paulo)-- tem como objetivo identificar quais genes permanecem mais ativos no organismo -ou menos- em momentos que caracterizam o infarto.
"Isso será a base, mais no futuro, da chamada farmacogenômica", diz Sampaio. "Com esses perfis, vai ser possível adequar o tratamento para os indivíduos em questão."
O DNA dos voluntários está sendo testado agora nos chamados "microarrays", ou chips de DNA -pequenas placas que atuam como se fossem milhares de tubos de ensaio usados para rastrear a ação de inúmeros genes numa única amostra.
"Existem pacientes com alterações presentes no DNA, mas nós não sabemos até que ponto elas representam problemas associados a doenças ou riscos", afirma o cardiologista. "Muito já foi testado e publicado em estudos, mas o grau de consistência desses trabalhos ainda é pouco significativo."
Quando os dados dos chips estiverem à mão, serão analisados por pesquisadores nos EUA que tentarão estabelecer uma correlação estatística entre o infarto e as alterações em genes. Sampaio afirma que os resultados do trabalho deverão estar prontos para publicação no início do ano que vem.
"Há uns dez ou quinze remédios que são universais para infartados, mas uns respondem melhor a certas drogas do que outros", diz. "Com esse estudo, surge a possibilidade de conseguirmos direcionar melhor o tratamento para indivíduos."
Matéria extraída da Folha Online

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Campanha sobre uso de cobaias

A Sociedade Brasileira para Progresso da Ciência - SBPC pretende investir na divulgação para explicar à sociedade como e para quê é feita a experimentaçao animal ( uso de cobaias).

Leia o artigo abaixo que trata do assunto e deixe sua opinião a respeito.




"Grupo fará campanha para esclarecer uso de cobaias

AFRA BALAZINA
Enviada especial da Folha de S.Paulo a Campinas

No cinema, antes de começar o filme, uma propaganda falará da importância e mostrará os usos práticos da experimentação animal, como o teste para garantir a segurança da vacina de febre amarela antes de ser aplicada nas pessoas.
Essa foi a proposta anunciada na 60ª reunião anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), em Campinas, para conscientizar o público sobre a importância do uso de cobaias. O Ministério da Ciência e Tecnologia sinalizou com a liberação de recursos e os cientistas já estão em negociação com redes de cinema e emissoras de televisão.
A preocupação de cientistas em explicar como e para quê é feita a experimentação animal se acentuou após a proposição de leis que tentam proibi-la, em cidades como Rio de Janeiro e Florianópolis. Pesquisadores esperam que a lei Arouca, que regulamenta a pesquisa com cobaias e permite seu uso controlado, seja aprovada pelo Senado e entre em vigor, tornando as leis municipais nulas. Os protestos de ativistas de direitos dos animais, porém, poderão continuar a despeito da lei.
O responsável pelo projeto de criar anúncios de conscientização, Marcelo Morales, presidente da Sociedade Brasileira de Biofísica, diz que o valor para produzir uma campanha nacional seria de R$ 1 milhão.
"É uma ação de utilidade pública", diz. Segundo ele, o projeto seria uma reação a ativistas anticobaias que "confundem" o público. "Há campanhas de ONGs muito bem articuladas, com direito a filmes não educativos, que confundem experimentação animal --que usa ética-- com maus tratos." O projeto de Morales tem apoio da Federação de Sociedades de Biologia Experimental.
O tema dos testes em animais ganhou destaque neste ano na reunião da SBPC --é um dos núcleos do encontro e conta com duas conferências, quatro mesas-redondas (sobre avanços tecnológicos, modelos alternativos, ética e legalização do uso de animais em laboratórios) e um fórum dos comitês de ética de universidades e institutos de pesquisa.
Esse foi, até agora, o assunto mais polêmico da reunião. Numa conferência ontem de manhã, um grupo fez um pequeno protesto e entregou folhetos aos participantes. Os manifestantes escreveram no chão "fim dos testes em animais" e levaram ao auditório uma faixa com palavras de ordem.
No panfleto, o grupo diz que "a experimentação animal é diretamente responsável pelo aumento do câncer, doenças do coração, defeitos físicos, Aids". E fala que o uso de "animais artificialmente doentes é o de uma informação não aplicável aos seres humanos e, sendo assim, tragicamente enganador".
O mestrando em antropologia Daniel Ramiro, 26, e o doutorando em antropologia Felipe Velden, 30, participaram do protesto. Ramiro é adepto do "veganismo" --não consome nenhum produto de origem animal. Parou de tomar cerveja porque as empresas patrocinam rodeios. Nenhum dos dois acredita que os novos medicamentos precisem ter sua segurança testada em animais antes de serem dados a humanos.
A coordenadora dos eventos sobre o tema na SBPC, Regina Markus, é presidente da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental. Ela defende o uso de cobaias supervisionado por comitês de ética e considera positivas as manifestações contrárias, pois elas reforçam a necessidade de a lei Arouca disciplinar a prática de pesquisa.
"Nós tentamos há muito tempo ter um marco legal. Foi na realidade a contundência, o contraponto, que tornou pública a necessidade de um marco legal", disse. "Vamos aproveitar a existência de opiniões diversas para criar o novo." "
Matéria extraída da Folha Online.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Seleção de Profissional para Serviço Temporário

Formação ou especialização nas áreas de humanas, biológicas ou exatas..
Edital prorrogado até o dia 18/07/2008.

Perfil: formação ou especialização nas áreas de humanas, biológicas ou exatas, com experiência comprovada de, no mínimo, 05 anos no acompanhamento e avaliação de organizações sociais e seus respectivos projetos. Experiência comprovada em monitoramento, avaliação e sistematização de tecnologias sociais. Experiência no uso e aplicação de MS Project ou outro sistema de organização de projetos.

Atividades: Diagnosticar forças, fragilidades, pontos a melhorar e oportunidades do Programa Cultura Viva, com apresentação de propostas viáveis de qualificação do mesmo; sistematizar experiências do Programa e do resultado do Projeto de Consultoria; apoiar a construção de um sistema de informações para avaliação, monitoramento e planejamento


Local de Trabalho: nas capitais dos estados da Federação, com disponibilidade para viagens.

Os interessados deverão enviar Curriculum Vitae detalhado para o e-mail gicelda.silva@minc.gov.br, A/C: Gicelda Ferreira, até o dia 18/07/2008, indicando, obrigatoriamente, no assunto do e-mail, o código BRA/04/051-69.
Em atenção às disposições do Decreto nº 5.151, de 22 de julho de 2004, informamos que estas contratações serão efetuadas mediante processo seletivo simplificado (análise de curriculum e entrevista), sendo exigido dos profissionais a comprovação da habilitação profissional e da capacidade técnica ou científica compatível com os trabalhos a serem executados. “É vedada a contratação, a qualquer título, de servidores ativos da Administração Pública Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, direta ou indireta, bem como de empregados de suas subsidiárias ou controladas, no âmbito dos acordos de cooperação técnica e internacional, ressalvadas as situaçãoes previstas no Art. 37, inciso XVI, da Constituição Federal”.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Grupo acha novos usos para remédios investigando bulas

RICARDO BONALUME NETO
da Folha de S.Paulo
As tediosas bulas de remédio podem ser uma inesperada fonte de descoberta científica, mostra um grupo de pesquisadores europeus. Analisando efeitos colaterais descritos nas bulas de 746 remédios aprovados e comercializados, os cientistas acharam possíveis novos usos terapêuticos para pelo menos treze dessas drogas.
Achar novas aplicações para drogas existentes é algo relativamente comum, mas descobertas desse tipo em geral surgem de golpes de sorte e pesquisas não sistemáticas. O princípio ativo do Viagra, por exemplo, foi antes usado contra angina.
O grupo de Peer Bork, do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, de Heidelberg (Alemanha), porém, decidiu usar um método organizado. Fez uma varredura em centenas de bulas para procurar informações sobre efeitos colaterais que poderiam dar pistas sobre se uma droga com as mesmas propriedades serviria contra doenças diferentes.
Bork descobriu, por exemplo, que o donepezil, usado para diminuir a perda de memória em vítimas do mal de Alzheimer, tem um alvo comum com o medicamento antidepressivo venlafaxina, sugerindo que ela também poderia ser usada contra a depressão. Essa e outras descobertas foram relatadas em estudo na edição de hoje da revista científica "Science".
A vantagem de pesquisar novos usos para drogas já usadas é encurtar o tempo de testes clínicos. A aprovação de uma nova droga pode levar até 15 anos desde sua descoberta, com testes em tubos de ensaio, cobaias e humanos.
Matéria extraída da Folha Online

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Férias no Museu!

Férias no Museu

16 a 31 de julho de 2008

Oficinas, teatro, Pesquisador Mirim e diversas atividades para toda a família!

Informações sobre custo e agendamento através dos telefones (31) 3319.4520 e 33194152

Valores

Pacotes
Os pacotes têm duração de 3 horas e custam R$ 15,00 (quinze reais), incluindo o ingresso ao Museu e lanche (salgado, suco e bombom).
A cada 2 pacotes, 1 adulto fica isento do ingresso ao Museu.
A cada 4 pacotes, o valor passa a ser de R$ 12,00 (doze reais) por pacote.

Oficinas Avulsas
As mesmas dos pacotes. Valor: R$ 4,00 (quatro reais) por pessoa.


Atividades

Pacote Pesquisador Mirim e Juvenil
Visita guiada às Exposições: A Era dos répteis e Pleistoceno;
Oficinas infantis: Escavação e Pintura de réplicas;
Oficinas juvenis: Confecção de réplicas; Trilha na Mata.

Pacote Jardim de Borboletas
Visita guiada às exposições do Jardim de Borboletas; Hora do conto; Mural Interativo; Jogo didático; Oficina de jardinagem.

Pacote Arqueologia
Visita guiada às exposições: História Natural de Minas (Peter Lund, Caverna, Cerrado e Pleistoceno); Jogo educativo;
Oficinas infantis: Pintura Rupestre;
Oficinas juvenis: Máscara de gesso.

Pacote Ambientes
Visita guiada às exposições: Cerrado, Caverna, Jardim de Borboletas;Trilha na mata;
Oficinas infantis: Pintura de réplicas;
Oficinas juvenis: Confecção de réplicas; Exibição de documentário e roda de conversa sobre conservação ambiental; Confecção de Painel de percepção ambiental.

Pacote Animais
Visita guiada a todas as exposições que contêm exemplares da fauna antiga e atual; Exibição de documentário e roda de conversa sobre conservação ambiental;
Oficinas infantis: Pintura de réplicas;
Oficinas juvenis: Confecção de réplicas; Jogo educativo.

Uma Noite no Museu
Um roteiro noturno que promete surpreender as crianças!


Confira o folder em anexo.


Um roteiro noturno que promete surpreender as crianças!

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Produção científica cresce 133% em 10 anos no país


MARTA SALOMON
da Folha de S.Paulo, em Brasília

Medida em número de artigos publicados em periódicos internacionais, a produção científica brasileira cresceu 133% nos últimos dez anos, só perdendo da China, entre os países emergentes, no ritmo de crescimento na década. Os chineses mais do que quadruplicaram a publicação de artigos.
Em 2007, cientistas brasileiros publicaram 26.369 artigos em publicações estrangeiras. Isso representa 1,75% da produção mundial.
O número é inferior ao registrado em 2006 (26.661). O presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Jorge Guimarães, não se manifestou ontem sobre os motivos da queda.
Segundo o biomédico Rogério Meneghini, especialista em cienciometria (que estuda a produtividade em pesquisa), o movimento seria apenas uma "oscilação". Ele chamou a atenção para o fato de o indicador aferir mais quantidade do que qualidade das pesquisas.
Nesse período de dez anos, os EUA mantiveram a liderança do ranking, no qual o Brasil ocupa o 15º lugar desde 2006, cinco postos acima da posição ocupada em 1998. Os números têm como base o indicador SCImago, que usa o banco de dados Scopus, mantido pela editora científica homônima. O ranking lista 233 países.
O resultado brasileiro em 2007 representou mais da metade de toda a produção científica da América Latina. Na região, o México, segundo colocado, ocupa a 30ª posição no ranking mundial.
Medicina foi a área de pesquisa que concentrou o maior número de artigos brasileiros publicados no ano passado, com quase 20% do total. Na seqüência, vêm agricultura e ciências biológicas, bioquímica, genética e biologia molecular, física e astronomia.
Cinco instituições se destacaram na produção de artigos científicos: USP, Unicamp e as universidades federais de Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais, nessa ordem. Integram os quadros dessas universidades 11 dos 16 pesquisadores apontados como destaques da produção científica da década. Eles receberão na próxima quinta-feira um prêmio da Capes em parceria com a editora holandesa Elsevier.
O chefe do departamento de Farmacologia da USP, Fernando de Queiroz Cunha, disse que a concentração de artigos na área médica vem dos investimentos dirigidos ao tema: "É a área que mais profissionalizou a produção científica".
Pesquisador da Embrapa e outro dos escolhidos para receber o prêmio, Elibio Rech é mais conhecido por participar do desenvolvimento da primeira patente de transgênico da estatal, uma variedade de soja tolerante a herbicida. Rech também publicou trabalhos sobre o genoma da teia de aranha, com o objetivo de produzir polímero biodegradável e sobre a produção de fármacos biotecnológicos contra o vírus da Aids.
"O avanço da pesquisa científica no Brasil fica evidente quando comparamos os resultados com o restante da América Latina e com outros países emergentes", observou Dante Cid, diretor para a América Latina da Elsevier.
Matéria extraída da Folha Online

domingo, 6 de julho de 2008

Re:e-Bio 59

Isso é um absurdo!
Vocês do conselho divulgarem um concurso com um salário base desse para Biólogo em concurso público. O
salário-base é de R$903,67 e a carga horária semanal de 30 horas. O valor da hora de trabalho é de R$7,53! É
um ultraje! A tabela de hora de trabalho do CFBio sugerida é de R$40,00. Como vocês permitem um concurso
desses? E pior, divulgam! Vocês não tem vergonha de dizer que lutam pelos nossos direitos profissionais? Até
quando pagaremos por essa conivência? Espero que vocês no mínimo me respondam, pois pago essa anuidade para
exercer minha profissão e não para ser ridicularizado.
Grato
---------- Cabeçalho original -----------

De: "comunicacao" comunicacao@crbio4.org.br
Para:
Cópia:
Data: Fri, 4 Jul 2008 14:22:32 -0300
Assunto: e-Bio 59

>
>
>
> 04 de julho de 2008 - nº 59
>
>
> Prefeitura de Jataí
>
> A Prefeitura Municipal de Jataí (GO) irá ofertar uma vaga para Biólogo em seu concurso público. O
salário-base é de R$903,67 e a carga horária semanal de 30 horas. As inscrições podem ser feitas até dia 10 de
julho pelo site www.saber.srv.br <http://www.saber.srv.br/> . O edital pode ser consultado pelo mesmo site.
>
>
>
>
>
Flávio Siqueira de Castro
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas
Tropicais-NUPEB
Laboratório de Ecologia de Insetos de Dossel e Sucessão Natural
Campus Morro do Cruzeiro DECBI/ICEB/UFOP, Bauxita, Ouro Preto, MG

http://lattes.cnpq.br/9054723200140843

quinta-feira, 3 de julho de 2008

contato

Olá,meu nome é Rafael Carvalho, sou biólogo e gostaria de saber se existe um registro para que eu receba as mensagens sobre oportunidades diretamente no meu email.
Obrigado

Gestão de Resíduos Sólidos

Dias 12,19 e 26 de julho / Vitória(ES)
www.tendenciaconsult.com.br/grs

Biólogos acham 3 novas espécies da flora


Foram identificadas três espécies da flora, ainda desconhecidas da ciência, na região do Parque Estadual do Cristalino, uma das unidades de conservação mais ricas em Biodiversidade na Amazônia, no norte do Mato Grosso.

A descoberta foi feita por pesquisadores da ONG Fundação Cristalino, em parceria com o Jardim Botânico de Kew, do Reino Unido. As novas espécies são descritas pela Bióloga Denise Sasaki, coordandora dos trabalhos, como um arbusto e dois subarbustos de pequeno porte.

As descobertas fazem parte de um relatório preliminar do programa Flora Cristalino, a primeira grande iniciativa de mapeamento da vegetação do norte mato-grossense, iniciado em julho de 2006.

Fonte: Folha Online